fechar
X Fechar
X Fechar

X Fechar
foto
Salvar nos Favoritos

X Fechar
foto
Clique e saiba mais
Clique e saiba mais
Clique e saiba mais
Clique e saiba mais
Clique e saiba mais
Clique e saiba mais
Clique e saiba mais

América Sports

Capacete Companhia

RM - Motocross Racing

Edgers Racing

RX Graphics

JPS Racing

Ohlins

DLua Racing

Toro Sports

> Colunas > Direto dos EUA - Edu Erbs

Jogo psicológico movimenta reta final do AMA Motocross
Publicado em: 19/08/2015

Jogos mentais sacodem a fase decisiva do campeonato na categoria 250
Redação MotoX.com.br: Edu Erbs - Fotos: Garth Milan / Simon Cudby / Matt Rice / Divulgação


Ryan Dungey campeão da 450 novamente

Ryan Dungey conquistou pela terceira vez em sua carreira o título do Lucas Oil AMA Motocross Championship, depois de mais uma atuação dominante no Miller Motorsports Park, em Utah, no último sábado. Dungey, que compete com a nova KTM 450 SX-F Factory Edition, escreve mais uma vez seu nome e o da KTM na lista dos melhores e mais dominantes pilotos da história.


Justin Barcia em Washougal
Ken Roczen teve uma boa atuação com um par de segundos lugares, mas como já repeti no passado, Kenny não parece mais aquele garoto entusiasmado no pódio, e o fato de dele ter decidido voltar a usar suspensão dianteira com molas, ao invés dos modernos modelos a ar, indica que o time ainda está buscando o set-up ideal para o piloto.

Em terceiro lugar veio Justin Barcia, com a JGR Yamaha. Ele teve uma atuação um pouco abaixo do esperado nas duas últimas etapas, parecendo não estar 100% confortável a bordo da moto, como parecia estar em Washougal e Red Bud.

Não sei se estou pensando demais, porém, se analisarmos esta temporada, Barcia teve boas performances em provas com terrenos macios como lama (Washougal) e areia (Red Bud), e teve performances abaixo do esperado em solos mais duros, com canaletas, tais quais Unadilla e Utah. Esses fatos me vieram à mente este fim de semana, pois o piloto deveria ser o capitão do time americano do Motocross das Nações este ano, na França, onde, se me lembro corretamente, a caraterística é de um solo bastante duro, que forma profundas canaletas. Resumindo, é o mesmo estilo de pista que Justin vem tendo dificuldades em se acertar.

Com isso, trago a tona a escolha do time americano. Mesmo com certas dificuldades, Barcia era a óbvia escolha para o time Yankee, já que, como comentei algumas colunas atrás, Dungey estará fora este ano. O piloto tem experiência na competição e atualmente briga pela vice-liderança do campeonato. Depois, obviamente, vem Jeremy Martin, que está repetindo uma boa performance assim como no ano passado e pode conquistar o segundo título do Lucas Oil AMA Motocross este fim de semana.

Vídeo:



Para o terceiro posto do time, a escolha na Open foi Cooper Webb? Por que? Porque ele tem "experiência" com as 450cc, pois correu o Monster Energy Cup (Supercross) e uma corrida no Japão, com competidores de "talvez", um nível menos elevado que o Motocross das Nações? Fala sério!


Equipe norte-americana para o Motocross das Nações

Cooper, com certeza, tem talento de sobra, mas jogá-lo em uma YZ450F no meio dos leões, ou melhor, dos galos franceses, eu não acho que foi a decisão mais inteligente do ano. Mas, enfim, quem sou eu pra falar? O time francês do ano passado também foi extremamente criticado, mas saiu da Letônia com a taça na mão, então, quem sabe a seleção americana pode me provar ao contrário. De qualquer forma nesta quarta-feira foi confirmada a presença dos pilotos do time no USGP em Glen Helen. Desta forma a final do Mundial de Motocross servirá como aquecimento da equipe antes do MXON.


Marvin Musquin
Acho que o fato da minha indignação com o time e, principalmente, com Webb, é que a cada fim de semana que passa, tenho menos respeito por ele, devido às palavras e às atitudes com Marvin Musquin.

