X Fechar
foto

X Fechar
foto
Clique e saiba mais
Clique e saiba mais
Clique e saiba mais
Clique e saiba mais
Clique e saiba mais
Clique e saiba mais

Edgers Racing

KTM Sacramento

Toro Sports

SP Race Park

JPS Racing

MotoX Pneus

Arenafama

Clique e saiba mais

> Competição > Motocross Mineiro

Copa Minas Gerais de Motocross - 1ª etapa - Sarzedo - MG
Publicado em: 21/03/2014

Carlos Campano (MX1) e Paulo Alberto (MX2) vencem na abertura do campeonato 
Redação MotoX.com.br - Texto e fotos: Luis Bueno


Largada da categoria Especial


Veja mais fotos da prova na galeria de imagens do evento
Sarzedo (MG), na região metropolitana de Belo Horizonte, foi palco, no último sábado e domingo, da tão esperada abertura da Copa Minas Gerais de Motocross. Após o sucesso da temporada 2013, o campeonato chega com algumas modificações no regulamento este ano, tornando-o mais competitivo nas categorias principais que terão um incentivo extra. O campeão da MX1 será premiado com um carro 0Km e o da MX2 com uma moto 0Km. A premiação por etapa foi mantida e é uma das maiores em competições da modalidade no Brasil. Os atrativos foram suficientes para atrair os principais pilotos em atividade no País.

Nas categorias MX1 e MX2, a organização seguiu o mesmo formato do campeonato brasileiro, em que os competidores somam pontos participando de duas baterias. Uma novidade interessante para este ano é categoria Especial, em que os dez melhores pilotos da MX1, junto com os dez melhores da MX2 e mais os oito melhores da Júnior se reúnem no gate de uma super final. A participação é opcional para cada competidor classificado.

Asssista aos vídeos com os melhores momentos da Copa Minas Gerais de MX


Paulo Alberto

No domingo pela manhã foram realizados os treinos cronometrados de quatro categorias que definiram as posições no gate de largada. A primeira bateria a alinhar para a disputa foi a MX2. Dudu Lima foi mais rápido e fechou a porta dos demais, assegurando a ponta na primeira curva. A definição das outras posições era confusa, devido ao alto nível e equilíbrio entre os competidores. O ritmo e a briga pela primeira colocação entre Dudu e Hector Assunção foi eletrizante durante a prova toda. Na última volta, Hector conseguiu ultrapassar Dudu, que deu o troco logo na sequência, mas faltando poucas curvas, Hector conseguiu escapar do concorrente, que cansado procurou se garantir na segunda colocação. O piloto português Paulo Alberto se manteve na terceira colocação. Na quarta posição chegou Anderson Amaral e Fábio Santos Moranguinho em quinto.


Hector Assunção

Na segunda bateria, Fábio Santos mudou a posição de largada e se deu bem, disparando na ponta, mas logo na primeira volta foi superado por Dudu Lima e Paulo Alberto, que vinham num ritmo mais forte. Logo na terceira volta, Paulo Alberto conseguiu ultrapassar o líder, ampliando a vantagem até receber a bandeirada de vencedor da bateria. Dudu terminou na segunda colocação. Outro bom duelo pela terceira posição ocorreu entre Fabinho e Hector. Faltando três voltas para o final, Hector fez a ultrapassagem e garantiu o terceiro posto. Andrews Armstrong completou o grupo dos cinco mais rápidos na bateria.


Dudu Lima

Na somatória dos pontos, Paulo Alberto ficou com a primeira colocação. Hector Assunção foi o segundo. Dudu Lima conquistou o terceiro degrau do pódio seguido por Fábio Santos em quarto e Anderson Amaral em quinto.


