fechar
X Fechar
X Fechar

X Fechar
foto
Salvar nos Favoritos

X Fechar
foto
Clique e saiba mais
Clique e saiba mais
Clique e saiba mais
Clique e saiba mais
Clique e saiba mais
Clique e saiba mais
Clique e saiba mais

América Sports

Capacete Companhia

RM - Motocross Racing

Edgers Racing

RX Graphics

JPS Racing

Ohlins

DLua Racing

Toro Sports

> Entrevistas > Entrevistas

Livia Lancelot - Campeã Mundial WMX
Publicado em: 03/03/2017

Francesa atual campeã mundial de motocross diz estar pronta para defender o título em 2017
Redação MotoX.com.br - Fotos: Pascal Haudiquert e Divulgação


Livia Lancelot, atual campeã mundial de motocross


Francesa já está na Indonésia para a primeira etapa do WMX 2017
O Mundial de Motocross Feminino (WMX) começa neste fim de semana em Pangkal Pinang, Indonésia. Atual campeã, Livia Lancelot já está há alguns dias no país para se acostumar ao clima local e se preparar da melhor forma para a primeira corrida da temporada para as mulheres. A poucas horas do início da competição, a piloto do Team One One Four Kawasaki se diz pronta para defender o título em 2017. Confira neste bate papo como a francesa avalia o momento.

Livia estamos às vésperas do primeiro Grand Prix do ano, como você se sente?

Eu me sinto bem, eu tive um bom inverno e pude treinar em boas condições, fiz todos os testes necessários e, ao contrário do ano passado quando caí forte no último treino antes do primeiro GP, chego aqui fisicamente no topo. A piloto está pronta, a moto está pronta!

A Indonésia é um novo destino, como você se preparou?

Eu apreendi como em outros eventos, ao final das contas sabemos que o circuito não importa muito.Chegamos em um país diferente, que não conhecemos, um pouco diferente da Tailândia, mas com clima quente e úmido que temos que nos acostumar, embora neste momento chova muito aqui na Indonésia e não esteja muito quente. Se temos algo a temer é a chuva, por termos menos equipamento do que em um teste na Europa, com uma única motocicleta. É isso que pode estressar, se as condições meteorológicas forem realmente catastróficas pode virar uma loteria.

Você tem o título de campeã mundial, sofre mais pressão nesta corrida?

Não, porque eu acho que com o título conquistado no ano passado eu descarreguei toda a pressão. É verdade que foram vários anos correndo atrás do título, agora eu venho Zen para o primeiro GP. Sou campeã, treinei para ser mais uma vez campeã mundial, eu quero defender meu título, mas não sinto essa pressão.


Piloto já conquistou o título duas vezes, em 2008 e 2016

Há também um clube de quatro meninas este ano?

Definitivamente. Com certeza Chiara (Fontanesi) que voltou à Yamaha estará lá, ela trabalhou duro. Courtney (Duncan) era nova no ano passado, mas é muito rápida e agora tem mais experiência. Nancy (Van de Ven) é muito rápida em todas as condições, muito regular e mais uma vez tenho que tomar ciência disso. São quatro disputando o título, a melhor vai ganhar!

Você, claro, tem idéia de como fazer a diferença?

O diferencial é que eu sou a mais velha, então tenho mais experiência e sofro um pouco menos com a pressão. Eu não acho que seja a mesma visão de Courtney ou Nancy por exemplo, que ainda não têm o título, elas o querem a qualquer custo. Pode ser uma vantagem ou uma desvantagem. Minha experiência e idade também podem ser uma vantagem ou uma desvantagem, cada uma deve dar o melhor de si mesma.


Aos 29 anos, Livia Lancelot defende o título nesta temporada

Você passou um inverno tranquilo como campeã mundial?

Não, não totalmente. Depois do título fui para os Estados Unidos por duas semanas para tirar umas férias, mas também para diversos compromissos como campeã mundial. Então viajei para eventos e reuniões com parceiros ou mídia e quando voltei a treinar estava cansada. Percebi que não tinha descansado, contudo Bruno (Losito), meu preparador físico, colocou meu programa em prática e, de repente, me recuperei e me senti em forma, pronta para a temporada!

A história de amor continua com a Kawasaki?

Sim, é claro. Nunca mude uma equipe vencedora e eu quase não mudei meus parceiros. Tento sempre manter as pessoas com quem me dou bem e hoje tenho uma equipe de patrocinadores e parceiros com os quais existe uma forte relação. São pessoas que eu gosto, que estavam lá quando eu criei a minha equipe, quando celebrei o meu título, que estão sempre presentes quando necessário. Não apenas como patrocinadores, e eu acho que isso é algo que me fortalece.


A piloto do Team One One Four Kawasaki em ação

Há um novo membro na família, Monster Energy?

É verdade, a Monster está de volta, pois já vesti suas cores em 2014. Eles se separaram por várias razões, estou muito feliz pela volta, especialmente com a Kawasaki e a Monster trabalhando juntas em outras categorias. A imagem da Monster é forte e boa, e é importante ter um patrocinador como esse ao seu lado.

A temporada vai ser longa?

Com certeza a temporada será longa, depois deste final de semana eu vou para uma série de corridas do Campeonato Feminino da França, algumas provas da Elite (St John e Romagna) e o máximo de eventos internacionais, corridas nas quais busco me aproximar do ritmo dos pilotos do sexo masculino. A temporada será longa, mas tudo corre bem, estou pronta!


Kawasaki KX250F da campeã mundial

Vídeo:










Vídeos MotoX Connect



Acompanhe o MotoX no Facebook

Curso MotoX
Brasil Racing
JPS Racing

© 2000 - 2017 MotoX MX1 Internet