X Fechar
foto

X Fechar
foto
Clique e saiba mais
Clique e saiba mais
Clique e saiba mais
Clique e saiba mais
Clique e saiba mais
Clique e saiba mais

Edgers Racing

KTM Sacramento

Toro Sports

SP Race Park

JPS Racing

MotoX Pneus

Arenafama

Clique e saiba mais

> Competição > Motocross Carioca

Estadual de Motocross LEMERJ - 1ª etapa - Silva Jardim - RJ
Publicado em: 09/05/2013

Temporada da competição começou em uma das melhores pistas do Estado do Rio de Janeiro
Redação MotoX.com.br - Texto: Igor Moura - Fotos: Erick Simão


Largada da categoria Força Livre


Veja também: Galeria de Imagens da Prova com 518 Fotos!
Uma das melhores pistas de motocross do Estado do Rio de Janeiro. Esse foi o cenário da primeira etapa do Estadual de Motocross - LEMERJ, disputada no último domingo em Silva Jardim. A pista de 1200 metros, que possui ótimas subidas e descidas aproveitando bem o relevo do terreno onde foi construída, foi um grande desafio para os pilotos das 12 categorias. O bom número de inscritos e uma presença massiva do público mostrou a força que o Motocross possuiu em Silva Jardim e região.

Enfrentando o sol forte e o calor, o público já tomava a arquibancada quando os pilotos, ainda pela manhã, foram para a pista durante os treinos livres. Um aperitivo que afirmava que o dia seria de muita disputa e emoção. Destaque para Yuri Campello e Maurício da Rocha, que já voavam e aceleravam forte, mostrando um pouco do que iriam fazer logo mais em suas categorias.

Sérgio Monteiro e Maurício Rocha dominam as baterias mais aguardadas


Sérgio Monteiro


Gate da categoria MX2
A categoria Importada Força Livre foi a última bateria a ser disputada. Com o gate cheio e de encher os olhos de qualquer fã de Motocross, a categoria levantou a poeira e o público com o sol já se pondo.

Sérgio Monteiro saiu na frente e, logo nas primeiras voltas, já abria diferença sobre Maurício Rocha, segundo colocado. Na terceira posição, Oziel Barroso tentava se aproximar, mas não conseguia encontrar o melhor traçado para chegar nos líderes e encurtar a distância.


Maurício Rocha


Matheus Corguinha
A disposição dos pilotos era tanta, que não existia nenhum pudor no mais íngreme step down da pista, resultando em mais vibração nas arquibancadas. Na reta final da prova, a pressão de Oziel fez com que Maurício Rocha acelerasse o ritmo para manter a segunda colocação. Mais tranquilo, Sérgio Monteiro veio para a bandeirada e terminou a corrida com uma bela entortada na mesa final.

Na categoria MX1, mais uma largada acirrada, e novamente Sérgio Monteiro saiu na frente, desta vez, pressionado por Philipe de Pinho e Marcelo Aragão. Marcelo não segurou a pressão e foi ultrapassado por Rodinaldo Matheus e Pedro Lucas. Após os primeiros colocados se distanciarem, as ultrapassagens ficaram por conta da disputa entre Samuel Robaina e Wagner Coutinho. Já na última volta, Rodinaldo Matheus e Wagner protagonizaram uma verdadeira luta pela quarta colocação. Melhor para Rodinaldo. Sérgio Monteiro, que chegou a abrir 15 segundos de vantagem para o segundo colocado, completou a prova sem problemas e conquistou mais uma bela vitória. Philipe de Pinho chegou em segundo e Pedro Lucas Licassali completou o pódio.


Philipe de Pinho


Categoria MX1
Para Sérgio Monteiro, vencer foi um desafio a mais no dia. "Para mim foi muito difícil hoje, porque correr para mim é segundo plano. Eu venho aqui para organizar o evento, já que faço parte da LEMERJ. Vencer, então, passa a ser terceiro plano. Chegar aqui e organizar um evento de alto nível e ainda conseguir correr e vencer, com certeza, foi um fim de semana muito proveitoso."

Com 15 inscritos, a MX2 mais uma vez sacudiu uma etapa do Estadual de Motocross da LEMERJ. Com uma largada disputada e confusa, a queda de alguns foi inevitável. Raphael de Pinho, Ítalo Bruno e Guilherme Sattler ficaram no enrosco. A prova de abertura do campeonato ajudou a destacar alguns dos possíveis candidatos ao título estadual. Um deles, sem dúvida, é Maurício Rocha. Mostrando boa velocidade mais uma vez, ele disparou logo nas primeiras voltas, deixando para trás um batalhão de pilotos.