Largada da categoria MX1

A disputa na MX1 foi marcada por algumas confusões nas duas baterias. Logo na largada da primeira, Jorge Balbi sofreu uma queda e ficou desnorteado por algum tempo, mas mesmo assim, voltou para a pista. Passadas algumas voltas, ele já estava recuperado e de volta à briga, porém, o caminho era longo. Na ponta, Julien Bill e Carlos Campano travaram um duelo particular. Passado pouco mais da metade da prova, Campano conseguiu ultrapassar Bill, deixando o suiço para trás, e com sua tocada característica, chegou à vitória. Rafael Faria se manteve na terceira posição. Jean Ramos, que em alguns trechos da pista se mostrava mais rápido que Wellington Garcia, quarto colocado, não conseguiu a ultrapassagem e terminou na quinta colocação, isso porque o goiano usou de toda a sua experiência para neutralizar os ataques que recebia.


Carlos Campano

A segunda bateria da MX1 repetiu a primeira e logo na primeira curva, vários pilotos de envolveram em um acidente, entre eles novamente Jorge Balbi, mas desta vez, o mineiro levantou rápido e seguiu buscando a recuperação. Porém, na volta seguinte, com problemas em sua moto foi obrigado a entrar no pit-lane. Ao retornar à pista, Balbi estava à frente dos líderes, Rafael Faria, que tinha largado muito bem, e Carlos Campano, que estava na pressão para assumir a ponta. No miolo da pista, Faria conseguiu ultrapassar Balbi, que até então era retardatário, mas algumas curvas depois os dois se envolveram em um acidente e uma confusão entre pilotos e suas equipes teve início. Campano, que estava um pouco mais atrás, conseguiu desviar e assumir a liderança para abrir larga vantagem sobre os demais, faturando a segunda bateria e a etapa. Jean Ramos conseguiu impor um ritmo muito bom, o que lhe garantiu a segunda posição. O piloto venezuelano Humberto Martin se recuperou do discreto resultado na bateria anterior e conquistou a terceira posição, com Welington Garcia em quarto. Já Julien Bill, que se envolveu na confusão da largada, conseguiu se recuperar até a quinta posição.


Jean Ramos

Somando as baterias, Campano garantiu o primeiro lugar, com Jean Ramos na segunda posição. Julien Bill ficou com a terceira colocação, Wellington Garcia com a quarta e Humberto Martin com a quinta.


Julien Bill

A direção de prova decidiu punir tanto Balbi como Faria por conduta antidesportiva por parte deles e de suas respectivas equipes. A punição resultou na desclassificação dos dois pilotos da segunda bateria, mas manteve os pontos conquistados na primeira.


Mariana Balbi

No intervalo entre a primeira e a segunda bateria das categorias MX2 e MX1, os pilotos da MX3 entraram na pista. A mineira Mariana Balbi confirmou seu favoritismo e, sem dar chances aos marmanjos, mostrando muita técnica, conquistou sua segunda vitória no evento (no dia anterior ela já havia triunfado na MXF). Após a bandeirada ela foi agradecer ao público pelo apoio durante a corrida. Geraldo Almeida só garantiu a segunda posição faltando três voltas para o término. Stefany Serrão, que perdeu muito tempo em um acidente com outro piloto no início da bateria, fez uma bela prova subindo da 16ª posição para a terceira. Marcelo de Brito foi o quarto colocado, com Alessandri Dias em quinto.


Yuri Campelo

A penúltima prova do dia, a 85cc, foi marcada por várias quedas e abandonos, devido a pneus furados. O piloto carioca Yuri Campelo foi imbatível. Após ótima largada, assumiu a ponta, manteve larga vantagem sobre os demais e, mesmo com um pneu furado, conseguiu o lugar mais alto do pódio. Djalminha Brito, um dos favoritos, tentava se recuperar, quando sofreu uma queda, e com problemas em sua moto abandonou a disputa. O outro favorito ao pódio, Renato Muguinho, também teve que abandonar a disputa por ter o pneu dianteiro de sua moto furado. Vinicius Abreu e Carlinhos Evangelista travaram um duelo muito grande, em que ambos se revezavam na segunda colocação, quando na última volta, Carlinhos assumiu em definitivo e ficou com a posição. O mineiro Vitor Luís subiu duas posições e terminou em quarto. Mesmo não tendo feito boa largada, Gabriel Canel conseguiu a quinta posição.


