X Fechar
foto

X Fechar
foto
Clique e saiba mais
Clique e saiba mais
Clique e saiba mais
Clique e saiba mais
Clique e saiba mais
Clique e saiba mais
Clique e saiba mais

Edgers Racing

KTM Sacramento

Toro Sports

SP Race Park

JPS Racing

MotoX Pneus

Clique e saiba mais

> Competição > AMA Supercross

1ª etapa - Anaheim 1 - CA
Publicado em: 11/01/2016

Jason Anderson supera favoritos e vence pela primeira vez na 450
Redação MotoX.com.br - Fotos: Simon Cudby / Divulgação Fábricas


 

Jason Anderson foi o grande nome da abertura da temporada 2016 do Monster Energy AMA  Supercross. Em frente a mais de 45 mil fãs o piloto conquistou sua primeira vitória na classe principal do AMA. Anderson marcou seu nome definitivamente nos livros de história ao levar a Husqvarna também à sua primeira vitória no Supercross 450. Na 250 Oeste, o atual campeão Cooper Webb mostrou com um sólido primeiro lugar estar pronto para defender o número 1.

Veja também: Edu Erbs conta o que conferiu ao vivo na primeira etapa do Supercross 2016

A noite deste sábado (9) foi animada no Angel Stadium, tradicional sede do início do campeonato em Anaheim, Califórnia. Além de um novo vencedor tivemos favoritos sofrendo para classificar, uma sessão de MMA explícito dentro da pista e a interrupção da prova durante a final da classe 450.


Jason Anderson


Jason Anderson
Apesar da forte chuva que caiu durante a semana, que chegou a causar pontos de alagamento no piso do estádio, a organização conseguiu salvar o traçado do circuito e no dia da corrida, sem chuva, as condições da pista não estavam longe do ideal.

A Husky mostrou desenvoltura já na segunda sessão de treinos cronometrados, onde foi a mais rápida, não com Jason Anderson, mas com o francês Christophe Pourcel que superou James Stewart por um fio de cabelo. Na final, a vitória de Anderson não chegou a ser surpresa, o piloto vinha beliscando o pódio desde o ano passado. Surpreendente foi a maneira como ele superou os adversários. Sua largada não foi das melhores e após completar a primeira volta em sétimo, atropelou a concorrência para tomar a ponta de Cole Seely logo após a metade da corrida. No caminho da vitória ultrapassou Justin Brayton, Trey Canard, Eli Tomac, e Justin Barcia. Na frente, abriu vantagem e demonstrou estar perfeitamente afinado com sua motocicleta.

"Eu tenho a minha primeira vitória", comemorou Anderson. "Foi incrível! Fiz uma boa primeira largada, mas depois da bandeira vermelha eu me aborreci um pouco. Minha segunda largada foi medíocre, mas eu comecei a fazer o meu caminho para a frente e faturei a vitória".


Dungey e Seely comemoram o pódio enquanto as lentes estão voltadas para o vencedor da etapa


Ryan Dungey
Anderson não pode ser considerado um azarão, mas ao mesmo tempo seu desempenho em um gate com tantos favoritos e diante de três campeões (Dungey, Reed e Stewart) surpreendeu muitos fãs. Ainda é cedo pra dizer, mas para um piloto reconhecidamente dedicado e determinado, esse resultado pode dar a confiança necessária para brigar pelo título.

Para Ryan Dungey a segunda posição chega a ser um prêmio. Para quem caiu duas vezes durante a noite - uma na final - fez o caminho mais longo para a classificação e ainda causou a bandeira vermelha na final, começar o campeonato com uma boa pontuação se encaixa perfeitamente nos seus planos. Definitivamente esse não foi o tradicional e cauteloso Dungey que fica longe de confusões. Após ser espremido por Canard no início da final, o atual campeão fez uma recuperação consistente e atacou forte nas voltas finais para alcançar e ultrapassar Cole Seely nos últimos momentos de prova.

Cole Seely liderou a final por nada menos que 13 voltas. Chegou a ter quase seis segundos de vantagem. Teve a velocidade, mas, na minha opinião, faltou confiança para ao menos brigar pela vitória até a bandeirada. Não conseguiu contra-atacar Anderson e falhou ao se defender de Dungey no finalzinho. Com uma determinação maior pode crescer durante o ano e também colocar seu nome na lista de vencedores.


