X Fechar
foto

X Fechar
foto
Clique e saiba mais
Clique e saiba mais
Clique e saiba mais
Clique e saiba mais
Clique e saiba mais
Clique e saiba mais

Edgers Racing

KTM Sacramento

Toro Sports

SP Race Park

JPS Racing

MotoX Pneus

Arenafama

Clique e saiba mais

> Competição > Motocross Mineiro

Copa Minas Gerais de Motocross - 5ª etapa - Santa Luzia - MG
Publicado em: 05/12/2014

Chuva marca o GP Mega Space, decisão da temporada
Redação MotoX.com.br - Texto e fotos: Luis Bueno


Largada da categoria MX2


Veja mais fotos na galeria de imagens do evento
O Mega Space, em Santa Luzia, voltou ao cenário das grandes competições do motocross nacional no último fim de semana com a disputa da quinta e última etapa da Copa Minas Gerais de Motocross. Um mega estrutura com arquibancadas cobertas, banheiros, praça de alimentação e uma grande área para o box foi preparada para o evento.

A previsão de chuva se confirmou já na sexta-feira que antecedeu o evento, e em grande quantidade, provocando mudanças no cronograma. Apesar do mau tempo, a expectativa para a definição dos campeões em dez categorias e a presença de pilotos de renome de todo o país, atraiu um público vibrante nos dois dias de prova. Na etapa anterior, as categorias MX Intermediária e MX Feminina decidiram os títulos antecipadamente, mas nas classes MX2 e MX1 a disputa apertada entre os três primeiros, todos com chances reais de faturar o campeonato, gerava ansiedade entre as equipes.


Dudu Lima - Campeão da MX2

Assim que a pista foi aberta no sábado, para os treinos cronometrados, ficou claro que o barro seria o grande inimigo dos pilotos. No domingo o dia começou até que tranquilo, com muito calor e a pista, após todo o castigo das provas do primeiro dia, estava firme. A chuva deu uma trégua e os treinos da manhã aconteceram normalmente.

A primeira bateria da MX2 deu início a briga pelo título e pela moto 0Km. Arthur Gas saiu na frente dos favoritos, mas nas primeiras voltas foi ao chão e Dudu Lima, que chegou como líder do campeonato, tratou de assumir o comando da prova imprimindo um ritmo muito forte, mesmo com a pista pesada. Ninguém conseguiu ameaçar Dudu e assegurando a vitória ele ficou ainda mais próximo do título. Fábio Santos e Hector Assunção duelaram praticamente por toda a prova pela segunda posição. Hector, que recentemente conquistou o título brasileiro da categoria, levou a melhor e se manteve vivo na briga pelo troféu de campeão, enquanto Fabinho se manteve na terceira colocação. Leonardo Souza conquistou a quarta posição e Andrews Armstrong, outro piloto com chances de título, terminou na quinta.


Hector Assunção

Com a chuva de volta, a pista ficou totalmente diferente para a segunda bateria. Focado e bem preparado, Dudu não se incomodou, mostrou disposição para levar o campeonato e novamente não deu chances aos demais. Após boa largada, ele se manteve na frente de ponta a ponta e, com 100% de aproveitamento na etapa, sagrou-se campeão da categoria. "Cheguei nesta etapa muito focado e diposto a ficar com o título. A pista pela manhã até que estava boa, mas depois da chuva ficou muito difícil e na segunda bateria o foco era evitar cair para manter a posição, pois qualquer erro poderia custar o campeonato" destacou ao término da corrida.

A briga pelas demais posições teve grande alternância. Hector Assunção precisou batalhar muito para assegurar o segundo lugar no pódio e o vice-campeonato da temporada. Ismael Rojas cresceu na segunda bateria, ficou com a terceira colocação e na somatória das provas foi o quinto colocado. Leonardo Souza repetiu a quarta colocação e com isso conquistou um ótimo terceiro lugar no pódio da etapa. Fabinho Santos concluiu a bateria na quinta colocação e com a soma das provas acabou na quarta posição.


