fechar
X Fechar
X Fechar

X Fechar
foto
Salvar nos Favoritos

X Fechar
foto
Clique e saiba mais
Clique e saiba mais
Clique e saiba mais
Clique e saiba mais
Clique e saiba mais

América Sports

Capacete Companhia

RM - Motocross Racing

Edgers Racing

RX Graphics

JPS Racing

Ohlins

DLua Racing

Clique e saiba mais

> Colunas > Direto dos EUA - Edu Erbs

Indy e Detroit. Tomac embalado, Dungey preocupado
Publicado em: 31/03/2017

Campeonato indefinidos na entrada da reta final.
Redação MotoX.com.br - Por Edu Erbs - Fotos: Garth Milan / Simon Cudby / Feld Entertainment


Eli Tomac

Quem achou que, depois da perda de Ken Roczen, não teríamos um bom campeonato este ano, realmente se surpreendeu. Seja na classe principal ou em ambas costas da 250, o Monster Energy Supercross 2017 vem pegando fogo a cada etapa. Eli Tomac tem todo o embalo do mundo neste momento, vencendo quatro etapas consecutivas e dilacerando a vantagem de Ryan Dungey de mais de 25 pontos para somente sete. Depois de mostrar que ainda estava vivo no campeonato, vencendo em Minneapolis, Ryan vem tendo resultados abaixo do esperado para o atual campeão, perdendo pontos importantíssimos em Daytona, com a quarta posição, e também em Indy e Detroit, com dois terceiros lugares... fazendo com que a pergunta venha novamente à tona: "o que há de errado com Ryan Dungey?".

+ Resultados, mais fotos e vídeos da décima segunda etapa do AMA Supercross 2017, em Detroit
+ Resultados, mais fotos e vídeos da terceira etapa do Mundial de Motocross 2017, na Argentina
+ Jogo de Equipe - A liberdade da KTM e outras passagens marcantes do esporte


Em Detroit Ryan Dungey fez ótima largada na classificatória...


...na final ficou preso no bolo que se formou na primeira curva. Marvin Musquin fez o holeshot
Mais uma vez, é uma pergunta bastante difícil de responder. Alguns falam que seria a vontade de se aposentar falando mais alto, outros ainda comentam uma possivel contusão ou até mesmo a possibilidade da sua mulher estar escondendo uma gravidez... mas enfim, deixando estas teorias de lado, na minha opinião, a única coisa "errada" com o piloto são suas largadas.

Consistência é o sobrenome de Dungey que sempre foi um bom largador, porém em muitas etapas deste ano ele teve de vir de trás e, com o alto nivel de pilotagem de alguns pilotos, principalmente de seu colega de equipe Marvin Musquin, Dungey tem tido dificuldade de chegar às primeiras posições este ano. É claro que o fato de Eli Tomac ter a melhor média de largadas de todos os pilotos da classe este ano, não ajuda em nada o piloto da Factory Red Bull KTM.

Pra ser sincero, aos meus olhos a prova de Indianapolis foi talvez uma das mais pivotais da temporada, eu apontaria que, possivelmente, foi onde Dungey acabou perdendo o campeonato (caso isso realmente venha a acontecer). Eu me refiro a isso por vários motivos. Primeiramente por Ryan ter largado relativamente bem e acompanhado Tomac nas primeiras voltas da prova, mas depois ter perdido rendimento até que Marvin Musquin encostou, ultrapassou e abriu vantagem. Deste ponto em diante, de repente, a sua liderança já não pôde mais ser chamada de "confortável". Tomac agora é dono do próprio destino, e Ryan, na ocasião, claramente desconfortável no pódio, declarou: "Isto aqui é só uma corrida de moto, há coisas muito maiores na vida do que isso aqui", algo que geralmente não escutamos de um piloto de ponta como ele.


Marvin Musquin subiu de produção nas duas últimas etapas

Estamos falando de Supercross, onde tudo pode acontecer. Claramente em ambas as costas das 250s vimos boas lideranças desaparecerem em um piscar de olhos, e basta um pequeno erro de Tomac ou Dungey para reescrevermos a história deste campeonato. Sem dúvida nenhuma Tomac vem tendo performances arrasadoras, eu diria que "a la Villopoto" e, apesar de a matemática ser uma ciência exata e ele ainda estar pagando pelas más performances do início do campeonato, é indiscutivel que Eli merece ser campeão este ano.


Pista de Detroit

250


Largada 250. Jordon Smith rumo à primeira vitória

Não é novidade para ninguém que o nível de respeito entre os competidores das 450 e 250 são bem diferentes. Tirando certas exceções, como por exemplo Vince Friese e Justin Barcia, a maioria dos pilotos da classe principal usufruem de uma certa etiqueta que há muito tempo faz falta entre as 250.

Motocross é, de certa forma, um esporte de contato, mas o que tem acontecido nos treinos diurnos na classe 250 não poderia acontecer entre pilotos de elite como estes.


