X Fechar
foto

X Fechar
foto
Clique e saiba mais
Clique e saiba mais
Clique e saiba mais
Clique e saiba mais
Clique e saiba mais


>Colunas > Direto dos EUA - Edu Erbs

Supercross tem pausa com agitação nos bastidores
Publicado em: 20/04/2014
Clique e saiba mais

SX de Seattle, MXGP de Trento e as notícias dos principais campeonatos do mundo
Redação MotoX.com.br - Por Eduardo Erbs - Fotos: Simon Cudby, Ray Archer e Divulgação 


O pódio no Supercross de Seattle


Ryan Dungey
Depois da minha visita ao Brasil, gastei algumas horas na frente da televisão e em websites especializados para tentar ficar em dia com tudo o que acontece no cenário americano. Então, quem sabe, a coluna desta semana terá tanto informações novas, quanto velhas, mas o que de alguma forma acho relevante trazer aqui.

Um dos fatos mais interessantes foi Davey Coombs - dono do portal Racer X e da MX Sports, que organiza o AMA Motocross - relatar em uma de suas colunas na semana passada sobre um forte rumor nos pits da possibilidade de Ryan Villopoto se submeter a uma cirurgia corretiva no joelho. A operação seria logo após a final do Monster Energy AMA Supercross, o que tiraria o piloto da temporada outdoors de 2014. Com isso, a Kawasaki teria um assento vago para este verão e nomes já estão sendo jogados ao vento, entre eles: Chad Reed!

Se esse causo for verídico - e não acho que alguém como Davey Coombs iria expor algo desta magnitude sem um bom embasamento - essa temporada vai pegar fogo. Como? Com pilotos como Ryan Dungey e Eli Tomac tentando se redimir de uma modesta temporada de SX, por exemplo. Também com o renovado James Stewart com cinco vitórias até o momento buscando por mais. E ainda, o fato de grandes nomes como Ken Roczen e Justin Barcia estarem com contratos quase expirados; dados os fatos, agora só nos resta esperar.

Na etapa de Seattle, quem estava com caras novas, foi a JGR, representada por Phill Nicoletti, piloto reserva, e Vince Friese, estreante na equipe. Josh Grant e Justin Brayton estão lesionados e sem data definitiva pra voltarem à ação. Também os rumores sobre o futuro do time, apontam a saída dos dois pilotos para 2015 e a provável contratação de Justin Barcia.


Ryan Villopoto

Ainda falando em contratos, particularmente fiquei muitíssimo feliz pela entrada de Weston Peick na RCH Suzuki para o motocross deste ano. Josh Hill estaria de fora dos outdoors, como nas temporadas passadas e Broc Tickle deverá alinhar ao lado de Weston em Glen Helen, no final de maio. Vale a pena lembrar: a equipe tem contatado nada mais nada menos que Ken Roczen para ser seu piloto principal em 2015. Porém, ao meu entendimento, uma das cláusulas do contrato entre o alemão e a KTM garante à fábrica a opção de cobrir qualquer oferta feita por times concorrentes antes que o contrato termine.


James Stewart
Ainda sobre Roczen: algumas questões pairam também sobre o desempenho do piloto nas últimas provas, pois claramente Kenny não parece ser o mesmo que venceu Anaheim 1. O alemão admite que a temporada com muitas etapas, nas mais variadas partes do país, a este ponto – 15ª rodada – o está deixando bastante cansado. Além disso, o piloto estaria um pouco desgastado com o duro treinamento de Aldon Baker. Na semana passada, Ken tirou umas férias do seu bootcamp na Flórida para se divertir e curtir um pouco do surf aqui na Califórnia.

Falando um pouco deste final de semana, em Seattle, Ryan Villopoto conquistou sua segunda vitória consecutiva e, a não ser que um desastre aconteça, solidificou seu quarto tíitulo consecutivo na classe principal, igualando-se a nada mais nada menos do que ao Rei do Supercross, Jeremy McGrath.

James Stewart bem que tentou superar Villopoto, mandando um salto quádruplo de tirar o fôlego, mas acabou encavalando na metade da prova e decidiu se contentar com a segunda colocação. Outra coisa que me chamou atenção em James foi o excelente trabalho que a Seven MX está fazendo todos os finais de semana com seu equipamento. Este final de semana, foi a vez de homenagear o Seattle SeaHawks, campeões do Superbowl XLVIII, e a Seven não desapontou mais uma vez com o que, para mim, foi o melhor trabalho do ano da marca!

