X Fechar
foto
Salvar nos Favoritos

X Fechar
foto
Clique e saiba mais
Clique e saiba mais
Clique e saiba mais
Clique e saiba mais
Clique e saiba mais
Clique e saiba mais
Clique e saiba mais
Clique e saiba mais

América Sports

Edgers Racing

KTM Sacramento

Toro Sports

SP Race Park

JPS Racing

MotoX Pneus

Arenafama

Clique e saiba mais

> Colunas > Direto dos EUA - Edu Erbs

Supercross 2019: Anaheim 1 trouxe mais perguntas do que respostas
Publicado em: 11/01/2019

Temporada começa com vitórias convincentes de Justin Barcia e Colt Nichols
Redação MotoX.com.br: Por Edu Erbs - Fotos: Octopi / Simon Cudby / Edu Erbs

Ahhhhhhhh Anaheim 1! Motos novas, equipes novas, patrocinadores novos, pilotos novos, gráficos novos, troca troca de equipes e é claro... o cheiro de race-gas. Não há nada que se compare a esta prova... a não ser, quem sabe, o Motocross das Nações.


Anaheim 1 2019


Barcia lidera a categoria 450
Normalmente sempre repito as mesmas palavras sobre Anaheim 1, que conclusões não podem ser feitas nesta primeira etapa, pois alguns pilotos ainda estão tentando ficar confortáveis com o equipamento, a pista geralmente tem um layout mais fácil para evitar contusões e acredito que os pilotos também tentam ser um tanto cautelosos, pois como sabemos, ninguém ganha o campeonato em A1, entretanto muita gente o perde!

+ AMA Supercross 2019: Resultados e vídeo da abertura em Anaheim 1

Este ano Anaheim 1, na minha opinião, foi um pouco diferente de outros anos, principalmente pelo fato de que achei a pista um pouco mais técnica do que de costume. O layout contou resumidamente com duas grande seções de saltos, duas seções de costelas, um túnel e uma seção de dois duplos gigantes que deu trabalho pra muita gente. Além disso é claro, a chuva teve muito a ver com o quão técnica a pista ficou, principalmente para as provas finais. Apesar dos pesares, com a chuva sendo continua para as provas finais, apesar de dificultar a visão dos pilotos, a pista não ficou tão pesada como se a chuva tivesse parado. Alguém lembra do lamaçal em 2005?


Justin Barcia e Colt Nichols venceram pela Yamaha

Enquanto o céu ficou preto em Anaheim, o pódio estava todo azul, com os pilotos da Yamaha faturando as duas provas com vitórias bastante convincentes. É interessante comentar que a Yamaha tinha um jejum de vitórias na classe principal de quase 7 anos, de quando James Stewart ainda representava a marca vencendo Daytona em 2012, e Justin Barcia também volta ao lugar mais alto do pódio desde Seattle em 2013.


Jason Anderson

Além de Barcia, tivemos muitas surpresas nos resultados finais. Para mim, as maiores ficaram por conta dos pilotos de Aldon Baker, diretamente falando de Marvin Musquin, Cooper Webb e Jason Anderson. Apesar de na conferência de imprensa, na sexta-feira, Marvin declarar que a lesão no joelho que lhe tirou de Bercy já estava totalmente curada, era claro que o francês não parecia o mesmo na pista, e um integrante da equipe me contou que ele ainda esta se reabilitando e tem que lidar com dor no local. Já Jason Anderson até então era a minha aposta para a vitória no sábado à noite, até que eu o vi na pista pela primeira vez. Claramnete o piloto da Factory Husqvarna não parecia o mesmo que venceu no ano passado. Depois da prova, surgiu um forte boato que Jason sofreu uma contusão no pulso dias antes da abertura. Seria a única explicação cabível pelo 14º lugar do piloto na etapa.
 

Cooper Webb

Já Cooper Webb realmente me surpreendeu positivamente na final. Depois de quase alcançar o holeshot, o piloto acabou caindo na primeira curva saindo da última colocação para terminar em uma fantástica quinta posição. Poderia até dizer que Cooper não teve uma pilotagem dessas desde a época que andava nas 250s, mas pra mim Webb é ainda uma das maiores incógnitas de 2019, um ano que poderá definir o resto de sua carreira na classe.


Dean Wilson

Dean Wilson foi outro piloto que despontou. Com o segundo tempo nos treinos o piloto se classificou bem, largou na frente e liderou 14 voltas da prova. Dean, que está como piloto privado, conseguiu ajuda de alguns patrocinadores e ainda do seu time antigo para ter um equipamento competitivo. Mas, além da grande pilotagem, Deano estava nos tablóides logo após a prova depois de uma controvérsia com a NBC Sports por causa do seu mais novo patrocinador, a Ignite, que comercializa óleos CBD que são extraidos de uma planta popularmente conhecida como "Cannabis". Infelizmente, apesar do CBD ser legal em todos os estados, a marca também comercializa alguns produtos de uso "medicinal" que não são legais em todos os estados americanos, e com isso a NBC não poderia legalmente mostrar o logotipo da marca em estados onde a distribuição do produto não seja legal, exigindo assim que Dean cobrisse o logo da marca nos seus gráficos durante a prova. É interessante ainda comentar que o dono da Ignite é o fenomeno do Instagram Dan Bilzerian, e Dan nao escondeu a instatisfação com a NBC fazendo comentarios um tanto negativos sobre a rede televisiva para os seus 25 milhões de seguidores.


