fechar
X Fechar
X Fechar

X Fechar
foto
Salvar nos Favoritos

X Fechar
foto
Clique e saiba mais
Clique e saiba mais
Clique e saiba mais
Clique e saiba mais
Clique e saiba mais
Clique e saiba mais
Clique e saiba mais

América Sports

Capacete Companhia

RM - Motocross Racing

Edgers Racing

RX Graphics

JPS Racing

Ohlins

DLua Racing

Toro Sports

> Colunas > Direto dos EUA - Edu Erbs

Turbulência canadense
Publicado em: 16/03/2016

Oh, Canadá!
Redação MotoX.com.br: Edu Erbs - Fotos: Garth Milan / Simon Cudby / AMA Supercross


Largada 450


 
A "turbulência canadense" começou antes mesmo das corridas, ainda no início da semana passada, quando a equipe Rockstar Energy Husqvarna soltou um press-release informando que Christophe Pourcel e Martin Dávalos - até então líder de pontos na Costa Leste - não estariam presentes na etapa de Toronto, no Canadá. O francês Pourcel caiu durante os treinos durante a semana, se machucando, entretanto a gravidade do acidente nao foi revelada. Já Dávalos, que pra quem não sabe é equatoriano, teve problemas com o visto para entrar no país.

Daí eu me pergunto: quem seria responsável por isso? Assim como não acontece no Brasil, o calendário das provas é anunciado vários meses antes das provas. Ainda mais se tratando da costa leste, Dávalos e a Factory Husqvarna teriam tempo mais do que suficiente para poderem fazer os trâmites necessários para que o piloto estivesse apto a correr no Canadá, ou será que o time e até mesmo o piloto leram a minha coluna de 15 dias atrás, especificamente no trecho "entre mortos e feridos", e acharam que Martin não chegaria assim tao longe? Rsrsrs... Mais do que ninguem, eu sei que quando falamos de imigração, as coisas não são tão simples assim, porém, mais uma vez, alguém cometeu um erro que poderá ter custado mais um campeonato para Martin Dávalos.


Circuito de Toronto no Rogers Centre

E a turbulência canadense continuou durante as provas, com uma largada bastante curta promovendo uma série de acidentes na primeira curva. Com certeza vale comentar também o "strike" que Malcolm Stewart causou na largada da final das 250s. Sinceramente, não consegui formar uma plena opinião sobre a pista de Toronto. Como disse, a largada era curta, tínhamos duas seções de costelas profundas, porém com curta distância, e algumas seções de saltos que alguns pilotos reclamaram dos ângulos das rampas de saida.


Largada tumultuada na 250 Leste

Quem não reclamou foi Jason Anderson, que apesar de não ter uma brilhante prova, foi o único piloto da noite a fazer um salto quádruplo em uma das seções de ritmo. Realmente impressionante! Além disso, o terreno parecia um pouco arenoso e, pelo menos pela TV, parecia que oferecia bastante tração, mas alguns pilotos comentaram exatamente o contrário.


Justin Hill e Shane Mcelrath brigando pela liderança

Entre as 250s, a prova foi de roer as unhas. Como citei antes, Malcolm Stewart fez um strike na primeira curva, derrubando a metade dos competidores, incluindo Jeremy Martin, que ainda assim fez uma prova excepcional chegando na segunda colocação. Enquanto isso, a Troy Lee Designs KTM fazia a festa liderando a prova com seus três pilotos, até que Shane McElrath contraiu um pneu furado e Alex Frye perdeu um pouco de rendimento acabando na quinta colocação. Porém, Justin Hill marcou a primeira vitória do time no ano, confirmando a boa fase das últimas provas. Em terceiro lugar, Matt Bisceglia, que perdeu o emprego na Geico Honda, e agora compete em uma Suzuki privada.






Mesmo com a queda na largada JEremy Martin saiu do Canadá coma liderança na 250 Leste

Com a ausência de Dávalos, a queda de Malcolm Stewart e a ascensão de Justin Hill, a liderança do campeonato trocou de mãos e acabou caindo no colo de Jeremy Martin. O piloto tem um história bastante ruim nas provas indoors se compararmos com o seu sucesso nas outdoors, mas tem o equipamento, o talento e o físico necessários para vencer o campeonato. O fato é que, depois de 3 provas, fica fácil perceber que entre "os mortos e feridos" qualquer coisa poderá acontecer.


Ryan Dungey

Entre as 450s, depois de Justin Bogle cometer um erro crucial após conquistar o Holeshot (e levar Jason Anderson com ele), tudo estava alinhado para uma "batalha royale" entre Dungey, Roczen e Tomac, mas Eli parecia não estar tão espetacular como na etapa passada. Logo foi ultrapassado por Roczen e Dungey, e consequentemente terminou a prova na quinta posição. O alemão que voa com as bandeiras da RHC Yoshimura Suzuki, fez uma prova impecável, não sucumbindo a pressão exercida pelo campeão Ryan Dungey, que acabou comentendo um erro deixando o segundo lugar para ser o companheiro de equipe Marvin Musquin, fazendo o dueto da Red Bull KTM subir ao podio pela Terceira vez consecutiva. Apesar de Ryan Dungey ter o seu "pior" resultado da temporada com o terceiro. Com isso, quebrando o recorde de Chad Reed, chegou a 26 pódios consecutivos, sendo que 20 deles Dugey esteve na primeira ou segunda posição.

Marvin Musquin e Ken Roczen


Ken Roczen e Marvin Musquin
Roczen avermelhando? - Eu não sou muito de Twitter, mas este final de semana algumas coisas me chamaram atenção, pois Carey Hart "tuitou" o seguinte no domigo: "Vencendo no sábado, perdendo no domingo. Quem acha que é hora de uma união?" O engraçado é que, no sábado, antes da prova em Toronto, enquanto fazia um mountain-biking com um amigo que trabalha no meio motociclístico, ele me afirmou que Ken Roczen já está de contrato assinado com a Honda para 2016, então talvez esse Tweet de Hart, não seja simplesmente mera coincidência.


Musquin e Roczen do Mundial ao AMA SX - O segundo Twitter que me chamou a atenção foi do francês David Vuillemin - o qual por sinal, às vezes, tem alguns bons pontos de vista: "6 anos atrás, os caras que fizeram top 2 hoje nas 450s, eram número 1 e 2 da MX2 no Campeonato Mundial". Realmente, um tanto impressionante se pararmos para pensar.





Frase da semana:
Time is real, we can't rewind it...
Out of everybody I met, who told the truth?
Time did.
Common







Vídeos MotoX Connect



Acompanhe o MotoX no Facebook

Curso MotoX Ric Raspa
Brasil Racing
JPS Racing

© 2000 - 2017 MotoX MX1 Internet