fechar
X Fechar
X Fechar

X Fechar
foto
Salvar nos Favoritos

X Fechar
foto
Clique e saiba mais
Clique e saiba mais
Clique e saiba mais
Clique e saiba mais
Clique e saiba mais
Clique e saiba mais
Clique e saiba mais

América Sports

Capacete Companhia

RM - Motocross Racing

Edgers Racing

RX Graphics

JPS Racing

Ohlins

DLua Racing

Toro Sports

Clique e saiba mais

> Colunas > Direto dos EUA - Edu Erbs

Os fatos da abertura do AMA Supercross
Publicado em: 14/01/2016

A prova mais esperada do ano chegou sem frustrar as expectativas
Redação MotoX.com.br - Por Eduardo Erbs - Fotos: Simon Cudby / Divulgação



Anaheim 1 oferece uma atmosfera única
Depois de meses de espera dos fãs e da mídia, depois de incontáveis voltas na pista de testes e intermináveis repetições na academia para os pilotos, a prova mais esperada do ano chegou sem frustrar as expectativas.

Com as fortes chuvas durante a semana, o pessoal da Dirt Wurx teve que mudar a rotina, contratar mais pessoas e cobrir a pista com plástico antes de ser inundada por 30cm de água. Com a previsão de sol na sexta e alguma chance de chuva no sábado, a possibilidade de uma prova na lama diminuía para a alegria de todos, especialmente dos pilotos.

Mesmo com os boxes lotados, nenhuma outra corrida do ano consegue replicar a mesma atmosfera que Anaheim 1 oferece. Novas motos, novos pilotos, novas equipes, novos uniformes e em cores diferentes. Tudo parece um pouco surreal até que o gate cai e tudo começa a virar realidade.

Veja também: resultados completos, mais fotos e vídeos da prova

A pista, na minha opinião, foi menos conservadora em relação aos outros anos, com duas seções de costelas, uma de areia e uma ponte que curiosamente dividia o gate de largada – tornando ainda maior a importância da escolha do gate, já que quem largava por fora, na maioria das vezes era esmagado para fora da pista na primeira curva de 180 graus.


Cooper Webb


Ryan Dungey
Para mim, a maioria dos resultados não foi realmente surpreendente, principalmente na Lites (250), com Cooper Webb batendo Jessy Nelson que pulou na frente no início, seguidos por um consistente e rápido Zach Osborne. O que realmente me surpreendeu foi Jimmy Decotis e Jordon Smith completarem o top 5.

Fato interessante: estava assistindo a prova com uns amigos e, de repente, Mitch Payton parou ali do meu lado, onde assistiu a prova durante toda a noite. Mesmo que muitas vezes, pensasse em dividir um comentário com esse mestre, Payton parecia nem piscar durante as corridas, mas era visível o seu semblante de insatisfação com os resultados de Savatgy (oitavo) e Alldredge (21º).

Os fatos das 450s:

1. A Husqvarna nasceu em 1903 e o Supercross nasceu em 1974, mas somente em 2016 a marca garantiu a sua primeira vitória na classe principal via Jason Anderson, com uma dominante e convincente performance, mostrando que veio para brigar pelo título. Rumores dizem que Anderson tem sido mais rápido que Dungey durante a semana no centro de treinamento de Aldon Baker. Para muitos, inclusive para mim, não é surpresa o piloto vencer a prova, assim como que ele pode incomodar este ano.


Jason Anderson


Eli Tomac
2. Na segunda colocação, veio seu colega de treinos, Ryan Dungey, com uma excelente performance depois de ser derrubado por Trey Canard no início e passar por pilotos como Reed, Tomac e Seely.

