X Fechar
foto

X Fechar
foto
Clique e saiba mais
Clique e saiba mais
Clique e saiba mais
Clique e saiba mais
Clique e saiba mais


>Competição > Enduro

Mundial - 9ª e 10ª etapas - Buzau - Romênia
Publicado em: 18/06/2013
Clique e saiba mais

Tombos, machucados e mais tombos - bruxa à solta na quinta rodada do Mundial de Enduro
Redação MotoX.com.br - Carolina Arruda - Fotos: Edmunds J. e Divulgação

Etapa foi marcada por abandonos de pilotos de destaque como David Knight e Manuel Monni


Christophe Nambotin


Assista na MotoX TV
O Mundial de Enduro chegou à Romênia, na cidade de Buzau, neste final de semana para as nona e décimas etapas do campeonato, que agora entra oficialmente na reta final: faltam somente duas rodadas para decidir os títulos – é o momento de dar o gás final e conquistar o máximo de pontos.

Super Teste

A etapa romena já começou agitada na sexta-feira com o Super Teste. Matti Seistola, veterano da E1, voltou a vencer, mas com alguns detalhes – foi o último do dia a largar e ganhou na geral com um centésimo de diferença sobre Johnny Aubert, piloto sensação da E2.

Na disputa por classes, Antoine Meo foi o segundo na E1, seguido de Juha Salminen, em terceiro, com uma margem muito pequena de diferença do primeiro colocado, apenas dois segundos. Na E3, Christophe Nambotin foi o mais rápido.

Assista 3 vídeos na MotoX TV:
- Melhores momentos do primeiro dia
- Melhores momentos do segundo dia
- Onboard com Antoine Meo

Primeiro Dia
  

Johnny Aubert
  
No sábado, os acontecimentos ficaram mais agitados. O GP da Romênia foi o primeiro a ter um Enduro Teste dentro da floresta somado ao Extreme Teste, destaque para o chão escorregadio e uma ladeira de pedras. Essa soma de fatores já deixou muitos pilotos pelo caminho, entre eles, David Knight e Manuel Monni. Ambos se machucaram.

Piloto da Honda, David Knight, não tem tido muita sorte ultimamente. Na etapa da Espanha, o saldo foi um dedo e um pulso machucados, posteriormente diagnosticados como um problema no ligamento. Já em Portugal, a dor foi tanta que a decisão foi não continuar e agora na Romênia foi forçado a abandonar a prova devido a um novo machucado. 


David Knight se machucou de novo e ficou de fora da rodada
Na E2, o companheiro de equipe do britânico, Alex Salvini acumulou tombos no enduro teste e viu sua liderança evaporar com o tempo perdido. O italiano conseguiu recuperar posições até a vice-liderança, atrás da estrela do dia, Johnny Aubert, do time laranja.

Pode-se dizer que a quinta rodada mostrou que depois da tempestade, vem a bonança. O francês da KTM, depois de se machucar em Portugal, foi quem ditou o ritmo da E2 no sábado e levou sua primeira vitória da temporada.

“Foi um dia incrível para mim”, revelou Aubert. “Apesar de não ter treinado desde o GP de Portugal, por conta das costelas quebradas, hoje me senti confortável na moto. Não cometi muitos erros e isso me ajudou a vencer. Estive tentando durante todo o ano e cheguei perto algumas vezes, então vencer hoje é fantástico”.

Pela Renet, chegou cinco segundos atrás do vice-líder do dia, conquistando a terceira posição. Ivan Cervantes e Oriol Mena completaram os cinco primeiros da categoria.

Já na E3, Christophe Nambotin manteve o ritmo imbatível e faturou a vitória na classe com uma margem de 29 segundos, depois de um dia de altos e baixos. O piloto fez o melhor tempo em sete dos 11 testes especiais só que um tombo no final do extreme quase lhe custou a vitória.


Antoine Meo

“Estou satisfeito pela forma como corri hoje”, comentou Nambotin. “Apesar de alguns errinhos e um muito grande no final, me senti bem na minha moto. Essa vitória foi importante para o campeonato”, encerrou.

Mathias Bellino, estreante da temporada, impressionou mais uma vez com a vice-liderança na categoria. Também foi o mais rápido no Extreme Teste, provando estar totalmente recuperado do machucado no pulso do começo da temporada. Entretanto, para Aigar Leok os ferimentos das etapas espanhola e portuguesa ainda não foram completamente curados e foi preciso forçar para terminar o dia na terceira posição.
 

