X Fechar
foto

X Fechar
foto
Clique e saiba mais
Clique e saiba mais
Clique e saiba mais
Clique e saiba mais
Clique e saiba mais
Clique e saiba mais
Clique e saiba mais


Oferta Bota Jett Lite

>Reportagens > Especial

Contagem regressiva para o Dakar: conheça os favoritos
Publicado em: 29/12/2015
Clique e saiba mais

Competição terá um vencedor inédito em sua 38ª edição
Redação MotoX.com.br - Fotos: Future7Media/ S. Romero/ Janjão Santiago / Y.Sports


Com a aposentadoria do atual campeão Marc Coma, a edição 2016 do Dakar não terá a presença do number plate #1

Enquanto boa parte do mundo aproveita o fim de ano para descansar, um seleto grupo de pilotos e equipes segue em ritmo acelerado rumo a largada do Dakar 2016. A corrida terá início no próximo sábado, dia 2 de janeiro, em Buenos Aires, Argentina, e termina treze estágios - e duas semanas - depois, no dia 16, em Rosário, outro município argentino. Serão mais de 9 mil quilômetros de trajeto, sendo aproximadamente 4 mil de trechos cronometrados, passando também pela Bolívia.

Veja também a lista completa de inscritos no Dakar 2016

Entre as motos, o momento é ímpar: é a primeira vez desde a estreia da competição que não há um campeão defendendo o título na categoria. Com a promessa de uma disputa muito acirrada pela vitória, a situação se deve ao fim da era "Despres-Coma", dupla que monopolizou os últimos dez títulos e atualmente segue novos caminhos. Marc Coma estreia como diretor esportivo da prova, enquanto Cyril Despres parte para a sua terceira participação nos carros.

Com quem ficará o number plate #1?


Laia Sanz, Antoine Meo, Jordi Viladoms, Mathias Walkner e Sam Sunderland, a esquadra laranja da KTM em busca de mais um troféu na competição

Apostar nos pilotos do "clã" KTM, que desde 2001 conquista todos os títulos do Dakar, é algo natural, mesmo que os principais nomes do time na atualidade tenham passado os últimos anos à sombra de Marc Coma. Vale lembrar que a marca austríaca, mesmo sem a presença da sua grande estrela da última edição, conta com dois nomes em alta: o australiano Toby Price, terceiro colocado em sua estreia na edição de 2015, e o austríaco Matthias Walkner, atual campeão mundial de Rally Cross Country. O experiente espanhol Jordi Viladoms (vice em 2014) e a surpreendente espanhola Laia Sanz também prometem bons desempenhos. E as possibilidades do time laranja não param por ai... o francês Antoine Meo, campeão mundial de enduro, estreia no Dakar sob a tutela da equipe.

Vídeo:



"O Dakar sempre foi um dos meus principais objetivos. A meta final é participar entre os carros um dia. Quanto ao Enduro, acho que já fui o quão longe podia, agora é o momento de novos desafios. Mas é claro, estou aqui para aprender", comentou Meo. "Sei que agora títulos não contam muito. Estou começando do zero", completou.


A Husqvarna conta com Ruben Faria, Pela Renet e Pablo Quintanila

O chileno Pablo Quintanila, quarto colocado no último ano, o português Ruben Faria, vice em 2013, e o francês Pela Renet, campeão mundial de Enduro, são os representantes da Husqvarna. Competindo em uma moto projetada a partir das bem-sucedidas máquinas austríacas, os três sabem que terão uma estrutura de primeira linha na briga pelo troféu.

Vídeo:



"Estou tranquilo e satisfeito com a moto, porque é uma máquina bastante confiável, rápida e resistente", elogiou Quintanila. Para o chileno, o Dakar se mantém como uma prova de resistência. "Como este ano não vamos passar pelo Chile, não teremos muitos trechos em deserto aberto, a parte difícil da navegação ficará entre Belén e San Juan, além da altitude e das chuvas bolivianas que vão complicar a vida de todos".


