X Fechar
foto

X Fechar
foto
Clique e saiba mais
Clique e saiba mais
Clique e saiba mais
Clique e saiba mais
Clique e saiba mais
Clique e saiba mais

Edgers Racing

KTM Sacramento

Toro Sports

SP Race Park

JPS Racing

MotoX Pneus

Arenafama

Clique e saiba mais

> Competição > Brasileiro de Motocross

1ª etapa - Detalhes do Evento - Indaiatuba - SP
Publicado em: 05/04/2009

Correndo em casa Team Honda domina abertura da temporada
MotoX.com.br - Texto e fotos: Maurício Arruda 


Largada MX1


Veja os vídeos da prova na MotoX TV
 
(Já disponíveis MX1, MX2, CRF 230 e 85cc) 
Sempre muito aguardada a abertura do Campeonato Brasileiro de Motocross foi realizada no final de semana dos dias 28 e 29 de março em seu tradicional palco: a pista do CETH (Centro Educacional de Trânsito Honda) em Indaiatuba, SP. Como sempre a 1ª etapa é a ocasião do primeiro contato com as novidades da temporada, sejam elas mudanças na programação, regulamento ou mesmo nos novos uniforme e números de pilotos, o que sempre gera alguma dificuldade de identificação por parte do público e da mídia.

Em relação a programação há muitas mudanças, mas a organização não confirma que nas demais disputas do ano ela seja a mesma desta rodada. Em Indaiatuba funcionou da seguinte forma: sábado ocorreram treinos livres, cronometrados e corridas de MX3, MXJr, 65cc e 50cc (a mais nova categoria agregada ao circuito), ou seja nenhuma ação para os profissionais de MX1 e MX2; No domingo a mesma fórmula, mas com as categorias profissionais (MX1 e MX2) mais CRF 230 e 85cc na pista. 

Veja também: 
- Resultados das provas de domingo - MX1, MX2, 85cc e CRF230
- Resultados das provas de sábado - MXJr, MX3, 65cc e 50cc
- Galeria de imagens das provas com 648 fotos! 
- Galeria de imagens dos bastidores e dos treinos com 550 fotos!
- Os vídeos da prova na MotoX TV 
 
Falando em pista ela ganhou mais obstáculos e dificuldades para esta temporada. Os saltos de encaixe estão por todo o circuito e ficaram mais longos exigindo mais técnica dos pilotos. No segundo dia de provas houve exagero na irrigação de alguns pontos que ficaram impraticáveis. Com isto os pilotos praticamente utilizaram uma única linha em determinados trechos da pista. 


Está de volta a emoção do circuito nacional...

Campeões ausentes


...E as disputas com os melhores pilotos do país
Como anunciado durante a semana o campeão da MX3 Milton "Chumbinho" Becker não apareceu em Indaiatuba, uma lesão durante um treino impediu sua participação na prova. Outra lamentável ausência foi do campeão da MX2 Rodrigo Selhorst. A equipe do rondoniense fechou as portas e, sem convite para outro time, Selhorst abandonou o circuito. O fato mostra como o profissionalismo ainda é restrito, e quanto é complicado seguir a carreira de piloto em nosso país. Apesar dos excelentes resultados equipe e piloto não conseguiram o apoio necessário para continuarem competindo.

A Yamaha também deixou a competição, sinal de que a tão falada crise mundial de alguma forma também afetou o esporte. A Honda por outro lado segue com o maior time e principal patrocinador da competição, inclusive aumentou seus integrantes, contando com pilotos na 85cc, MXJr, MX1 e MX2. A Pro Tork segue investindo, mas mudou de estratégia e enxugou sua estrutura, nesta temporada contará com os campeões João "Marronzinho" Silva (MX1) e Milton "Chumbinho" Becker, além de Nico Rocha, atual vice-campeão da MX3, todos competindo com as Kawasakis fornecidas pela American Cross. 