Cole Seely

Eli Tomac, quarto colocado, chegou a fazer a volta mais rápida da corrida, mas ainda sofre de uma mal que prejudicou sua temporada em 2015: falta de consistência e uma tocada sujeita a mais erros do que o desejável. Tomac ainda tem créditos, é sua primeira corrida após a cirurgia no ombro, com uma nova equipe e uma nova moto. Mais do que ninguém sabe que para disputar o campeonato é preciso ficar de pé, o negócio é colocar isso em prática.

O alemão Ken Roczen, quinto colocado, é outro que pode considerar seu resultado um prêmio. Depois de uma capotada impressionante na largada da sua classificatória, largou mal novamente (nas duas oportunidades) durante a final. Começou a corrida lá no fim do pelotão e com uma grande recuperação salvou o que poderia ser um desastroso começo de campeonato. 

250 Oeste


Jessy Nelson

A noite causou uma certa preocupação aos adversários de Cooper Webb que desejam brigar pelo título. O atual número 1 manteve o ritmo rápido durante toda a prova e tomou a liderança de Jessy Nelson a cinco voltas do fim. Um padrão que não foi raro em suas vitórias no ano passado.

Nelson, segundo colocado, mostrou-se mais confiante. Mais que isso, foi tão rápido quanto Webb em boa parte do período em que liderou, mas não manteve a tocada nas 15 voltas. Contentou-se com o segundo posto após ser alcançado por Webb. Quase 20 segundos atrás do líder chegou Zach Osborne, o polivalente piloto da Husqvarna completou a primeira volta em quinto e assumiu a terceira posição na sexta passagem.


Zach Osborne

Mais notas do evento

Largada - Uma "ponte" completava o volta na pista acessando a largada por cima do gate. Um ideia interessante que, entretanto, separa a linha de largada em dois grupos de 10 (ou 11, na 250) pilotos. Fica um espaço vazio considerável entre os pilotos que pode contribuir para a confusão na primeira curva. O grupo do lado interno ataca a curva de um ângulo bem mais fechado que o grupo do lado externo causando colisão entre as rotas.


James Stewart

Resolvendo as coisas "no tapa" - De incidentes anteriores Weston Peick (e metade do pelotão) já tinha o nome de Vince Friese engasgado no pescoço. A gota d'água foi a colisão - a segunda da noite entre os dois - na semi. Peick não pensou duas vezes em simplesmente socar o adversário. Socos inofensivos, já que a maioria acertou o capacete. O ataque de fúria rendeu a desclassificação de Peick e uma multa de U$5.000. Ele também foi suspenso do próximo evento em San Diego. Já Friese, está livre para derrubar quem quiser na próxima etapa.

Bandeira vermelha - James Stewart vinha tendo uma boa primeira etapa em Anaheim após mais de um ano fora das competições oficiais. Fez bons tempos nos treinos, classificou de primeira para a final onde fez uma boa largada. No entanto, uma manobra ousada de Dungey acabou com a noite do piloto da Yoshimura Suzuki. Dungey tentava a ultrapassagem ao mesmo tempo que Stewart buscava cruzar a trajetória de Jason Anderson para recuperar o segundo posto. Foi um incidente de corrida, sem nenhuma má intenção das duas partes, só que Stewart bateu forte no chão e ficou desacordado por alguns minutos. Depois passou por mais exames durante a noite, mas sua equipe ainda não confirmou se ele volta, ou não, em San Diego.


Ken Roczen

Chad Reed - O veterano mostrou que ainda tem lenha para queimar. Com sua participação como piloto oficial Yamaha anunciada na última hora, o australiano não brigou pela vitória, mas fez uma corrida consistente com um sólido sexto lugar. Seu companheiro de equipe Justin Barcia não se saiu tão bem. Andou em segundo no início da prova, mas "travou" depois da sexta volta e perdeu completamente o ritmo. Ainda caiu no final e completou apenas em 15º.

O espetáculo continua no próximo sábado em San Diego.

