X Fechar
foto

X Fechar
foto
Clique e saiba mais
Clique e saiba mais
Clique e saiba mais
Clique e saiba mais
Clique e saiba mais
Clique e saiba mais

Edgers Racing

KTM Sacramento

Toro Sports

SP Race Park

JPS Racing

MotoX Pneus

Arenafama

Clique e saiba mais

> Competição > Brasileiro de Motocross

6ª etapa - Detalhes do evento - Nova Friburgo - RJ
Publicado em: 25/09/2010

Balbi retorna ao campeonato com vitórias. Anderson Amaral, da 85cc, é o primeiro campeão
Redação MotoX.com.br - Texto e fotos: Maurício Arruda 


Largada MX2


Assista aos vídeos das corridas na MotoX TV
Na sexta rodada da temporada o Pro Tork Brasileiro de Motocross fez sua segunda passagem pelo Estado do Rio de Janeiro, desta vez pela cidade de Nova Friburgo. Apesar da prova disputada em uma região serrana, o circuito local não aproveita os morros ao redor do circuito fixado em um platô. Mesmo assim a pista - que neste ano ganhou novos obstáculos e algumas alterações no traçado - tem caracteristicas que valorizam as disputas, a principal delas o solo macio, em alguns pontos saibro, que passa por constantes mudanças durante as provas. 

Realizada nos dias 18 e 19 de setembro, as provas da maioria das categorias foram marcadas por vitórias de pilotos que retornavam ao campeonato: Antônio Jorge Balbi Jr. (MX1 e MX2), Milton Chumbinho Becker (MX3) e Enzo Lopes (65cc) voltaram à competição em grande estilo, com o primeiro lugar em quatro das seis baterias. O evento também definiu o primeiro campeão, Anderson Amaral, que seguiu com a temporada invicta na 85cc. Na classe das motos nacionais, a 230cc, Carlos Eduardo Franco chegou ao quinto triunfo. 


Antônio Jorge Balbi Jr.


Scott Simon
A categoria MX2 foi o primeiro duelo entre os principais pilotos. E a disputa pela vitória ficou restrita à Jorge Balbi e Scott Simon, que abriram grande vantagem sobre os demais. O norteamericano partiu ao redor da quinta posição enquanto Balbi ultrapassava Thales Vilardi, assumindo a liderança e impondo um forte ritmo ainda na volta inicial. Bastaram alguns minutos para a disputa entre os dois começar.

Na quinta volta Scott passou ao comando da corrida com Balbi perseguindo de perto. Sem acompanhar os ponteiros Thales se firmou na terceira posição, enquanto Carlos Eduardo Franco, o líder do campeonato da classe 230cc, fazia boa estreia entre as motos importadas mantendo o quarto lugar. Nos momentos decisivos no entanto Franco não manteve o mesmo ritmo: "Minha prioridade aqui (no campeonato nacional) é a 230cc", explicou o sulmatogrossense, que terminou na sexta colocação.

A briga pela vitória seguiu intensa até que um acidente provocou a interrupção da corrida. A bandeira vermelha foi agitada pelo diretor de prova, para que fosse prestado atendimento à Marcello Ratinho Lima. Após recuperar-se de uma péssima largada, o paulista ocupava a quarta posição quando caiu de forma violenta em uma grande mesa da reta principal, sofrendo uma concussão. Foi este incidente que tirou Ratinho da equipe brasileira que disputa o Motocross das Nações 2010. 


Thales Vilardi


José Felipe
Os pilotos se encaminhavam para as duas voltas finais quando houve a paralização. Balbi acabara de retomar à liderança e terminou como vencedor. Scott, por outro lado, teve um final bastante incômodo: com fortes dores no ombro após o impacto de um salto mal finalizado. No pódio ficou clara a decepção do "gringo" que ficou bastante próximo do título antecipado, mas para isso era necessária a conquista dos pontos da vitória. Atrás de Thales, o argentino José Felipe subiu ao pódio com o quarto lugar. Dudu Lima finalizou na quinta posição.

Com poucos minutos de disputa na MX1 ficou claro que ninguém seria capaz de acompanhar Balbi na corrida das motos 450cc. Scott voltou para a pista medicado, tentando vencer a dor para marcar pontos, mas evidentemente não conseguiu o mesmo ritmo da prova anterior. Ainda nas primeiras voltas novas más notícias para o Team Brasil Nações: Thales Vilardi, nosso piloto reserva, caiu forte virando outra dúvida da equipe nacional na maior competição mundial (já nos Estados Unidos Anderson Cidade foi definido como terceiro piloto brasileiro na competição). 


Duda Parise


Veja também: Galeria de Imagens da Prova com 556 Fotos!
José Felipe, vencedor da etapa de Canelinha (SC) do Brasileiro, ganhou posições assumindo a vice-liderança com uma ultrapassagem sobre Pipo Castro. O catarinense, outro atleta convocado para o MXdN, assumiu uma postura comedida e perdeu mais posições finalizando em sexto. Scott passou de um início discreto para o terceiro lugar, distante dos dois primeiros, mas com a ameaça de Duda Parise, poucos segundos atrás.

Na frente Balbi completou sem dificuldades o bom retorno à competição, com vitória nas duas classes principais. José Felipe comemorou mais um pódio seguido por Scott, Parise e Dudu Lima. "As vitórias mostraram que estou preparado para o Nações, que é meu principal objetivo", afirmou o piloto mineiro. 


