fechar
X Fechar
X Fechar

X Fechar
foto
Salvar nos Favoritos

X Fechar
foto
Clique e saiba mais
Clique e saiba mais
Clique e saiba mais
Clique e saiba mais
Clique e saiba mais
Clique e saiba mais
Clique e saiba mais

América Sports

Capacete Companhia

RM - Motocross Racing

Edgers Racing

RX Graphics

JPS Racing

Ohlins

DLua Racing

Toro Sports

> Colunas > Direto dos EUA - Edu Erbs

O que passou no Supercross e o que vem no Motocross
Publicado em: 19/05/2016

Saem os Indoors, é a hora dos outdoors
Redação MotoX.com.br: Edu Erbs - fotos: Simon Cudby / Garth Milan / AMA Supercross / Pascal Haudiquert / Bavo


  Ryan Dungey dominou a temporada de Supercross na categoria 450

Mais uma temporada do Monster Energy Supercross já se encontra no passado. Ryan Dungey, da Factory Redbull KTM, conseguiu defender o seu título pela primeira vez na carreira, com nove vitórias (+ Detroit), bateu recordes, fez história com seus 31 pódios consecutivos e provou estar no ápice da carreira.

Dentre as duas costas das 250s, os campeonatos começaram e terminaram de forma completamente diferente. Cooper Webb começou dominante, mas problemas mecânicos, um pulso quebrado e um lamaçal na última etapa, fizeram as suas chances de campeonato passarem por um triz, depois de Joey Savatgy realizar a melhor performance de sua carreira em Las Vegas.


Malcolm Stewart venceu seu primeiro campeonato porfissional e tira férias durante o Motocross

Já na costa Leste, a temporada começou com drama, e a liderança passou nas mãos de três pilotos, com seis diferentes vencedores. Ao final, Malcolm Stewart garantiu o seu primeiro campeonato como profissional, depois de pilotar com muitíssima maturidade durante as duas últimas etapas, mostrando porque mereceu o campeonato.

Aí vão alguns fatos que me chamaram a atenção na temporada deste ano, e algumas novidades que vêm por aí:


1 - As pistas: durante os últimos dois anos foram de um modo geral as melhores que consigo me lembrar desde que moro aqui nos Estados Unidos, há 11 anos. Talvez duas ou três pistas estes ano que não me agradaram muito, sendo uma delas SD 1, mas no demais a equipe da Dirt Wurx fez um excelente trabalho. Ah, Daytona foi uma das pistas que não agradou muita gente, mas essa é a única prova do calendário não organizada pela Feld.

2 - Clima: o El Nino que deveria atacar com força a costa leste americana foi uma verdadeira farsa. Sim, talvez a precipitação deste ano tenha sido um pouco maior que no ano passado, mas estamos longe de nos livrar da horrível seca que enfrentamos aqui na Califórnia. Tivemos três etapas que foram previamente consideradas como lamaçais, sendo Anaheim 1, Foxborough e New Jersey, entretando São Pedro deu uma trégua, a Dirt Wurx cobriu a pistas, e usou de sua experiência para drenar os alagamentos quando necessário. Tudo parecia um espetáculo, até que o mesmo, decidiu avacalhar e mandou um rio de água para a única prova localizada no coração do deserto, em Las Vegas. Realmente impressionante!

3 - Saúde: de todas as temporadas que me recordo, poucas delas terminaram com tantos grandes nomes competindo na última etapa. Apesar de alguns pilotos terem algum azar e e faltarem em algumas provas, pouquíssimos pilotos ficaram fora da prova de Las Vegas. Entre grandes nomes, Short, Stewart e Pourcel, entretanto se contarmos Dungey, Roczen, Barcia, Seely, Peick, Millsaps, Canard, Reed, Anderson, Baggett, Musquin, Brayton, Boggle, Weimer e Grant, Las Vegas viu uma super final.