Ken Roczen

Além de Jason Anderson as minhas apostas estavam em Ken Roczen. Com uma pré-temporada mais quieta que anos anteriores e vencendo A1 por duas vezes no passado, eu realmente acreditava que o piloto da HRC Honda poderia surpreender. Kenny fez uma corrida impecável, sem erros e sem afobação para garantir a segunda posição na noite, com a qual parecia estar bastante satisfeito.


Eli Tomac

Assim como os pilotos de Aldon Baker, Eli Tomac vinha de uma off-season onde rumores vinham de todos os lados sobre uma lesão nas costas. Apesar de também não admitir lesão alguma nas entrevistas, é fato que o piloto do Colorado estava por algumas semanas fora na moto e não pôde comparecer na sessão de fotos da Kawasaki, mas apesar de não mostrar aquela velocidade desumana de outros anos, o atleta também fez uma prova limpa, sem erros terminando na terceira colocação, a melhor posição da sua carreira nesta prova.

Pra não passar em branco ainda vale afirmar sobre a boa performance de Malcolm Stewart, a aparente rápida adaptação de Justin Boggle as KTMs e ao Rocky Mountain KTM Team, ele que tomou o lugar de Benny Bloss depois do mesmo ter machucado o joelho, e Blake Bagget que pela primeira vez na carreira fez o tempo mais rápido dos treinos classificatórios. Aaron Plessinger foi outro piloto que teve uma pré-temporada bastante difícil mas a chuva claramente o favoreceu terminando com uma descente sexta posição. Por outro lado, fiquei um tanto pasmo de ver Chad Reed novamente na repescagem, e seu companheiro de equipe Justin Hill terminando a prova somente na 15ª posição.


Colt Nichols

Vamos trocando de marcha e falar das 250s e a vitória do piloto do Star Yamaha Colt Nichols que eu acho que foi até mais chocante que a vitória de Justin Barcia na classe principal. O seu companheiro de equipe Dylan Ferrandis mostrou que esta aí para brigar pelo título conquistando a segunda colocação, seguido por Shane McElrath que venceu esta prova nos dois anos anteriores.


Adam Cianciarulo

O outro grande favorito ao titulo é Adam Cianciarulo, que largou na frente e como de costume teve uma prova cheia de erros e quedas, mas ainda terminou em uma incrivel quinta colocação mantendo vivas as suas chances no campeonato.


Enzo Lopes
Não tem como não falar de Enzo Lopes. O estreante sofreu duas quedas nos treinos no início da tarde, mas saiu do gate como uma bola de canhão na sua prova classificatória e andou como gente grande se classificando com uma sensacional terceira posição. Na final, Enzo teve um pouco de dificuldades com a pista escorregadia e finalizou a prova na 15ª posição o que eu diria que não foi nada mal pro piloto da JGR Suzuki. Vai ser interessante ver o progresso de Enzo nas próximas semanas, espero que o brasileiro tenha um campeonato de muito sucesso e aprendizado e que esteja 110% preparado para brigar por posições ponteiras no AMA Motocross 2019.

A FELD Motorsports, que é a companhia que tem os direitos do Monster Energy Supercross fez algumas mudanças bastante significativas fora das pistas. Como comentei sobre o problema com Dean Wilson, agora é a NBC Sports Network quem faz as transmissões das corridas aqui nos Estados Unidos, canal que está sendo conhecido pela ampla variedade de motorsports. Apesar dos horários de coberturas não tão bons como os do ano passado devido ao fato de que o contrato entre as duas companhias tenha sido assinado um pouco em cima da hora, a NBC oferece um pacote pay-per-view onde os assinantes podem assistir a todas as corridas na íntegra em tempo real, assim como o AMA Motocross nos últimos dois anos. Outra mudança foi que Ricky Carmichael tomou o lugar de Jeff Emig com comentarista e Will Christien o lugar de Jenny Taft entrevistando os pilotos no pódio e antes das provas. Percebi também que durante a noite o formato do evento mudou um pouco, mas é dificil de comentar se a chuva teve algo a ver com isso.


Dylan Ferrandis (no centro da foto) com seu treinador David Vuillemin

Eu acredito que a prova em Phoenix neste final de semana nos dará uma melhor ideia de como será o resto da temporada, pois na minha opinião, saímos de Anaheim 1 com mais perguntas do que respostas. Com certeza toda atenção será voltada a Jason Anderson e Marvin Musquin, para analisarmos o quanto essas possíveis lesões estão realmente afetando as suas performances dentro da pista.

Vídeo:



Frase da semana:
Even death is not to be feared by one who has lived wisely
Buddha




Curso MotoX
JPS Racing

© 2000 - 2018 MotoX MX1 Internet