Desde Washougal, Cooper vem comentando sobre Marvin, fazendo manobras que comprometeram a sua segurança durante a briga por posições e dizendo que o francês estaria cruzando os saltos para proteger a sua posição. Mas, ao menos o que eu consigo ver e o que a TV mostra, é que Marvin está simplesmente protegendo seu traçado e, ao meu entender, quem está na frente, tem a preferência no traçado ou eu estou enganado?

Em Washougal, Cooper simplesmente anunciou em TV aberta que pretendia derrubar Marvin na próxima bateria, logo antes de agradecer aos patrocinadores e ao "Senhor Jesus"! Tudo isso na mesma sentença?

Desde então, Cooper fez contato com a moto de Marvin em Unadilla, e vem fazendo comentários em direção a ele no gate de largada. Para finalizar, ele acabou literalmente deixando Martin passar e conquistar a vitória na segunda bateria em Utah, que lhe garantiu o overall e a diferença de dois pontos para a prova final em Indiana neste fim de semana.


Jeremy Martin

Ao meu ver, motocross é um esporte individual e Jeremy Martin tem todas as ferramentas nas mãos para conquistar este título, mas infelizmente a atitude que o seu companheiro de equipe vem tomando, a meus olhos, tem refletido na equipe como um todo, principalmente quando Webb está completamente fora da briga pelo título. E é difícil acreditar que a AMA não esteja tomando nenhum tipo de atitude contra atos antidesportivos como este.

Eu estou aqui para comentar e analisar, e não para torcer, mas eu espero que o karma venha a atuar neste final de semana em Indiana, e que Marvin saia de lá vitorioso, pois além de achar que ele merece este título, eu completamente discordo dos atos dos pilotos da Star Yamaha. Além disso, se eu fosse Webb, pensaria duas vezes sobre a ida para Ernee, pois talvez ele encontre alguns franceses furiosos por lá!

Agora que o desabafo foi feito, aí vão algumas curiosidades da semana:

- Como mencionei há algumas colunas, Ken Roczen estará fora do time alemão para o Motocross das Nações. Em Utah, o piloto da RCH Suzuki confirmou que se submeterá a uma cirurgia nas costas no dia 31 de agosto.


Ken Roczen

- O Miller Motorsports Park, que recebeu a prova deste fim de semana pode estar com os dias contados. Já tive o prazer de visitar o circuito por duas vezes, e a pista de asfalto é apontada como uma das melhores do país, mas os donos da propriedade estão com o circuito à venda, o que pode influenciar o futuro do AMA Lucas Oil Motocross Championship no local. Isso seria extremamente benéfico para o campeonato, já que, na minha opinião (e na de muitos pilotos) essa é a pior prova da temporada.

- Jake Gagne atualmente lidera o campeonato na classe Superstock 1000 no AMA Superbike e ele acabou se classificando para a final das 450 em Utah. Ao acabar a primeira bateria em uma surpreendente 22ª posição, provou que tem talento de sobra, seja na terra ou no asfalto.

- Utah também foi marcado por DNF's e DNS's, o que foi claramente visível no gate de largada de ambas as classes nas segundas baterias. Oldenburg, Noren, Hill e Peick são somente alguns nomes que tiveram má sorte na rodada.

- A prova de Indiana não marcará somente o fim do Lucas Oil AMA Motocross 2015, mas também receberá uma prova comemorativa histórica com a participação de lendas como Carmichael, Windham, Ferry, Cooper, Emig, Stanton, entre outros.


- Chad Reed, como de costume tem se divertindo nas mídias sociais, seja com o seu filho Tate, vendendo motos da Two Two Motorsports ou dando indícios de reatar o no com seu amor antigo, a Yamaha.

Frase da Semana
There's a natural law of karma that vindictive people, who go out of their way to hurt others, will end up broke and alone.
Sylvester Stallone








Vídeos MotoX Connect



Acompanhe o MotoX no Facebook

Curso MotoX Ric Raspa
Brasil Racing
JPS Racing

© 2000 - 2017 MotoX MX1 Internet