Indaiatuba sedia há vários ano a abertura do campeonato

A Dunas concentrou suas forças na categoria 85cc, onde o time "Kids" conta com Endrews Armstrong e Stefany Serrão pilotando motos 150cc 4 Tempos. Lucas Moraes, destaque do time em 2008, está focado nesta temporada no AMA Motocross (Campeonato Norteamericano) onde competirá pela equipe Star Racing Yamaha e já faz sua pré-temporada de 450cc. Voltando ao Brasil a Suzuki no campeonato deste ano terá dois experientes pilotos: os paulistas Roosevelt Assunção e Rafael Zenni. Muitos nomes de destaque do cenário nacional voltaram em 2009 ao extenso "clube dos privados". Pipo Castro, Duda Parise, Rafael Faria entre outros que seguem tentando seu espaço no circuito nacional correndo com estrutura própria ou apoios independentes.

Corridas 

MXJr: disputa interna


Rodrigo Rodrigues


Gustavo Takahashi
No sábado o box não estava tão cheio quanto costumamos ver na primeira prova da temporada, mas isto ocorreu pela divisão do evento em duas partes. No domingo aí sim ele ficou totalmente tomado pelas equipes. Mas vamos as provas. No primeiro dia assistimos aos "combates" de MXJr, 65cc, MX3 e 50cc. A temporada foi oficialmente aberta com a prova dos adolescentes, a MXJr.
A bateria teve a liderança de Rodrigo "Lama" até a metade da corrida, sempre perseguido por Gustavo Takahashi e Rodrigo Rodrigues, seus companheiros na equipe Honda. Takahashi fez a ultrapassagem sobre o sergipano assumindo a ponta, mas o vencedor foi definido algumas voltas mais tarde quando Rodrigo Rodrigues pulou da terceira para a primeira colocação.


Rodrigo Lama
"É muito importante iniciar com vitória. Eu não esperava o primeiro lugar, mas ele veio e premiou todo o forte trabalho do início da temporada", afirmou Rodrigues. Takahashi completou em segundo, claramente desgastado pelo forte calor do início de tarde, com Lama em terceiro alguns segundos atrás. Dudu Lima teve trabalho para recuperar-se de um erro na primeira volta, mas ainda assim garantiu o quarto lugar após ultrapassar Gabriel Montenegro, melhor classificado entre os privados. Marçal Muller ficou com a sexta posição e Gabriel Gentil, após uma prova complicada por uma queda na primeira volta ganhou muitas posições (18 em apenas uma volta!) para conseguir os pontos do sétimo lugar. Mariana Balbi aqueceu-se para a MX3 com boa apresentação e a oitava posição em sua primeira participação na classe. 

65cc: Guigão leva o primeiro lugar


Wilgner "Guigão" Francisco


Rodrigo Riffel
O gate ficou tomado pelas motos 65cc na bateria seguinte, onde Wilgner "Guigão" Francisco assumiu a liderança na largada. Não demorou para o paulista ter a companhia do catarinense Rodrigo Riffel com quem passou a disputar o primeiro lugar. Riffel conseguiu a a ultrapassagem e fez uma prova perfeita até enroscar-se com um retardário, momento em que devolveu a liderança para o adversário.

Guigão então confirmou a vitória com larga vantagem enquanto Riffel ainda salvou o segundo lugar, apesar de um pneu furado. Pedro Bueno fez uma prova consistente e foi premiado com a terceira posição enquanto Enzo Lopes pulou do sétimo lugar no início para o quarto lugar na bandeirada. Elói Cavalheiro foi o quinto mais rápido também em prova de recuperação. Após uma queda na largada Gustavo Pessoa acelerou forte fechando a bateria na sexta posição. 

MX3: Novos nomes entre os veteranos


Cristiano Lopes


Vagner Lachi
A prova da MX3 não teve os destaques da temporada passada entre os protagonistas da abertura deste ano. Além da já comentada ausência do campeão Chumbinho a prova não contou com Willian Guimarães, piloto que mostrou muita velocidade nos treinos - onde acabou caindo - e não participou da corrida. Nico Rocha foi outro que não se deu bem em Indaiatuba e, após uma prova conturbada, completou a bateria apenas na oitava colocação. 