Pódio da categoria Especial

A categoria mais aguarda, sem dúvida era a Especial, em que o público que lotou as dependências do recinto pôde acompanhar os melhores pilotos da MX1, MX2 e Júnior juntos na pista. Porém, parte dos pilotos não pode participar, alguns devido ao desgaste físico das baterias anteriores e outros por lesões. Mesmo assim, o público foi ao delírio com o show que proporcionaram, encerrando a etapa com chave de ouro. Na largada, o português Paulo Alberto surpreendeu a todos, assumindo a ponta para liderar e vencer, sendo o destaque da etapa. Humberto Martin, perseguiu o português, mas teve que se contentar com a segunda posição. Na última volta Carlos Campano assegurou a terceira colocação ao superar Julien Bill, que terminou em quarto. Wellington Garcia foi aom pódio mais uma vez com a quinta colocação na prova.


Gustavo Beazim

No sábado pilotos de sete das 12 categorias do campeonato se enfrentaram na pista. A primeira largada foi a da Intermediária, que estava com todas as posições do gate lotadas, o que ocorreu na maior parte das categorias. Gustavo Beazim, que pela manhã conquistou o melhor tempo, largou muito bem e puxou o pelotão. Volta a volta ele abriu vantagem sobre os demais, administrou o cansaço nos últimos giros e conquistou a vitória na etapa. Logo atrás, a disputa rendeu várias trocas de posições. Renato Hermann, que não largou bem, abriu caminho durante a prova, ganhando cinco posições para terminar em segundo. Gustavo Marcolin fez boa prova e ficou com a terceira colocação, seguido por Túlio Loureiro em quarto. Arthur Lima alcançou a quinta posição após muito trabalho e seis ultrapassagens.


Yuri Moreira

Três pilotos se revezaram na liderança da MX4 até ela ficar em definitivo com Yuri Moreira, faltando algumas voltas para o final. A categoria foi bastante concorrida em todas as posições. Alessandri Dias, o Lê, subiu várias posições na classificação e terminou em segundo. Geraldo Almeida, que chegou a liderar a prova durante algumas voltas, chegou logo atrás, seguido por Guto Lima. Dario Junior, que foi o mais rápido na largada e liderou a corrida nas primeiras voltas, não manteve o mesmo rendimento, mas completou o pódio com a quinta colocação.


Marcelo Leodorico

Entre as categorias de base, a primeira a encarar os mais de 1200 metros da pista foi a 50cc. A prova mostrou muito equilíbrio entre a garotada em uma corrida sem muitas ultrapassagens dentro da pista, mas muita correria fora dela, entre pais e membros das equipes para passar instruções e dar incentivo aos pilotinhos. Marcelo Leodorico foi absoluto, assumindo a liderança desde a queda do gate e, apesar da pouca idade, soube suportar a pressão do segundo colocado, o paulista Diogo Moreira, que por diversas vezes tentou assumir a liderança, mas sem êxito. Rodolfo Bicalho ficou com a terceira colocação, seguido por Bruno Ferreira e Gustavo Abrahão, na quarta e quinta posições.
 

