X Fechar
foto
Salvar nos Favoritos

X Fechar
foto
Clique e saiba mais
Clique e saiba mais
Clique e saiba mais
Clique e saiba mais
Clique e saiba mais
Clique e saiba mais

América Sports

Capacete Companhia

Edgers Racing

KTM Sacramento

Toro Sports

Loja Ibox28

JPS Racing

Clique e saiba mais

> Colunas > Direto dos EUA - Edu Erbs

Barro, lama e o que mais Seattle reservou ao Supercross 2018
Publicado em: 13/04/2018

Chuva transformou a 13ª etapa da temporada
Redação MotoX.com.br: Por Edu Erbs - Fotos: Octopi / Feld Entertainment

Eu gostaria de poder escrever uma coluna de 3000 palavras sobre a prova do último sábado, mas infelizmente a chuva que caiu durante toda a semana, e continuou caindo na noite da prova, fez o final de semana bastante monótono.


O triplo que ninguém mandou em Seattle

Apesar de que uma prova na lama poderia facilmente mudar o rumo do campeonato, em Seattle nada mudou, com os favoritos Eli Tomac e Aaron Plessinger subindo no degrau mais alto do pódio e Jason Anderson estendendo a liderança no campeonato terminando a prova logo a frente do francês Marvin Musquin.

+ Confira o artigo sobre a prova, resultados, classificação do campeonato e vídeos das corridas


Chad Reed

Para não dizer que a prova foi completamente um desastre, ela contou com alguns highlights entre os quais posso mencionar Chad Reed tentando empurrar a sua FC450 morro acima no pulo de chegada, antes que a moto parasse de funcionar. Para a sorte de Reed, o sensor que lê o transponder fica na entrada do salto e Chad foi marcado com a sétima posição, seu melhor resultado na temporada.

Abandonado pela equipe


Cedric Soubeyras pousou em Seattle para descobrir que estava sem moto, sem equipe e sem equipamento

Além de Reed, a história do francês Cedric Soubeyras também foi bastante interessante. O piloto que toma o lugar de Matt Bisceglia (e de Josh Hansen) na Nut-Up Suzuki, foi deixado literalmente a pé na sexta feira, quando o caminhão da equipe foi vetado de entrar nos pits cobertos por ter o tanque de diesel quase completamente cheio. As regras dos estádios com pits cobertos é clara e indicam que os caminhões não podem ter além de um quarto de tanque. Então o diretor da equipe, ao invés de achar uma solução para o excesso de combustível, simplesmente ordenou ao motorista que desse meia volta e voltasse para casa. Com isso, a moto e a grande maioria do equipamento de Cedric acabaram voltando à sede do time, em vez de ficar no estádio. Com o apoio da HEP Suzuki Racing, que emprestou uma moto para o francês, e da JGR que cedeu algumas peças que faltavam, Soubeyras arrumou um par de botas de um lado, luvas de outro... para fazer mais uma final e, surpreendentemente, completar na 13ª posição.


Joey Savatgy

Outro fato interessante é que Joey Savatgy foi penalizado (pelas minhas contas) pela quarta vez por reentrar na pista indevidamente na sua prova classificatória. Não sei o que realmente passa na cabeça do piloto, mas o mesmo incidente continua acontecendo repetidamente! Desta vez, o piloto caiu na seção de costelas e entrou na pista diretamente na reta de largada ao invés de voltar na mesma sequência e contornar a curva que ligava a reta de largada. Como minha vó diz: "vivendo e (não) aprendendo!"

Se alguém lembrar da prova de Seattle do ano passado, a pista contou com um terreno bastante arenoso e acinzentado, até parecia que tiraram aquela terra da lua. Achei engraçado o fato de que este ano o terreno mudou novamente. Contava com um barro mais avermelhado que, o pessoal da Dirt Wurx garantiu, se não houvesse chovido, eles poderiam compactar mais o solo fazendo a pista não ser mais tão mole quanto em edições anteriores. Provavelmente teremos que esperar mais um ano e ter um pouco de sorte para ver se este terreno novo pode mudar a quase certeza de uma prova completamente esburacada em Seattle, como no passado.


Josh Hill

O fato mais bizarro de Seatlle, na minha opinião, foi a "volta" de Josh Hill às competições. Há uns 3 meses eu conheci o piloto no meu local de trabalho e pude trocar rapidamente algumas ideias com o sobre a motocicleta elétrica Alta que ele transportava em sua caminhonete. Uma coisa eu posso assegurar, Josh mais parecia com um daqueles caras que participam de competições de comer cachorro quente do que um piloto de MX. Na TV, com certeza ele parecia estar em uma melhor forma, e também digo que não fica difícil fazer a ligação entre a Monster Energy empregar o piloto há anos e patrocinar a equipe Yamaha com sua aparição repentina no time. Também deve haver alguma regra contratual entre o time e seus patrocinadores que obriga a presença de dois pilotos sempre que possível.

Este final de semana o Monster Energy Supercross migra para Minneapolis, onde acontece a terceira e última corrida do Triple Crown. As 250s também mudam de costa com Zach Osborne e Austin Forkner brigando pela liderança do campeonato.

Vídeo:



MXGP de Trentino


MXGP de Trentino

Do outro lado do Atlântico, em uma das pistas mais pitorescas da temporada, a quarta etapa do Mundial de Motocross acontecia na Itália. Jeffrey Herlings venceu as duas baterias da competição, batendo Tony Cairoli em casa e recuperando a liderança do campeonato. A surpresa do dia foi Clement Desalle que aproveitou a má largada de Cairoli na primeira bateria para assegurar seu melhor resultado na temporada.

+ Mundial de Motocross: guerra psicológica toma conta da MXGP

A invencibilidade da KTM também não parou na classe de base, onde Jorge Prado assegurou a sua primeira vitória da temporada e aproveitou os erros de alguns adversários para garantir a segunda posição no campeonato, atrás de Pauls Jonas.

Este fim de semana a quinta etapa do Mundial de Motocross acontece em Portugal, e provavelmente a pista será em uma base mais dura, assim como na Itália, então vei ser interessante ver o que Paul Jonas e Antonio Cairoli farão para que a competição ganhe valiosos pontos para o campeonato, que começou pegando fogo!

Frase da semana
"Lightning makes no sound until it strikes"
Martin Luther King




Curso MotoX
JPS Racing

© 2000 - 2018 MotoX MX1 Internet