Em compensação, nas lites, Cole Seely aproveitou um erro de Dean Wilson para garantir a segunda vitória no ano e tirar o déficit de 11 pontos em relação a Jason Anderson. O piloto Rockstar KTM teve que fazer uma corrida de recuperação, mas em uma tentativa quase desesperada de alcançar Seely, acabou cometendo vários erros durante a prova, fato que poderia até ter acabado com consequências maiores. Anderson segue em direção a Las Vegas com oito pontos de vantagem sobre Seely, uma corrida em que tudo pode acontecer.


Ken Roczen

O campeonato chega ao primeiro e único final de semana de folga, após 15 semanas. O feriado de Páscoa veio em boa hora para muitos. É o momento de sarar de algumas fraturas, ver a família, relaxar ou, mais provavelmente, fazer testes intensivos do equipamento a ser usado no motocross que começa a pouco mais de um mês e meio.



Depois disso, uma das corridas mais esperadas do ano será disputada em New Jersey, no Metlife Stadium, palco do último Superbowl, no ladinho da "capital do mundo", New York City, em que, provavelmente, Ryan Villopoto irá selar mais um campeonato da sua invejável carreira.

GP Arco de Trento


MXGP de Trentino foi considerado o mais duro da temporada

Apesar de os circuitos americanos serem realmente a minha praia, tenho uma secreta admiração pelos GPs e, graças a CBS Sports, há a transmissão na íntegra de todas as etapas do campeonato, o que me faz estender um pouco mais a minha coluna com algumas observações da corrida.

A prova Italiana (MXGP de Trentino) foi considerada a mais dura da temporada e prova disso foi ver Antonio Cairoli cometendo erros em cima de erros e finalizando as baterias em quarto e sexto, o que não é muito comum para seu currículo.


Antonio Cairoli cometeu muitos erros na Itália

Clement Desalle fez as pazes com a vitória, seguido pelo companheiro de equipe Kevin Strijbos – motivo para festa amarela na classe MXGP. Ainda sobre as Suzukis: depois de rumores circularem sobre as RMZs 2016 virem equipadas com partida elétrica, ouvi falar que as motos de Desalle e Stribjos estão equipadas com um novo e inovador dispositivo, que facilita o kickstart e auxilia a ignição dos motores.

Dia triste para o simpático Gautier Paulin, que depois de dominar a primeira bateria, viu sua KXF 450 expirar com problemas mecânicos na segunda bateria. O francês Steven Frossard também teve um domingo não tão estelar: depois de vencer a corrida classificatória no sábado, o piloto foi literalmente atropelado por Evgeny Bobryshev, depois de cometer um erro logo no início da primeira bateria. Coincidência ou não, Bobryshev também foi atropelado na segunda bateria por Jeremy Van Horebeek. Loucura!

Vídeo:



Na categoria MX2, Jeffrey Herlings voltou a correr e a confirmar o favoritismo no campeonato. O holandês venceu a primeira bateria e foi segundo na seguinte. Mas é Arnaud Tonus quem continua com o number plate vermelho, liderando o campeonato por dez pontos sobre Herlings e seis sobre Glenn Coldenhoff.
Ainda sobre Cairoli e Herlings, há rumores que a escuderia Red Bull KTM estaria se expandindo para 2015 com seis pilotos e talvez até veremos motocicletas novas - disponíveis ao público somente em 2016. Temos que esperar pra ver!

Vídeo:


Estive pensando um pouco e relatando alguns dos acontecimentos do início desta temporada nos GPs. Tais como Cairoli iniciar o campeonato com o tornozelo trincado, problemas de gasolina na Tailândia, as lesões de Herlings no campeonato holandês e a ausência do piloto abrindo uma brecha de oportunidade para pilotos como Glenn Coldenhoff, Arnaud Tonus e Dylan Ferrandis poderem brilhar e, quem sabe, fazerem de 2014 uma das melhores temporadas dos Grand Prix da última década.

Vídeo:



Frase da semana
The harder you work, the luckier you become.
Roger Penske






© 2000 - 2020 MotoX MX1 Internet