X Fechar
foto
Salvar nos Favoritos

X Fechar
foto
Clique e saiba mais
Clique e saiba mais
Clique e saiba mais
Clique e saiba mais
Clique e saiba mais
Clique e saiba mais
Clique e saiba mais
Clique e saiba mais

América Sports

Edgers Racing

KTM Sacramento

Toro Sports

JPS Racing

MotoX Pneus

Arenafama

Clique e saiba mais

> Colunas > Direto dos EUA - Edu Erbs

A temporada de Supercross mais épica das últimas décadas?
Publicado em: 18/01/2019

À primeira vista, campeonato de 2019 tem tudo para ser memorável
Redação MotoX.com.br: Por Edu Erbs - Fotos: Octopi e Simon Cudby

Pelo que as duas primeiras etapas mostraram, é seguro dizer que teremos pelo menos seis vencedores este ano


Largada Glendale

Glendale, no Arizona, foi palco da segunda etapa do Monster Energy Supercross Championship e, como nos últimos anos, a pista contou com uma largada extremamente longa, uma dura seção de costelas e longas seções de saltos que testaram a audácia e a criatividade dos pilotos. Mesmo contando com uma rara chuva para aquela região, o estádio sendo coberto garantiu que a pista se mantivesse seca para, talvez, respondermos algumas das perguntas que se levantaram na semana anterior, em Anaheim.

+ AMA Supercross 2019: Resultados e vídeo da segunda etapa, em Glendale
+ Vídeo: o show de Enzo Lopes na Last Chance em Glendale

À primeira vista, esta temporada tem tudo pra ser a mais épica das últimas décadas. Com Justin Barcia e Blake Bagget vencendo as duas primeiras etapas, acho que é seguro dizer que teremos pelo menos uns seis vencedores este ano, ja que é difícil não concluir que Roczen, Tomac, Musquin e Anderson também vencerão uma prova ou outra até o fim do campeonato. 


Blake Baggett conquistou a primeira vitória no AMA Supercross 450

Como eu disse na minha coluna sobre A1, a primeira prova do campeonato gerou mais perguntas do que respostas, mas se analisarmos esta prova de uma maneira mais aprofundada, Blake Bagget foi o piloto mais rápido dos treinos em Anaheim 1, e seu estilo "El Chupacabra" nos outdoors há algum tempo já nos mostrou que ele realmente tem velocidade pra brigar com os pilotos mais rápidos do planeta, entretanto foi a primeira vez que ele despontou desta maneira no Supercross. Atrás dele, o que foi bem menos supreendente, estavam os quatro favoritos: Anderson, Roczen, Tomac e Musquin... o que, na minha opinião, faz os resultados parecerem um pouco mais normais do que na corrida passada.


Após o desempenho decepcionante em Anaheim 1, Jason Anderson brigou pela vitória em Glendale

É claro que a lama afetou os resultados da semana passada, entretanto eu acho que a bandeira vermelha depois de 7 minutos de prova também afetou o resultado final desta prova, pois no ritmo que as coisas iam, seria dificil alguem tirar a vitória de Roczen. O mais beneficiado na minha opinião foi Jason Anderson, que teve um pouco de inteligência e urgência em passar Roczen logo após a relargada, mesmo que a sua passagem tenha sido um pouco contraditória. Eu posso reforçar a minha tese sobre Anderson pois como comentei anteriormente, ainda acredito que o piloto esteja escondendo algum tipo de contusão da pré-temporada, pois claramemente a linguagem corporal dele mudou completamente depois que foi ultrapassado por Bagget. E era bastante visivel no semblante de Anderson o quanto ele estava desgastado depois da prova, o que é um tanto anormal para um piloto do seu calibre, especialmente sendo treinado por Aldon baker.


