fechar
X Fechar
X Fechar

X Fechar
foto
Salvar nos Favoritos

X Fechar
foto
Clique e saiba mais
Clique e saiba mais
Clique e saiba mais
Clique e saiba mais
Clique e saiba mais
Clique e saiba mais
Clique e saiba mais

América Sports

Capacete Companhia

RM - Motocross Racing

Edgers Racing

RX Graphics

JPS Racing

Ohlins

DLua Racing

Toro Sports

Clique e saiba mais

> Colunas > Direto dos EUA - Edu Erbs

O Mundial de Motocross sem Cairoli
Publicado em: 24/07/2015

Decisão do italiano de parar para tratar lesão interrompe longa sequência de títulos
Redação MotoX.com.br: por Eduardo Erbs - Fotos: Ray Archer, Simon Cudby, Honda e Yamaha


O desconforto de Cairoli nas provas mais recentes era visível


Dono do number plate vermelho: com a saída do atual campeão das próximas provas, Romain Febvre assume cada vez mais a posição de favorito ao título
Vamos começar a coluna com a notícia bombástica da semana: a decisão de Antonio Cairoli de deixar as pistas por um prazo indeterminado. Sinceramente, logo depois da contusão, eu ainda tinha alguma esperança de que ele iria tirar um coelho da cartola, usar toda sua experiência nas pistas de areia que completam a reta final da temporada e conquistar mais um título mundial (foram seis consecutivos na categoria principal), mas claramente, o siciliano terá que esperar mais um ano para tentar repetir a façanha.

Fiquei realmente surpreso quando descobri que Cairoli tinha mesmo uma fratura no braço agravada pela queda - causada por David Phillipaerts - no GP da Suécia. No final das contas, até este momento, parece que ninguém consegue parar Romain Febvre. O francês, com certeza, é merecedor do título, mesmo com nomes como Desalle, Nagl e Cairoli de fora. Agora é o momento em que ele escreve o nome no livro dos recordes, pois como dizem aqui nos Estados Unidos: "you gotta be IN it, to WIN it!"

Outro fator que, na minha opinião, pode ter sido muito importante para o resultado final do campeonato, agora na MX2, foi o fato de Tim Gajser não ter tido um bom aproveitamento na 12ª etapa, com somente um sétimo e um quarto lugares, deixando valiosos pontos para trás, já que Jeffrey Herlings ficou de molho com a fratura no dedo que teve também no GP sueco.


Jeffrey Herlings também tem enfrentado contratempos, mas os adversários não souberam aproveitar a ausência do líder da MX2


Será que Stefan Everts vai "amarelar"?
Com um fim no reinado da KTM na categoria principal e Herlings enfrentando vários contratempos no campeonato deste ano, o time austríaco talvez possa sofrer mais uma grande perda, pois há a possibilidade do lendário Stefan Everts deixar o grupo para comandar os pilotos da Suzuki em 2016. Não é segredo que Sylvain Geboers, atual dono da equipe japonesa, está com ela à venda, e parece que Everts seria o principal candidato à compra. Além disso, rumores indicam a entrada de Jeremy Van Horebeek no time, pois Clement Desalle já está com um pé dentro da Kawasaki para ocupar o posto de Ryan Villopoto. A Silly Season do Mundial de Motocross está pegando fogo este ano!

Agora vamos voltar para o meu lado do Atlântico e falar um pouco do motocross nos Estados Unidos. Também vou começar com uma notícia considerada bombástica por aqui. Ryan Dungey muito provavelmente estará fora do Motocross das Nações 2015, e consequentemente, fora do USGP, em Glen Helen no final de setembro. O principal motivo da ausência do piloto seria o calendário das provas - pois o MXoN será disputado mais de um mês após o final do Lucas OIl AMA Motocross - e de acordo com o treinador Aldon Baker, este período deverá ser usado como descanso e recuperação, antes da preparação para a pré-temporada, que começa com o Monster Energy Cup logo na metade de outubro.


