X Fechar
foto

X Fechar
foto
Clique e saiba mais
Clique e saiba mais
Clique e saiba mais
Clique e saiba mais
Clique e saiba mais
Clique e saiba mais


>Competição > Rally

Rally Dakar 2021 - Arábia Saudita
Publicado em: 19/01/2021
Clique e saiba mais

Kevin Benavides é o primeiro sul-americano a vencer o Dakar
Redação Motox.com.br: Lucidio Arruda - Fotos: RallyZone / Ivan Duhamel

Competição teve segunda edição inteiramente em território saudita


Kevin Benavides venceu o Dakar em sua quinta participação

De 3 a 15 de janeiro o mundo do esporte a motor voltou-se para a Arábia Saudita que recebeu pela segunda vez o maior Rali do mundo. A edição 2021 percorreu 7812km, sendo 4688 de especiais cronometradas. Segundo a organização a totalidade das especiais utilizou rotas novas, sem passar pelo percurso de 2020.

A organização procurou também reduzir os trechos de velocidade pura, buscando trajetos mais técnicos e sinuosos. Para aumentar a segurança foi implantado um sistema de aviso sonoro ao se aproximar das zonas mais perigosas. Na categoria Motos, largaram 101 pilotos, que além das tradicionais preocupações com a navegação, tiveram que adequar a pilotagem ao novo regulamento que limita o número de pneus traseiros a apenas seis durante toda a competição. A novidade causou certa polêmica, apesar da boa intenção de limitar a agressividade dos pilotos, também é consenso geral que pneus deteriorados podem deixar várias situações mais perigosas.

2 de janeiro - Prólogo - Jeddah (129 km total / 11 km especial)


Ricky Brabec

Com apenas 11km de especial, o Prólogo definiu a ordem de largada para o dia seguinte, que muitos consideram como o real início do Dakar. O detentor do nº 1 Ricky Brabec (Honda) foi o mais rápido seguido do companheiro de equipe Joan Barreda. Daniel Sanders (KTM) foi o terceiro colocado. Os tempos do prólogo, multiplicados por quatro, foram adicionados à classificação geral.

A Honda dominou a etapa com Benavides, Brabec e Cornejo nas três primeiras posições, enquanto Sunderland ficou em quarto. O chileno não só manteve a liderança, como abriu uma vantagem de 11 minutos sobre o então segundo colocado geral Benavides.

3 de janeiro - Jeddah - Bisha (623 km / 277 km)


Toby Price

Largar na frente significa pista livre, mas também uma navegação mais cautelosa, já que não há trilho a seguir. Brabec e Barreda sofreram um pouco com as rotas no percurso pedregoso. Poupar o pneu traseiro também foi fundamental, mas, como novidade, a medida certa entre poupar e atacar ainda seria descoberta pelos pilotos durante as etapas.

A vitória na etapa ficou com Toby Price (KTM), que foi o nono a largar e assumiu a liderança geral: "A navegação foi complicada hoje, difícil de encontrar as pistas e vales corretos. Foi irritante me perder um pouco nos quilômetros finais, mas no geral foi um dia bom".

Kevin Benavides (Honda), sétimo no prólogo, fechou a etapa com a segunda posição geral, iniciando o Dakar com a consistência que renderia bons frutos na fase final.

4 de janeiro - Bisha - Wadi Ad-Dawasir (685 km / 457 km)


Joan Barreda

Com longos e exigentes 457 km de especiais, a segunda etapa deu uma chacoalhada na classificação geral. Um fator determinante neste dia foi o combustível contaminado que complicou a vida de alguns competidores, entre eles o então líder Price que fez os quilômetros finais com a moto pipocando. Pior foi a sorte de Andrew Short (Yamaha) que não conseguiu completar o percurso quando sua moto parou após o segundo reabastecimento...

