fechar
X Fechar
X Fechar

X Fechar
foto
Salvar nos Favoritos

X Fechar
foto
Clique e saiba mais
Clique e saiba mais
Clique e saiba mais
Clique e saiba mais
Clique e saiba mais
Clique e saiba mais
Clique e saiba mais

América Sports

Capacete Companhia

RM - Motocross Racing

Edgers Racing

RX Graphics

JPS Racing

Ohlins

DLua Racing

Toro Sports

> Colunas > Direto dos EUA - Edu Erbs

Eli Tomac x Ryan Dungey
Publicado em: 09/02/2017

A rivalidade que deu novo fôlego ao Monster Energy AMA Supercross 2017
Redação MotoX.com.br - Por Edu Erbs - Fotos: Feld Entertainment / Divulgação / Simon Cudby


Duas vitórias de Tomac mostraram que Dungey pode não ter vida fácil no restante do campeonato

Depois da maioria de nós prevermos antecipadamente uma temporada "sem graça" devido ao catastrófico tombo de Ken Roczen na terceira etapa, Eli Tomac provou que ainda tem algo a provar e talento suficiente para brigar com Ryan Dungey pelo titulo do Monster Energy Supercross Championship 2017. O piloto da Factory Kawasaki dominou os dois últimos eventos em Glendale e Oakland com performances sensacionais, fazendo dobradinha com Justin Hill (vencedor na 250 Oeste), que agora lidera o campeonato por um ponto sobre Shane McElrath.

+ Resultados, mais fotos e vídeos da quinta etapa do AMA Supercross 2017

Vídeo



Tomac e a equipe garantem que a guinada na performance do piloto aconteceu graças a uma mudança no chassis da sua motocicleta, porém, não desmerecendo o piloto de forma nenhuma, eu acredito que os dois últimos traçados vieram a favorecer bastante o seu estilo. Contando que a corrida do próximo final de semana em Arlington, Texas, promete um chão duro, veloz e escorregadio, será a prova final para apontar se Eli esta pronto para tirar o número 1 da moto de Ryan Dungey.


O circuito de Oakland as 7:30 da manhã no dia da corrida

Falando em traçado, na minha opinião, as pistas do início da temporada foram bastante diferentes dos outros anos, já que a Califórnia esta passando por uma temporada de chuvas maior do que o normal. Todas as provas deste ano sofreram com efeitos da mãe natureza, e chega até a ser engracado que em Glendale, caracterizada pelo primeiro estádio de futebol e também o primeiro coberto da temporada, o excesso de água para a preparação da pista, somado ao terreno macio do local fizeram dela a mais exigente das quatro primeiras etapas. Em Oakland não foi diferente, mesmo com muitos preparativos durante a semana, a chuva não deu trégua e acabou tornando o traçado praticamente "vivo", mudando a cada volta fazendo realmente uma corrida de roer os dentes. Com as provas rumo à Costa Leste, que é marcada em sua maioria por estádios cobertos, acho que será dificil vermos uma prova mais técnica que esta até o final do campeonato - exceto, talvez, Daytona.


Justin Hill

Arlington marcará uma etapa bastante decisiva para as Lites (250), pois será a última antes da pausa para os pilotos da Costa Oeste, e a briga Hill versus McElrath só está esquentando. Hill no momento tem um ponto de vantagem, porém, além disso, claramente aparenta mais confiança que McElrath. Nas duas últimas provas Hill veio de trás para assumir a liderança, enquanto Shane teve dois finais de semana difíceis, transformando duas qualificações via LCQ em dois pódios.


McElrath lutando para avançar no meio do pelotão

Claro que todos os pilotos querem o cogitado number plate vermelho, porém isso pode gerar um tanto de pressão durante a pausa, fazendo o piloto hesitar um pouco nos treinos e testes feitos durante os periodo, tentando evitar qualquer tipo de contusão para estar 100% preparado para a prova em Seattle dia 8 de abril. Mais uma vez, Arlington será uma prova decisiva, pois quem acabar na frente sairá do Texas com a liderança do campeonato.

Weekly news:


Dean Wilson

Dean Wilson foi uma das principais manchetes da semana, sendo contratado pela Rockstar Husqvarna para pilotar a moto de Christophe Pourcell que abandona o campeonato para focar no Campeonato Canadense de Motocross. Dean não teve dificuldades para se adaptar a moto devido a similiridade com a KTM que pilotou durante os dois últimos anos, e acabou terminando a prova entre os top 10 pela primeira vez no ano.


Cooper Webb

Cooper Webb foi - depois de Tomac - o piloto com o maior destaque em Oakland, mostrando que está na classe para brigar com os grandes nomes. Depois de um início de temporada bastante complicado, Webb e a Factory Yamaha estão andando na direção certa e o piloto conquistou o seu primeiro pódio na classe principal, contrariando a minha tese inicial da total insatisfação do pioto com o equipamento.

Os campeões Jeremy Martin e Tyler Bowers se ausentaram na prova de Oakland, já que os mesmos se envolveram em um acidente nos treinos de Glendale e estão fora por tempo indeterminado. Na verdade, Bowers caiu feio, e o pneu dianteiro de sua Yamaha acabou atingindo Martin logo na face. Foi feio de ver!


Marvin Musquin

O francês Marvin Musquin começou o ano com tudo subindo no pódio nas três primeiras provas, entretanto, Glendale e Oakland não foram muito amigáveis ao atleta, somando somente duas nonas colocações e perdendo a segunda posição no campeonato para o vitorioso Eli Tomac. Apesar de uma queda em Oakland, os tempos de volta do atleta colocariam Marvin na terceira colocação, então, assim como outros pilotos, ele busca a revanche no Texas neste final de semana.



O fracasso de uns significa o sucesso de outros. A dupla da Rocky Montain KTM, Davi Millsaps e Blake Baggett deixou o azar para trás, completando as duas últimas provas dentro dos top 10. Millsaps fez uma quinta e uma sexta posição, e Baggett fez um par de sétimo lugares. Com os resultados Millsaps senta em uma confortável quinta posição no campeonato.

Frase da Semana
Change is the law of life. And those who look only to the past or present are certain to miss the future.
John F. Kennedy


Pódio 450







Vídeos MotoX Connect



Acompanhe o MotoX no Facebook

Curso MotoX Ric Raspa
Brasil Racing
JPS Racing

© 2000 - 2017 MotoX MX1 Internet