fechar
X Fechar
X Fechar

X Fechar
foto
Salvar nos Favoritos

X Fechar
foto
Clique e saiba mais
Clique e saiba mais
Clique e saiba mais
Clique e saiba mais
Clique e saiba mais
Clique e saiba mais
Clique e saiba mais

América Sports

Capacete Companhia

RM - Motocross Racing

Edgers Racing

RX Graphics

JPS Racing

Ohlins

DLua Racing

Toro Sports

Clique e saiba mais

> Competição > Mundial de Motocross

2017 2ª etapa - Pangkal Pinang - Indonésia
Publicado em: 05/03/2017

Caos na Indonésia! Mundial de Motocross naufraga em Pangkal Pinang
Redação MotoX.com.br: Lucidio Arruda - Fotos: Ray Archer / J. P.  Acevedo / Pascal Haudiquert / Bavo


MXGP da Indonédia entra para a história como um dos mais caóticos de todos os tempos

Não foi uma boa ideia marcar a volta do Mundial de Motocross na Indonésia, após duas décadas, justamente durante a temporada de chuvas na região. Por mais que o terreno fosse preparado e um forte sol voltasse esporadicamente, as condições do solo transformaram parte do circuito num imenso atoleiro. Para muitos pilotos foi uma verdadeira luta  pela sobrevivência na corrida e no campeonato.


Pauls Jonass passou nessa volta, mas em algum momento se enroscou no atoleiro
Após os cancelamentos dos treinos cronometrados e classificatórias no sábado, a chuva voltou a cair durante a segunda bateria da MX2, que foi interrompida aos 21 minutos. Mesmo com o retorno do sol logo depois, a organização decidiu cancelar a segunda bateria da MXGP por pura falta de condições.

No domingo os pilotos pouco rodaram no warm-up e foi feita uma nova alteração na programação, jogando a segunda bateria da categoria feminina - a primeira correu no sábado - do início para o meio do programa. Assim as categorias principais encontrariam um terreno menos deteriorado, em compensação as meninas correriam numa pista ainda mais complicada.

Corridas


Largada MX2


Jeremy Seewer comemora a primeira vitória geral no campeonato
Quando a primeira bateria da MX2 largou, parte do circuito estava em condições até que bem aceitáveis. Inclusive alguns pequenos pontos de poeira. Mas em certos trechos a água não drenou e estes se transformaram em verdadeiros monstros sugadores de caras e exclusivas motocicletas especiais. Atolar nestas partes significava abandonar a corrida, pois o equipamento simplesmente grudava no solo e a força de um homem só não era capaz de recuperar a motocicleta.

Davy Pootjes largou na frente e liderou as primeiras voltas até ser superado pelo vencedor do Catar Pauls Jonass. Na liderança, Jonass chegou a controlar a corrida, mas acabou como vítima do circuito pouco depois dos 20 minutos de prova, perdendo uma volta.

O suíço Jeremy Seewer aproveitou-se de dois fatores para pular da quarta para a primeira posição em apenas uma volta: o erro de Jonass e a disputa entre Pootjes e Julien Lieber. Com a primeira posição nas mãos, conseguiu controlar a vantagem e domar o circuito para vencer a bateria.


Julien Lieber é o novo lider na pontuação

Pootjes chegou a ser ultrapassado por Lieber, mas recuperou a posição em seguida. O belga errou e perdeu a chance de continuar na disputa, mas manteve a terceira posição. Brente van Doninck, Thomas Kjer Olsen, Caleb Ward e Samuele Bernardini completaram os oito primeiros.

Segunda bateria


Samuele Bernardini venceu a segunda bateria com a TM

A segunda corrida da MX2 começou com chuva, que só foi piorando com o desenrolar da prova. Seewer fez o holeshot, mas foi o italiano Samuele Bernardini quem dominou melhor as fundas cavas e atoleiros. O piloto da TM chegou a abrir mais de um minuto e meio na conquista de sua primeira vitória no Mundial.

A confusão não foi generalizada apenas dentro da pista. Os primeiros resultados divulgados da bateria foram corrigidos mais tarde. Jeremy Seewer foi o segundo colocado e comemorou, também, sua primeira vitória geral no campeonato. Brian Bogers foi o terceiro seguido de Julien Lieber que na classificação geral subiu ao pódio em terceiro.


Thomas Kjer Olsen

Pauls Jonass completou apenas cinco voltas e não marcou nenhum ponto na bateria. Deu adeus à liderança do campeonato que passa às mãos de Lieber, piloto que corre com KTM por uma equipe privada.

