X Fechar
foto

X Fechar
foto
Clique e saiba mais
Clique e saiba mais
Clique e saiba mais
Clique e saiba mais
Clique e saiba mais
Clique e saiba mais
Clique e saiba mais

Edgers Racing

KTM Sacramento

Toro Sports

SP Race Park

JPS Racing

MotoX Pneus

Clique e saiba mais

> Competição > Rally

Rally Dakar 2013 - Final - La Serena - Santiago, Chile
Publicado em: 19/01/2013

Cyril Despres celebra quinto título no Dakar
Redação MotoX.com.br - Maurício Arruda / Carolina Arruda - Foto: M.Maragni / Speedbrain / Divulgação

Francês confirma expectativa chegando ao pentacampeonato no maior rali do mundo
  

Cyril Despres


Cyril Despres e Ruben Faria
A 35ª edição do Rally Dakar consagrou Cyril Despres, agora pentacampeão da prova. Neste sábado, após mais de 8000 km percorridos desde a largada, o francês completou o 14º e último estágio na 14ª colocação, resultado suficiente para alcançar com tranquilidade o seu quinto título no maior rali do mundo. Despres se igualou a Cyril Neveu, outro francês pentacampeão que fez história nos primeiros anos da prova. 

Agora apenas o também francês Stéphane Peterhansel, dono de seis conquistas sobre duas rodas na década de 90, conta com mais triunfos que Despres. Atualmente Peterhansel segue uma carreira vitoriosa nos carros. Nesta edição ele alcançou o quinto título na nova categoria, totalizando a incrível marca de 11 troféus de campeão da competição.

No trecho definitivo, a caravana do Dakar partiu de La Serena com destino a Santiago, capital do Chile. Foram 128 km de especial e 502 km de deslocamento na última batalha pelo título. Ídolo local, o chileno Francisco 'Chaleco' Lopez tentava surpreender, mas um problema no câmbio obrigou a troca do motor da sua KTM na noite anterior, dando fim as esperanças da torcida. Chaleco recebeu uma penalização de 15 minutos e, apesar de ter sido o mais rápido no percurso de hoje, despencou para a 39ª colocação na etapa, além disso perdeu uma posição na classificação geral deixando o vice-campeonato para Ruben Faria.
 

Chaleco Lopez

O brasileiro Jean Azevedo teve seu melhor desempenho na última etapa, terminando o dia logo atrás de Despres, na 15ª posição. Na classificação geral, o experiente piloto conquistou a 23ª colocação. "Completar um Dakar realmente é uma vitória. É uma prova de longa duração e somos testados a cada minuto. Estou muito feliz por ter completado 15 edições. Esta competição foi importante para mim, pois voltei às motos e estou em fase de readaptação em uma equipe diferente e nova. Após três anos dedicados aos carros, este é um novo projeto, de longo prazo", lembrou o paulista.


Jean Azevedo

Resultado do 14º Estágio

1. Ruben Faria (PRT, KTM) 1h43min06seg
2. Joan Barreda (ESP, Husqvarna) 1h43min14seg
3. Helder Rodrigues (PRT, Honda) 1h43min30seg
4. Mario Patrao (PRT, Suzuki) 1h44min27seg
5. Olivier Pain (FRA, Yamaha) 1h45min20seg

Geral
  

Faria, Despres e Chaleco Lopez


Olivier Pain
Passando por Peru, Argentina e Chile a caravana do Dakar encarou difíceis combates contra desertos, dunas, rios e estradas. Ao final o rali mais uma vez consagrou a dominante KTM como campeã e dona das cinco primeiras colocações. E a proporção foi a mesma no top 20, onde dez motos eram da marca austríaca. Mas nem só do time laranja vive o Dakar. Após altos e baixos, numa temporada estilo montanha russa, Yamaha, Honda e Husqvarna também marcaram presença no top 10 final desta edição.