Oziel Barroso e Matheus Corguinha travaram uma incrível batalha na principal disputa da bateria. Ocupando a segunda colocação, Oziel foi pressionado o tempo todo por Matheus. A briga pela posição se estendeu até a última volta, quando Matheus passou por fora e, após muita insistência, superou Oziel. Segunda colocação para ele, que estava oito meses longe do Motocross. Grande vitória de Maurício Rocha, com boa vantagem, e terceira colocação para Oziel Barrosso.


Pódio MX2


Disputa na categoria Nacional
Nome do dia, Maurício Rocha, correu em quatro baterias e venceu três delas. Para ele, o treinamento forte e o apoio da torcida foram fundamentais para superar o calor e os outros pilotos. "Estou me sentindo muito bem. Estou muito feliz porque tenho treinado bastante para conseguir o que consegui hoje. Sem a ajuda dos meus patrocinadores, e essa torcida maravilhosa que me motivou bastante, não iria conseguir."

A Nacional foi outra categoria em que Maurício deu show. Largando na frente com sua Tornado, seguido por Adeilton Gonçalves, ele teve mais uma corrida calma. Manteve-se nas primeiras voltas com uma diferença de mais ou menos um obstáculo para o segundo colocado e não correu perigo durante a corrida. Na briga pela terceira posição, disputa um pouco mais acirrada entre Ricardo Borges e Jaílton Moraes. Melhor para Ricardo, que cruzou a linha de chegada em terceiro. Vitória de Maurício Rocha, seguido pelo cabofriense Adeílton. Mais um presente do maridão Maurício para a esposa, que aniversariou no domingo.

MX4 e MX3 empolgam torcida


Samuel Robaina


Sérgio de Souza
Primeira categoria a ir para a pista, a MX4 abriu em grande estilo o estadual. José Carlos Guimarães largou na frente com Guto Lima, Oziel Barroso e Márcio Jone colados. Logo em seguida, José Carlos se enroscou com Guto Lima e os dois caíram. Fim de prova para Guto que abandonou com dores na mão. Na sequência, Márcio Jone não manteve o rendimento e foi parar na quarta posição. Oziel caiu no step up, vendo um batalhão de pilotos o ultrapassar. Alcimar dos Santos, o Cotonete, assumiu então a liderança, para delírio da plateia e de seu filho, que vibrava diante da mesa a cada volta do pai. Na primeira subida muitos pilotos encontravam dificuldade e quem conseguia ser rápido naquele ponto ganhava boa vantagem. Foi o caso de Sérgio José, que saiu da quarta colocação para o primeiro lugar, segurando até o fim a posição em uma boa disputa com Cotonete nas voltas finais. Paulo Monteiro, mostrando regularidade durante toda a corrida, terminou em terceiro.

A categoria 230cc largou logo em seguida, com Maurício Rocha liderando a prova. Apesar do início disputado, já na terceira volta os primeiros colocados se distanciaram. As quedas no primeiro step down da pista foram frequentes nesta bateria. A partir da metade da prova, os olhos do público se voltaram para Douglas Pitangy e Rodinaldo Matheus. Os dois protagonizaram uma acirrada disputa pela quinta colocação. Quem sofreu as consequências desta luta foi Jaílton Moraes, que foi ultrapassado pelos dois e perdeu a quarta colocação. Na disputa pelo pódio, nenhuma mudança ao longo da corrida. Maurício Rocha, Adeílton Gonçalves e Ricardo Borges ocuparam a primeira, segunda e terceira colocação, respectivamente, do início ao final da prova.


Gate da MX4

A classe MX3 foi marcada pela intensa disputa entre os primeiros colocados logo no início. Marcelo Aragão e Samuel Robaina lutaram de forma acirrada pela primeira posição, seguidos de perto pela 2 Tempos de Wagner Coutinho. Aos poucos, Marcelo conseguia aumentar a distância para Samuel e parecia consolidar sua vitória. Porém, no fim da penúltima volta, ele caiu. Lamento da torcida, que viu Samuel e Wagner o ultrapassarem e terminarem na primeira e segunda colocação, respectivamente. Para Marcelo, restou a terceira posição em uma excelente prova da categoria.

Surpresa na Amador e prova morna na Local


Leandro Marchon


Tobias Tavares
Na Amador, uma surpresa para todos que assistiam a competição. O jovem Yuri Campello da categoria 85cc competiu e não deu descanso aos outros pilotos. A categoria teve um início disputado entre os vários inscritos. Felipe Amaral saiu frente e liderou as três primeiras voltas, mas não conseguiu segurar a pressão de Leandro Marchon e foi ultrapassado. Eduardo Mesquita se manteve na terceira colocação durante grande parte da prova. Enquanto os líderes brigavam entre si, Yuri Campello vinha de trás e se aproximava. A torcida acelerava junto com Yuri, e vibrou quando o jovem chegou à terceira colocação, após um toque entre Eduardo e Fábio Araújo no step down, na penúltima volta. Daí pra frente, nas duas últimas voltas, nenhuma mudança no pódio. Vitória de Leandro Marchon, seguido por Eduardo Mesquita e Yuri Campello.