Seewer comentou a primeira vitória no campeonato: "Depois de largar em quinto alguns caras passaram voando por mim e cheguei a pensar que estava muito lento. Mas na volta seguinte muitos ficaram atolados. Eu apenas continuei em frente e de repente o pit board me mostrou em primeiro. As corridas na lama você não tem que ser rápido, tem que sobreviver. Tem que fazer suas voltas sem erros, porque se errar, está acabado."


Pódio MX2

MXGP


Romain Febvre (461) abortou o salto e foi ultrapassado por vários pilotos neste obstáculo

A única bateria da MXGP começou com Romain Febvre na frente, que liderou poucas curvas. Glenn Condenhoff surgiu mais à vontade no mar de canaletas e tomou a dianteira. Tim Gajser e Clement Desalle também brigaram pelas primeiras posições no início, enquanto Cairoli, que até largou bem, mas errou no início, lutava para entrar em uma das dez primeiras posições.


Shaun Simpson


Tim Gajser
Entretanto foi o britânico Shaun Simpson quem mostrou mais desenvoltura nas terríveis condições. Mantendo os dois pés nas pedaleiras ele superou as canaletas com mais desenvoltura e assumiu a liderança na sexta volta: "Foi uma boa corrida, fui capaz de fazer boas ultrapassagens no início e estava na liderança antes da metade da corrida. Foi um tanto surreal, eu preferi não fazer a volta de apresentação, mas conversei com meu chefe de equipe e ele me adiantou algumas boas linhas, então eu sabia mais ou menos onde ir. Quando passei Tim Gajser pela quinta posição, fiquei sabendo que podia alcançar a ponta."

Coldenhoff comemorou a segunda posição: "Rodei tranquilo, mas tinha uma parte da pista que estava realmente muito difícil. Consegui superá-la a cada volta e essa foi a senha para um bom resultado. Usei toda a minha energia naquela seção."


Glenn Coldenhoff

"Aquela seção" foi a responsável por tirar Gajser da briga pela ponta. Mas de alguma forma o esloveno foi capaz de desatolar sua Honda e completar a prova em sétimo.

Clement Desalle aproveitou o erro de Gajser para assumir o terceiro posto e manter-se como único piloto a subir ao pódio nas duas primeiras etapas.


Clement Desalle

Antonio Cairoli conseguiu subir até a quarta posição e, dessa forma, manter a liderança no campeonato: "Estou muito feliz, pois a pista ficou muito complicada e era fácil perder muitos pontos. Não fiz uma boa largada e tratei de recuperar posições onde os outros ficavam presos. Terminei em quarto e ainda temos oito pontos de vantagem no campeonato. Fiquei feliz pelo cancelamento da segunda bateria, pois a pista se tornou muito traiçoeira e perigosa."

Mais impressionante que a recuperação de Cairoli, foi a do português Rui Gonçalves. O piloto que foi vice-campeão da MX2 participa como mero coadjuvante no campeonato desde que perdeu vaga nas equipes de fábrica. No entanto sua habilidade na lama rendeu dividendos na Indonésia. Avançou da 17ª posição na primeira volta para o quinto posto, quando ultrapassou Kevin Strijbos na volta final.


Antonio Cairoli mantém a liderança no campeonato


Max Nagl e Jeffrey Herlings tiveram uma etapa desastrosa
Se Simpson conquistou a vitória com sua Wilvo Yamaha, os pilotos do time oficial não tiveram tanta sorte. Jeremy van Horebeek sofreu duas quedas e completou em 10º.  O holeshot não ajudou muito Romain Febvre que perdeu duas voltas preso na lama e chegou apenas em 18º.

Jeffrey Herlings comentou que sua mão já estava bem melhor que no Catar, mas na loteria da lama ficou preso algumas vezes depois de começar a corrida na quarta posição. Completou a corrida apenas em 17º e em apenas duas etapas já ficou mais de 50 pontos atrás de seu companheiro de equipe Cairoli.
 
O alemão Max Nagl não completou a bateria e também vê seu início de campeonato bem complicado. É o 16º na classificação com apenas um ponto a mais que Herlings.


Jeremy Van Horebeek

Os pilotos e equipes agora sacodem o barro e miram a próxima etapa na Argentina, nos dias 18 e 19 de março. A melhor pista das duas últimas temporadas prometer colocar o Mundial de Motocross nos trilhos novamente.


