X Fechar
foto
Salvar nos Favoritos

X Fechar
foto
Clique e saiba mais
Clique e saiba mais
Clique e saiba mais
Clique e saiba mais
Clique e saiba mais
Clique e saiba mais
Clique e saiba mais
Clique e saiba mais

América Sports

Edgers Racing

KTM Sacramento

Toro Sports

JPS Racing

MotoX Pneus

Arenafama

Clique e saiba mais

> Colunas > Direto dos EUA - Edu Erbs

Show de Tomac expõe acomodação no campeonato 450
Publicado em: 22/03/2018

Campeonato na classe principal entra em fase de acomodação enquanto 250 ainda pode pegar fogo
Redação MotoX.com.br: Por Edu Erbs - Fotos:  Simon Cudby / Octopi


Eli Tomac em seus bons dias é intocável

Saint Louis é conhecida como a "porta para o Leste" aqui nos Estados Unidos. Apesar de não soar bem em português, se um dia você visitá-la verá que faz sentido ao se deparar com um enorme arco situado no meio da cidade, na beira de um rio, que se você atravessar (por uma ponte, é claro) de repente estará no estado de Illinois. É uma cidade interessante, fria nessa época do ano, mas que os pilotos adoram pois tradicionalmente o barro de cor avermelhada é apontado como a melhor terra da temporada. Além disso, os pits são situados nas instalações cobertas do estádio, o que facilita a vida de times e pilotos.

O layout da pista foi muito bom, eu gosto quando eles fazem as pontes e túneis na pista, fica interessante, além do que teve pelos menos três seções onde os pilotos puderam usar a criatividade e até mandarem um salto quádruplo. A única parte do traçado que eu não gostei foi a largada, dividida ao meio pelo túnel, dando uma clara desvatagem aos pilotos privados que largavam no lado de fora da primeira curva.


Jason Anderson saltando a ponte sobre a largada

Entre as 450s, não tem muito o que falar. Os três pilotos favoritos - Tomac, Anderson e Musquin - largaram na ponta e fizeram uma prova solitária, terminando com uma boa distância entre si. Eli Tomac deu um de seus shows, e ninguém chegou nem perto dele, claramente nem Jason Anderson teve algo a dizer sobre o domínio de Tomac... mas também, vocês hão de convir, se você é Jason Anderson e tem mais de 40 pontos de vantagem sobre o segundo colocado do campeonato, você leva pra casa o troféu de segundo colocado com satisfação. Posso dizer com certeza que St Louis tem (quase) todos os ingredientes para uma das melhores provas do campeonato, entretanto, na classe principal, dá pra apontar esta como a prova mais sem graça da temporada até aqui.


Blake Bagget e...

A única batalha da final ficou por conta de Weston Peick e Blake Bagget, que lida com uma lesão em um ligamento da mão direita, bastante similar com o que teve no motocross do ano passado, e correndo com dor, sem poder treinar durante a semana, acabou desistindo da disputa nas voltas finais.

Apesar de dar bons indícios de progresso e participar do seu primeiro pódio em Daytona, Cooper Webb entrou oficialmente para a lista dos machucados neste final de semana e também deixa a Factory Yamaha sem pilotos. A equipe afirma que Cooper teve uma forte queda durante os treinos na terça-feira, quando deslocou o seu ombro. Apesar das dores, Cooper tentou treinar em St Louis, mas acabou voando por cima do guidão logo na terceira volta dos treinos livres, sendo forcado a terminar sua noite mais cedo e, quem sabe, sendo mais um piloto afastado das provas por tempo indeterminado.


...Weston Peick disputaram a única batalha da final 450, mas não foi suficiente para salvar a corrida

Já entre as 250 as coisas esquentaram um pouco mais. O início da prova foi até parecido com as 450, com Zach Osborne e Austin Forkner, que dividiam os plates vermelhos, largando lado a lado. Forkner logo assumiu a liderança fazendo o salto quadrúplo na primeira volta, abrindo um pouco de vantagem sobre o piloto da Husqvarna. Osborne foi paciente e, aos poucos, chegou na traseira de Austin para impor pressão e forçar um erro do rival para então navegar com tranquilidade até a sua segunda vitória na temporada. Agora Osborne conta com 8 pontos de vantagem sobre Forkner no campeonato.


Largada da 250 em St. Louis

Além da pressão que sofreu do rival, havia muita especulação sobre a performance de Forkner nesta que era a sua prova local, havendo assim a presenca de seus amigos e familiares. Também era a primeira vez na carreira que ele corria com o plate vermelho, e desde o início do dia dava indícios de estar um pouco nervoso com altercações nos treinos cronometrados. E ainda, para "melhorar", depois da queda na final, Forkner se envolveu em outro acidente com o brasileiro Ramyller Alves, que claramente lhe deixou bastante frustrado.

Falando em Ramyller, o piloto entrou para a final pela segunda vez do ano, brigando bonito pela qualificação na LCQ. E sobre o incidente com Forkner, eu particularmente acho difícil simplesmente apontar o dedo para o brasileiro, já que o ocorrido foi logo após a seção de costelas, onde por sinal, o piloto da Kawasaki passou muito mais rápido... sem dar chance ao brasileiro de abrir a porta para ele passar.


Zach Osborne terá paz de espírito para enfrentar o esquadrão da Pro Circuit em Indianápolis?

É importante notar que este fim de semana em Indianápolis ocorre o primeiro East x West Showdown, que contará com os 20 pilotos mais rápidos de cada costa das 250, o que poderá mudar completamente o rumo do campeonato.

Se comenta bastante nos pits sobre a má relação entre Zach Osborne e a Monster Energy Pro Circuit Kawasaki, que contará com Adam Cianciarulo, Joey Savatgy e Austin Forkner nesta prova, pilotos com os quais o piloto da Rockstar Energy Husqvarna teve algum tipo de altercação no último ano. Vale a pena ficar de olho nesta briga.

MXGP of Europe

Para não passar em branco, o MXGP da Europa em Valkenswaard, na Holanda, foi como o esperado, com Jeffrey Herlings conquistando a vitória em casa, e assim como no GP da Patagônia, tendo que exibir extrema velocidade e forma física para tirar o primeiro lugar em ambas as baterias das garras de Tony Cairoli. Na classe MX2, Pauls Jonass venceu todas as quatro baterias do ano, e desta vez trouxe o prodígio Jorge Prado consigo para fazer a festa laranja.


Antonio Cairoli tem uma pedra no sapato das grandes este ano

O GP da Europa também foi palco da volta de Tim Gajser que ainda se recupera de uma fratura na mandíbula e de uma concussão. As coisas ainda não parecem estar 100% com o piloto que terminou somente com a nona e a 14ª posições nas baterias.

O fator mais marcante do fim de semana foi o frio, literalmente de congelar. Pilotos e times tiveram que ser criativos, com aquecedores de pneus e suspensões, handguards que mais pareciam orelhas de elefante, jaquetas e luvas de inverno.


Thomas Convington foi um dos que adotou protetores de mão gigantes para enfrentar o frio

Neste final de semana o Mundial de Motocross aterrisa na Espanha para a prova inaugural do circuito de RedSand, e a temperatura do clima e das brigas tende a esquentar nesta terceira etapa.

Frase da semana
Wanting to be someone else is a waste of the person you are.
Kurt Cobain




Curso MotoX
JPS Racing

© 2000 - 2018 MotoX MX1 Internet