A categoria Local, com os corredores de Silva Jardim, foi morna e sem muita disputa. Uma largada embolada gerou a queda de alguns pilotos na primeira subida, além de Welton Santana e Charles da Silva, que ficaram no gate. No meio dessa confusão, Tobias Tavares saiu na frente. Sem sofrer forte pressão, ele liderou de ponta a ponta e venceu a prova. Nas outras posições, as ultrapassagens corriqueiras mostraram que tudo estava entre amigos na prova dos pilotos da cidade.

O futuro do Motocross


Gustavo Lima


O veterano Guto Lima assistiu os dois filhos no pódio da 50cc
A garotada das categorias 50cc, 65cc e 85cc deram um show e correram feito gente grande. Na 50cc o dia foi especial para Guto Lima, o experiente e conhecido piloto viu os dois filhos correrem na categoria e teve motivo de sobra para comemorar. Gustavo Lima, o mais velho, disparou na frente e venceu a prova. Guilherme, o mais novo, completou cinco anos de idade no lugar onde a família mais gosta de estar: a pista de motocross. Cinco anos de vida e um ano de pilotagem. Segunda posição para ele. Em terceiro, ficou Max Antônio Machado. A torcida vibrava a cada volta dos pilotos, reconhecendo o futuro do Motocross na frente da arquibancada.

Para Guto Lima, apesar das dificuldades e da falta de apoio, estar com os filhos no esporte em que passou grande parte da sua vida, é uma grande satisfação."Eu comecei na década de 80, tem 30 e poucos anos que eu estou no Motocross. Então, para mim é muito difícil largar isso aqui ou viajar sem a minha família. Agora, embora eles tenham vontade, é muito difícil porque nós não temos um apoio, os equipamentos são muito mais caros no Brasil. E nos temos grandes talentos aqui que somem pela falta de apoio da mídia também. Mas a gente vai sobrevivendo, tentando mostrar algo de diferente para o jovem, algo diferente de saúde, de estilo de vida. O Motocross tem muitos ensinamentos, muita coisa boa. E a gente fica torcendo pra mudar essa política não só no Motocross como em todos os esportes."



Juan Souza
Na 65cc, uma prova emocionante. Logo na largada, Ian Felipe teve problemas na moto. Matheus Féo saiu na frente e fechou as duas primeiras voltas em primeiro, mas Juan Souza o ultrapassou bem na subida e assumiu a primeira colocação. Dai pra frente, o que se viu foi um show à parte de Ian. O jovem piloto acelerou para tirar o atraso que teve na largada. Conseguiu ir para a terceira colocação e colou nos dois primeiros, que não deram vida fácil para ele. A torcida acelerou junto e Ian chegou à segunda colocação na última volta. No finzinho da prova, Ian ainda pressionava Juan, que precisou saltar longe para garantir a vitória. Durante a briga pela primeira posição Ian caiu, mas mesmo assim garantiu a segunda colocação.

Na 85cc, um dos nomes do dia, Yuri Campello, que já tinha dado um show na categoria Amador, largou muito bem e dominou de ponta a ponta. Repetindo a ótima corrida que tinha feito minutos antes, o jovem acelerou forte e não deu chance para os outros competidores. André Peixoto se manteve na segunda colocação durante toda a prova e Caio Vitor Souza completou o pódio.

Apesar de algumas quedas, a primeira etapa do Estadual de Motocross da LEMERJ não foi marcada por nenhum grande acidente. Nenhuma surpresa para o promotor do evento Paulo Monteiro, que frisou que a segurança é fator prioritário na competição. "Não esperávamos este número de pilotos porque hoje também está tendo outro campeonato da nova Federação em Iracema. As duas federações tentaram mudar a data, mas não conseguimos. Como a LEMERJ tem tradição em fazer boas pistas, a participação de pilotos foi muito grande. Estamos acostumados com corridas sem acidentes, os obstáculos são testados e ai a gente já sabe que vai dar tudo certo. Aqui a segurança é prioridade."


Yuri Campello

O diretor de prova Francisco Nelson, conhecido como "Ceará", comemorou o sucesso das provas. "Graças a Deus ocorreu tudo bem, nenhum acidente, tudo dentro do parâmetro que a gente esperava. Tivemos uma corrida muito bem feita, em uma ótima pista. Foi a abertura do campeonato e a gente espera que na próxima etapa seja melhor ainda."

A próxima etapa do estadual de Motocross da LEMERJ será realizada no dia 19 de maio, em Itaboraí (RJ).