A Yamaha testou o combustível e encontrou água no mesmo. No tanque do Argentino Franco Caimi a equipe também detectou água e como precaução drenaram a gasolina e trocaram a bomba de combustível de suas quatro motos remanescentes na competição.


Andrew Short

Como o combustível é fornecido pela organização, a Yamaha entrou com recurso solicitando o descarte dos tempos após o reabastecimento do km 267, o que permitiria a Short seguir no Rally, porém o recurso foi negado.

Alheio aos problemas com combustível, Joan Barreda (Honda) confessou que atacou as especiais do início ao fim, o que lhe garantiu um tempo quatro minutos mais rápido que seu companheiro de equipe Brabec no dia, resultando em seis minutos de vantagem na geral. Ross Branch (Yamaha) assumiu a terceira posição.

5 de Janeiro - Wadi Ad-Dawasir  - Wadi Ad-Dawasir (629 km / 403 km)


Skyler Howes

A terceira etapa foi feita num laço de 629 km com partida e chegada no mesmo ponto em Wadi Ad-Dawasir. Boa parte do percurso foi de navegação num platô de dunas a aproximadamente 1000 metros acima do nível do mar. Para complicar o vento forte tratou de deixar as dunas ainda mais íngremes ao mesmo tempo que removia as "pegadas" dos competidores a frente.

Toby Price recuperou-se das complicações que resultaram na 28ª posição no dia anterior para a vitória na  etapa com três minutos de vantagem sobre Kevin Benavides. Mas o dia foi marcado pela surpreendente liderança geral de Skyler Howes (Bas Dakar KTM) que compete praticamente com um esquema privado.

"Encontrei o fluxo no início das dunas e quando as coisas se abriram me senti em casa. As trilhas de areia pelos desfiladeiros e passagens rochosas foram muito divertidas. Vou aproveitar cada dia que vier e enfrentar cada desafio da melhor maneira que puder", comentou o norte-americano que contratou a equipe holandesa BAS para lhe dar suporte na competição. Após abandonar em sua primeira participação em 2019, Howes foi nono colocado com uma moto completamente standard em 2020. O desempenho lhe valeu um apoio da WP com as suspensões, mas ele sonha com uma vaga em equipe de fábrica para as próximas edições.

6 de janeiro - Wadi Ad-Dawasir - Riyadh (813 km / 337 km)


Xavier de Soutrat

Foi o dia mais longo desta edição com mais de 800 km totais. Foi também um dos mais rápidos, onde os pilotos testaram as velocidade final de suas máquinas em diversas ocasiões. O trajeto começou com pistas rápidas no deserto que lembravam a região do Ténéré. Ao se aproximar da capital Riyadh os pilotos passaram por vilarejos e regiões mais populosas.

Barreda venceu sua segunda especial, mas tivemos nova surpresa na liderança com o francês Xavier de Soultrat (Husqvarna), que superou o espanhol por apenas 15 segundos no cômputo geral.

"É difícil abrir grandes espaços em etapas como essas. Teríamos que atacar como loucos, mas já estamos indo muito rápido. Hoje cheguei novamente a 175 km / h. Poderia ir mais rápido, mas não acho que devo. Você também precisa seguir o roadbook ... De qualquer forma, meu ritmo está muito bom", comentou Soultrat ao fim do dia.

7 de janeiro - Riyadh - Al Qaisumah (662 km / 456 km)


Laia Sanz

Um dia com uma especial longa e técnica, com médias horárias mais baixas graças aos trechos de dunas e também a profusão de pedras no início e na parte final, que recomendavam cautela aos pilotos para não destruírem os pneus.

Kevin Benavides foi o mais rápido, cumprindo o percurso em quase 5h10m. Até então todas as especiais anteriores foram vencidas em menos de 4 horas. O argentino também assumiu a liderança geral, apesar de ter sofrido uma forte queda nas dunas:  "Foi difícil por causa da navegação e também porque sofri uma forte queda em uma duna. Bati minha cabeça com força contra o GPS e torci os tornozelos. Foi muito dolorido, mas não desisti e continuei avançando no estágio. Não foi fácil, mas finalmente consegui vencer e estou muito feliz. Amanhã será minha vez de abrir a pista e terei de me defender para fazer algum progresso."