Pódio da MX1

Wellington Garcia e Jean Ramos foram os protagonistas na MX1. Na categoria principal o campeão levou para casa um carro 0Km, prêmio que Jean tratou de assegurar vencendo as duas baterias e faturando o título de 2014. Na primeira, Wellington largou e assumiu a liderança, mas perto da metade da bateria deixou a frente da moto escapar em uma curva e foi ao chão. Jean, que estava logo atrás, conseguiu desviar e depois abriu larga vantagem até a vitória. O sul-africano Michael Docherty ficou com o terceiro lugar seguido de perto por Ratinho Lima e Humberto Martin.

Na segunda bateria Wellington voltou a largar bem e puxou a fila. A pista estava muito pesada, com bastante barro, exigindo um cuidado extra dos pilotos, mas Jean parecia não se importar com as condições e logo nas primeiras voltas já conseguiu passar para a primeira posição. O ritmo era tão bom que a sua segunda vitória no dia não seria ameaçada. Wellington, que havia ficado para trás, pensava diferente e voltou com força quando restavam poucas voltas. Ele chegou a encostar no ponteiro, mas não o suficiente para atacar e manteve na segunda colocação. Ratinho Lima inverteu a posição com Michael Docherty e desta vez terminou na terceira posição. A quinta colocação ficou novamente com Humberto Martin.


Jean Ramos

Na soma dos pontos o grande vencedor e campeão da temporada foi Jean Ramos. "Quando chove eu sempre me sobressaio um pouco. Eu sou de Curitiba (PR) e lá sempre chove, então quando chove eu sempre fico um pouco mais tranquilo do que os outros pilotos e hoje graças a Deus deu tudo certo", declarou Jean. O segundo degrau do pódio ficou com Welington Garcia, o terceiro com Ratinho Lima e o quarto com Michael Docherty. Humberto Martin, quinto na etapa, foi vice-campeão da temporada.

A Super Final Scud marcou o terceiro duelo entre Wellington e Jean. Desta vez, após fazer o terceiro holeshot do dia demonstrando que fez boas escolhas da posição no gate, Wellington liderou toda a prova, mesmo sendo muito pressionado por Jean que caiu quando faltavam poucos metros para a bandeirada, mas ainda completou em segundo. A disputa entre os demais foi intensa, até Hector Assunção garantir a terceira colocação seguido de perto por Dudu e Ratinho Lima, quarto e quinto colocados respectivamente.


Wellington Garcia

"Foi uma prova muito dura e difícil esta Super Final, por causa das condições da pista que não eram as melhores. Ano passado fui o campeão da temporada e este ano fico muito contente de (o título) ter ficado com o Jean, sem desmerecer nenhum outro piloto, mas pela dedicação dele durante este ano. Gostaria de agradecer ao Cassinho (promotor do evento) pela seriedade que conduziu a Copa Minas Gerais. Realizar as etapas da forma que ele fez, sempre pensando nos pilotos e no público, não é para qualquer um não, parabéns pelo trabalho, espero que em 2015 a Copa Minas venha com mais força ainda", salientou Wellington.


Joaquim Neto

Na categoria 65cc o percurso pesado dificultou a vida dos pequenos pilotos, que em muitos momentos tiveram que contar com a ajuda dos fiscais de pista para continuar na prova. Carlos Eduardo Dadalzinho largou bem e manteve a liderança até o meio da corrida, quando foi ultrapassado por Joaquim Neto que além de vencer a prova levou o campeonato. Rafael Ribeiro chegou na terceira posição e foi vice-campeão. João Pedro Raimundo e Rodolfo Bicalho completaram o pódio.


Stefany Serrão

As mulheres da MXF costumam correr no sábado, mas desta vez a disputa entre elas ficou para o domingo e as dificuldade do circuito não foi capazes de intimidá-las. Sem dúvida todas que participaram na prova foram vencedoras. Logo na largada a supresa: as favoritas Stefany Serrão e Mariana Balbi ficaram enroscadas no gate. Stefany, que já havia conquistado o título por antecipação, ainda se saiu melhor e logo assumiu o primeiro lugar da prova. Mariana demorou mais para largar e teve que buscar várias posições até alcançar e ultrapassar a líder. Só que após algumas voltas, Mari cometeu um erro e foi ao chão deixando a liderança da prova com Stefany que cruzou a linha de chegada em primeiro. Mariana, mesmo com o erro, terminou na segunda posição e com o vice-campeonato, seguida das irmãs Marcelly e Laís Cazadini, terceira e quarta colocadas. Ana Paula de Souza completou o pódio.