3. Stewie: novamente nossos olhos estavam voltados para mais um “retorno” de James Stewart. Apesar de ser um fã do piloto, na minha opinião, quando você chega em Anaheim 1 com pelo menos 5 a 10 quilos mais que o normal, alguma coisa está errada com o seu programa. James, como sempre, parecia rápido e em controle até que no início do main event, foi atropelado por Ryan Dungey e acabou caindo forte. Inclusive, a corrida foi parada para o seu atendimento médico. Stewart saiu da pista consciente e aparentemente sem fraturas, mas ainda é dúvida para San Diego.

Vídeo:



4. Tomac: não sei o porquê da decepção de alguns com a performance de Eli. Sinceramente acho que teve um approach perfeito nesta primeira etapa. Largou melhor do que o seu normal, não cometeu erros e soube se controlar quando foi passado por pilotos mais rápidos. Com equipe nova, moto nova e ombros “seminovos”, Tomac só tem a evoluir daqui por diante.


Chad Reed


Ken Roczen
5. Reed: o australiano foi outro que me surpreendeu! Achei que já era hora de pendurar as botas e como o piloto tem sido bastante aberto sobre a performance do seu equipamento, não esperava que ele iria se dar bem com a Yamaha, mas parece que o casamento foi perfeito. Agora, não ficarei surpreso se Reed aumentar o seu recorde de vitórias em San Diego este final de semana. Vale a pena salientar: Reed completou a primeira volta na 21ª posição.

6. Ken Roczen: o piloto da RCH Racing não teve uma performance surpreendente como em outros anos. Desde os treinos, não parecia estar confortável a bordo de sua Suzuki. Sinceramente, depois de todo os comentários sobre o time em 2015 e a troca de suspensão para a Kayaba, Kenny ainda não era o mesmo piloto visto no passado. Enfim, se algo não mudar em um futuro próximo, acredito que esta será a última temporada dele com o time.

7. The mid-pack: há um talentoso grupo de pilotos que vão brigar pelas posições intermediárias no decorrer do ano. Com o passar das provas alguns pilotos podem encontrar um pouco mais de velocidade e acabar brigando entre os cinco, ou até subir ao pódio algumas vezes no ano. As apostas são Millsaps, Brayton, Short, Wilson, Tickle, Pourcel e Barcia. Ainda neste grupo, outros nomes podem vir a fazer parte, como Cole Seely, que teve um excelente terceiro lugar, mas não espero isso todos os finais de semana, e outros como Marvin Musquin e Justin Boggle, que tiveram um final de semana difícil ocupando posições fora dos top 10.


James Stewart

8. UFC: um dos highlights da noite foi a agressão de Weston Peick sobre Vince Friese. Era o segundo encontrão entre os pilotos na mesma noite, então Peick acabou perdendo a cabeça e agredindo o adversário. Com isso a AMA desqualificou o piloto, que não poderá correr neste fim de semana em San Diego, além de aplicar uma multinha de U$ 5.000,00.

Volta virtual pela pista da segunda etapa:



9. Wheaties Box: na véspera do evento, Ryan Dungey foi mais uma vez homenageado por ser o primeiro piloto de motocross da história a estar na caixa do famoso cereal Wheaties. Isso pode parecer um tanto fútil, mas atletas como Tiger Woods, Bruce Jenner - agora, socialmente, Caitlyn Jenner - e Michael Jordan são alguns dos atletas que participaram do programa, que com certeza atingirá novos fãs e atletas em potencial.

Vídeo:



Bem… na verdade poderia escrever páginas e páginas de tudo que vi neste sábado. Sei que algumas coisas ficaram para trás, como Trey Canard, Aldon Baker e muitos pilotos que merecem certo destaque nas 250s, mas vou ficar por aqui, pois este sábado me dirijo a San Diego, prometendo mais histórias na próxima semana.

Vídeos: vencedores comentam a abertura do campeonato e treinam para a segunda etapa





Frase da semana
“I always had a repulsive need to be something more than human”
David Bowie








Vídeos MotoX Connect



Acompanhe o MotoX no Facebook

Curso MotoX
Brasil Racing
JPS Racing

© 2000 - 2017 MotoX MX1 Internet