8 de janeiro - Al Qaisumah - Ha'il (618 km / 448 km)


Lorenzo Santolino levou a Sherco à sexta posição geral no Dakar

Num dia marcado por areia, areia e mais areia, Joan Barreda vence a etapa com apenas 13 segundos de vantagem sobre Ross Branch (Yamaha) numa especial que teve 100km a menos que originalmente previsto. Mais uma vez tivemos troca de líder na geral, com Toby Price (7º na etapa) na ponta, provando que largar na frente raramente se traduz em vantagem, onde a a navegação é primordial.


Ross Branch

"Demorou um pouco, mas consegui pegar os dois caras na minha frente e felizmente conseguimos manter um bom ritmo na frente. Eu tive uma pequena saída que torceu um pouco a torre do road book, mas fora isso não houve problemas. É ótimo ter assumido a liderança geral, mas depois de uma semana de altos e baixos, o mais importante é que estamos em forma e em boa forma para a segunda metade do rali. O plano agora é aproveitar o dia de descanso e, com sorte, mais do mesmo na próxima semana", comentou Price antes do tradicional e merecido dia de "descanso" no Rally Dakar. Descanso para pilotos e trabalho multiplicado para os mecânicos, incumbidos de reconstruir, consertar e revisar tudo que for possível, deixando as máquinas aptas a enfrentarem mais alguns milhares de quilômetros no deserto.


 


10 de janeiro - Ha'il - Sakaka (737 km / 453 km)

A competição encerrou o dia com um novo líder, afinal é preciso manter o script desta edição, nem que seja por um mísero segundo. E assim foi que o chileno José Ignacio Cornejo (Honda) tomou a liderança de Price após completar a primeira perna da etapa maratona em segundo, logo atrás de Brabec.


José Ignacio Cornejo

"Na primeira parte tive alguns problemas na zona arenosa que, molhada, estava mais difícil. A partir daí, consegui encontrar o meu ritmo. Antes de ir para o reabastecimento tive um problema com o tanque, perdi alguns minutos, mas consegui resolver. Depois, eu fiz tudo para tentar compensar os minutos que perdi. Não cometi nenhum erro de navegação e consegui me recuperar", comentou Cornejo.

Sem a assistência dos mecânicos permitida, os próprios pilotos foram responsáveis por checar e aprontar as motos para o dia seguinte. A situação dos pneus gerou alguma apreensão em determinados participantes, já que teriam mais 709 km a cumprir no dia seguinte.

11 de janeiro - Sakaka - Neom (709 km / 375 km)


 

Canyon, montanhas e rocha marrom "agraciaram" os pilotos ao longo da segunda perna da maratona. Cornejo cometeu a proeza de largar e concluir o dia na liderança, ampliando a liderança para ainda diminutos um minuto e seis segundos.

Sam Sunderland manteve a terceira posição, com o trio na ponta segurando suas posições. Xavier de Soultrat, que largou em quarto, caiu na metade da especial e foi forçado a abandonar, deixando a posição livre para Kevin Benavides.

A partir deste ponto ficou clara a polarização da disputa entre Honda e KTM, com a japonesa ocupando quatro das seis primeiras posições enquanto a austríaca apostava todas as suas fichas em Price e Sunderland.

12 de janeiro - Neom - Neom (579 km / 465 km)


Daniel Sanders foi melhor estreante no Dakar 2021 com a quarta posição geral

Mais um dia de "laço" no Dakar com partida e chegada em Neom, cidade no noroeste saudita. Total de 579 km beirando a fronteira com Israel e o Mar Vermelho. A especial não foi nada boa para a KTM que ficou sem seu primeiro piloto Toby Price. O australiano caiu logo após o quinto posto de controle. Demais ponteiros pararam para auxiliar o atleta até que chegasse o socorro aéreo. Nestes casos, o tempo parado é descontado ao final do dia após a verificação dos navegadores GPS.