Mariana Balbi

A categoria MX3 largou em seguida. Mariana Balbi e Marcelly Cazadini mal terminaram a prova anterior e já estavam alinhadas novamente. Impondo um forte ritmo, Mariana não deu chances aos marmanjos que tentaram acompanhar e venceu a prova de ponta a ponta levantando o público. "É muito bom correr e receber o carinho do público aqui de Minas que sempre me apoiou e torceu por mim. É algo que não tem muito como explicar, passar em cada obstáculo e ouvir a galera gritando e vibrando. Isso é muito bom", comentou a campeã da MX3. Vinícius Rachid foi constante durante a prova e terminou na segunda colocação. Após muita dificuldade e trocas de posições André Stocovich recebeu a bandeirada na terceira colocação seguido por Marcelly Cazadini na quarta colocação e Tiago Bueno na quinta posição.


Leonardo Almeida

A 85cc foi a última categoria a conhecer seu campeão. Leonardo Cassaroti assumiu a ponta em uma prova marcada por várias quedas. Renato Paz, o Muguinho, pressionava o líder quando ele foi ao chão, mas logo depois errou e devolveu a posição para Cassaroti. A indefinição seguiu até a última volta que teve três líderes diferentes! Leonardo Almeida teve mais sorte e venceu ultrapassando Cassaroti, que ficou com a terceira posição, pois ainda perdeu o segundo lugar para Muguinho quando faltavam apenas algumas curvas para a bandeirada. Renan Goto e Yuri Campelo terminaram em quarto e quinto. Carlos Evangelista, que também caiu, terminou em sétimo lugar, mesmo assim manteve a liderança da categoria sagrando-se campeão "Estou vindo de uma cirurgia no pulso, ainda me recuperando e procurei fazer uma corrida mais com a cabeça. Cai uma vez e fiquei assustado, procurei apenas terminar a prova e somar pontos para depois ver qual seria a classificação final. Deu certo, estou muito contente com este título", explicou o campeão.


Diogo Moreira

No sábado, a 50cc foi a primeira corrida da decisão. O campeão da prova e do campeonato não foi surpresa para ninguém: o paulista Diogo Moreira venceu quatro das cinco etapas e confirmou seu favoritismo. João Vitor Valadares largou bem mas teve problemas logo nas primeiras voltas e teve que abandonar a disputa. Henrique Hemicka perseguiu o líder durante toda a bateria e terminou na segunda colocação. Rodolfo Bicalho e Bruno Ferreira, que ficou com o vice-campeonato, trocaram de posições no decorrer da prova terminando na terceira e quarta posições. Gustavo Abrahão foi o quinto colocado.


Yuri Moreira

O mineiro Yuri Moreira, mais uma vez, realizou uma prova impecável na MX4 terminando o campeonato invicto com a excepcional marca de cinco vitórias. Mas a conquista não foi fácil pois Dário Junior ditou o ritmo do início da bateria, até cometer um erro sendo superado por Yuri. Faltando pouco mais da metade da prova, Dário recebeu a pressão de Alessandri Dias, o Lê, que não demorou para conquistar a segunda colocação. Gilson Alves que tentou por várias vezes superar Dário, depois administrou a quarta posição. Guto Lima começou bem a prova, mas depois cometeu alguns erros e perdeu posições terminando na quinta colocação da etapa, resultado que lhe deu o vice-campeonato.