Quem brilhou nesta abertura foi Cristiano Lopes, antigo campeão brasileiro nas classes principais, que retornou com vitória ao circuito. Mas Lopes teve trabalho, especialmente no início de prova quando, após ultrapassar Mariana Balbi, viu a mineira retomar a ponta pouco depois. Inspirada Mariana começou a abrir vantagem, mas errou em seguida devolvendo o primeiro lugar para Cristiano Lopes. 


Mariana Balbi


Anderson "Magrão" Mendes
Da terceira passagem em diante Cristiano Lopes manteve a liderança enquanto o público vibrava com a disputa pelo segundo lugar entre Vagner Lachi e Mariana. Apesar da insistência e de algumas trocas de posição Lachi manteve a posição até a bandeirada. Mariana completou na terceira colocação conseguindo também a volta mais rápida da bateria. A quarta posição foi do paulista Anderson Mendes, mais conhecido como Magrão, outro piloto que chega ao circuito nesta temporada. Alexandro Martins, o Anão, completou o pódio da categoria. 

50cc: Estreia da molecada


Guilherme Costa


Gabriel Santos
A estreante categoria 50cc reuniu os mais jovens pilotos da competição. Enzo Lopes foi destaque da bateria até enfrentar problemas mecânicos e perder rendimento. Guilherme Costa, que vinha desde o início na segunda posição, não perdeu a oportunidade de assumir a ponta e vencer. 

Enzo manteve-se na pista, mas não segurou a segunda posição que acabou com Gabriel Santos, vindo do quinto lugar na largada.

Enzo terminou em terceiro enquanto Gabriel Silva garantiu o quarto posto na última volta após muita disputa com Carlinhos Evangelista, quinto colocado. A categoria reuniu 26 participantes e foi a última realizada no sábado. 

MX2: Wellington Garcia volta ao topo


Wellington Garcia


Swian Zanoni
No domingo mais quatro categorias foram à pista, pela manhã com treinos livres e cronometrados, de tarde perante um grande público foram realizadas as corridas. A MX2 foi a primeira disputa e Wellington Garcia, piloto campeão de 2007, voltou a competir na classe pulando na frente na largada. Roosevelt Assunção partiu apenas na quinta posição, mas recuperou terreno rápido e na volta seguinte era o único a acompanhar o ritmo do ponteiro.

Surpresa no gate da categoria Pipo Castro piloto que estamos acostumados a assistir andando na MX1, tinha a terceira posição e parecia a vontade com o circuito deste ano, mais cheio de saltos, bem ao seu estilo. Quando a prova entrava em seu terço final Roosevelt apertou o ritmo na tentativa de buscar Wellington, mas este foi também o momento que mudou sua história na prova: um choque com um retardatário derrubou Roosevelt que em seguida diminui drásticamente o ritmo: um pneu furado atrapalhou sua corrida, mas ainda assim ele salvou alguns pontos com a 15ª posição. 


Pipo Castro


Rafael Faria
Enquanto Wellington respira na frente Pipo pula para a vice-liderança, mas a aproximação de Swian Zanoni, vindo de uma péssima largada, mostra que a briga pela posição é questão de tempo. Swian encosta e, faltando duas voltas, assume o segundo lugar. Wellington administra o final de prova e vence em seu retorno a MX2. "A corrida não podia ter sido melhor. Larguei em primeiro e imprimi um ritmo bem forte. Depois foi só administrar. O Swian pressionou um pouco no final, mas consegui segurar o resultado. Para mim foi excelente", comentou satisfeito. 

Swian completou a bateria na segunda posição e Pipo na terceira. O quarto lugar foi de Rafael Faria, piloto paranaense que pode surprender ao longo da temporada. Faria conta com o suporte de Clóvis Castello, remanescente do Team Oásis, um dos responsáveis pelo excelente desempenho de Rodrigo Selhorst no ano passado. Logo atrás, fechando o pódio, Thales Vilardi garantiu o quinto lugar.