Ryan Dungey pode ser um desfalque importante do time americano no Motocross das Nações


Justin Barcia é um dos pilotos mais cotados para integrar a equipe dos Estados Unidos na competição
Ainda com foco nos Nações: Justin Barcia e Jeremy Martin são os pilotos mais cotados para as principais vagas no time, e também o nome de Trey Canard está na lista dos cogitados, já que ele voltará às pistas para a prova de Washougal neste final de semana.

A Alemanha é outro time que estará desfalcado, pois de acordo com a mesma fonte, Ken Roczen também não representará seu país. Ele usará as férias para se recuperar das lesões no tornozelo e nas costas, que lhe tiraram da briga por títulos em 2015.

Kenny não demonstrou estar se divertindo muito neste final de semana. É fácil perceber em seu semblante a sua insatisfação no momento, assim como, está visível que seu velho romance com a Suzuki talvez não seja mais como ele imaginava, pois certamente Kenny não parecia estar andando no seu potencial, especialmente quando passou nas famosas e imperdoáveis costelas de areias de Milville.

Roczen parecia bastante cansado no final da segunda bateria, depois de perder a terceira colocação para Blake Baggett. Para completar, durante uma entrevista admitiu que está com dificuldades de se sentir confortável com a suspensão de sua RCH Suzuki. Claramente, as coisas não estão bem na equipe, pois o fiel escudeiro e mecânico de Kenny já anunciou que voltará para a KTM em 2016.

Vídeo:



Agora com foco nas provas, Dungey confirmou a hegemonia correndo em casa dominando ambas as baterias com certa facilidade. Já entre as 250cc, Cooper Webb acabou largando bem e aproveitando um erro de Marvin Musquin para vencer o overall logo na frente do, literalmente, dono da casa, Jeremy Martin.


Jeremy Martin abriu uma vantagem importante na liderança da classe 250 do AMA Motocross

Martin usou o favoritismo nas duas últimas etapas para recuperar a liderança do campeonato e abrir 19 pontos de vantagem sobre Marvin Musquin, entretanto, as duas próximas corridas serão vitais para o francês, pois Musquin tem um ótimo histórico em Washougal e Unadilla - ou seja, uma grande chance de diminuir a vantagem de Martin e brigar pelo campeonato nas duas provas finais em Utah e Indiana, que teoricamente não oferecem vantagens ou desvantagens a nenhum dos pilotos.

Algumas notas:


Cole Seely teve mais uma etapa frustrante em Spring Creek
- A prova de Spring Creek foi considerada a mais quente do ano graças à umidade, gerada pelas fortes chuvas que caíram sobre a área nos dias anteriores.

- Andrew Short voltou à ação em Spring Creek, mesmo que um pouco despreparado depois da lesão no joelho.

- Muita gente já contava com a aposentadoria de Josh Grant, porém, o piloto foi chamado em cima da hora pela Factory Kawasaki para tomar o posto de Will Hahn, que machucou as costelas durante um treino. Grant acabou na décima posição e será mantido no time até o final da temporada.

- Cole Seely compareceu ao evento depois de se recuperar de uma lesão na coxa, mas uma queda durante os treinos matutinos mais uma vez lhe tirou de contenção, desta vez por um ferimento no ombro.

- Washoulgal marcará a esperada estreia de Arnaud Tonus, afastado das provas desde o início do ano. Com vários problemas físicos, o piloto suíço tentará se redimir da má sorte que vem encontrando desde que chegou nos Estados Unidos no final do ano passado.

Frase da semana
"I once prayed to God for a bike, but quickly found out he didnt work that way...so I stole a bike and prayed for his forgiveness".








Vídeos MotoX Connect



Acompanhe o MotoX no Facebook

Curso MotoX
Brasil Racing
JPS Racing

© 2000 - 2017 MotoX MX1 Internet