Vítor Almeida

A chuva começou a castigar a pista e interrompeu temporariamente a programação antes da categoria Intermediária. O gate lotado e a nova condição da pista, dificultaram as ultrapassagens, além de aumentar o número de quedas. A prova favoreceu os pilotos que andam melhor na lama. A categoria tinhaa tudo para ser muito disputada, mas a dificuldade da pista fez com que os pilotos não arriscasem tanto. Danilo Veltroni fez ótima largada. mas abandonou com problemas. Túlio Pedrosa assumiu a liderança logo no início recebendo a pressão do já campeão Gustavo Beazim. Vítor Almeida aproveitou a briga dos dois para se aproximar e conseguiu a liderança da bateria. Túlio terminou na segunda colocação. Diogo Malheiro conquistou duas posições e terminou em terceiro superando Beazim. Rodinaldo Lemos fez uma grande prova de recuperação saindo da décima quinta posição para terminar em quinto.


Arthur Gas

A categoria Nacional teve o título definido em Santa Luzia. Os nomes que figuravam na disputa para ser campeão, foram surpreendidos pelo paulista Arthur Gas, que desde a largada manteve a ponta e venceu a corrida. A briga pelo título, que estava entre Caio Lopes e Gabriel Montagner, prometia, mas Caio abandonar a prova após levar uma pedrada no olho. Gabriel cometeu alguns erros e ao receber a bandeirada na terceira colocação não sabia do abandono do adversário, por isso só comemorou o título ao receber a notícia no pit lane. O segundo colocado foi Ismael Rojas que saiu da décima terceira posição para receber a bandeira próximo ao líder. Bruno Vinícius também fez boa prova conquistando várias posições até terminar em quarto. Jeová Sarmenio foi o piloto que mais teve que trabalhar na corrida pulando das últimas colocações para o quinto lugar no pódio.


Leonardo de Souza

Na MX Júnior, o paulista Fábio Santos precisava apenas de um ponto para ficar com o bicampeonato da categoria e procurou fazer uma corrida conservadora terminando na quarta posição. A disputa do primeiro lugar ficou entre Enzo Lopes e Leonardo de Souza. Enzo largou bem e assumiu a liderança mantendo a ponta até a penúltima volta, quando caiu e foi ultrapassado por Leonardo que vinha logo atrás. Wilgner Francisco subiu ao pódio na terceira posição e Vitor Almeida na quinta. Gabriel Tomatinho estava na briga pelo título, mas não passou da nona posição e ficou com o vice-campeonato.

Cássio Marques, organizador do campeonato, tinha a sensação de dever cumprido ao final do evento. "Esta foi uma etapa de superação, de muitas dificuldades. Chegaram a soltar um boato de que a Copa Minas Gerais não teria final, mas temos responsabilidade e compromisso, fomos atrás de apoio e conseguimos. Temos muito a agradecer a pilotos, patrocinadores, imprensa e ao público que sempre acreditou e apoiou a Copa Minas. Infelizmente o tempo não colaborou e a festa não foi bem como queríamos, mas fizemos o possível para manter a pista em condições de corrida e graças a Deus tudo saiu bem. O calendário para 2015 já está pronto e claro que alguns detalhes terão que ser ajustados, mas a Copa Minas vem com mais força ainda, mostrando que realmente somos a nova era do motocross", ressaltou.


Dudu Lima, campeão da MX2, com o promotor Cássio Marques


O GP Santa Luzia contou com o patrocínio da X11, Scud, Ampla Yamaha e Epa, co-patrocínio ASW, Edgers Racing a Arcata, apoio Mega Space, TV Globo Minas, 98fm, jornais O Tempo e Super Notícia, supervisão da Federação de Motociclismo do Estado de Minas Gerais e organização do Moto Clube Cassios Racing.

