X Fechar
foto

X Fechar
foto
Clique e saiba mais
Clique e saiba mais
Clique e saiba mais
Clique e saiba mais
Clique e saiba mais
Clique e saiba mais

Edgers Racing

KTM Sacramento

Toro Sports

SP Race Park

JPS Racing

MotoX Pneus

Clique e saiba mais

> Competição > Veloterra

13ª etapa Copa Bioleve de Veloterra - Pedreira - SP
Publicado em: 25/10/2008

Campeonato entra na reta final
Texto e fotos: Ronaldo Sampaio


Largada Nacional A


Egnaldo Dias
O município de Pedreira, interior de São Paulo, recebeu nos dias 18 e 19 de outubro a 13ª etapa da Copa Bioleve de Veloterra. A modalidade é mais uma variação do motocross, e tem como adeptos pilotos que preferem ter os pneus mais grudados a terra e não ligam para os vôos dos obstáculos comuns no motocross, mas que adoram a adrenalina do motor gritando na reta antes da próxima curva. O evento é dinâmico, e não poderia ser diferente, são 15 categorias, e a organização faz questão de manter a qualidade da pista, um tapete na verdade, fazendo três manutenções durante as baterias. Em Pedreira o traçado tinha uma grande reta e muitas curvas, como os pilotos aceleram o tempo todo cerca de 30 segundos eram suficientes para completar uma volta. Soma-se a isso gates cheios, um público animado e uma bateria de apenas dez minutos e teremos adrenalina de sobra para qualquer piloto. Aliás, as características da pista e a diferença de ritmo entre os participantes criou mais um desafio aos ponteiros: negociar bem a ultrapassagem sobre os retardatários. 


Renan Oliveira


Vinícius Luis Marcon
Algumas figuras conhecidas nas provas regionais de motocross também estavam presentes, e fizeram bonito. É o caso de Joel Colega que disputou três provas para categorias importadas e Eliandro Consorte, o Tonelada, que dominou duas das cinco categorias destinadas a motos nacionais. Além deles Mateus Lima, piloto de motocross que voltou do exterior a pouco tempo, impressionou o público nas provas das categorias Força Livre Importada e VX2, duas das principais categorias da Copa.

As primeiras provas foram 230F, 85cc e 65cc (que largaram juntas), 50cc e Batom, destinada apenas as meninas. Egnaldo Rodrigues venceu a primeira bateria, a 230F, largando bem e dominando a prova, mesmo tendo adversários próximos todo tempo. A segunda posição foi muito disputada entre Rubens Barbosa e Diego Palmira, que largou na frente do adversário, mas algumas voltas depois já havia sido ultrapassado. Na segunda metade da bateria as primeiras posições não sofreram alterações, Igor Siqueira e José Leite completaram o pódio. 


Thiago Lima


Mayara Mello
Na segunda bateria do dia Renan Pires e Gustavo Brito eram os únicos integrantes da 85cc, os demais competidores pertenciam a 65cc. Os dois largaram na primeira e segunda posições respectivamente, Gustavo chegou a superar Renan, mas abandonou com problemas mecânicos. Com isso a primeira posição se definiu, já que Renan tinha grande vantagem sobre os demais pilotinhos que também definiram suas posições já nos primeiros instantes de prova. Resultado da bateria: Renan Pires, Vinícius Marco, Otavio Carradori, William Bongiorno e Che Ganzarolli.

Um pequeno incidente na largada da 50cc envolvendo os principais candidatos ao título inflamou a torcida que vibrou com os pegas dos pequenos pilotos. Ao cair o gate Gustavo Leme e Victor Gonçalves se enroscaram enquanto Thiago Martins assumiu a liderança da prova ao superar Maurício na segunda volta. Gustavo e Victor retornaram a prova e tiveram que forçar o ritmo, Victor estava na frente e Gustavo o acompanhava. Os dois chegaram em Maurício que resistiu algum tempo. 


Joel Colega


Duzinho
Gustavo se aproveitou da indecisão de Victor em superar o adversário, partiu pra cima dos dois e pulou para a vice-liderança. Mais tarde Victor também passou Maurício, mas já estava bem distante para tentar uma aproximação ao segundo colocado. Victor estava realmente rápido e encostou no líder nos instantes finais, mas sem conseguir superá-lo. Final: Thiago Martins, Gustavo Leme, Victor Gonçalves, Maurício e Bruno Camacho. Mesmo chegando em terceiro Victor ainda mantém a liderança na classificação geral. 

Em seguida largaram as meninas da categoria Batom, com apenas três motos na pista, mas muito incentivo por parte das famílias e do público. E foi contando com o incentivo de sua torcida que Mayara conseguiu superar Camila na segunda metade da prova depois de muita insistência. Maristela Zago terminou a prova na terceira posição. 