Ken Roczen

Eu gostaria que todas as temporadas e todas as classes começassem com essas surpresas e com novos pilotos na ponta, mas eu ainda não acredito que Bagget ou Barcia simplesmente vão dominar o circuito ou que, de repente, acharam toda essa velocidade na pré-temporada, mas sim que estes resultados menos expressivos dos quatro favoritos são reflexos de problemas e contusões da pré-temporada. Podem falar o que quiser, mas quando foi a última vez que vimos Eli Tomac não subir ao podio sem ter caído ou tido problemas mecânicos?

Falando em problemas mecânicos, Tomac teve sim problemas com a sua Factory KX450, na sua qualificatória e mesmo que aparentemente resolvidos durante a prova, o piloto não conseguiu classificar direto pra final indo para a repescagem, onde venceu com facilidade. Se já é estranho ver Chad Reed na LCQ, imaginem ainda Tomac?! Com uma má escolha no gate de largada, o piloto veterano teve um pouco de dificuldades ao sair do gate o que resultou na quarta colocação.


Dean Wilson e Justin Barcia se estranharam em Glendale

Barcia x Wilson. Os maiores protagonistas de A1 não tiveram a prova que esperavam, terminando a corrida na sétima e oitava posição, respectivamente. É de conhecimento de muitos que os pilotos já tiveram problemas no passado, mas em Glendale os nervos de ambos foram a flor da pele. Logo depois da corrida classificatória, no túnel de saída, Dean Wilson foi tomar uma satisfação com Barcia depois de uma manobra perigosa que o mesmo tinha feito durante a corrida. Bam-Bam, como não gosta de levar desaforo pra casa, peitou o escocês e o argumento começou para ser separado entre mecânicos e o pessoal do time de ambos.


Adam Cianciarulo

Falando da classe de base, Adam Cianciarulo finalmente teve um final de semana perfeito! Foi o piloto mais rápido dos treinos, ganhou a sua classificatória e venceu a final de ponta a ponta como não fazia há muito tempo. Dean com certeza tem talento de sobra, mas desde que subiu ao ranking profissional não obteve o sucesso que todos esperavam. Será que esse é ano dele?


Colt Nichols

Quem não desapontou foi o atual líder do campeonato Colt Nichols, que largou entre os top 5 para fazer uma prova consistente terminando atrás de Cianciarulo. Nichols sempre teve velocidade, mas contusões sempre o tiraram da disputa por títulos, mas este ano o piloto não tem só velocidade, mas a confiança pois agora sabe como vencer provas. Já o seu colega de equipe, o francês Dylan Ferrandis também tem talento e velocidade de sobra, mas não conseguiu ser muito consistente nas duas provas do ano e se as coisas continuarem do jeito que estão, logo ele estará fora de contenção, se não estiver machucado.

Sinceramente eu esperava um pouco mais de Shane McElrath. O piloto da Troy Lee Designs na minha opinião seria apontado como o mais favorito para esta temporada e, apesar de dois terceiros lugares não soarem nada mal, eu não vejo o piloto tão rápido como em anos anteriores quando venceu A1 e dificilmente era passado por seus oponentes como aconteceu nas últimas provas. Shane ainda está em contenção, e como sabemos disciplina e consistência são duas das coisas mais importantes nesta classe, quem sabe se ele conseguir se manter no pódio este seja o ano que o piloto trará o primeiro título para a Troy Lee Designs KTM.


Shane Mcelrath (12)

Este final de semana, voltamos para Anaheim para a primeira corrida da série Triple Crown. Algumas mundanças foram feitas para esse ano, como por exemplo a classe principal terá três baterias de 12 minutos mais uma volta cada. E, devido ao curto tempo entre as corridas, times e pilotos poderão se utilizar duas motocicletas diferentes se necessário.

Também vale salientar que aqui está chovendo constantemente desde segunda-feira, e a chuva só tende a parar na sexta. Mesmo com previsão de Sol para sábado, talvez tenhamos um terreno bastante encharcado que, somado ao formato do Triple Crown, poderá resultar em ainda mais supresas para este início de campeonato.

Vídeo:



Frase da semana:
"Showing off is the fool's idea of glory."
Bruce Lee




Curso MotoX
JPS Racing

© 2000 - 2018 MotoX MX1 Internet