Sunderland em terceiro a 14 minutos do líder passou a ser a única esperança da KTM, que ainda tinha o estreante Daniel Sanders (em 6º, a 38 minutos) e Mathias Walkner (em 15º, a 2h36m) na competição, mas já com poucas chances de vitória.

De qualquer forma a disputa ficava assimétrica com quatro Hondas contra apenas uma KTM entre os cinco primeiros.

13 de janeiro - Neom - AlUla (583 km / 342 km)


A partir desta etapa Kevin Benavides assumiu o comando da competição

Foi um dia de emoções conflitantes para a equipe Honda, cujo o então líder Cornejo sofreu forte queda no km 252 da especial, num dos trechos infestados de pedras. O chileno ainda alcançou - bastante atrasado - a linha de chegada da etapa, mas em razão de ter ficado desacordado por alguns minutos, com a moto bastante avariada e muitas dores pelo corpo, foi recomendado pela equipe médica a deixar a competição.

Por outro lado o time comemorou mais um 1-2-3 na etapa com Brabec, Barreda e Benavides. O argentino assumiu a liderança geral com o norte-americano em segundo. A situação ficava um pouco mais confortável para a Honda, mas a dois dias do fim ainda era preciso cuidado com Sunderland na terceira posição, 10 minutos atrás.

14 de janeiro - AlUla - Yanbu (598 km / 464 km)


Sam Sunderland ataca tudo no penúltimo dia de competição


A chuva encurtou o que seria a especial mais longa desta edição, diminuindo os esperados 511 km para "apenas" 464 km. Sunderland fez o que tinha que fazer. Acelerou tudo que era possível, venceu a etapa e assumiu a segunda posição geral, baixando a diferença em relação a Benavides para pouco mais de cinco minutos. Brabec, a sete minutos do líder, ainda se mantinha na disputa pela vitória.

Sunderland: "Dei tudo de mim hoje - sabia que essa etapa seria uma das melhores chances que teria para ganhar tempo em cima dos ponteiros. Foi ótimo vencer a etapa, mas significa que tenho que abrir amanhã para o último dia, o que será difícil. Ainda assim, tudo pode acontecer como sabemos, e vou continuar lutando até o fim."


 

Benavides: "Hoje foi uma etapa longa e difícil. Realmente tinha de tudo: navegação, dunas, rios, pedras, mas a verdade é que foi uma etapa muito bonita. Estava decidido a não cometer erros na navegação. Foi um dia longo. Comecei em terceiro e consegui alcançar meus companheiros no quilômetro 100, mais ou menos. Aí o Barreda errou e ficou sem combustível e, depois, passei o Ricky e comecei a abrir a pista para quase 200 quilômetros. Mais tarde, nas dunas, consegui pilotar junto com o Ricky e não perder muito tempo ali. Acho que fizemos um trabalho de equipe muito bom."

15 de janeiro - Yanbu - Jeddah (447 km / 200 km)


 

A previsão de Sunderland de que largar na frente, poderia dificultar as coisas acabou se confirmando logo no começo do dia. O britânico errou o caminho e demorou para achar um ponto de referência ainda no início, praticamente evaporando com suas chances de vitória.

Méritos para Benavides que concluiu sua quinta participação na competição com a vitória geral, a primeira de um sul-americano. A estratégia do argentino para a etapa final seria seguir os dois pilotos que largaram a sua frente, mas em determinado ponto ele se viu abrindo a pista. Com foco e concentração manteve a consistência durante todo o rally, mesmo com a descoberta de uma fratura no nariz, após sua queda na quinta etapa.