Itaboraí será palco da próxima etapa do campeonato

Resultados

Força Livre
1. - 1 - Sergio Monteiro
2. - 137 - Maurício da Rocha
3. - 946 - Oziel Barroso Jr
4. - 623 - Marcelo Aragão
5. - 308 - Matheus Corguinha
6. - 27 - Pedro Lucas Licassali
7. - 36 - Sergio de Souza Jr
8. - 7 - Adeílton Gonçalves
9. - 953 - Felipe Montequiari
10. - 157 - Thadeu Pereira de Souza

MX1
1. - 1 - Sergio Monteiro
2. - 54 - Philipe de Pinho
3. - 27 - Pedro Lucas Licassali
4. - 221 - Rodinaldo Matheus
5. - 100 - Wagner Coutinho
6. - 207 - Samuel Robaina
7. - 11 - Guto Lima
8. - 157 - Thadeu Pereira
9. - 18 - Bruno Paes Leme
10. - 829 - Oziel Barroso Jr

MX2
1. - 137 - Maurício da Rocha
2. - 308 - Matheus Corguinha
3. - 946 - Oziel Barroso Jr
4. - 108 - Rafael Frota
5. - 85 - Leandro Marchon
6. - 953 - Felipe Montechiari
7. - 36 - Sergio de Souza Jr
8. - 158 - Fabiano Gravelos da Costa
9. - 51 - Raphael de Pinho
10. - 259 - Alcimar dos Santos

MX3
1. - 207 - Samuel Robaina
2. - 100 - Wagner Coutinho
3. - 623 - Marcelo Aragão
4. - 600 - José Carlos Guimarães
5. - 829 - Oziel Barroso Jr
6. - 9 - Tony Chu Chan
7. - 22 - Luis Fabricio
8. - 311 - Marcelo Potoque
9. - 964 - Fabiano Fontes Pinto
10. - 217 - Raphael Navega

MX4
1. - 36 - Sergio de Souza
2. - 259 - Alcimar dos Santos
3. - 13 - Paulo Monteiro
4. - 88 - Marcio Jone
5. - 25 - Carlos Alberto Matos
6. - 829 - Oziel Barroso
7. - 601 - Aureo Moraes
8. - 244 - Ruy Alvarez de Pinho
9. - 92 - Manoel A de Matos
10. - 600 - José Carlos Guimarães

Nacional
1. - 137 - Maurício da Rocha
2. - 7 - Adeílton Gonçalves
3. - 10 - Ricardo Borges
4. - 14 - Jailton Moraes Alves Jr
5. - 77 - Rafael Mozer
6. - 44 - Joanir Quirino
7. - 55 - Luciano Barros Coutinho
8. - 19 - Rafael Deivisson Moraes
9. - 428 - Luis Gustavo Ferreira
10. - 53 - Allan Siqueira Pedra

230cc
1. - 137 - Maurício da Rocha
2. - 7 - Adeílton Gonçalves
3. - 10 - Ricardo Borges
4. - 221 - Rodinaldo Matheus
5. - 338 - Douglas Pitangy
6. - 14 - Jaílton Moraes Alves Jr
7. - 85 - Leandro Marchon
8. - 44 - Joanir Quirino Gonçalves
9. - 77 - Rafael Mozer
10. - 95 - Carlos Renato de Almeida

Amador
1. - 85 - Leandro Marchon
2. - 158 - Eduardo Mesquita Barreto
3. - 818 - Yuri Campello
4. - 7 - Bruno Gonçalves Areias
5. - 333 - Tobias Tavares Gabriel
6. - 103 - Thiago Muniz Barreto
7. - 5 - Felipe Anabal
8. - 18 - Sergio Candido
9. - 23 - Philipe Mugatti Mocpsi
10. - 620 - Jonathan Guimarães

Local
1. - 333 - Tobias Tavares Gabriel
2. - 999 - Gilmar Benfeitas da Silva
3. - 717 - Julio Cesar Coutinho
4. - 148 - Fabio dos Santos Castelar
5. - 38 - José Roberto de Lima Barbosa
6. - 199 - Charles dos Santos Jardin
7. - 1 - Edmilson Martins
8. - 3 - Ederson de Camacho
9. - 87 - Welson Santana Farias
10. - 86 - Jonathan Ferreira Porto

85cc
1. - 818 - Yuri Campello
2. - 17 - André Willie Peixoto
3. - 38 - Caio Vitor Souza
4. - 52 - Pablo Fernandes
5. - 9 - João Candia Coutinho
6. - 30 - Gustavo Navega

65cc
1. - 8 - Juan Souza
2. - 112 - Yan Felipe Vaz
3. - 23 - Matheus Féo
4. - 622 - Washington Guimarães Filho

50cc
1. - 45 - Gustavo Lima
2. - 25 - Guilherme Lima
3. - 139 - Max Antônio Machado
 







© 2000 - 2018 MotoX MX1 Internet