Com muita gente boa ocupando as posições seguintes, ficou claro o alto nível da bateria. Rafael Zenni foi o sexto, Dudu Lima o sétimo e Jean Ramos, vindo das últimas posições e ainda recuperando-se de uma fratura no nariz, o oitavo. Duda Parise e Gustavo Takahashi completaram os dez mais rápidos. 

CRF 230: Gate cheio na classe nacional


Richard Nunes


Murilo Scisci e Nivaldo Viana
Quarenta motos alinharam para a única bateria de motos nacionais do campeonato, a CRF 230. A igualdade no equipamento promoveu uma prova cheia de alternativas com diversos pilotos disputando uma posição no pódio. Nivaldo Viana liderou o início, mas cometeu um erro perdendo posições e Richard Nunes pulou para a liderança.

Richard também errou perdendo o primeiro lugar para Murilo Scisci, mas pouco depois conseguiu a recuperação mantendo a liderança até a bandeirada. Murilo, piloto local de Indaiatuba, fez uma prova consistente sem ceder a pressão do pelotão que disputava com ele o segundo lugar, posição que garantiu até o final. Nivaldo Viana recuperou-se do erro no início e fechou a prova em terceiro superando Marcos Moraes, atual vice-campeão da categoria e quarto colocado na prova. Rafael Xavier precisou realizar 16 ultrapassagens para garantir a quinta posição do pódio. 

85cc: Rudnick na última volta


Eduardo Rudnick


Thiago Formehl
A 85cc teve uma prova repleta de mudanças na liderança. Foram tantas que o próprio vencedor não sabia que estava no primeiro lugar quando recebeu a bandeirada. Thiago Formehl por exemplo ocupou a liderança em três momentos distintos da prova. Além dele Kaio Miranda, Everaldo Lima e Anderson Amaral passaram pela posição antes do dono definitivo assumi-la.

Kaio errou e perdeu posições. Everaldo tinha o primeiro lugar a três voltas do fim quando caiu abandonando a disputa, momento em que Formehl passou pela liderança pela última vez. O novo líder era Anderson Amaral e parecia que o piloto privado levaria a melhor, mas na última volta um problema mecânico lhe tirou da corrida! Foi a vez de Eduardo Rudnick, que desde do início da prova vinha ganhando posições, assumir o primeiro lugar e receber a bandeirada sem saber que vencia! O segundo lugar foi de Thiago Formehl, com Endrews Armstrong, em uma excelente recuperação, fechando a prova em terceiro. Kaio Miranda garantiu o quarto lugar e Raul Faustino o quinto. 

MX1 ou Força Livre?


Leandro Silva


Wellington Garcia
Os principais pilotos do país reuniram-se na disputa da MX1, na verdade uma classe Força Livre no formato desta temporada que aceita também motos da categoria MX2. As primeiras voltas da prova mostraram que a briga pela vitória na categoria principal seria entre Leandro Silva e Wellington Garcia. O campeão João "Marronzinho" Silva começou a corrida com uma largada regular enquanto seus principais concorrentes brigavam pela primeira posição desde o início. Além disso o piloto da Pro Tork enfrentou problemas com a mangueira do respiro do tanque de sua moto que soltou-se. "Tive que me preocupar em prendê-la, perdendo tempo no início da corrida", explicou o piloto que neste momento caiu da oitava para décima posição.

Roosevelt Assunção voltou a apresentar o bom desempenho da prova da MX2 nesta bateria e, mesmo sem acompanhar os pilotos da Honda, fixou-se no terceiro lugar. A disputa pela liderança entre Leandro e Wellington esquentou na quinta passagem quando o goiano aproveitou um erro do paranaense e assumiu a primeira colocação. As posições voltaram a se inverter na décima volta, pouco mais da metade da prova, quando Leandro retomou a primeira posição. 