Aigar Leok

Dez segundos atrás de Leok, chegou Fabien Planet, da Sherco, conquistando com a quarta colocação o seu melhor resultado da temporada. Luis Correia encerrou o top 5.

O topo do pódio da E1 foi decidido perto do final do dia. Antoine Meo sofreu para encontrar um ritmo em meio ao clima seco da região e levou tempo até consegui superar Juha Salminen em sete segundos, levando a vitória.

“Foi um dia estranho para mim”, começou Meo. “Não estava fluindo durante a manhã. Não me senti confortável na moto e estava achando difícil alcançar Juha. Conforme passou o dia, as coisas melhoraram e consegui competir pela liderança. É um alívio ter vencido”, afirmou.

Depois de ser ultrapassado, Juha Salminem simplesmente não conseguiu acompanhar Meo e teve que se contentar com o segundo lugar.

O último lugar no pódio foi conquistado depois de uma dura batalha entre Cristobal Guerrero e Eero Remes. Três segundos de diferença decidiram o terceiro lugar para Cristobal Guerrero, deixando para Remes o quarto lugar. Matti Seistola não manteve o passo do dia anterior, devido a um machucado no pé, e foi o quinto colocado.

Na categoria feminina, a invencível Laia Sanz mais uma vez mostrou o porquê de sua superioridade nas disputas: venceu com cinco minutos de vantagem sobre Jessica Gardiner, vice-líder à frente da francesa Juliette Berrez.

Segundo Dia

  

Matti Seistola


Juha Salminen
As competições de domingo reafirmaram muitos dos resultados de sábado e mais uma vez os franceses Antoine Meio e Christophe Nambotin dominaram os primeiros lugares. Também era a chance de reviravolta para Alex Salvini. Depois de cometer um erro que lhe custou a vitória no dia anterior, o italiano largou decidido a vencer a E2.

Salvini não contava que Johnny Aubert, com o mesmo objetivo, comandaria o trecho inicial da corrida, que por sua vez não contava com Pela Renet entrando na disputa pelo primeiro lugar. O equilíbrio foi garnde em vários trechos do trajeto, mas Salvini insistiu e conquistou a liderança para vencer com uma vantagem de oito segundos sobre Renet.

“Foi um dia incrível”, confirmou Salvini. “Enfrentei uma batalha contra Renet, Aubert e Ivan Cervantes. Nós estávamos nos esforçado para vencer cada teste. Consegui administrar para assumir a ponta na volta final e foi o suficiente para vencer. Corrida fantástica.”
  

Disputa entre Seistola e Meo

 Apesar de não vencer, Renet foi quem travou o tempo mais rápido no último Enduro Teste, ficando com a segunda colocação. Já Aubert se atrapalhou no segundo Extreme Teste e não foi capaz de repetir o resultado de sábado, mas completou o pódio em terceiro.

Ivan Cervantes chegou perto do pódio e ficou com o quarto lugar. E como novidade entre os ponteiros, apareceu Lorenzo Santolino, espanhol de Husqvarna que fechou os cinco primeiros.
  

Pela Renet

Já na E3, Christophe Nambotin manteve o ritmo imbatível e venceu novamente, desta vez com uma boa margem de segurança, de mais de um minuto, além de ser o mais rápido em sete dos dez testes especiais. “Tirando alguns erros no Extreme Teste, hoje foi um dia perfeito para mim”, apontou Nambotin. “Me senti bem no Enduro Teste e ganhei bastante tempo nessa parte. Estou satisfeito com os resultados e ansioso para a etapa grega no próximo final de semana”.

O francês Mathias Bellino conquistou firmemente a vice-liderança, sem dar chance para qualquer concorrente, depois de bater Aigar Leok, o terceiro colocado, e tomou gosto pelo pódio. “Aos poucos estou voltando à minha forma. Este ano tem sido difícil devido a alguns ferimentos, mas agora está tudo voltando ao lugar. Um dia de cada vez é meu lema. Agora sinto que os resultados deste final de semana mostraram que meu pódio em Portugal não foi um em um milhão. Estou animado para o que vem e tentarei mais pódios”, declarou o piloto.

O estoniano Leok voltou ao pódio pela segunda vez no final de semana mesmo sob a pressão de Joakim Ljunggren, quarto colocado, três segundos atrás. Deny Philippaerts completou o quinteto dos primeiros colocados.  


