X Fechar
foto

X Fechar
foto
Clique e saiba mais
Clique e saiba mais
Clique e saiba mais
Clique e saiba mais
Clique e saiba mais
Clique e saiba mais

Edgers Racing

KTM Sacramento

Toro Sports

SP Race Park

JPS Racing

MotoX Pneus

Clique e saiba mais

> Entrevistas > Entrevistas

Alfredo Gomez
Publicado em: 29/10/2019

Lesões, motos dois tempos e bons resultados podem se misturar? Alfredo Gomez mostra que sim.
Redação MotoX.com.br - Fotos: Future7Media

Conforme se aproxima o GetzenRodeio, se aproxima também do final a temporada 2019 do World Enduro Super Series. O momento é para Alfredo Gomez focar nos resultados: atualmente, o piloto da Husqvarna é o quarto colocado no campeonato, mas almeja subir uma ou duas posições no ranking. 

Independente dos resultados, o espanhol está satisfeito com a caminhada até agora. Já superou uma lesão no joelho e retornou às competições antes do esperado, acumulando pódios e boas chegadas. Outro motivo de estar contente é a escolha pelas dois tempos, que segundo ele foi essencial para ajudar a focar nas provas. Confira a entrevista completa:


Alfredo Gomez se encontra nas provas mais tradicionais de Enduro, mas esse ano se destacou também nos eventos que são fora da sua zona de conforto

A temporada chega ao fim com o GetzenRodeo...você está preparado para colocar tudo em jogo nesta rodada final?
Alfredo Gomez: Estou bastante ansioso para o GetzenRodeo e para o que ele vai trazer. Vou para lá focado em brigar pela vitória. No último ano, disputei com o Manuel Lettenbichler, mas no final ele me pegou. Se tudo der certo, este ano será eu no topo do pódio.  


O que torna o GetzenRodeo tão especial?
Normalmente, é uma prova que acontece de dois em dois anos, o que a torna ainda mais difícil de vencer. Então, acontecer uma edição este ano por causa do WESS é um bônus, uma segunda chance para me sair melhor. O evento por si só é único. O bosque é surpreendentemente pequeno e os espectadores comparecem em grande número. Quando você está correndo, às vezes mal se escuta o motor da própria moto por conta da torcida. Com certeza, é um lugar mágico!

Com a experiência da última edição, qual é a chave para um bom resultado?
A corrida da manhã (classificatória) é provavelmente mais importante que a da tarde. Com apenas 20 vagas para a final, você tem que ralar para conseguir uma. O meu plano é terminar a corrida da manhã entre os cinco primeiros. Isso vai me ajudar a largar em uma boa posição para a final. A corrida principal tem mais seções de dificuldade alta, então o segredo é não cair. Você precisa tentar fazer as voltas mais limpas possíveis.


O piloto começou o ano com vitória no prólogo do Toyota Porto Extreme XL Lagares

Apesar de ser um piloto de Hard Enduro, propriamente falando, você conquistou bons resultados em enduros mais clássicos, rápidos. O que você aprendeu destas provas?
Eu curti as provas com especiais mais rápidas esse ano, mais recentemente o Enduro de Solsona! Vindo do Hard Enduro e do Trial, senti que aprendi bastante ao longo daquele fim de semana. No primeiro dia estava fora do ritmo, mas no segundo melhorei. É um jeito diferente de correr e exige muito foco nos trechos cronometrados. Claro, eu não terminei entre os primeiros, mas fiquei feliz com os resultados.

Com apenas uma etapa faltando, o que você destaca dessa temporada?
Tive muitos bons resultados esse ano. Terminar em segundo no Hixpania Hard Enduro foi especial, em casa. Mas claro, quase vencer o Romaniacs com certeza é o destaque. Todo o evento foi ótimo, estive sempre na briga pela primeira posição. Foi muito legal vencer o segundo dia e levar essa batalha até a decisão final. Infelizmente, a vitória não veio.


A ladeira final do Romaniacs foi um lugar de drama e muitas histórias, você ainda lembra desses momentos?
É difícil não pensar sobre essa ladeira. Acho que eu estava muito agitado. Devia ter tido mais calma e não apressado a situação, mas naquele momento estava lutando pela vitória e tentando salvar cada segundo que podia. Tenho certeza que se tentasse de novo, subiria de primeira. Mas nas provas é assim mesmo, às vezes você ganha, às vezes perde!


Aqui no vídeo é possível acompanhar os minutos finais da prova, quando Manuel Lettenbichler passa Alfredo Gomez na última ladeira do Romaniacs. 

Você escolheu correr toda a temporada com uma Husqvarna 300cc dois tempos, ao contrário de muitos que trocaram as dois tempos pelas quatro tempos. Por que?
Sempre me senti mais confortável com as 2t. É onde meu estilo se encaixa melhor. Estou feliz de ter mantido a escolha em todas as etapas. Antes da temporada começar, nós trabalhamos muito com a moto para achar um acerto bom para qualquer condição e valeu a pena. Mostrei que podia brigar contra as quatro tempos nas provas do Trefle Lozerien AMV, Hawkstone Park Cross-Country e BR2 Enduro Solsona. E no fim das contas, acredito que ficar com a mesma moto me ajudou a focar nas necessidades diferentes de cada prova, sem ter que ficar preocupado em me adaptar a outra moto também. 

Como estão as coisas com a lesão que você sofreu ano passado? Totalmente recuperado?
Embora eu não vá ter mais a mobilidade total do meu joelho, estou 100% recuperado. Quanto mais você segue no caminho da recuperação, menos você pensa dos primeiros dias após a lesão. Apesar da seriedade - quase perdi a perna - a recuperação foi melhor do que o esperado. Os médicos me disseram que eu não subiria na moto por pelo menos um ano, e cinco meses depois eu já estava correndo. Demorou quase um ano para me sentir seguro e mentalmente forte, mas este ano mostrei que estou de volta ao meu melhor e pronto para lutar por vitórias. 


Para terminar, depois de uma temporada forte e, claro, depois de superar tudo o que você passou, qual seria o significado de terminar o ano com pódio?
Depois de tudo que passei no último ano, terminar entre os três primeiros do campeonato seria um marco importante. É claro que quero vencer, é por isso que todos nós competimos, mas sinto que dei meu melhor esse ano. Sempre me desafiando pela vitórias nas provas em que me saio bem. Meu objetivo para o GetzenRodeo é vencer e fechar 2019 dentro do top 3 do campeonato.

O próximo desafio de Alfredo Gomez, o GetzenRodeo, será neste sábado (02) na Alemanha, onde ele vai enfrentar o rival Manuel Lettenbichler. 

Lista dos vencedores GetzenRodeo
2018 - Manuel Lettenbichler (GER)
2016 - Graham Jarvis (GB)
2014 - Graham Jarvis (GB)
2012 - Graham Jarvis (GB)
2011 - Marcus Kehr (GER)
2007 - Ralf Scheidhauer (GER)
2006 - Ralf Scheidhauer (GER)

Resultados GetzenRodeo 2018
1. Manuel Lettenbichler (KTM - GER)
2. Alfredo Gomez (Husqvarna - ESP)
3. Taddy Blazusiak (KTM - POL)






© 2000 - 2018 MotoX MX1 Internet