Roosevelt Assunção


João Marronzinho
Rafael Zenni ocupou por grande parte da prova a quarta colocação, mas Marronzinho veio recuperando-se na prova encostando no piloto Ituano nos momentos finais. Três voltas antes do fim o catarinense ultrapassou o paulista conquistando sua posição definitiva. A esta altura Roosevelt administrava o terceiro lugar já distante dos dois primeiros, mas sem ser ameaçado por Marronzinho.

O pódio só não estava definido porquê Wellington seguia perseguindo Leandro. A pequena vantagem não permitia erros e Leandro manteve a concentração até o final garantindo a liderança do campeonato. "Fiquei muito feliz. Ainda temos muito pela frente para conquistar. Este foi um resultado importante. O ano passado tive alguns problemas. Esta foi uma prova muito disputada, o Wellington se aproximou, mas deu tudo certo", afirmou o vencedor.

Pela sexta posição Pipo Castro levou a melhor na batalha com Swian Zanoni colocando-se mais uma vez entre os pilotos de fábrica. Douglas Parise ficou com a oitava posição enquanto os jovens Thales Vilardi e Rodrigo Rodrigues fecharam os dez melhores classificados. Marcello Ratinho, atual vice-campeão da MX2 e que faz nesta temporada exclusivamente a categoria principal não teve um bom início de campeonato. Chegou a ocupar a sétima posição, mas na metade da corrida, quando estava no nono lugar, sofreu uma queda abandonando a prova. 


Pódio MX1

Segundo a organização mais de dezoito mil pessoas assistiram as provas desta primeira etapa que reuniram no total 454 inscrições. A segunda rodada do Campeonato Brasileiro de Motocross teve sua data alterada para os dias 25 e 26 de abril em Canelinha, SC (clique e saiba mais). 