Honda comemora segunda vitória consecutiva no Rally Dakar


Entre outros destaque não podemos deixar de comentar sobre a espanhola Laia Sanz, que completou seu 11º Rally Dakar na 17ª posição. Entre estreantes ilustres temos o vice-campeão mundial de Motocross MX2 Rui Gonçalves, 19º colocado. O gigante do Enduro David Knight completou o Dakar na 24ª posição. Uma participação inesperada foi do freestyler Libor Podmol, que deixou de lado as manobras aéreas para se aventuras nas dunas sauditas. O piloto da República Checa cruzou a chegada na 31ª posição.

A nota triste da edição fica por conta da morte do motociclista francês Pierre Charpin (52), que caiu na sétima etapa e faleceu cinco dias depois durante o voo que o transportava de Jeddah para França. Era a quarta participação de Charpin no Dakar.

Sunderland: "Não consegui encontrar um ponto de referência no início das dunas e perdi muito tempo tentando encontrá-lo. Sempre há um equilíbrio preciso e quando você aumenta a velocidade, a navegação pode perder. Estou super feliz porque sei que dei tudo de mim."

Brabec: "Estamos de volta a Jeddah. Kevin e eu fizemos um ótimo trabalho. Toda a equipe fez um ótimo trabalho. Foi uma pena para Joan e Nacho. Tentei fazer um empurrão para tentar colocar Kevin sete minutos à frente, mas infelizmente não consegui. Eu tive que me contentar com o segundo lugar. No geral, foi um grande rali. Meu mentor e meu assistente Kendall, meu mecânico Eric fez um ótimo trabalho e mantivemos Nacho e eu focados e inteiros. Obrigado mais uma vez, e espero que no próximo ano possamos levar de volta o número um nesta moto".


Kevin Benavides

Benavides: "A última etapa deste Dakar 2021 foi muito difícil: comecei em terceiro, pensei que seria mais fácil, mas não foi assim. No quilômetro 50 todos os pilotos da frente se perderam, então comecei a abrir a pista. A etapa era muito difícil de navegar, então fiquei muito focado em fazer as coisas bem. Dei tudo para alcançar esta vitória que é um sonho que se tornou realidade para mim. Estou muito feliz e emocionado com isso. Cruzei a linha de chegada pensando em muitas coisas, com muita emoção"