Vídeos





Resultados

P. # 450 SX Moto V M.Volta na V. Última Volta Di Gap
1 21 J. Anderson Husqvarna FC450 20 1:02.104 9 1:07.156 --.--- --.---
2 1 R. Dungey KTM 450 SX-F Factory Edit 20 1:02.333 15 1:04.302 4.243 4.243
3 14 C. Seely Honda CRF 450 20 1:02.169 2 1:06.451 5.942 1.699
4 3 E. Tomac Kawasaki KX 450F 20 1:01.954 2 1:04.921 9.435 3.492
5 94 K. Roczen Suzuki RM-Z450 20 1:02.608 16 1:05.758 12.371 2.936
6 22 C. Reed Yamaha YZ450F 20 1:02.945 7 1:06.217 18.987 6.615
7 41 T. Canard Honda CRF 450 20 1:02.513 4 1:06.707 21.819 2.832
8 18 D. Millsaps KTM 450 SX-F Factory Edit 20 1:02.912 4 1:04.928 23.661 1.842
9 15 D. Wilson KTM 450 SX-F Factory Edit 20 1:03.556 6 1:05.090 24.648 0.987
10 10 J. Brayton KTM 450 SX-F Factory Edit 20 1:03.653 9 1:04.351 25.516 0.867
11 20 B. Tickle Suzuki RM-Z450 20 1:03.898 3 1:05.171 29.289 3.772
12 12 J. Weimer Kawasaki KX 450F 20 1:04.173 5 1:06.308 34.191 4.902
13 19 J. Bogle Honda CRF 450 20 1:04.242 5 1:06.341 37.298 3.107
14 25 M. Musquin KTM 450 SX-F Factory Edit 20 1:03.869 6 1:06.757 41.220 3.922
15 51 J. Barcia Yamaha YZ450F 20 1:02.488 2 1:09.756 52.884 11.664
16 800 M. Alessi Honda CRF 450 20 1:04.493 10 1:13.337 1:06.939 14.054
17 54 W. Hahn Kawasaki KX 450F 19 1:04.937 10 1:11.212 1 lap 1 lap
18 377 C. Pourcel Husqvarna FC450 19 1:05.194 5 1:10.722 3.851 3.851
19 11 K. Chisholm Honda CRF 450 19 1:05.257 6 1:14.393 17.745 13.893
20 47 T. Hahn Yamaha YZ450F 19 1:04.991 8 1:44.522 41.731 23.986
21 778 L. Bopping Yamaha YZ450F 19 1:06.012 3 1:11.360 53.666 11.935
22 7 J. Stewart Suzuki RM-Z450 1 00.000 0 00.000 19 laps 18 laps

P. # 250 Oeste Moto V M.Volta na V. Última Volta Dif. Líder Gap
1 1 C. Webb Yamaha YZ250F 15 1:01.392 4 1:07.638 --.--- --.---
2 13 J. Nelson KTM 250 SX-F 15 1:01.397 2 1:08.670 6.799 6.799
3 16 Z. Osborne Husqvarna FC250 15 1:03.210 5 1:07.896 19.837 13.037
4 58 J. Decotis Honda CRF 250 15 1:02.256 6 1:09.173 25.475 5.638
5 39 J. Smith Honda CRF 250 15 1:03.759 5 1:07.989 29.252 3.777
6 26 A. Martin Yamaha YZ250F 15 1:04.268 5 1:08.040 41.000 11.747
7 69 C. Nichols Yamaha YZ250F 15 1:04.741 5 1:08.952 43.481 2.481
8 37 J. Savatgy Kawasaki KX 250F 15 1:04.368 2 1:06.799 47.335 3.853
9 42 M. Oldenburg KTM 250 SX-F 15 1:04.181 5 1:09.662 54.214 6.879
10 40 K. Peters Honda CRF 250 15 1:06.123 4 1:07.245 1:01.942 7.728
11 289 M. Harrison Yamaha YZ250F 15 1:05.288 4 1:07.029 1:03.198 1.255
12 72 H. Mellross Yamaha YZ250F 14 1:06.330 3 1:09.580 1 lap 1 lap
13 68 C. Martinez Yamaha YZ250F 14 1:06.357 6 1:08.127 0.618 0.618
14 43 F. Noren Honda CRF 250 14 1:05.828 7 1:07.570 2.428 1.809
15 65 Z. Bell Yamaha YZ250F 14 1:05.822 5 1:08.348 3.759 1.331
16 127 C. Thompson KTM 250 SX-F 14 1:05.187 7 1:10.862 9.320 5.560
17 82 T. Reis Yamaha YZ250F 14 1:06.971 2 1:10.069 15.121 5.801
18 38 C. Craig Honda CRF 250 14 1:04.409 6 1:05.521 21.605 6.483
19 45 K. Cunningham Suzuki RM-Z250 14 1:06.167 6 1:12.267 27.405 5.800
20 941 M. Desprey Kawasaki KX 250F 14 1:06.900 4 1:11.570 34.050 6.644
21 35 C. Alldredge Kawasaki KX 250F 14 1:04.392 8 1:20.256 46.914 12.864
22 222 C. Howell Husqvarna FC250 13 1:07.491 2 1:14.579 2 laps 1 lap








© 2000 - 2018 MotoX MX1 Internet