Destaque entre os pilotos da Yamaha, Oliver Pain, da França, terminou o último estágio com a oitava colocação. O francês da equipe azul chegou a dominar e ditar o ritmo por alguns dias, depois caiu muitas posições e teve que batalhar para conquistar o sexto lugar na classificação geral do evento.

"A primeira semana foi incrível, liderei o rali por cinco estágios. Então um erro de navegação me custou caro", contou. "Depois tive uma maré de má sorte. Machuquei as costas, tive um furo no tanque de gasolina, também machuquei o cotovelo, tudo isso me custou tempo. Tive que me acalmar para recuperar. Foi um Dakar legal para mim", declarou Pain após o merecido sexto lugar.


Juan Pedrero


Ivan Jakes
O holandês Verhoeven também marcou seu nome entre os primeiros com a sua Yamaha, após ganhar dois estágios. Mesmo saindo da pista e despencando por um barranco, o piloto holandês conquistou a 11ª colocação no estágio 14, segurando o nono lugar na classificação final.

"Foi um estágio bem perigoso", declarou Verhoeven. "Sendo honesto, corri muitos riscos. Estava muito rápido, mas bastante preciso. Tinha aberto mais de um minuto de Pizzolito, o que seria suficiente para ultrapassa-lo na geral. Mas infelizmente eu perdi a moto, ela caiu por um barranco, tive que descer para pegar a moto e escalar tudo de novo. Agora fiquei em nono, alguns segundos atrás do Pizzolito. Foi bom assim", encerrou o competidor.

Há seis meses, o primeiro desafio do time Honda era chegar ao Dakar com novas motos e novos pilotos. Dos cinco pilotos inicialmente inscritos, dois se machucaram durante os testes, o brasileiro Felipe Zanol e o inglês Sam Sunderland. Helder Rodriges, Javier Pizzolito e Johnny Campbell acabaram como os três únicos representantes do time oficial da marca. No começo do Dakar brigaram por posições na ponta, mas erros de navegação e problemas mecânicos colocaram os pilotos por maus lençóis, tendo que correr atrás do prejuízo para recuperarem posições. Após um início difícil a equipe foi acertando os ponteiros e ganhando posições na classificação.
  

Frans Verhoeven


Helder Rodrigues
Helder Rodrigues, de Portugal, após chegar em Santiago com a quarta colocação, conquistou o sétimo lugar no ranking geral: "Foi um grande desafio e honra ser parte deste projeto e defender as cores da Honda. Não posso ficar feliz com meus resultados, porque eu e o time temos potencial para ir ao pódio. Estou satisfeito de todos estarmos em Santiago e motivados para continuar essa experiência", contou Rodrigues.

O argentino Javier Pizzolito conquistou a oitava posição e encarou esse Dakar como uma excelente recuperação de seu acidente do ano passado.

"Estou muito satisfeito de ter terminado o Dakar e mais feliz ainda de estar com a oitava posição na geral. Depois do acidente no último ano, em que quebrei o ombro e o fêmur, tive que treinar muito para estar pronto para o evento. Estamos animados para continuar ano que vem," encerrou Pizzolito.

Apesar de vários pódios ao longo destes 8000 km, a Husqvarna contou com apenas um representante entre os dez primeiros colocados. Mesmo não sendo mais rápido do time, Paulo Gonçalves foi o mais consistente e terminou com a décima colocação. O piloto fez um balanço geral da equipe e declarou:

"Mostramos que somos altamente competitivos e capazes de estar entre os melhores. Foi uma corrida muito positiva. Apesar do resultado final não representar meu desempenho neste Dakar. O time vai voltar para casa bem satisfeito, já que provamos tanto as motos como os pilotos serem aptos ao trabalho. É uma pena o Botturi não terminar esta corrida, ele deu o coração pelo time".