Pódio da categoria MXF

Com todo o charme, as meninas da MXF alinharam no gate. Os treinos cronometrados, realizados pela manhã, deixou claro o que todos já sabiam: a disputa entre Stefany Serrão e Mariana Balbi pelo lugar mais alto do pódio não seria fácil. Mariana, que é considerada a melhor piloto na categoria, fez jus ao título e com uma largada rápida e segura pulou para a ponta. Stefany, que era a sombra de Mariana, impôs mais pressão para tentar a ultrapassagem, mas cometeu um erro que lhe custou a posição para Luana Abreu, que estava logo atrás. Stefany perdeu tempo, enquanto Mariana aumentava a diferença para a segunda colocada. Experiente, a mineira controlou a vantagem e venceu. Após algumas voltas, Stefany reassumiu a segunda colocação, mas a diferença para a líder era grande e, mesmo esboçando uma reação, ela não conseguiu alcançá-la. Luana Abreu terminou em terceiro. Larissa Laira subiu uma colocação, e ficou em quarto, e Ana Paula de Souza, que começou na oitava posição, cresceu até o quinto posto.


Caio Lopes

Os pilotos da MX Nacional lotaram o gate para uma disputa muito equilibrada, visto que as motos não dispõem de tanta tecnologia quanto as importadas, prevalecendo a técnica na pista. Gabriel Montagner largou na frente, mas foi superado por Caio Lopes logo na segunda volta e os dois travaram um bom duelo pela vitória. Após a metade da prova, Caio conseguiu abrir vantagem sobre Gabriel, garantindo o primeiro lugar. Gabriel viu sua segunda posição ser ameaçada por Bruno Vinicius, que diminuiu a diferença nas últimas voltas, mas as posições não foram alteradas. Richard Rezende, após conquistar duas ultrapassagens, terminou na quinta colocação.


Fábio Santos 'Moranguinho'

A categoria MX Júnior, formada por pilotos com idade entre 15 e 17 anos e motos até 250cc, é um incentivo para competidores que estão saindo da 85cc/150cc e serve para uma maior adaptação para as motos de cilindrada superior. O atual campeão na categoria, Fábio Santos 'Moranguinho', para este ano conta com um adversário muito duro: Gabriel Lucas 'Tomatinho'. O duelo entre os dois levantou o público. Tomatinho foi bem na largada e assumiu a ponta, mas Fabinho o acompanhava de perto. Os dois estavam em um ritmo muito forte e não demorou para abrirem larga vantagem dos demais, começando um duelo à parte. Ao completarem a quinta volta, Tomatinho errou na entrada da reta de largada, indo ao chão e como o concorrente estava muito encostado, não teve tempo de desviar, batendo nas costas do ponteiro. Tomatinho ficou preso entre as motos, o que permitiu a Fabinho retornar à pista como líder. Ricardo Jurça, que ocupava a terceira colocação, viu a diferença para os líderes diminuir, conseguindo a ultrapassagem e terminando na segunda colocação. Tomatinho, com problemas no equipamento, ficou na quarta posição. Fabinho administrou a vantagem na última volta, assegurando a vitória. Bruno Vieira terminou na terceira colocação e Guilherme de Lima foi o quinto.


Rafael Araújo 'Bubinha'


Apresentação da equipe Turinhos de Freestyle
O encerramento do primeiro dia de competições ficou por conta da garotada da 65cc. Nessa bateria, a torcida era toda para o piloto local Joaquim Neto, que levantava a galera a cada volta. Rafael Araújo 'Bubinha' largou bem, mas Joaquim Neto seguia logo atrás, o que empolgou ainda mais o público. Bubinha conseguiu abrir um pouco do segundo colocado, conquistando a vitória, e Joaquim recebeu a bandeirada logo em seguida, na segunda posição. João Henrique Pinto terminou em terceiro. Carlos Eduardo Dadal ficou enroscado na largada e fez uma bela corrida de recuperação, terminando como quarto colocado. Matheus Hashimoto fechou o pódio na quinta posição.

De acordo com a organização, cerca de 40 mil pessoas passaram pelo evento nos dois dias de competições, superando as expectativas. O público foi contemplado com brindes distribuídos durante o evento e, após as competições, assistiu a apresentação da equipe Turinhos de Freestyle, com manobras radicais de tirar o fôlego. Os espectadores que realizaram a troca de um quilo de alimento não perecível por um cupom também concorreram ao sorteio de uma moto.