Pódio com Antonio Cairoli, Glenn Coldenhoff, Shaun Simpson e Clement Desalle

WMX


Courtney Duncan lidera Kiara Fontanesi

Incrível como um dia após o outro pode fazer uma enorme diferença. Entre as mulheres, Nancy van de Ven faturou a primeira bateria no sábado enquanto suas três principais oponentes tiveram problemas. No domingo a história mudou e Nancy foi desclassificada por receber ajuda externa.


Courtney Duncan comemora vitória na Indonésia

A neozelandesa Courtney Duncan liderou e recebeu a bandeirada com quase 20 segundos de vantagem sobre a italiana Kiara Fontanesi. A atual campeã Livia Lancelot foi a terceira, mesmo após ficar presa no barro durante a última volta. Ela desatolou e completou a corrida quase quatro minutos depois. Apenas as três primeiras completaram 12 voltas na corrida.

Duncan ficou com a vitória no GP por apenas um ponto sobre a holandesa Nicky van Wordragen, segunda colocada no sábado e quarta no domingo. Outra holandesa ficou com o terceiro posto geral: Shana van der Vlist.


Livia Lancelot

O campeonato feminino tem sua próxima etapa programada para Pietramurata, Itália.

Vídeo



Resultados

P. # MXGP Nat. Bike Race 1 Race 2 Total
1 24 Simpson, Shaun GBR YAM 25 - 25
2 259 Coldenhoff, Glenn NED KTM 22 - 22
3 25 Desalle, Clement BEL KAW 20 - 20
4 222 Cairoli, Antonio ITA KTM 18 - 18
5 999 Goncalves, Rui POR HUS 16 - 16
6 22 Strijbos, Kevin BEL SUZ 15 - 15
7 243 Gajser, Tim SLO HON 14 - 14
8 7 Leok, Tanel EST HUS 13 - 13
9 777 Bobryshev, Evgeny RUS HON 12 - 12
10 89 Van Horebeek, Jeremy BEL YAM 11 - 11
11 45 Nicholls, Jake GBR KTM 10 - 10
12 911 Tixier, Jordi FRA KAW 9 - 9
13 21 Paulin, Gautier FRA HUS 8 - 8
14 99 Anstie, Max GBR HUS 7 - 7
15 4 Tonus, Arnaud SUI YAM 6 - 6
16 27 Jasikonis, Arminas LTU SUZ 5 - 5
17 84 Herlings, Jeffrey NED KTM 4 - 4
18 461 Febvre, Romain FRA YAM 3 - 3
19 92 Guillod, Valentin SUI HON 2 - 2
20 261 Hendro Fahrodjie , Farhan INA KAW 1 - 1

Pos Nr MX2 Nat. Bike Race 1 Race 2 Total
1 91 Seewer, Jeremy SUI SUZ 25 22 47
2 321 Bernardini, Samuele ITA TM 13 25 38
3 33 Lieber, Julien BEL KTM 20 18 38
4 19 Olsen, Thomas Kjer DEN HUS 15 16 31
5 46 Pootjes, Davy NED KTM 22 7 29
6 919 Watson, Ben GBR KTM 12 14 26
7 6 Paturel, Benoit FRA YAM 16 10 26
8 172 Van doninck, Brent BEL YAM 18 8 26
9 189 Bogers, Brian NED KTM 0 20 20
10 811 Sterry, Adam GBR KAW 0 15 15
11 88 van der Vlist, Freek NED KTM 3 11 14
12 170 Ward, Caleb AUS HUS 14 0 14
13 64 Covington, Thomas USA HUS 0 13 13
14 747 Cervellin, Michele ITA HON 0 12 12
15 66 Larranaga Olano, Iker ESP HUS 8 4 12
16 67 Klingsheim, Magne NOR KAW 2 9 11
17 128 Monticelli, Ivo ITA KTM 5 6 11
18 18 Brylyakov, Vsevolod RUS KAW 11 0 11
19 297 Gole, Anton SWE HUS 10 0 10
20 10 Vlaanderen, Calvin NED KTM 9 0 9
21 41 Jonass, Pauls LAT KTM 7 0 7
22 426 Mewse, Conrad GBR HUS 6 0 6
23 96 Lawrence, Hunter AUS SUZ 0 5 5
24 57 Sanayei, Darian USA KAW 4 0 4
25 61 Prado Garcia, Jorge ESP KTM 0 3 3
26 118 Rubini, Stephen FRA KAW 0 2 2
27 48 Wilson, Jay AUS YAM 0 1 1
28 218 Tanti, Aaron AUS HUS 1 0 1