Eliandro Tonelada


Naná
Depois de uma pausa para a cuidadosa manutenção, e premiação aos que já haviam competido, a VX1 alinhou. Ao cair o gate Ique Matos contorna a primeira curva na ponta, mas Joel Colega vem na sequência e ao fechar a primeira volta já lidera a bateria. Com caminho livre nas primeiras voltas Colega consegue abrir vantagem rapidamente. Mais uma vez a melhor disputa aconteceu pela segunda posição, e entre retardatários Luis Azeola e Ique decidiam quem chegaria na frente. Luis se deu melhor, superando Ique, e ficando com a segunda posição. Edson Cascata chegou a disputar a segunda posição, mas atrapalhado por um retardatário caiu, e a quarta posição foi o que lhe restou. Nana foi o quinto colocado.

Mais piloto alinhando, e com gate lotado largou a categoria Nacional B. Em um traçado sem saltos as motinhos nacionais mostraram como podem ser valentes e rápidas nas curvas de Pedreira. O piloto Duzinho largou na ponta e venceu, mas não foi fácil. Durante toda a prova ele liderou um pelotão que disputava forte as primeiras posições, atrás dele as ultrapassagens aconteciam. Heitor era o segundo colocado e Juninho Delalana o terceiro. Cokinho era o quarto na primeira volta, passou Juninho e pressionou Heitor, os três estavam embolados. Cokinho não conseguiu a segunda posição, e ainda devolveu o terceiro posto a Juninho. A segunda metade da prova foi mais tranquila, e mesmo com o pelotão bem junto não houve alterações dos primeiros colocados. Final: Duzinho, Heitor Campos, Juninho Delalana, Cokinho e Cesar Panazollo. 


Diego Palmira


Alexandre Manera
Antes de uma parada para mais uma sessão de premiação, e mais um tratinho na pista, a VX2 alinhou, e o que se viu foi um show de pilotagem de Matheus Lima, que dominou a bateria de ponta a ponta, impressionado a todos com sua velocidade no circuito repleto de curvas. Atrás dele chegaram Sagui, Fabricio Bauch, José Luis Marcon e Beto Vilalva.

Na Nacional A Eliandro Consorte dominou desde a largada, saindo na frente dos adversários, e aproveitando o caminho livre das primeiras voltas para abrir vantagem. Na última volta Eliandro pôde diminuir um pouco para curtir a vitória. Rodrigo Leite correu a prova toda na segunda posição, e assim recebeu a bandeirada quadriculada. Atrás dele chegaram Fábio Silo, Juninho Delalana e Machado.

Fortes emoções já na largada da VX3. Depois de uma dividida na primeira curva Joel Colega fica no chão enquanto o piloto Nana assume a liderança. Sem tempo a perder Colega volta a prova, em último, mas acelerando forte para tentar chegar no pelotão que tem boa vantagem sobre ele. Lá na frente Nana mantém a liderança com Breno Macedo em segundo e Aynes Simões em terceiro. Os primeiros colocados se distanciam um pouco enquanto Colega vem recuperando terreno e algumas posições até chegar a quarta colocação, e encostar em Aynes, que se defende muito bem até a bandeirada quadriculada, não permitindo que seu adversário o superasse. Final: Nana, Breno, Aynes, Colega e Rene. 


Largada Nacional Força Livre


Rodrigo Leite
Mais moto na pista, agora é a vez da VX4. A prova foi emocionante, e teve a primeira posição decidida com a "ajuda" de um retardatário. José Luís Marcon largou na ponta com Nana mais uma vez na pista, e bem colocado, na vice-liderança. Os dois brigaram pela liderança, um atacando, e o outro defendendo a cada curva. A disputa continua, e o pelotão da frente começa a encontrar retardatários pela pista, mais ou menos metade da prova se passou, Marcon escolhe o lado errado para passar um retardatário, Nana se aproveita e dá o bote, assumindo a ponta. Edson Cascata fez uma ótima prova mesmo largando mal, e conseguiu se recuperar, ficando com o terceiro posto. Beto Raimundo e Rubens Barbosa completaram o pódio.

A Nacional Amador, veio em seguida com gate cheio. Dada a largada Carlos Zuanazzi está na frente, mas logo atrás vem Diego Palmira, pressionando desde a primeira curva. Carlos perde não só a primeira posição, mas também é ultrapassado por Luciano Piva, que mantém um ritmo parecido com o do novo líder Diego, que não dá chances à concorrência e matém a concentração até receber a bandeirada como vencedor da prova. Luciano foi o segundo, com Carlos em terceiro e Marcelo em quarto. 


