X Fechar
foto
Salvar nos Favoritos

X Fechar
foto
Clique e saiba mais
Clique e saiba mais
Clique e saiba mais
Clique e saiba mais
Clique e saiba mais
Clique e saiba mais
Clique e saiba mais

América Sports

Capacete Companhia

Edgers Racing

KTM Sacramento

Toro Sports

Pro Tech

JPS Racing

MotoX Pneus

JP Motos

Clique e saiba mais

> Entrevistas > Entrevistas

Felipe Zanol
Publicado em: 13/02/2014

Multicampeão encara nova fase no comando de sua própria equipe de enduro
Redação MotoX.com.br - Malu Souza - Fotos: APPhotoSports e Ricardo Ribeiro/Vipcomm - Rodrigo Borella e Rodolfo Bazzeto/PubliX (Arquivo)


Felipe Zanol começa nova fase fora das pistas, no comandando da própria equipe de enduro

Felipe Zanol é um ícone do off-road dentro e fora do Brasil. O mineiro é um dos pilotos que mais conquistou títulos nacionais e pelo Mundo afora. Depois de uma carreira sólida pilotando, ele agora tem uma nova missão. Será chefe de uma equipe satélite e consultor de enduro e rali da Honda, desafio que está encarando com muita satisfação. O momento representa uma nova fase para o talentoso piloto, que teve de encerrar a carreira mais cedo, após um acidente durante a preparação para o Rally Dakar no fim de 2012. Ele encara como uma prova de confiança de parceiros e patrocinadores, que fizeram questão de deixá-lo bem próximo das trilhas e acreditam que ele seja capaz de formar novo campeões. Aos 32 anos, Zanol volta ao dia a dia das competições de enduro, o que significa também um retorno às origens, pois foi na modalidade que ele construiu uma sólida carreira e obteve as suas maiores conquistas. Confira a seguir um rápido bate-papo com ele sobre a nova fase.

O que representa para você, depois de tantos anos de carreira, ser contratado como chefe de uma equipe satélite da Honda?
Representa muito, acho que todos os atletas se preocupam com o pós-carreira. Isso para mim aconteceu mais cedo, devido ao acidente que sofri, mas me sinto contente de receber o apoio dos patrocinadores e de conseguir tocar minha vida nas motos novamente. Sou muito grato a eles.


"Com a experiência que tive no mundo das motos posso contribuir de várias maneiras, ajudando a formar campeões".


"Sinceramente, acho que perdemos referências na modalidade. Espero conseguir trazer mais destaque e disputas com novos atletas".
O que você acha que sua experiência pode agregar aos pilotos?
Com a experiência que tive no mundo das motos posso contribuir de várias maneiras, ajudando a formar campeões. Apoiarei na preparação física e psicológica, como treinar, como se preparar, como preparar as motos, quais campeonatos fazer, são pequenos detalhes que fazem a diferença para um atleta e equipe.

Como surgiu a proposta?
Eu já estava prestando outros tipos de serviço aos meus patrocinadores, ai surgiu o convite da Honda para montar uma equipe satélite e prestar consultoria a equipe Honda/Rally. Aceitei o desafio com muito ânimo.

Como será sua logística com a equipe? Já tem esse planejamento?
Já tenho tudo estruturado, pilotos e suporte para eles (os pilotos serão o português Luís Oliveira, de 21 anos, na categoria Enduro 1; Júlio Ferreira, 24, na Enduro 2 e Bruno Martins, 23, na categoria Nacional). Meu amigo Ricardo, que sempre me acompanhou, será o meu escudeiro. A ideia da equipe é trazer novos valores para a modalidade no Brasil.

Como você vê o Enduro no Brasil atualmente? Estão surgindo novos pilotos de talento?
Sinceramente, acho que perdemos referências na modalidade. Espero conseguir trazer mais destaque e disputas com novos atletas. Espero que tenhamos novos nomes e os nomes que já fazem parte do enduro brasileiro possam se destacar e evoluir ainda mais também.


Acidente mudou rumo da carreira do mineiro


O português Luís Oliveira, Júlio Ferreira e Bruno Martins são os pilotos da Zanol Team
Falta competitividade dentro do País?
Falta divulgação. Isso só irá aparecer com corridas sérias e bem organizadas, e com grande divulgação.

O que é importante para uma equipe na preparação para a temporada?
Treinos, testes, objetivo e foco. Acertar a moto e evoluir a parte física irão fazer a diferença.

Com a sua experiência internacional, pode comentar o que falta para a modalidade no Brasil?
Falta o que tentei ser minha carreira toda. Um atleta de destaque no país. Um exemplo é o Alexandre Barros. O que ele fez com a motovelocidade no Brasil. É o que eu tentava fazer com o enduro e o rali, mas fui afastado pelo meu acidente.

Como será seu trabalho como consultor no rali?
Será um trabalho em que espero poder ajudar toda equipe na preparação, tomada de decisões, escolhas e nos mínimos detalhes, pois acho que isso irá fazer a diferença nos resultados e nas conquistas.

Mais algum comentário?
Gostaria de aproveitar e agradecer a Honda, Rinaldi, ASW, Red Bull, Scud, MR Pro, Ingá, Motostreet e Edgers, por confiarem e acreditarem em mim.





Curso MotoX
JPS Racing

© 2000 - 2018 MotoX MX1 Internet