A copa, liderada e idealizada por Cássio Antonio Marques, o Cassinho, contou com o total apoio da prefeitura local, o que permitiu a realização de modificações no traçado e a preparação de uma grande infraestrutura. O evento contou com amplas arquibancadas, área VIP, sala de imprensa e praça de alimentação, além da área de box, que recebeu uma atenção especial para atender satisfatoriamente as equipes e pilotos.


Segunda etapa do campeonato será em Itabirito (MG)

A próxima etapa já tem data e local marcados e será na cidade de Ibirité, nos dias 3 e 4 de maio.

O GP cidade de Sarzedo tem o patrocínio de X11, ASW e SCUD. Apoio Prefeitura e Câmara Municipal de Sarzedo, TV Globo Minas, jornais O Tempo e Super Notícia. Supervisão da Federação de Motociclismo do Estado de Minas Gerais e organização do Moto Clube Cassios Racing.

Resultados

Resultados

Especial
1. Nº 211 - Paulo Alberto
2. Nº 101 - Humberto Martin
3. Nº 115 - Carlos Campano
4. Nº 902 - Julien Bill
5. Nº 21 - Wellington Garcia

MX1 (Soma das baterias)
1. Nº 115 - Carlos Campano
2. Nº 18 - Jean Ramos
3. Nº 902 - Julien Bill
4. Nº 21 - Wellington Garcia
5. Nº 101 - Humberto Martin

MX2 (Soma das baterias)
1. Nº 211 - Paulo Alberto
2. Nº 30 - Hector Assunção
3. Nº 2 - Eduardo Lima
4. Nº 987 - Fábio dos Santos
5. Nº 83 - Anderson Amaral

MX3
1. Nº 81 - Mariana Balbi
2. Nº 85 - Geraldo Almeida
3. Nº 29 - Stefani Serrão
4. Nº 45 - Marcello José de Brito
5. Nº 98 - Alessandri Pereira

85cc
1. Nº 818 - Yuri Campello
2. Nº 14 - Carlos Tavares
3. Nº 143 - Vinicius Abreu
4. Nº 118 - Victor Luis
5. Nº 91 - Gabriel Germano

65cc
1. Nº99 - Rafael Araújo
2. Nº11 - Joaquim Neto
3. Nº210 - João Henrique Pinto
4. Nº77 - Carlos Eduardo Dadal
5. Nº148 - Matheus Hashimoto

50cc
1. Nº44 - Marcelo Leodorico
2. Nº2 - Diogo Moreira
3. Nº38 - Rodolfo Bicalho
4. Nº34 - Bruno Ferreira
5. Nº22 - Gustavo Abrahão

Junior
1. Nº987 - Fábio dos Santos
2. Nº919 - Ricardo Jurça
3. Nº356 - Bruno Vieira Pinheiro
4. Nº119 - Gabriel Lucas Soares
5. Nº916 - Guilherme de Lima

MX4
1. Nº40 - Yuri Moreira
2. Nº98 - Alessandri Dias
3. Nº85 - Geraldo Almeida
4. Nº11 - Antônio Augusto
5. Nº15 - Dario de Oliveira

MXF
1. Nº81 - Mariana Balbi
2. Nº29 - Stefany Serrão
3. Nº958 - Luana Abreu
4. Nº22 - Larissa Dallo
5. Nº404 - Ana Paula de Souza

Intermediária
1. Nº377 - Gustavo Beazim
2. Nº33 - Renato Hermann
3. Nº10 - Gustavo Henrique
4. Nº105 - Túlio Lourenço
5. Nº269 - Arthur Lima

Nacional
1. Nº134 - Caio Lopes Fernandes
2. Nº303 - Gabriel Montagner
3. Nº629 - Bruno Vinicius Barbosa
4. Nº96 - Felipe Arantes Oliveira
5. Nº97 - Richard Bruno Rezende






© 2000 - 2018 MotoX MX1 Internet