Milton Chumbinho Becker


Davis Guimarães seguido por Willian Guimarães
As vitórias de Balbi não chegaram a ser surpresa, mas o desempenho de Chumbinho na MX3 foi inesperado, mesmo sendo o catarinense um colecionador de títulos. Quando viajou para esta prova o próprio piloto foi comedido no prognóstico: "Acho que consigo terminar entre os cinco primeiros", disse o
atleta da Pro Tork, que voltava a competir após o sério acidente que sofreu no mês de junho.

Quando a corrida começou a atuação de Chumbinho foi discreta. Apesar da boa largada e do início na segunda colocação, atrás do líder da temporada Davis Guimarães, o catarinense cedeu posições para Nico Rocha e Willian Guimarães, caindo para o quarto lugar. Willian ganhou força no meio da bateria, e após ultrapassar Nico foi para cima de Davis conseguindo a ultrapassagem.

A briga entre os Guimarães durou algumas voltas, mas a liderança de Willian apenas uma, Davis reagiu retomando a frente, enquanto o adversário perdia ritmo sentindo o desgaste da corrida. Depois foi a vez de Nico Rocha reagir, entrando na briga pelo primeiro lugar. Mas a tentativa do paranaense foi frustrada por um pneu furado, que o fez despencar até a quinta posição.

A prova parecia definida com Davis caminhando para a vitória, mas foi também neste momento que o surpreendente Chumbinho entrou na briga. Quando passou ao segundo lugar parece que o catarinense recebeu o impulso que precisa para acreditar na possibilidade de vitória, que veio rápido! Na volta seguinte Chumbinho ultrapassou Davis, abrindo vantagem até a bandeirada. Davis completou em segundo, Willian em terceiro e Nielsen Bueno, que correu com uma moto emprestada após ter problema com a sua oficial, fechando na quarta posição. 


Carlos Eduardo Franco


Ismael Rojas
Ismael Rojas largou na frente na categoria 230cc sabendo que precisava de um forte ritmo para impedir uma nova vitória de Carlos Eduardo Franco, o líder absoluto do campeonato. O paulista tropeçou na segunda volta, quando uma leve queda foi suficiente para que perdesse três posições. Franco assumiu a frente seguido por Nivaldo Viana e Germano Vandresen, mas nenhum dos dois conseguiu acompanhar o ritmo do ponteiro que chegou à sua quinta vitória, ficando muito próximo do título.

Na metade da bateria Rojas já ocupava o segundo lugar, onde finalizou a prova. Nivaldo e Germano ficaram isolados nas posições seguintes, enquanto Eduardo Rosing, desde a largada na quinta posição, completou o pódio. 


Anderson Amaral, da 85cc, é o primeiro campeão da temporada


João Ribeiro
Quando largou na prova da 85cc Anderson Amaral era favorito absoluto, ainda mais com a ausência do vice-líder da classificação Rodrigo Riffel, vítima de problemas mecânicos durante os treinos. Invicto no campeonato, o paulista ainda alinhou para a prova com um tempo nos treinos dois segundos mais baixo que o da concorrência, reforçando a condição. A expectativa foi confirmada com uma vitória de ponta a ponta, que lhe rendeu o título brasileiro 2010. "Este resultado consagra um ano de muita luta, esforço e treinamento", disse o garoto, feliz com a conquista.

A corrida foi tranquila e sem disputa para o segundo colocado João Ribeiro, que agora também ocupa esta posição na tabela. Hallex Dalfovo e Gabriel Carbonera largaram e completaram na terceira e quarta colocações respectivamente. Mudanças apenas pela quinta posição onde Petrus Vellozo enfrentou a oposição de Guilherme Zaparoli. Na metade da prova, após alcançar o posto, Guilherme enfrentou problemas e abandonou a pista, facilitando para que Petrus chegasse a conquista definitiva do quinto lugar. 


Enzo Lopes de volta ao centro do pódio da 65cc


Kioman Munoz
Apenas dois pilotos dividem as vitórias da categoria 65cc até aqui. Enzo Lopes voltou ao campeonato após a ausência na etapa de Canelinha, quando estava machucado, para uma nova conquista empatando a disputa com Kioman Munoz: cada um venceu três corridas. No campeonato a situação é diferente, Kioman conta com uma vantagem confortável de 23 pontos e Enzo sabe que a falta pode ter sido decisiva na disputa pelo título.

Nesta etapa Enzo liderou desde a largada. Já Kioman disputou o segundo lugar intensamente com Djalma Brito, chegando a perder a posição. No final retomou o posto deixando o paulista no terceiro lugar. José Brayan Soares aproximou-se da disputa nos minutos finais, mas acabou mesmo com a quarta colocação. Mais distante, Daniel Reichhardt completou o pódio levando vantagem sobre Matheus de Souza, que acabou cometendo um erro durante a disputa.

A próxima etapa do campeonato ainda será definida. A CBM divulgou somente que a pista do Centro de Treinamento Pro Tork, em Siqueira Campos, PR, receberá a 8ª e última rodada da competição, programada para o dia 21 de novembro. O Pro Tork Campeonato Brasileiro de Motocross tem o patrocínio Pro Tork e Rinaldi, com realização e supervisão da Confederação Brasileira de Motociclismo.

Clique e veja os resultados completos






© 2000 - 2018 MotoX MX1 Internet