Eli Tomac


Ken Roczen
4 - A primeira parte da temporada de Eli Tomac não foi como alguns esperavam. Mesmo que eu, particularmente, não o considerasse como um grande favorito ao título, não pensei que Eli teria tanta dificuldade de se adaptar ao novo equipamento e esperava um pouco mais dele. Sem dúvida o piloto do Colorado fez o seu nome por suas pilotagens sensacionais no motocross, então nos resta a dúvida, será que Tomac repetirá a performance do ano passado em Hangtown?

5 - Ken Roczen foi outro piloto que atuou abaixo do esperado. Assim como Tomac, o alemão mostrou alguns flashes de velocidade e se mostrou como o principal rival de Dungey, batendo o campeão no mano a mano em algumas ocasiões, mas teve um difícil início de campeonato, brigando com o set-up da sua "mágica" Suzuki durante várias etapas. Time e piloto parecem ter achado velocidade e um melhor acerto para as últimas provas, porém a pergunta que fica é: será que isso se desenvolverá para os Outdoors?

6 - Com nomes como Cooper Webb, Malcolm Stewart e Jeremy Martin sendo promovidos à classe principal em 2017, Aaron Plessinger é o principal nome que me vem em mente para dominar a temporada 2017 em uma das costas. O piloto venceu a sua primeira prova este ano, e mostrou que suas raízes off-road estão ainda bem cultivadas depois de uma espetacular performance no lamaçal de Las Vegas.

7 - Davi Millsaps que tinha contrato somente para o Monster Energy AMA Supercross Championship com a BTO KTM, está de malas prontas para competir no Canadá este verão pela KTM Canada. O piloto brigará com nomes como Mike Alessi e Brett Metcalfe, mas quem sabe pode vir a incomodar se permanecer sadio durante todo o campeonato.


Chad Reed é mais um dos pilotos com contrato apenas para o Supercross


James Stewart
8 - Chad Reed é outro que ficará de molho durante este verão, porém o australiano deve competir em duas provas dos MXGPs na Europa, uma na Itália e outra em Matterley Basin na Inglaterra.

9 - James Stewart (juntamente com a Factory Yoshimura Suzuki) teve talvez a temporada mais difícil de sua carreira até então. O floridiano decidiu apertar o reset para curar uma pequena fratura no tornozelo e se preparar para a temporada outdoor. Rumores indicam que James está procurando por um novo time para o próximo ano, mas se eu tivesse uma bola de cristal, eu diria que James não terá um grande desempenho nesta temporada e até o final do ano anuncia a sua aposentadoria do esporte.

10 - Falando em Stewart, Malcolm que também tinha somente contrato para o Supercross, decidiu ficar de fora do AMA Motocross este ano e se preparar para subir de categoria no ano que vem. Sem contrato assinado, rumores já pairam que James e Malcolm poderiam ter seu próprio time no ano que vem.

11 - Fox Racing: a marca californiana que é sem dúvida alguma um ícone no nosso esporte, fez um ótimo "face-lift" na Pro Circuit Kawasaki, alterando os uniformes que o time de Mitch Payton vinha usando há quase uma década. Em Las Vegas a marca decidiu usar Ryan Dungey como Capitão América, e Ken Roczen como Iron Man, fazendo uma colaboração com o filme que está sendo lançado mundialmente neste momento. Mas o que realmente me chamou a atenção, foi o seu novo conjunto Libra, que goza de partes que brilham no escuro, mas que foi curiosamente lançada em Foxborough, uma das duas etapas do campeonato que correram justamente durante o dia. Acho que alguém do marketing acabou sendo demitido (risos).


Tyler Bowers, da Kawasaki Pro Circuit

12 - Em Las Vegas a Feld Motorsports também divulgou o calendário 2017 do campeonato com algumas novidades. Infelizmente (para mim) somente três etapas agora são no sul da Califórnia, duas em Anaheim e uma em San Diego. Santa Clara e Forborough estão de fora, porém Seattle, Salt Lake City e Mineapolis voltam a ser paradas obrigatórias para o próximo ano.