Classificação geral no campeonato

Pos No. MX1 Pontos
1 14 Leandro Nunes Da Silva 25
2 21 Wellington Garcia Matos 22
3 4 Roosevelt De Freitas Assuncao Junior 20
4 1 Joao Paulino Da Silva Junior 18
5 931 Rafael Zenni 16
6 13 Cristopher Castro 15
7 12 Swian Zanoni Coelho Gomes 14
8 292 Douglas Scartazzini Parise 13
9 17 Thales Vilardi Felix Da Silva 12
10 32 Rodrigo De Castro Rodrigues 11
11 35 Marcos Campos Cordeiro 10
12 31 Gabriel Bitencourt Gentil 9
13 57 Edson Luiz Bertos 8
14 40 Heinz Wynther Dollinger Chrispim 7
15 125 Marco Antonio Baptista De Oliveira Junior 6
Pos No. MX2 Pontos
1 21 Wellington Garcia Matos 25
2 12 Swian Zanoni Coelho Gomes 22
3 13 Cristopher Castro 20
4 37 Rafael Da Silva Faria 18
5 17 Thales Vilardi Felix Da Silva 16
6 931 Rafael Zenni 15
7 338 Eduardo Ferreira Lima 14
8 18 Jean Carlo Ramos 13
9 292 Douglas Scartazzini Parise 12
10 41 Gustavo Takahashi 11
11 35 Marcos Campos Cordeiro 10
12 57 Edson Luiz Bertos 9
13 125 Marco Antonio Baptista De Oliveira Junior 8
14 48 Joao Paulo Feltz 7
15 4 Roosevelt De Freitas Assuncao Junior 6
Pos No. MX3 Pontos
1 26 Cristiano Lopes 25
2 731 Vagner Lachi 22
3 39 Mariana Balbi 20
4 550 Anderson Vaz Mendes 18
5 33 Alexandro Valerim Martins 16
6 86 Joao Batista Barbosa Filho 15
7 42 Julio Cezar Bonifacio Xavier 14
8 16 Nicomedes Soares Da Rocha Filho 13
9 49 Marcelo Alan Agostini 12
10 610 Marcio Rogerio Do Nascimento 11
11 227 Ademir Antonio Todeschini 10
12 278 Walter Sergio Tardim 9
13 925 Eliseu Glanert 8
14 78 Vinicius Rachid Da Silva 7
15 153 Nasri Weinhardt Sarkis 6
Pos No. MXJr Pontos
1 32 Rodrigo De Castro Rodrigues 25
2 41 Gustavo Takahashi 22
3 332 Rodrigo De Andrade Santos 20
4 338 Eduardo Ferreira De Lima 18
5 53 Gabriel Ferreira Montenegro 16
6 50 Marçal Muller 15
7 31 Gabriel Bitencourt Gentil 14
8 39 Mariana Balbi 13
9 273 Erick Bretz 12
10 116 Gabriel Zenni 11
11 121 Henrique Winkler 10
12 938 Victor Feltz 9
13 65 Samuel De Souza Pacheco 8
14 59 João Vinicius Gabriel Costa De Oliveira 7
15 30 Hector Freitas Assunçao 6
Pos No. 85cc Pontos
1 7 Eduardo Leopoldo Rudnick 25
2 95 Thiago Formehl 22
3 4 Endrews Armstrong Nhemes 20
4 104 Kaio Cesar De Miranda 18
5 67 Raul Faustino 16
6 308 Matheus Ribeiro Corguinha 15
7 23 Francisco Martins De Araujo Neto 14
8 20 Marcos Paulo Holtman 13
9 111 Venicio Voigt 12
10 6 Leonardo Lizott 11
11 15 Manoel Humberto Oliveira Kuhn 10
12 26 Stefany Goncalves Serrao 9
13 2 Cezar Augusto Zamboni 8
14 13 Tauan Henrique Brenner 7
15 871 Joel Noeri Albertini Filho 6
Pos No. 65cc Pontos
1 28 Wilgner Francisco 25
2 5 Rodrigo José Riffel 22
3 35 Pedro Henrique Rosa Bueno 20
4 12 Enzo Lazaro Pedo Lopes 18
5 88 Eloi Cavalheiro Junior 16
6 7 Gustavo Pessoa De Souza 15
7 125 Leonardo De Souza Silva 14
8 8 Kioman De Jesus Navarro 13
9 71 Matheus Galves De Souza 12
10 53 Felipe Zambrini Santos 11
11 6 Francisco Urrutia Bratschi 10
12 115 Lucas De Almeida Calazans 9
13 116 Guilherme Antonietti Zaparoli 8
14 102 Djalma Carvalho De Brito 7
15 15 Jose Brayan Padilha Soares 6
Pos No. 50cc Pontos
1 6 Guilherme Torres Da Costa 25
2 143 Gabriel Gomes Dos Santos 22
3 2 Enzo Lazaro Pedo Lopes 20
4 71 Gabriel Favero Silva 18
5 9 Carlos Tavares Evangelista 16
6 8 Renato Costa Mattos Paz 15
7 117 Glauter Ribeiro Da Silva Filho 14
8 111 Pedro De Castro Boechat 13
9 921 Felippe Müller Menuzzi 12
10 66 Lucas Erthal Cabral 11
11 78 Felipe Machado Gonzalez 10
12 57 Victor Hugo Pires Soares 9
13 50 Thiago Henrique Brenner 8
14 119 German Bratschi Talmon 7
15 22 Victor Colla De Magalhães 6
Pos No. CRF 230 Pontos
1 97 Richard Bruno Rezende Nunes 25
2 917 Murilo Tomazelli Scisci 22
3 4 Nivaldo Jose Viana 20
4 113 Marcos Roberto Roza De Moraes 18
5 11 Rafael Silva Xavier 16
6 330 Carlo Monaco Valenca 15
7 147 Anderson Albertone 14
8 6 Thiago Quintela Melo 13
9 124 Ciro Jose Da Silva 12
10 7 Danilo Milton Fumes 11
11 82 Murilo Bertate 10
12 890 Rafael Espindola 9
13 157 Erton Soares Aguiar 8
14 115 Paulo Giovani De Oliveira 7
15 959 Alcides De Sousa Cruz Filho 6



Curso MotoX
JPS Racing

© 2000 - 2018 MotoX MX1 Internet