Disputa entre Joey Savatgy e Jordon Smith foi eletrizante nas últimas voltas

Começando em Indy com Adam Cianciarulo e Zach Osborne. O piloto da Pro Circuit Kawasaki foi um pouco agressivo logo que o treino começou, quando um jogo de "block pass" foi iniciado, terminando com Cianciarulo sendo puxado para fora da pista agravando uma lesão que ele já tinha no joelho.

Este fim de semana, Christian Craig, que teoricamente foi atrapalhado por Alex Martin durante sua volta rápida, deu um chega pra lá de surpresa no adversário, que acabou voando vários metros aterrisando de costas na reta de largada. Martin ficou de fora da prova de Detroit e já declarou que também está de fora de St. Louis.




De certa forma eu até entenderia e toleraria essa falta de respeito com os novatos, que acabaram de sair dos rankings amadores, mas os quatro são pilotos extremamentes experientes, que estão na classe há vários anos, representam times de fábrica e patrocinadores de peso no esporte e isso gera uma atenção extremamente negativa e desnecessária para os mesmos e todos ao redor. Em um esporte como o nosso, que ainda busca crescimento, que luta por espaço na TV, que tem de cativar crianças - as quais o futuro da modalidade pertence -, exercer maus exemplos em frente a milhares de pessoas, com certeza não é algo necessário neste momento.


Zach Osborne

Focando na noite, a temporada quase perfeita de Zach Osborne chegou ao fim. Depois de se enroscar, na primeira curva, o piloto da Rockstar Energy Husqvarna teve que fazer um pit stop e trocar a roda dianteira, o que lhe deixou duas voltas atrás dos líderes. Para a sorte de Osborne, Jordon Smith da Troy Lee Designs Red Bull KTM obteve a primeira vitória de sua carreira na classe, tirando a primeira posição das garras de Joey Savatgy. Isso, somado aos dois pontos que ainda conquistou na noite, deixou Zach empatado na segunda colocação do campeonato com Smith, ambos 10 pontos atrás de Savatgy que lidera a classificação novamente.

Temos três provas até o final da temporada e, mesmo que Osborne vença todas, Savatgy necessita de três segundos lugares para ficar com o título. O mais interessante nisso tudo vai ser ver nomes como Cianciarulo, Smith, Martin e Craig poderem fazer uma enorme diferança no resultado final no início de maio em Las Vegas.

MXGP


Pauls Jonass


Antonio Cairoli
No Mundial de Motocross, depois do brejo na Indonésia, os pilotos pareciam felizes em correr na Argentina. Em primeiro lugar, falando em Indonésia, com uma simples pesquisa no Google, é possível descobrir rapidamente que de outubro a abril acontece a temporada de chuvas no país... então porque você Mr. Luongo organiza uma corrida nessa época do ano? Pois é... a resposta não está bem clara, pois muitas vezes a YouthStream trabalha de formas, no mínimo, misteriosas.

Mesmo não estando lá, da pra ver na social media dos pilotos que eles não se importantam de viajar à Patagônia para aquela prova. Realmente a paisagem é belíssima, a pista parece ser divertida, e os pilotos parecem ser muitíssimos bem-vindos ao país. Há anos ouço que a Argentina está "quebrada", então porque que eles podem realizar um evento desse porte com esse profissionalismo e não conseguimos fazer o mesmo no Brasil?

Tim Gajser acabou se dando bem na Argentina voltando à velha forma e, aproveitando um mal fim de semana de Tony Cairoli, agora lidera o campeonato. Já na MX2 Pauls Jonass, da Factory Red Bull KTM, aproveitou a certa semelhança do terreno com o de seu país de origem, a Letônia, para confirmar o favoritismo vencendo as duas baterias.


Tim Gajser

Interessante que vários pilotos tais quais Romain Febvre, Evgeny Bobryshev e Jorge Prado preferiram voar aos Estados Unidos, mais precisamente aqui pra Califórnia, para se prepararem para a prova de Leon deste fim de semana no México. Os europeus invadiram as principais pistas daqui - Pala, Milestone, Cahuilla Creek e Glen Helen -, deixando muitos dos americanos de cabelo em pé, pois muitos nunca ouviram ou viram alguns destes nomes.

Agora o circo do AMA Supercross se dirige a Saint Louis, no Estado do Missouri, neste fim de semana. St Louis é conhecida pela melhor terra do circuito, mas já há duvidas de como a pista se comportará com as provas mais longas deste ano. Será que Ryan Dungey finalmente conseguirá parar Eli Tomac? Mal posso esperar para o sábado à noite chegar e poder ver as respostas a estas perguntas.


Dean Wilson e Jason Anderson

Muitíssimo obrigado sempre ao pessoal do MotoX pelo espaço e aos meus fiéis leitores.

Frase da Semana
Knowledge will give you power, but character respect.
Bruce Lee






Vídeos MotoX Connect



Acompanhe o MotoX no Facebook

Curso MotoX Ric Raspa
Brasil Racing
JPS Racing

© 2000 - 2017 MotoX MX1 Internet