fechar
X Fechar
X Fechar

X Fechar
foto
Salvar nos Favoritos

X Fechar
foto
Clique e saiba mais
Clique e saiba mais
Clique e saiba mais
Clique e saiba mais

América Sports

Capacete Companhia

RM - Motocross Racing

KTM Sacramento

RX Graphics

JPS Racing

Ohlins

> Colunas > Direto dos EUA - Edu Erbs

Tudo igual na reta final do Supercross 2017
Publicado em: 18/04/2017

Dungey e Tomac partem empatados para as três últimas provas da temporada
Redação MotoX.com.br - Por Edu Erbs - Fotos: Garth Milan / Feld Entertainment / Ray Archer

ZERO! Essa é a diferença de pontos que separa Ryan Dungey e Eli Tomac no Monster Energy AMA Supercross, restando apenas três provas.


Largada de St. Louis


Ryan Dungey persegue Eli Tomac em St. Louis
Com certeza Eli Tomac tem o embalo que precisa para levar o primeiro título da categoria para casa, mas Ryan Dungey utiliza o final de semana de folga para recuperar as energias e quem sabe redescobrir a antiga fórmula (e velocidade) que lhe coroou campeão nas últimas duas temporadas.

+ Resultados, mais fotos e vídeos da décima quarta etapa do AMA Supercross 2017, em Seattle

Enquanto isso, a maioria dos pilotos aproveitou a folga para rever a família e também fazer testes de equipamento para a temporada de Motocross que começa logo mais, dentro de um mês.

Apesar de Marvin Musquin vencer a última etapa de ponta a ponta, as manchetes das últimas semanas têm Chad Reed e Ryan Dungey como principais destaques depois dos acontecimentos em St Louis... que se prolongaram até o fim de semana da prova de Seattle.

Quem conferiu a final de St. Louis, claramente percebeu que Ryan Dungey teve uma prova excepcional com chances de alcançar Tomac na metade final, até que Chad Reed apareceu como retardatario e segurou o #1 por quase três voltas, fazendo Dungey perder muitíssimo tempo para Tomac e ter que se contentar com mais uma segunda posição.

Após a prova, Ryan Dungey, seu mecânico Carlos Rivera e o chefe de equipe Roger De Coster estavam fumegantes, e exigiram uma ação por parte da AMA no assunto, enquanto Reed se dirigiu aos pits e não teceu comentários.

Muitas teorias comecaram a aflorar sobre a causa do ocorrido. Seria talvez o fato de Dungey ter lhe chamado Reed de imaturo depois de baterem ombros durante a classificatória na mesma noite, ou ainda um acidente causado no final de semana anterior, logo na largada, onde Dungey se deu mal, mas Reed levou a pior, com um tombo bem feio que lhe literalmente lhe custou a pele das suas costas.

Logo na segunda feira a AMA penalizou Chad com multa de 5 mil dólares e a perda de 5 pontos (os mesmos ganhos na prova) no campeonato.


Eli Tomac

Por aqui as opiniões se dividiram. Apesar da maioria das pessoas considerarem Reed errado, alguns comentaram que a penalização seria desnecessária, outros (assim como eu) acharam que não foi o suficiente.

Em Seattle as coisas pareciam esquentar novamente quando Ryan Dungey foi flagrado dentro dos boxes de Chad em uma conversa bastante séria, mas logo que os treinos começaram os pilotos pareciam ser velhos amigos, em uma conversa bastante descontraída nos arredores da pista.

Apesar de tudo a "novela" não parou por aí! Chad declarou em uma entrevista que não aceita a penalização, pois afirmou não ter visto Dungey durante a prova, e que simplesmente manteve o traçado na corrida. Com isso, Chad apelou da decisão dos oficias da AMA, e simplesmente não desembolsou os US$ 5 mil dólares, o que teoricamente lhe tiraria da prova de Seattle. Chad também declarou que se sente um tanto discriminado pela AMA desde 2015, quando recebeu uma "injusta" bandeira preta sendo desclassificado em Anaheim depois da colisão com Trey Canard.


Chad Reed se fez de desentendido em St. Louis para bloquear Ryan Dungey

Sem pagar a multa, Reed não poderia entrar na pista em Seattle, então houve uma grande movimentação de oficias da AMA e da Yamaha para assegurar que Chad pudesse largar, e depois de uma "reuniãozinha" nos pits da Yamaha, a fábrica assinou o cheque liberando a participação de Chad.

O mais engraçado disso tudo é que as regras dizem que este tipo de punição é discutida somente entre oficias da AMA e o piloto, sendo que chefes de equipes, patrocinadores ou qualquer outra parte que tem algum interesse não poderia se envolver no caso... mas por aqui, assim como no Brasil, às vezes tambem se dá um "jeitinho".