O Team HRC chega forte com Ricky Brabec, Paolo Ceci, Michael Metge, Joan Barreda e Paulo Gonçalves

Mais uma vez os olhares se voltam ao Team HRC, a equipe oficial da Honda, que chega bastante forte como sempre e planejando encerrar vez de uma vez por todas o histórico de começos impecáveis e finais frustrantes desde que retornou ao Dakar.

Vídeo:



Entre os principais candidatos ao topo do pódio, estão o português Paulo Gonçalves, atual vice-campeão, e o rápido espanhol Joan Barreda. Este último precisa dosar mais o acelerador para entrar de vez na briga pelo título, pois nas últimas edições mostrou velocidade de sobra, mas também excesso de arrojo, o que quase nunca funciona no Dakar. Completam o time o francês Michael Metge, o italiano Paolo Ceci e o americano Ricky Brabec.


Helder Rodrigues é a grande aposta da Yamaha

Com um time mais enxuto, mas não menos importante, a Yamaha aposta no português Helder Rodrigues como líder de equipe, acompanhado pelo italiano Alessandro Botturi, vencedor do Rally Merzouga. Os competidores estarão a bordo de uma WR450F Rally, especialmente projetada para a prova com design slim, permitindo maior maleabilidade na pilotagem.

Vídeo:



Quem explica melhor é o chefe de equipe, José Leloir. "A prioridade foi em otimizar as configurações gerais da moto. Quanto mais leve o equipamento estiver, mais rápido o piloto pode ir, da mesma forma que se a pilotagem ficar mais fácil, o cansaço será menor". Será que a estratégia fará a Yamaha reviver o auge da época em que foi campeã com Stephane Peterhansel? Vamos aguardar.

Bandeira verde e amarela embarca rumo ao Dakar 


Jean Azevedo


Jean Azevedo, Javier Pizzolito, Adrien Metge e Kevin Benavides
Por mais um ano, Jean Azevedo segue como o único representante brasileiro na competição. O paulista é integrante da Honda South America Rally Team ao lado do francês radicado no Brasil Adrien Metge, e dos argentinos Javier Pizzolito e Kevin Benavides. Todos a bordo da nova CRF 450 Rally.

Jean Azevedo e Metge embarcam nesta quarta-feira (30) para Buenos Aires, onde aguardam o início da prova. O paulista revela os artíficios para se manter 100% durante a viagem. “É uma prova grande e precisamos estar equipados para todos os tipos de situações, como a mudança de temperatura e o desgaste ao longo do percurso. Uso kits de aquecimento que os alpinistas costumam usar e levo também todo o material de suplementação para manter a energia”, conta o paulista. 

Vídeo:




Ian Blythe
O francês também cuidou de cada detalhe para não ter nenhum imprevisto. "Estou levando muitas coisas para chegar bem preparado e não ter surpresas. Levo nas malas alguns itens como luvas e toucas para o frio e roupas para chuva. Além disso, são importantes outras coisas que ajudam a preservar o bem-estar durante o percurso, como tampões de ouvido e isotônicos, devido ao barulho e o desgaste. E claro, não esqueço dos materiais mais técnicos como canetas para conferência da planilha de navegação e meus equipamentos de moto", diz Metge.

Também com a experiência adquirida em solo tupiniquim, o norte-americano Ian Blythe estará presente na competição. O atual campeão brasileiro de Enduro participa pela primeira vez do Dakar, através de uma parceria com a equipe americana Rally Panam e apoio da KTM do Brasil.

"Meu objetivo inicial é, claro, completar a prova. Entendemos as dificuldades de um evento desse porte, estamos indo com o suporte técnico da fábrica e acredito que se me mantiver regular durante a prova, posso almejar um top 10", comenta Blithe.

Sam Sunderland fora da prova

Sam Sunderland

Sam Sunderland corria contra o tempo para conseguir alinhar no Dakar 2016, mas precisou desistir. Em três edições da prova, o piloto inglês, uma das principais promessas da competição, completou apenas oito etapas, mas três delas com o melhor tempo, o que representa o seu grande potencial, só que não será desta vez que ele conseguirá provar que além de veloz pode ser consistente.

Recentemente, durante o Merzouga Rally, Sunderland sofreu uma queda, fraturando o fêmur. Sunderland mantinha esperanças de participar do Dakar, porém, há uma semana - após consulta com médicos especializados - o piloto anunciou a decisão de assistir a corrida de casa.