Time Husqvarna


Javier Pizzolito
Mesmo vencendo quatro especiais ao longo dessas duas semanas, e ainda com um segundo lugar no último estágio, Joan Barreda não esteve entre os 10 primeiros na classificação final. Uma roda quebrada, além de uma queda, lhe custaram tempo e deixaram para ele a 17ª colocação neste ano.

"Estou extremamente satisfeito com minha corrida, com a moto e com o time. Melhoramos muito desde o ano passado, não podemos esquecer que esse é o segundo ano com uma moto completamente nova. Claro que se não tivesse quebrado a roda no começo, estaria no pódio final, o que era nosso objetivo", afirmou Barreda.

O piloto privado Ivan Jakes também foi um grande destaque desta edição. O eslovaco que teve que desistir em quatro de cinco edições do Dakar, tinha como grande meta deste ano terminar a prova. Fez mais que isso, e ainda passou perto do pódio. O objetivo foi alcançado com sucesso, o piloto terminou com a quarta posição e competiu de igual pra igual com os pilotos de fábrica.

Chaleco Lopez, grande candidato a desbancar o imbatível Cyril Despres, mostra a cada edição ser um piloto mais eficiente. Se não fosse penalizado no dia final ameaçaria verdadeiramente o reinado do francês. Com o problema, terminou o estágio decisivo na 39ª colocação, mas ainda assim conquistou o terceiro lugar no pódio final. 
  

Cyril Despres e Ruben Faria

Piloto de suporte de Despres, Ruben Faria foi recompensado por tantos anos de esforço e ajuda. O português surpreendeu como vice-campeão e pôde estar ao lado do companheiro de equipe no pódio, como tanto quis. "Ontem (ndr: no penúltimo estágio) eu perdi o segundo lugar e pensei que apenas estar no pódio seria ótimo para mim. Eu não acreditava que poderia acontecer e que eu poderia terminar em segundo. É inconcebível", disse emocionado com o inédito vice-campeonato para Portugal.

Despres não se abalou quando perdeu a liderança ainda na primeira semana, como grande estrategista que é, retomou o controle da prova na sequência e alcançou seu objetivo levando mais uma vez o troféu para casa.

Vídeo - Resumo da prova



"Vim pronto pra isso, para todas as surpresas que o Dakar reserva", contou o veterano cinco vezes campeão. "Poucos erros de navegação, muitos cuidados com a moto. No final, tenho uma boa razão para estar feliz. O dia que ganhar o Dakar for fácil, não será mais interessante. E esse dia está longe! É muito longo, muito difícil, é muito calor, é muito frio. Acordar cedo de manhã. Ter que encontrar o caminho pelas dunas do Peru e do Chile. Ter que lidar com as pedras e os cactos no percurso até Córdoba. É complicado demais para ser fácil ganhar!", analisou o francês, mostrando que ganhar um Dakar não é fruto da sorte, é fruto de planejamento e de saber como acelerar em meio a tantas dificuldades.

Despres soube muito bem, por cinco vezes.

Quadriciclos
 

Marcos Patronelli

O argentino Marcos Patronelli não teve dúvidas quanto ao título deste ano dominando completamente a competição. Com mais de uma hora de vantagem em relação ao segundo colocado, chegando com a terceira colocação no último estágio o piloto Yamaha conquistou merecidamente o título da categoria. Ignacio Casale e Rafael Sonik completaram o top 3 para a Yamaha na classificação geral.

