X Fechar
foto
Salvar nos Favoritos

X Fechar
foto
Clique e saiba mais
Clique e saiba mais
Clique e saiba mais
Clique e saiba mais
Clique e saiba mais
Clique e saiba mais
Clique e saiba mais

América Sports

Capacete Companhia

Edgers Racing

KTM Sacramento

Toro Sports

Pro Tech

JPS Racing

MotoX Pneus

JP Motos

Clique e saiba mais

> Colunas > Direto dos EUA - Edu Erbs

Uma noite cheia de quedas em San Diego
Publicado em: 15/02/2018

Prova mudou ainda mais o rumo do campeonato
Redação MotoX.com.br: Edu Erbs - Fotos: Simon Cudby / Octopi / Brown Dog Wilson / Feld Entertainment e Divulgação


Pódio da 450

A última parada do Supercross 2018 no sudoeste norte-americano não desapontou. O estádio do San Diego Padres, mais uma vez, foi protagonista de uma incrível prova que, de certa forma, mudou ainda mais o rumo do campeonato. A pista me pareceu um misto entre Glendale e Oakland, sendo bastante técnica, com uma longa seção de whoops, com o terreno um pouco escorregadio, mas que não se deteriorou tanto como a etapa anterior. Além disso, a pista contou com uma curva de dois níveis, que não foi usada como planejada até as finais, quando o pessoal da Dirt Wurx fez alguns retoques para deixar o traçado de fora mais competitivo. Também teve um "reversed-dragon-back" que deu o que falar, além de dois triplos separados por uma curva plana de 90 graus que foi um dos principais pontos de ultrapassagem da noite.

+ San Diego teve uma noite movimentada e decisiva - Artigo com resultados, mais fotos e vídeos da prova
+ Vídeos onboard de San Diego, sexta etapa do AMA Supercross 2018

Tem coisas que só mesmo estando no estádio para perceber, pois fica difícil para a TV mostrar tudo que está acontecendo durante as provas, mas logo na primeira classificatória a carnificina começou. Eram pilotos caindo por todos os lados, ao invés de uma corrida de moto parecia mais uma batalha da segunda guerra mundial! Realmente fiquei um pouco preocupado de como a noite terminaria. Não à toa, que tanta gente saiu de San Diego na maca, e entre os principais pilotos posso citar:


Ken Roczen

- Ken Roczen tentou retaliar Cooper Webb com uma passagem agressiva demais, acabando virando para trás e enfiando a mão direita dentro da balança da Yamaha do rival. Ken já postou nas mídias socias que necessitará de uma cirurgia, mas vai buscar a recuperação mais rápida possível para voltar às provas, porém o mais interessante disso tudo, é que parece que a briga entre os dois pilotos começou há algum tempo fora das pistas, com vários bate-bocas, já que Cooper atualmente namora a ex-namorada do alemão. Talvez esteja nascendo aí mais uma rivalidade à la McGrath e Emig dos tempos modernos.

- Justin Boggle continua com uma nuvem negra sobre sua cabeca, já que Ben Lamay aterrisou em cima do piloto na primeira volta de sua corrida classificatória, quebrando a parte superior do braço direito do piloto que está fora do resto do campeonato. Com isso, fica mais aparente que Malcolm Stewart ficará integralmente na equipe JGR Autotrader Yoshimura Suzuki até o final da temporada indoors.

Vídeo:



- Jake Weimer tentou largar na sua terceira prova neste ano, mas infelizmente virou pra frente e acabou quebrando o pulso logo nos treinos.

- Alex Ray também sofreu um acidente durante a sua classificatória, sua moto acabou cortando feio o seu joelho e ele ficou de fora do main event pela primeira vez este ano.

- Alex Martin caiu feio durante a sua classificatória, e mesmo assim tentou alinhar no gate da final, mas acabou desistindo da prova com fortes dores no pulso.