Vídeo:



- Clique aqui para ver os vídeos de todas as categorias

Resultados da etapa final:

Primeira bateria MX2
1. Eduardo Lima
2. Hector De Freitas Assunção
3. Fabio Aparecido Santos
4. Leonardo De Souza
5. Endrews Armistrong
6. Ismael Rojas
7. Enzo Lazaro Lopes
8. Wilgner Francisco
9. Victor Martins
10. Vinicius Abreu

Segunda bateria MX2
1. Eduardo Lima
2. Hector De Freitas Assunção
3. Ismael Rojas
4. Leonardo De Souza
5. Fábio Aparecido Santos
6. Endrews Armistrong
7. Wilgner Francisco
8. Victor Martins
9. Enzo Lazaro Lopes
10. Arthur Gas

Soma das baterias MX2
1. Eduardo Lima
2 . Hector De Freitas Assunção
3. Leonardo De Souza
4. Fábio Aparecido Santos
5. Ismael Rojas
6. Endrews Armistrong
7. Wilgner Francisco
8. Enzo Lazaro Lopes
9. Victor Martins
10. Vinicius Abreu

Primeira bateria MX1
1. Jean Carlo Ramos
2. Wellington Garcia
3. Michael Dochert
4. Marcelo Lima
5. Humberto Martin
6. Marcos Antônio
7. Daniel Da Silva
8. Richard Bruno
9. Tiago Bueno
10. Elpidio Francisco

Segunda bateria MX1
1. Jean Carlo Ramos
2. Wellington Garcia
3. Marcelo Lima
4. Michael Dochert
5. Humberto Martin
6. Marcos Antônio
7. Daniel Da Silva

Soma das baterias MX1
1. Jean Carlo Ramo
2. Wellington Garcia
3. Marcelo Lima
4. Michael Dochert
5. Humberto Martin
6. Marcos Antônio
7. Daniel Da Silva
8. Richard Bruno
9. Tiago Bueno

Super Final Scud
1. Wellington Garcia
2. Jean Ramos
3. Hector Assuncão
4. Eduardo Lima
5. Marcelo Lima
6. Humberto Martin
7. Endrews Armistrong
8. Leonardo De Souza
9. Michael Dochert
10. Wilgner Francisco

65cc
1. Joaquim Neto
2. Carlos Eduardo
3. Rafael Ribeiro
4. João Pedro
5. Rodolfo Bicalho
6. Diogo Moreira
7. Luiz Felipe Ferreira
8. João Vitor Alves
9. Matheus Souza
10. Henrique Henick

50cc
1. Diogo Moreira Nascimento
2. Henrique Hemicka
3. Rodolfo Bicalho
4. Bruno Ferreira Martins
5. Gustavo Abrahão
6. Gustavo Duarte Grázzia
7. Thais De Castro Nascimento
8. Guilherme Duarte Monteiro
9. Samuel Baptista De Oliveira
10. João Vitor Valadares

85cc
1. Leonardo De Almeida
2. Renato Paz (Muguinho)
3. Leonardo Zequinão Cassarotti
4. Renan Goto Dos Santos
5. Yuri Campelo
6. Gabriel Germano Canella
7. Carlos Tavares Evangelista
8. Iuri Beltrão Naves
9. Joaquim Neto
10 19 Joao Candia Coutinho

Intermediária
1. Vitor Igor De Almeida
2. Tulio Lourenço Pedrosa
3. Diogo Somenzari Malheiros
4. Gustavo Beazim
5. Rodinaldo Lemos Mateus
6. Darso Salesio Loch
7. Paulo Guilherme Costa
8. Thiago Farias
9. Henrique De Castro Alvez
10. Gustavo Henrique Marcoli

MX Júnior
1. Leonardo De Souza
2. Enzo Lopes
3. Wilgner Francisco
4. Fabio Aparecido Do Santos
5. Victor Martins Almeida
6. Vinícius Abreu De Sá
7. Eric Henrique Bispo
8. João Otávio Coutinho
9. Gabriel Lucas Soares
10. Gustavo Leão Vieira Lana

MX3
1. Mariana Balbi
2. Vinícius Rachid
3. André Stocovich
4. Marcely Cazadini
5. Tiago Bueno
6. Kenner Santos
7. Alexandre De Farias
8. Maury Jorge
9. Rafael Gomes
10. Henrique Santos

MXF
1. Stefany Serrão
2. Mariana Napoles Balbi
3. Marcely Lobato Cazadini
4. Lays Lobato Cazadini
5. Ana Paula De Souza Barbosa
6. Larissa Dalló Laira
7. Sueli De Fatima Ribeiro
8. Déborah Luiza Vilela
9. Ana Luíza Almeida Vieira
10. Anna Karolina Azevedo