"Fiz tudo o que podia e só posso agradecer a todos que me ajudaram até aqui. O Dakar já é difícil o bastante quando você está 100% e minha perna ainda não chegou lá. Ainda é preciso mais um tempo para a recuperação completa. Minha motivação agora é o Campeonato Mundial em 2016 e o Dakar 2017", declarou.

Confira a programação do 38º Rally Dakar:

31/12 e 01/01: Verificações administrativas e técnicas

02/01: Largada promocional Buenos Aires (ARG) - Rosário (ARG)
Motos, Quadriciclos, Carros, Caminhões
Total: 346 Km - Trecho Cronometrado:  11 Km

03/01: Rosário (ARG) - Villa Carlos Paz (ARG)
Motos e Quadriciclos - Total: 632 Km - Trecho Cronometrado: 227 Km
Carros e Caminhões - Total: 662 Km - Trecho Cronometrado: 258 Km

04/01: Villa Carlos Paz (ARG) - Hondo Termas de Río (ARG)
Motos e Quadriciclos - Total: 786 Km - Trecho Cronometrado: 450 Km
Carros e Caminhões - Total: 858 Km - Trecho Cronometrado: 521 Km

05/01: Termas do Río Hondo (ARG) - Jujuy (ARG)
Motos e Quadriciclos - Total: 663 Km - Trecho Cronometrado: 314 Km
Carros e Caminhões - Total: 663 Km - Trecho Cronometrado: 314 Km

06/01: Jujuy (ARG) - Jujuy (ARG)
Motos, Quadriciclos e Carros - Total: 629 Km - Trecho Cronometrado: 429 Km
Caminhões - Total: 619 Km - Trecho Cronometrado: 418 Km

07/01: Jujuy (ARG) - Uyuni (BOL)
Motos e Quadriciclos - Total: 642 Km - Trecho Cronometrado: 327 Km
Carros e Caminhões - Total: 642 Km - Trecho Cronometrado: 327 Km

08/01: Uyuni (BOL) - Uyuni (BOL)
Motos, Quadriciclos e Carros - Total: 723 Km - Trecho Cronometrado: 572 Km
Caminhões - Total: 600 Km - Trecho Cronometrado: 295 Km

09/01: Uyuni (BOL) - Salta (ARG)
Motos e Quadriciclos - Total: 793 Km - Trecho Cronometrado: 353 Km
Carros e Caminhões - Total: 793 Km - Trecho Cronometrado: 353 Km

10/01: Dia de descanso em Salta (ARG)

11/01: Salta (ARG) - Belén (ARG)
Motos e Quadriciclos - Total: 766 Km - Trecho Cronometrado: 393 Km
Carros e Caminhões - Total: 766 Km - Trecho Cronometrado: 393 Km

12/01: Belén (ARG) - Belén (ARG)
Motos e Quadriciclos - Total: 436 Km - Trecho Cronometrado: 285 Km
Carros e Caminhões - Total: 396 Km - Trecho Cronometrado: 285 Km

13/01: Belén (ARG) - La Rioja (ARG)
Motos e Quadriciclos - Total: 561 Km - Trecho Cronometrado: 278 Km
Carros e Caminhões - Total: 763 Km - Trecho Cronometrado: 278 Km

14/01: La Rioja (ARG) - San Juan (ARG)
Motos e Quadriciclos - Total: 712 Km - Trecho Cronometrado: 431 Km
Carros e Caminhões - Total: 712 Km - Trecho Cronometrado: 431 Km

15/01: San Juan (ARG) - Villa Carlos Paz (ARG)
Motos, Quadriciclos e Carros - Total: 931 Km - Trecho Cronometrado: 481 Km
Caminhões - Total: 866 Km - Trecho Cronometrado: 267 Km

16/01: Villa Carlos Paz (ARG) - Rosário (ARG)
Motos e Quadriciclos - Total: 699 Km - Trecho Cronometrado: 180 Km
Carros e Caminhões - Total: 699 Km - Trecho Cronometrado: 180 Km








© 2000 - 2020 MotoX MX1 Internet