Vídeo




Resultado Geral

P. Drive-team Mark-model Time Variation Penality
1 47 (arg) Kevin Benavides Monster Energy Honda Team 2021 47h 18' 14''   00h 02' 00''
2 1 (usa) Ricky Brabec Monster Energy Honda Team 2021 47h 23' 10'' + 00h 04' 56''  
3 5 (gbr) Sam Sunderland Red Bull Ktm Factory Team 47h 34' 11'' + 00h 15' 57''  
4 21 (aus) Daniel Sanders Ktm Factory Team 47h 57' 06'' + 00h 38' 52'' 00h 07' 00''
5 9 (usa) Skyler Howes Bas Dakar Ktm Racing Team 48h 10' 47'' + 00h 52' 33'' 00h 06' 00''
6 15 (esp) Lorenzo Santolino Sherco Factory 48h 16' 44'' + 00h 58' 30''  
7 2 (chl) Pablo Quintanilla Rockstar Energy Husqvarna Factory Racing 48h 44' 53'' + 01h 26' 39'' 00h 10' 00''
8 11 (svk) Stefan Svitko Slovnaft Rally Team 49h 01' 21'' + 01h 43' 07''  
9 52 (aut) Matthias Walkner Red Bull Ktm Factory Team 49h 50' 26'' + 02h 32' 12'' 00h 02' 00''
10 31 (cze) Martin Michek Orion - Moto Racing Group 50h 00' 51'' + 02h 42' 37'' 00h 23' 00''
11 27 (prt) Joaquim Rodrigues Hero Motosports Team Rally 50h 22' 38'' + 03h 04' 24'' 00h 37' 00''
12 74 (esp) Jaume Betriu Fn Speed - Ktm Team 50h 35' 30'' + 03h 17' 16'' 00h 06' 00''
13 32 (esp) Tosha Schareina Fn Speed - Ktm Team 50h 59' 49'' + 03h 41' 35''  
14 24 (deu) Sebastian Bühler Hero Motosports Team Rally 51h 18' 17'' + 04h 00' 03'' 00h 18' 00''
15 17 (esp) Joan Pedrero Garcia Fn Speed - Rieju Team 51h 25' 42'' + 04h 07' 28''  
16 87 (esp) Oriol Mena Fn Speed - Rieju Team 51h 37' 38'' + 04h 19' 24''  
17 44 (esp) Laia Sanz Gas Gas Factory Team 53h 47' 45'' + 06h 29' 31'' 00h 12' 00''
18 26 (cze) Milan Engel Orion - Moto Racing Group 53h 48' 43'' + 06h 30' 29'' 00h 21' 00''
19 19 (prt) Rui Goncalves Sherco Factory 53h 53' 35'' + 06h 35' 21'' 00h 18' 00''
20 33 (ind) Harith Noah Koitha Veettil Sherco Factory 54h 58' 05'' + 07h 39' 51'' 00h 02' 00''
21 30 (ltu) Arunas Gelazninkas Zigmas Dakar Team 55h 04' 23'' + 07h 46' 09''  
22 54 (fra) Camille Chapeliere Team Baines Rally 55h 38' 18'' + 08h 20' 04'' 01h 23' 00''
23 29 (rou) Emanuel Gyenes Autonet Motorcycle Team 56h 06' 28'' + 08h 48' 14'' 00h 02' 00''
24 101 (gbr) David Knight Ht Rally Raid Husqvarna Racing 56h 11' 25'' + 08h 53' 11'' 00h 29' 00''
25 39 (fra) Benjamin Melot Benjamin Melot 56h 45' 10'' + 09h 26' 56'' 00h 11' 00''
26 25 (nld) Paul Spierings Ht Rally Raid Husqvarna Racing 57h 00' 31'' + 09h 42' 17''  
27 80 (aus) Michael Burgess Bas Dakar Ktm Racing Team 58h 11' 44'' + 10h 53' 30'' 00h 59' 00''
28 63 (pol) Konrad Dabrowski Duust Rally Team 58h 24' 36'' + 11h 06' 22''  
29 48 (fra) Mathieu Doveze Nomade Racing Assistance 59h 07' 25'' + 11h 49' 11'' 00h 05' 00''
30 37 (cze) David Pabiska Jantar Team 59h 12' 13'' + 11h 53' 59'' 00h 01' 00''
31 53 (cze) Libor Podmol Podmol Dakar Team 59h 22' 58'' + 12h 04' 44'' 00h 15' 00''
32 95 (fra) Xavier Flick Xtrem Racing 59h 25' 33'' + 12h 07' 19''  
