X Fechar
foto
Salvar nos Favoritos

X Fechar
foto
Clique e saiba mais
Clique e saiba mais
Clique e saiba mais
Clique e saiba mais
Clique e saiba mais
Clique e saiba mais
Clique e saiba mais
Clique e saiba mais

América Sports

Edgers Racing

KTM Sacramento

Toro Sports

JPS Racing

MotoX Pneus

Arenafama

Clique e saiba mais

> Reportagens > Trilhas

Expedição Jalapão 2016 - Ponte Alta - São Felix do Tocantins
Publicado em: 08/11/2016

Oito amigos participaram, no Tocantins, em um dos passeios mais marcantes do Brasil
Redação MotoX.com.br: Texto e fotos: Ernani Freitas

Nosso leitor e colaborador Ernani Freitas tem mais uma história para contar. E que história! Em outubro um grupo de oito amigos realizou um dos passeios fora de estrada pelos trajetos mais exuberantes do cerrado brasileiro. A Expedição Jalapão. Confira o relato.


Expedição Jalapão 2016


O passeio vai além de motos e areias e mergulha nas diversas cachoeiras da região.
E assim mais uma aventura à ser relatada...meses atrás (meados de março) na oficina Projeto Motos do nosso amigo e Piloto Marcelo Greguol eu ouvi uma conversa sobre como andar de moto no Jalapão em areias e estradões.

Logo na sequência, Léozinho já organizava um grupo para o mês de outubro, e pouco a pouco os interessados foram surgindo. Data fechada, rapaziada definida, e a ansiedade tomou conta de nós durante a espera pela hora marcada que nunca chegava.

Meses depois, enfim, 25 outubro chegou, e partimos para a Expedição Jalapão com oito amigos-pilotos: Ernani Freitas, Belmar Cunha, Leozinho (o organizador), Dr. Borão, Matheus, os irmãos Julio e Gustavo Mineiro e Toé, para um dos melhores e marcantes “roles” de moto das nossas vidas.

Dia 26 de outubro, acordamos em Palmas e fomos conhecer a praia da Graciosa. Uma das dicas que podemos dar é: cuidado com as piranhas de lá, pois um desses peixes atacou um dos dedos do nosso amigo Matheus.


Uma parada para descanso na areia

Logo de início 200 KM pela frente onde numa VAN. A conversa, óbvio, não poderia ser outra. Já fomos falando em como seria pilotar nas areias e trilhas do Jalapão, dividindo a ansiedade de pilotar e o pensamento do que iríamos encontrar pela frente.

No primeiro local, na cidade de Ponte Alta, encontramos com uma das figuras mais emblemáticas e carismáticas do passeio, o sr Ave Koizumi, idealizador da Expedição e proprietário da empresa Bike Box que organiza os passeios. Motos escolhidas na mesma noite, conversas pra lá, e muito papo de trilheiro e já estava na hora do sono, e a primeira noite demorou a passar.

Já no dia 27 (primeiro dia de passeio) o sr. Avê Koizumi já fez o primeiro Briefing da Expedição referindo se ao que encontraríamos nos 240 km do primeiro dia, e, de repente, já estávamos cortando a primeira parte do trajeto rumo à cidade de Mateiros.


Avê Koizumi, da Bike Box, organizador da expedição

Pra usar uma linguagem clara: que passeio demais! A cada acelerada que eu dava, posso afirmar que olhava como é lindo o cerrado brasileiro, e que como devemos amar a nossa terra, porque nosso país é fantástico. Já tive a oportunidade de andar muito por aí, mas confesso que esse estado de aproximadamente 28 anos de vida merece ser chamado de jovem e capaz, pois tem muito a se explorar e crescer!

Nesse mesmo dia, tivemos a oportunidade de percorrer alguns trechos do Rally dos Sertões, e também pilotar em pedras, areiões e estradas desertas, sempre com um ponteiro (puxando a trilha) e um limpa trilha que assessora qualquer dificuldade de algum piloto e orienta em qual melhor caminho a percorrer. Depois de longos 240 KM, hora da primeira parada pra dormir!


Travessia de Balsa

Dia 28 (segundo dia) 80 KM pela frente rumo à São Felix, onde a Bike Box prepara para ser um dia mais tranquilo, como idas à cachoeiras e um churrasco para finalizar, mas sem perder a parte principal que é andar de moto. É um percurso bacana, onde praticamente quase que 100% do dia, a pilotagem é na areia.

Dia 29, terceiro e infelizmente último dia, hora de percorrer 191 KM retornando à Ponte Alta. Deixando minha opinião, o dia de pilotagem mais difícil e de atenção total. Logo no início foram 40 KM de lombas na areia (também um dos trechos do Sertões) onde a mão colada no acelerador precisa ser aliviada rapidamente para emenda-las ou para contorna-las. Entre areias, cachoeiras que poucos conhecem e um almoço num lugar muito especial, percorremos mais uma alta quilometragem para finalizar o último dia.

Bom, terminamos a Expedição no sábado às 18hs e já estava na hora de retornar pra casa. No total, foram 511 km percorridos entre Ponte Alta, Mateiros, São Felix do Tocantins, Ponte Alta, sendo que não repetimos nenhum trajeto, e tivemos diversos tipos de terrenos na expedição como pedras, single tracks, estradas e muita areia!

Queria agradecer à rapaziada que esteve junto o tempo todo, que representaram e pilotaram muito bem, aos guias Luciano e Luis, ao Avê que além de organizador pilotou ao nosso lado, e com os seus 54 anos distribuiu muita poeira em todos nós, mostrando que acelera de verdade, à sra Sonia que nos assessorou pré expedição, ao pessoal do apoio (Mangaba e Leny) que esteve no suporte com lanches e água de 2 em 2hs e socorrendo qualquer problema nas motos e à Bike Box pela organização e por promover a oportunidade à pilotos não profissionais como nós, de percorrerem trechos do Rally dos Sertões, e sentir de verdade as emoções de um Rally.


O resgistro da distância percorrida

E que venham as próximas!








Curso MotoX
JPS Racing

© 2000 - 2018 MotoX MX1 Internet