Chad Reed sempre foi um dos meus pilotos favoritos, mas sinceramente isso tudo foi ridículo. Chad, na época que brigava com Bubba e Carmichael, era sempre apontado como chorão, e eu lhes garanto que, se as posições estivessem invertidas, nós nunca mais ouviríamos o fim desta história por sua parte. Querem prova disso? Como falei anteriormente, o australiano ainda está bravinho pela bandeira preta que recebeu duas temporadas atrás!!


Marvin Musquin comemora a vitória em Seattle

Alem disso, Chad poderia ser homem o suficiente para falar a verdade e admitir o que fez, pois um piloto com tanta experiência como ele, sabe muito bem o significado da bandeira azul, e eu tenho certeza que ele ouviu a KTM de Ryan Dungey roncar bem de perto quando o piloto tentava a ultrapassagem. No final das contas, Chad não é mais competitivo e está na hora de pendurar as botas, curtir a família e parar de criar situações ridículas como essa, que só tem a prejudicar a sua carreira. US$ 5 mil dólares e 5 pontos não afetam Chad em absolutamente nada! Eu achei a punição extremamente leve, e se eu fosse John Galagher, que dirige as provas, deixaria Chad em casa no final de semana seguinte.

Mudande de assunto... Seattle voltou ao campeonato depois de dois anos, e as opiniões se dividiram sobre a prova. Primeiramente a terra era completamente diferente dos anos anteriores que era barro. Neste, a pista foi construida com um terreno arenoso cinza, cheio de pedras, forçando alguns competidores a usarem protetores de mão e coletes. Outro fato interessante foi que, apesar do imprevisível clima da região, não houve nenhuma precipitação durante o dia. Apesar disso a organização decidiu diminuir os tempos das provas para sobrar tempo para a manutenção da pista, muito propensa à deteriorar.


CenturyLink Field Seattle

Para mim isto afirma que claramente o novo formato de corridas por tempo não está funcionando como o esperado já que é a segunda ocasião que o tempo de corrida é alterado. Com certeza veremos alguma novidade no ano que vem. Rumores indicam que talvez tenhamos um formato mais parecido com o Monster Cup, com possíveis provas classificatórias já durante a tarde e dois ou três main events durante a noite, em ambas as classes.

Entre outras notas das últimas semanas:

- Eli Tomac renovou seu contrato com a Factory Kawasaki por valores e período não divulgados, apesar do piloto indicar em algumas falas que o contrato seria válido por dois anos.

- Apesar da insanidade aparentemente ter afetado Chad Reed, eu ainda acho que ele tem razão em certas coisas... pois alguém viu o "acidente" de Justin Barcia e Alex Ray em St Louis? Mais uma vez Bam Bam fez juz ao seu apelido deixando ambos pilotos no chão. Barcia está com uma advertência da AMA e se for envolvido em outros casos de agressão poderá ser punido. Aos meus olhos, o tipo de manobra que fez sobre Ray, deveria ter gerado alguma punição ao piloto da JGR Suzuki.



- Depois de muita especulação, Christian Craig foi nomeado para pilotar a moto de Ken Roczen no Lucas Oil AMA Motocross Championship. O piloto da Geico Honda parece ter se adaptado rápido as 450s e a HRC Honda, e fará uma estreia antecipada em Salt Lake City neste fim de semana.

- A pista de Gatorback na Flórida, que sediou várias etapas do AMA Motocross, foi a escolhida pela Youthstream para receber o USGP em 2017 depois do cancelamento do Charlotte Motor Speedway. Esta prova marcará tambem o início da parceria entre a Youthstream e a MX Sports.

MXGP of Trentino


MXGP de Trentino

Wow! Realmente o Mundial de Motocross promete uma boa briga este ano. Começando pelas 250, onde Jeremy Seewer e Pauls Jonass já trocaram a lideranca do campeonato três vezes em apenas quatro provas, e o fenômeno Jorge Prado mostrou que veio para brigar por vitórias em seu primeiro ano como profissional.

Vídeo



Já na classe principal, Tony Cairoli se recuperou de dois fins de semanas menos que perfeitos na Argentina e no México, para uma das pilotagens mais impressionantes de toda a sua carreira, vencendo em casa para o delírio de milhares de fanáticos italianos!

+ Resultados, mais fotos e vídeos da quinta etapa do Mundial de Motocross 2017, na Itália

Este fim de semana poderá ser bastante pivotal para o futuro do campeonato, pois Gajser não é considerado um especialista na areia e Tony vem bastante confiante depois de uma etapa gloriosa. Será interessante ver se o italiano vai superar Jeffrey Herlings, que simplesmente nunca perdeu uma prova em Valkenswaard como profissional. Apesar de não ter feito um início de campeoanto como se esperava, nós sabemos que o holandês vai dar trabalho em casa, e vai ser bonito de ver!

Vídeo



Frase da Semana
"Don't mistake silence for weakness. Smart people don't plan big moves out loud"
Unknow







Vídeos MotoX Connect



Acompanhe o MotoX no Facebook

Curso MotoX Ric Raspa
Brasil Racing
JPS Racing

© 2000 - 2017 MotoX MX1 Internet