33 41 (chn) Zaker Yakp Wu Pu Da Hai Dao Dakar Rally Team 61h 15' 15'' + 13h 57' 01'' 00h 42' 00''
34 108 (esp) Marc Calmet Fn Speed - Rieju Team 63h 51' 11'' + 16h 32' 57'' 00h 02' 00''
35 86 (fra) Charlie Herbst Drag'on Rally Team 64h 50' 17'' + 17h 32' 03'' 00h 23' 00''
36 46 (svn) Simon Marcic Marcic 65h 09' 28'' + 17h 51' 14'' 00h 45' 00''
37 84 (gbr) Neil Hawker Neil Hawker 65h 53' 00'' + 18h 34' 46'' 00h 29' 00''
38 78 (ita) Cesare Zacchetti Cesare Zacchetti 67h 08' 39'' + 19h 50' 25'' 00h 32' 00''
39 81 (svk) Erik Vlcak Slovnaft Rally Team 67h 27' 33'' + 20h 09' 19'' 00h 27' 00''
40 60 (fra) Stéphane Darques M.o.r.al 68h 10' 37'' + 20h 52' 23'' 00h 53' 30''
41 67 (cze) Rudolf Lhotsky Jantar Team 68h 28' 22'' + 21h 10' 08'' 01h 16' 00''
42 70 (sau) Mishal Alghuneim Mishal Alghuneim 68h 57' 46'' + 21h 39' 32'' 00h 22' 00''
43 65 (ita) Franco Picco Team Franco Picco 69h 02' 14'' + 21h 44' 00'' 00h 40' 00''
44 98 (esp) Sara Garcia Pont Grup Yamaha 69h 40' 37'' + 22h 22' 23'' 00h 44' 00''
45 55 (chn) Zhao Hongyi Wu Pu Da Hai Dao Dakar Rally Team 69h 54' 26'' + 22h 36' 12'' 00h 02' 00''
46 79 (fra) Amaury Baratin Horizon Moto 95 71h 04' 12'' + 23h 45' 58'' 00h 06' 00''
47 99 (esp) Javi Vega Puerta Pont Grup Yamaha 71h 05' 46'' + 23h 47' 32'' 00h 20' 00''
48 35 (mex) Juan Pablo Guillen Rivera Nomadas Adventure 71h 28' 00'' + 24h 09' 46'' 01h 02' 00''
49 121 (fra) Guillaume Barthelemy Team Rs Concept 72h 02' 40'' + 24h 44' 26'' 00h 05' 00''
50 62 (aus) Andrew Joseph Houlihan Nomadas Adventure 73h 11' 20'' + 25h 53' 06'' 01h 27' 00''
51 125 (fra) Frédéric Barlerin Rallye Fred 74h 51' 01'' + 27h 32' 47'' 00h 00' 30''
52 69 (bel) Walter Roelants Ht Rally Raid Husqvarna Racing 75h 18' 56'' + 28h 00' 42'' 00h 31' 00''
53 58 (esp) Eduardo Iglesias Sanchez Fn Speed - Team Monforte Rally 76h 51' 14'' + 29h 33' 00'' 00h 01' 00''
54 114 (esp) Eladio Carbonell Mendez Pikaeras Team 76h 57' 27'' + 29h 39' 13'' 00h 30' 00''
55 51 (esp) Rachid Al-lal Lahadil Melilla Sport Capital 77h 24' 13'' + 30h 05' 59'' 00h 07' 30''
56 105 (esp) Fernando Dominguez Club Aventura Touareg 80h 28' 44'' + 33h 10' 30'' 00h 45' 00''
57 115 (nld) Olaf Harmsen Bas Dakar Ktm Racing Team 80h 54' 54'' + 33h 36' 40'' 01h 02' 00''
58 71 (bhr) Salman Mohamed Humood Farhan Ht Rally Raid Husqvarna Racing 81h 09' 20'' + 33h 51' 06'' 01h 53' 00''
59 100 (fra) Audrey Rossat Team Rs Concept 82h 26' 13'' + 35h 07' 59'' 00h 21' 00''
60 89 (srb) Gabor Saghmeister Saghmeister Team 82h 50' 34'' + 35h 32' 20'' 00h 41' 00''
61 112 (esp) Juan Campdera Juan Campdera 86h 04' 43'' + 38h 46' 29'' 00h 01' 00''
62 96 (esp) Daniel Albero Puig Team Un Diabetico En El Dakar 92h 19' 03'' + 45h 00' 49'' 04h 38' 00''
63 117 (bwa) James Alexander The Kalahari Madala 113h 51' 15'' + 66h 33' 01'' 07h 00' 00''


Imagens Relacionadas:
-
-
-
-
-
-
-
-
-
-





© 2000 - 2020 MotoX MX1 Internet