Mathias Bellino


Ivan Cervantes
Apesar de terminar entre os ponteiros do dia, Ljunggren não ficou feliz com o saldo. “Não curti esta corrida”, confessou. “Não conseguia achar um ritmo no cross teste e perdi muito tempo em cada volta. Acabou com as minhas chances de pódio apesar dos tempos nos enduro e extreme testes. Estou chateado de não terminar no pódio, apesar de ter melhorado na geral do campeonato”, encerrou.
  
O clima esquentou na E1, principalmente na disputa pelo primeiro lugar. Antoine Meo e Juha Salminen inverteram posições ao longo do dia. Enquanto Meo ganhou disparado os seis primeiros trechos especiais, Salminen guardou energia para o final do dia, entretanto o plano não funcionou e Meo venceu.

“Foi uma grande batalha pela vitória contra Juha”, contou Meo. “Fiz alguns dos tempos mais rápidos, porém, não o suficiente para escapar dele. No fim consegui administrar uns dez segundos de vantagem, mas fui pressionado por todo o trajeto”, observou.

Cristobal Guerrero foi o terceiro colocado, mantendo o resultado de sábado, mesmo com a dor de um dedo quebrado. Matti Seistola permaneceu entre os mais rápidos do dia, encerrando na quarta colocação. Nicolas Deparrois completou o top 5.
 

Laia Sanz

Para quem ficou curioso para saber como Matti Seistola machucou o pé, o piloto contou sobre o imprevisto. “Bati em uma árvore no segundo Enduro Teste de sábado. Bati e cortei o pé direito. Mas de algum jeito, consegui terminar a corrida na quinta posição. Hoje isso foi uma limitação, mas consegui o quarto lugar. Foi o melhor resultado possível no estado que me encontro, estou feliz”, pontuou. 

Novamente, Laia Sanz dominou a Feminina, desta vez com seis minutos de vantagem sobre a australiana Jessica Gardiner. Jane Daniels foi a terceira, seguida de Jemma Wilson e Audrey Rossat, quarta e quinta colocadas, respectivamente.

O campeonato parte agora rumo à Grécia para a penúltima rodada já neste final de semana, dias 22 e 23. Alguns pilotos como Christophe Nambotin já devem estar rindo à toa, outros como Ivan Cervantes (26 pontos atrás do líder da E2, Alex Salvini) devem estar arquitetando truques de última hora para chegarem os mais alto possível na classificação geral.

Resultados

Super Test – Geral
1. Matti Seistola (Husqvarna) 2:44.76
2. Johnny Aubert (KTM) 2:44.77
3. Alex Salvini (Honda) 2:44.87
4. Antoine Meo (KTM) 2:45.73
5. Christophe Nambotin (KTM) 2:46.24
 
Primeiro Dia

E1
1. Antoine Meo (KTM)
2. Juha Salminen (Husqvarna)
3. Cristobal Guerrero (KTM)
4. Eero Remes (TM)
5. Matti Seistola (Husqvarna)

E2
1. Johnny Aubert (KTM)
2. Alex Salvini (HM Honda)
3. Pela Renet (Husaberg)
4. Ivan Cervantes (KTM)
5. Oriol Mena (Husaberg)

E3
1. Christophe Nambotin (KTM)
2. Mathias Bellino (Husaberg)
3. Aigar Leok (TM)
4. Fabien Planet (Sherco)
5. Luis Correia (Beta)

Feminina
1. Laia Sanz (Honda)
2. Jessica Gardiner (Sherco)
3. Juliette Berrez (Yamaha)
4. Jemma Wilson
5. Jane Daniels (Husaberg)

Segundo Dia

E1
1. Antoine Meo (KTM)
2. Juha Salminen (Husqvarna)
3. Cristobal Guerrero (KTM)
4. Matti Seistola (Husqvarna)
5. Nicolas Deparrois (Yamaha)

E2
1. Alex Salvini (HM Honda)
2. Pela Renet (Husaberg)
3. Johnny Aubert (KTM)
4. Ivan Cervantes (KTM)
5. Lorenzo Santolino (Husqvarna)

E3
1. Christophe Nambotin (KTM)
2. Mathias Bellino (Husaberg)
3. Aigar Leok (TM)
4. Joakim Ljunggren (Husaberg)
5. Deny Philippaerts (Beta)

Feminina
1. Laia Sanz (Honda)
2. Jessica Gardiner (Sherco)
3. Jane Daniels (Husaberg)
4. Jemma Wilson
5. Audrey Rossat (KTM)






© 2000 - 2020 MotoX MX1 Internet