Marvin Musquin e Jason Anderson

Além disso, vale a pena destacar que dois dos principais protagonistas da classe principal, Eli Tomac e Justin Barcia também tiveram noites difíceis. Eli foi vitima de uma queda na primeira curva - ocasionada por Ken Roczen -, acabou avariando uma das manoplas de sua Kawasaki e teve que abandonar a prova logo no início. Já Barcia perdeu o freio traseiro durante a prova, o que proporcionou a perda de várias posições fazendo o piloto terminar na oitava posição.

Agora falando de coisas positivas, acho que com 28 pontos de vantagem sobre Justin Barcia, pode-se afirmar com seguranca que a única pessoa que pode impedir Jason Anderson de ganhar este campeonato é ele mesmo. O líder teve mais uma noite de pilotagem sensacional, seguindo Cole Seely  por algumas voltas para ultrapassá-lo de forma segura e não olhar para trás, vencendo a segunda prova consecutiva e terceira do ano. Jason com certeza é um piloto diferente este ano, mais calculado, mais frio e mais maduro. Com certeza parece ter o pacote completo para este ano, e tem tudo para ser coroado em Las Vegas.


Blake Baggett

Depois de uma horrivel classificatória, onde foi ultrapassado por vários pilotos, o francês Marvin Musquin conseguiu reagrupar durante a final, achando uma boa linha nos whoops para completar a prova na segunda colocação, marcando o seu melhor resultado desde que machucou o ombro. O piloto da Factory Red Bull KTM dividiu o pódio também com Blake Baggett, e apesar de fazer o chefão Pit Beirer - presente no evento - feliz vendo três dos seus pilotos no pódio, na coletiva de imprensa depois da prova foi interessante ver Baggett instigando bastante os problemas de relacionamento entre Musquin e Anderson, e ainda afirmando que gostaria que a rivalidade entre os dois aumentasse para que pudesse tomar vantagem caso houvesse retaliação dentro da pista.

Vídeo:



Apesar de Anderson assumir culpa do ocorrido em Oakland, o piloto desmentiu Aldon Baker que afirmou que os pilotos treinaram juntos durante a semana, e pela linguagem corporal de Anderson e Musquin é claro que as coisas não estão bem entre eles, mas acredito que ambos são inteligentes o suficiente para saber que retaliação dentro da pista não vai favorecer a ninguem. Além disso, alguns dos comentários de Baggett - bastante imaturos na minha opinião - podem ser ainda vestígios dos problemas que teve com Anderson no motocross do ano passado, e ainda pelo fato de Musquin não querer dividir a pista da KTM na Califórnia durante a semana.

Entre as 250, Justin Hill roubou a cena com uma tocada impecável não parecendo ser o mesmo piloto do início do campeonato. Defendendo as cores da JGR Suzuki, Hill ultrapassou o então líder Adam Cianciraulo e soube defender todos os ataques do floridiano com classe para conquistar sua primeira vitória na temporada, e a primeira da Suzuki na classe em cinco anos. O piloto comentou que há três provas vem andando com o mesmo set-up e agora se sente confortável e confiante sobre a moto, apesar de saber que já é um pouco tarde no campeonato.


Justin Hill

Os três primeiros pilotos do campeonato tiveram uma noite bem abaixo do esperado com Savatgy na quarta colocação, seguido por McElrath, e Aaron Plessinger tendo uma noite difícil acabando na sétima colocação para depois da prova ser penalizado em mais uma posição por cortar a pista depois de cair nas costelas.

Chase Sexton completou a prova mais uma vez no pódio - marcando a boa fase que se encontra - e já é apontado como um dos pilotos que poderá vir a brigar por títulos em 2019!

Este fim de semana o campeonato se dirige para Arlington, no Texas, onde terá início o campeonato da Costa Leste nas 250s. Zach Osborne é o pleno favorito ao título, mas terá que enfrentar pilotos como Jeremy Martin, Martin Davalos, Austin Forkner, Dylan Ferrandis e Jordon Smith. O campeonato, de certa forma, dá um tom de recomeço à competição que já gerou muito drama até então.

Frase da semana
"Racing, competing, it's in my blood. It's part of me, it's part of my life; I have been doing it all my life and it stands out above everything else".
Ayrton Senna




Curso MotoX
JPS Racing

© 2000 - 2018 MotoX MX1 Internet