Manutenção de pista


Nenê
Nova parada para manutenção, a organização gosta mesmo de tratar bem seus pilotos, e quem recomeça o último bloco de provas são os pilotos da categoria Intermediária. Essa bateria teve muita disputa, principalmente entre o pelotão da frente. Renan Pires começou a prova na frente, mas foi superado por Daniel Vergueiro na segunda volta, e os dois seguiram na disputa enquanto outro piloto vem se recuperando de uma largada desastrosa, Jean Dickson está visivelmente mais rápido do que os demais, e vem melhorando sua posição volta a volta. Na metade da bateria ele já é o terceiro colocado, Daniel caiu, ficou para trás e agora tenta se recuperar. Jean está atrás apenas de Alexandre Costa e Renan. Ele ultrapassa Alexandre e não perde tempo, vai pra cima do líder, os dois disputam algum tempo, e em uma curva dividida os dois se tocam, um lance normal de corrida, mas Renan leva a pior e fica no chão, Jean segue na frente e recebe a bandeirada quadriculada em primeiro, mas não leva o troféu para casa. Depois da queda de Renan a equipe do piloto, em uma atitude absurda e inaceitável, acertou o braço de Jean com um "pitboard" (placa de sinalização), ao término da prova Jean foi tirar satisfação, o que também foi entendido pela direção de prova como atitude anti-desportiva. Dessa forma tanto Renan quanto Jean foram desclassificados da prova, deixando a vitória nas mãos de Alexandre Costa. Daniel Vergueiro se recuperou bem e ficou com o segundo posto. Alexandre Aranha, Wellington e João Cabelo completaram os cinco primeiros.


Veja também: Galeria de Imagens da Prova com 571 Fotos!
Em sua segunda bateria do dia, Eliandro Consorte fechou a primeira volta em segundo, atrás de Rodrigo Leite. Essa é a prova da categoria Nacional Força Livre onde Tonelada não demorou mais do que uma volta para tirar a liderança de Rodrigo, e seguir tranquilo mais uma vez até a vitória. Rodrigo também se destacou dos demais e recebeu a bandeirada sem adversários por perto. Diego Palmira, incansável, alinhou mais uma vez para conquistar uma bela terceira posição depois de iniciar a prova fora dos cinco primeiros. Machado e Juninho Delalana chegaram na sequência.

Na última prova do dia, a Força Livre Importada, Mateus Lima deu uma escorregada na largada, e por isso não largou em primeiro. A indigesta tarefa de segurar um dos pilotos mais rápidos do dia era de Sagu, que fechou a primeira volta na frente. Mateus era segundo já na segunda volta, pressionou mais um pouco e conseguiu roubar a liderança de Sagu. As primeiras posições sofreram algumas alterações, Ique Matos chegou a ocupar a segunda posição, mas não acompanhou o ritmo dos ponteiros, terminando fora dos cinco primeiros. Nenê iniciou a prova em quarto, pegou uma carona no ritmo de Mateus para encostar em Sagu, e tirar-lhe também a segunda posição na metade da bateria. Daniel Vergueiro foi o quarto colocado, a frente de Joel Colega. 


Matheus Lima

A organização finalizou a competição agradecendo seus patrocinadores e em especial todo apoio do prefeito Hamilton Bernardes Junior, que juntamente com a secretaria do meio ambiente, secretaria da saúde e secretaria de esporte e lazer tornou possível a realização desse belíssimo evento.

A Copa Bioleve de Veloterra tem o patrocínio de Bioleve, Duda Preparações, NS Gráficos e Moto Brisa Concessionária Honda.

Resultados

P. N. Importada Força Livre
1 105 Mateus Lima
2 615 Nenê
3 3 Sagu
4 21 Daniel Vergueiro
5 991 Joel Colega
P. N. VX1
1 991 Joel Colega
2 615 Luís Azeola
3 19 Ique Matos
4 46 Edson Cascata
5 41 Nana
P. N. VX2
1 105 Mateus Lima
2 211 Sagui
3 3 Fabrício Bauch
4 118 JL Marcon
5 14 Beto Vilalva
P. N. Intermediária
1 748 Alexandre Manera
2 21 Daniel Vergueiro
3 99 Alexandre Aranha
4 211 Wellington
5 1 João Cabelo
P. N. VX3
1 41 Nana
2 141 Breno Macedo
3 44 Aynes Simões
4 991 Joel Colega
5 504 Renê
P. N. Batom
1 171 Mayara Mello
2 12 Camila G.
3 11 Maristela Zago
P. N. Nacional Força Livre
1 119 Tonelada
2 6 Rodrigo Leite
3 399 Diego Palmira
4 51 Machado
5 333 Juninho Delalana
P. N. Nacional A
1 119 Tonelada
2 6 Rodrigo Leite
3 4 Fábio Silo
4 333 Juninho Delalana
5 51 Machado
P. N. Nacional B
1 5 Duzinho
2 764 Heitor Campos
3 333 Juninho Delalana
4 90 Cokinho
5 693 Cesar Panazollo
P. N. Nacional Amador
1 399 Diego Palmira
2 34 Luciano Piva
3 929 Carlos Zuanazzi Jr
4 87 Marcelo
5 01 -
P. N. 230F
1 4 Egnaldo Dias
2 1 Rubens Oliveira
3 399 Diego Palmira
4 2 Igor Siqueira
5 6 José Luis Leite
P. N. 85cc
1 219 Renan Oliveira
2 12 Gustavo Brito
P. N. 65cc
1 800 Vinícius Luis Marcon
2 65 Otávio Carradori
3 16 Willian Bongiorno
4 209 Che Ganzarolli
P. N. 50cc
1 27 Thiago Lima
2 29 Gustavo Deicol
3 28 Victor Gonçalves
4 8 Maurício
5 33 Bruno Brunieri






© 2000 - 2018 MotoX MX1 Internet