13 - The Baker: o KTM-Group, que basicamente consiste nas marcas KTM e Husqvarna, assinou um acordo com Aldon Baker segundo o qual o famoso treinador se torna exclusivo dos atletas de ambas as marcas. Não é novidade pra ninguém que a KTM investiu algum capital na Baker's Factory no ano passado, já que Aldon treinava Dungey, Anderson e Musquin em período integral. O sucesso que a marca está tendo ao redor do globo não é por acaso, com parcerias como a de Aldon Baker, e com a apresentação de toda uma nova linha Off-Road (veja as novas Husqvarnas Motocross e as novas KTMs Enduro da linha 2017). Os japoneses devem estar de cabelo em pé!


14 - Webb: depois de negar a quebra do seu escafoide durante a press-conference em Las Vegas, Cooper Webb estreou um protótipo de munhequeira feita pela marca Mobius em Las Vegas. Com a sua desistência de participar do GP de Trentino, o piloto já era descartado do início do Lucas OIl AMA Motocross, porém o time insiste que Cooper estará pronto pra largar em Hangtown neste sábado.

Os GPs


Dylan Ferrandis e Jeffrey Herlings na Itália

Logo quando eu estava à beira de desistir de assistir as provas da MX2, um adoecido Jeffrey Herlings e um inspirado Jeremy Seewer travaram uma das batalhas mais bonitas da classe nos últimos tempos no GP da Alemanha. Na corrida seguinte, na Itália, as coisas não foram muito diferentes quando Dylan Ferrandis (que por sinal está contratado pela Star Racing para correr nos EUA no ano que vem) quebrou a invencibilidade de Jeffrey Herlings faturando a primeira bateria do dia, apesar que Herlings se deu melhor no overall e venceu seu oitavo GP consecutivo.


Tony Cairoli

Na classe principal, eu também já estava a ponto de declarar o domínio da jovem guarda liderada por Tim Gajser e Romain Febrve, mas depois de alguns sinais de velocidade, parece que finalmente Tony Cairoli está voltando à sua velha forma, vencendo dois GPs consecutivos dilacerando a sua desvantagem em pontos quase pela metade e entrando novamente na briga pelo título. Ambos, Febvre e Gajser, vêm cometendo erros e o experiente siciliano não perdeu tempo em capitalizar pontos. Eles que se cuidem, King Tony is BACK!



Algo que me chamou a atenção foi no GP da Letônia quando Gajser sofreu uma incrível queda na seção de rollers. O atleta da Garibaldi Honda levantou e iniciou o processo de ressuscitação de sua CRF450, enquanto isso, pelos meus cálculos, perdeu mais de 20 posições. Nos últimos dois anos, a HRC Honda vem falando de globalização e transferência de informações entre os times... mas é difícil entender como Gajser ainda não tem uma moto oficial, como a de Paulin e de Bobrishev, que por sinal já são equipadas com partida elétrica?!


Tim Gajser

Falando em Honda, e em partida elétrica, os terremotos que afetaram o sul do Japão no mês passado, fecharam uma das fábricas da marca japonesa em Kumamoto, sendo que a mesma é responsável pela produção dos modelos CRF de motocross e enduro, então ficam algumas questões sobre a produção e entrega das novas CRF450R 2017 - que devem vir equipadas com partida elétrica - e como isso poderia afetar os times e até a nossa Silly Season.


 

Frase da Semana
"The only thing standing between you and your goal is the bullshit story you keep telling yourself as to why you can't achieve it."
Leonardo Di Caprio - Wolf of Wall Street







Vídeos MotoX Connect



Acompanhe o MotoX no Facebook

Curso MotoX
Brasil Racing
JPS Racing

© 2000 - 2017 MotoX MX1 Internet