Nacional
1. Arthur Gas
2. Ismael Rojas
3. Gabriel Montagner Silva
4. Bruno Vinicius Barbosa
5. Rodinaldo Lemos Mateus
6. Jeová Sarmenio Gonçalves
7. Windemberg Carvalho Silva
8. Warley Diego Dos Santos
9. Gabriel De Souza Vieira
10. Ivan Walter Dos Santos


Ranking - Classificação final após cinco etapas:

MX1
1. Jean Ramos
2. Humberto Martin
3. Marcello Lima
4. Wellington Garcia
5. Carlos Campano
6. Rafael Faria
7. Jorge Balbi
8. Julien Bill
9.gabriel Montagner
10. Andre Bueno

MX2
1. Eduardo Lima
2. Hector De Freitas Assunção
3. Endrews Armistrong
4. Fábio Aparecido Dos Santos
5. Caio Lopes
6. Edmundo Pires
7. Paulo Alberto
8. Gabriel Lucas Soares
9. Paulo Alberto Coutinho
10. Anderson Amaral

MX3
1. Mariana Napoles Balbi
2. André Stocovich
3. Stefany Serrão
4. Rodrigo Senem
5. Ilberson Vieira
6. Alexsandro Vieira
7. Yuri Moreira
8. Geraldo Almeida
9. Maury Jorge
10. Valdinei Marcolin

MX4
1. Yuri Moreira
2. Guto Lima
3. Valdinei Marcolin
4. Dário De Oliveira Junior
5. Rodrigo Chulipa
6. Eudes Martins Lima
7. Claudio Fabiano
8. Andre Benatti
9. Alessandre Pereira Dias
10. Geraldo Almeida

MXF
1. Stefany Serrao
2. Mariana Napoles Balbi
3. Ana Paula Barbosa
4. Marcely Lobato Cazadini
5. Larissa Dallo
6. Lays Cazadini
7. Deborah Vilela
8. Sueli De Fatima
9. Luana Abreu
10. Iris

50cc
1. Diogo Nascimento
2. Bruno Ferreira
3. Rodolfo Bicalho
4. Gustavo Abrahão
5. Gustavo Grazzia
6. Leandro Pereira
7. Guilherme Lima
8. Joao Vitor
9. Gustavo Lelis
10. Joao Felix

65cc
1. Joaquim Neto
2. Rafael Ribeiro
3. Diogo Moreira Nascimento
4. João Pedro
5. Carlos Eduardo
6. Rodolfo Bicalho
7. Luiz Felipe
8. Mateus Silva
9. Gabriel Panzera
10. Bruno Ferreira

85cc
1. Carlos Tavares Evangelista
2. Yuri Campelo
3. Gabriel Canella
4. Frederico Spagnol
5. Leonardo De Almeida
6. Vinicius Abreu
7. Djalma Brito
8. Iuri Beltrao
9. João Henrique
10. Mateus Fonteboa

Intermediária
1. Gustavo Beazim
2. Tulio Lourenço
3. Renato Hermann
4. Gustavo Henrique
5. Otavio Chicaroni
6. Tallens Cappelle
7. Diego Gabriel
8. Paulo Guilherme
9. Alexandre Valada
10. Lucas Marçal

MX Júnior
1. Fabio Aparecido Santos
2. Gabriel Lucas Soares
3. Ricardo Jurça
4. Enzo Lopes
5. Wilgner Francisco
6. Eric Henrique
7. Joao Marcos
8. Leandro Davids
9. Bruno Vieira
10. Victor Martins

Nacional
1. Gabriel Montagner
2. Caio Lopes
3. Bruno Vinicius
4. Richard Bruno
5. Renato Hermann
6. Nilson Moreira
7. Gabriel De Souza
8. Windemberg Carvalho
9. Fernando Alberto
10. Warley Diego






© 2000 - 2018 MotoX MX1 Internet