P # MXGP Nat. Bike Total
1 222 Cairoli, A. ITA KTM 68
2 25 Desalle, C. BEL KAW 60
3 243 Gajser, Tim SLO HON 56
4 777 Bobryshev, E. RUS HON 44
5 89 Van Horebeek, J. BEL YAM 42
6 259 Coldenhoff, G. NED KTM 41
7 21 Paulin, G. FRA HUS 39
8 24 Simpson, Shaun GBR YAM 36
9 461 Febvre, Romain FRA YAM 34
10 22 Strijbos, K. BEL SUZ 34
11 911 Tixier, Jordi FRA KAW 33
12 99 Anstie, Max GBR HUS 26
13 999 Goncalves, Rui POR HUS 24
14 4 Tonus, Arnaud SUI YAM 22
15 7 Leok, Tanel EST HUS 22
16 12 Nagl, M. GER HUS 18
17 84 Herlings, J. NED KTM 17
18 17 Butron, Jose ESP KTM 17
19 45 Nicholls, Jake GBR KTM 12
20 77 Lupino, A. ITA HON 10
21 27 Jasikonis, A. LTU SUZ 5
22 92 Guillod, V. SUI HON 2
23 261 Hendro Fahrodjie , F. INA KAW 1
P # MX2 Nat. Bike Total
1 33 Lieber, Julien BEL KTM 78
2 91 Seewer, Jeremy SUI SUZ 72
3 6 Paturel, B. FRA YAM 70
4 19 Olsen, T. DEN HUS 67
5 41 Jonass, Pauls LAT KTM 57
6 321 Bernardini, S. ITA TM 54
7 172 Van doninck, B. BEL YAM 44
8 747 Cervellin, M. ITA HON 40
9 46 Pootjes, Davy NED KTM 39
10 18 Brylyakov, V. RUS KAW 35
11 189 Bogers, Brian NED KTM 34
12 811 Sterry, Adam GBR KAW 32
13 919 Watson, Ben GBR KTM 28
14 61 Prado Garcia, J. ESP KTM 27
15 64 Covington, T. USA HUS 26
16 57 Sanayei, D. USA KAW 24
17 96 Lawrence, H. AUS SUZ 23
18 161 Östlund, Alvin SWE YAM 19
19 10 Vlaanderen, C. NED KTM 15
20 170 Ward, Caleb AUS HUS 14
21 88 van der Vlist, F. NED KTM 14
22 66 Larranaga Olano, I. ESP HUS 14
23 128 Monticelli, I. ITA KTM 14
24 297 Gole, Anton SWE HUS 12
25 67 Klingsheim, M. NOR KAW 11
26 98 Vaessen, Bas NED SUZ 11
27 426 Mewse, Conrad GBR HUS 6
28 118 Rubini, S. FRA KAW 2
29 218 Tanti, Aaron AUS HUS 1
30 48 Wilson, Jay AUS YAM 1


P # WMX Nat. Bike Race 1 Race 2 Total
1 151 Duncan, Courtney NZL YAM 16 25 41
2 964 van Wordragen, Nicky NED YAM 22 18 40
3 188 van der Vlist, Shana NED KTM 18 13 31
4 111 Borchers, Anne GER SUZ 20 11 31
5 8 Fontanesi, Kiara ITA YAM 8 22 30
6 423 Papenmeier, Larissa GER SUZ 15 15 30
7 811 Vaage, Genette NOR KTM 12 16 28
8 274 Verstappen, Amandine BEL KTM 13 14 27
9 114 Lancelot, Livia FRA KAW 6 20 26
10 85 Van De Ven, Nancy NED YAM 25 0 25
11 116 Nocera, Francesca ITA SUZ 10 12 22
12 9 Germond, Virginie SUI YAM 11 8 19
13 32 MacEachern, Elaine GBR HUS 14 4 18
14 52 Charroux, Justine FRA YAM 9 7 16
15 67 Van Der Werff, Britt NED SUZ 5 10 15
16 18 Brown, Madison AUS YAM 7 6 13
17 19 Miller, Joanna POL KTM 3 9 12
18 172 Mulyani, Suci INA YAM 4 5 9
19 921 Defeter , Monica INA KTM 2 0 2
20 45 Anjani, Novita INA HUS 1 0 1









Vídeos MotoX Connect



Acompanhe o MotoX no Facebook

Curso MotoX
Brasil Racing
JPS Racing

© 2000 - 2017 MotoX MX1 Internet