Vídeo - Estágio 14



Classificação final Rally Dakar 2013

Pos. Piloto Moto Time Variation Penalty
1 1 Despres (fra) Ktm 43:24:22 - 00:15:00
2 11 Faria (prt) Ktm 43:35:05 00:10:43 -
3 7 Lopez (chl) Ktm 43:43:10 00:18:48 00:15:00
4 32 Jakes (svk) Ktm 43:48:16 00:23:54 -
5 12 Pedrero (esp) Ktm 44:19:51 00:55:29 00:15:00
6 9 Pain (fra) Yamaha 44:30:52 01:06:30 -
7 3 Rodrigues (prt) Honda 44:35:44 01:11:22 00:15:00
8 30 Pizzolito (arg) Honda 44:50:29 01:26:07 -
9 15 Verhoeven (nld) Yamaha 44:50:57 01:26:35 -
10 20 Gonçalves (prt) Husqvarna 44:52:42 01:28:20 00:15:00
11 18 Przygonski (pol) Ktm 44:58:21 01:33:59 00:05:00
12 26 Gouët (chl) Honda 45:10:02 01:45:40 -
13 40 Van Niekerk (zaf) Ktm 45:27:16 02:02:54 -
14 123 Faggotter (aus) Yamaha 45:54:58 02:30:36 -
15 57 Grabham (aus) Ktm 46:09:36 02:45:14 00:15:00
16 8 Ullevalseter (nor) Ktm 46:25:18 03:00:56 00:15:00
17 5 Barreda Bort (esp) Husqvarna 46:29:04 03:04:42 00:17:00
18 34 Metge (fra) Yamaha 46:36:30 03:12:08 00:20:00
19 27 Knuiman (nld) Ktm 46:39:34 03:15:12 -
20 41 Prohens (chl) Honda 47:28:59 04:04:37 -
21 49 Rodríguez (arg) Honda 47:36:31 04:12:09 -
22 19 Czachor (pol) Ktm 47:53:50 04:29:28 -
23 28 De Azevedo (bra) Ktm 48:22:02 04:57:40 00:15:00
24 131 Strange (aus) Honda 48:31:59 05:07:37 00:15:00
25 43 Watt (gbr) Ktm 48:47:31 05:23:09 -
26 162 Forman (gbr) Ktm 48:48:12 05:23:50 -
27 31 Guasch (esp) Gas - Gas 48:51:08 05:26:46 -
28 52 Rios (per) Ktm 49:07:27 05:43:05 00:15:00
29 50 Salvatierra (bol) Honda 49:25:38 06:01:16 00:15:00
30 103 Patrao (prt) Suzuki 49:26:24 06:02:02 01:00:00
31 29 Caselli (usa) Ktm 49:28:02 06:03:40 03:35:00
32 37 Curtis (zaf) Ktm 49:30:00 06:05:38 -
33 87 Souvignet (fra) Yamaha 49:48:42 06:24:20 00:15:00
34 156 Smith (aus) Honda 49:51:49 06:27:27 00:20:00
35 77 Cardona Vagnoni (ven) Yamaha 50:29:24 07:05:02 -
36 14 Duclos (fra) Sherco 51:02:28 07:38:06 01:00:00
37 62 Arredondo (gtm) Ktm 51:20:08 07:55:46 -
38 82 Guindani (fra) Yamaha 51:23:04 07:58:42 00:15:00
39 65 Pabiska (cze) Yamaha 51:24:24 08:00:02 00:15:00
40 33 Campbell (usa) Honda 51:36:02 08:11:40 00:15:00
41 148 Van Gerven (nld) Ktm 51:48:23 08:24:01 -
42 119 Despontin (bel) Ktm 51:55:31 08:31:09 -
43 89 Cummings (zaf) Honda 51:56:42 08:32:20 00:15:00
44 101 Waldschmidt (nam) Ktm 52:18:04 08:53:42 -
45 70 Demelchori (arg) Kawasaki 52:24:33 09:00:11 -
46 168 Poskitt (gbr) Ktm 52:26:57 09:02:35 -
47 147 Van Pelt (nld) Honda 52:47:07 09:22:45 00:30:00
48 42 Prohens (chl) Honda 52:53:58 09:29:36 00:15:00
49 69 Payen (fra) Yamaha 53:05:34 09:41:12 -
50 83 Van Ginkel (nld) Ktm 53:17:55 09:53:33 -
51 48 Liefhebber (nld) Ktm 53:37:49 10:13:27 -
52 111 Valero (esp) Yamaha 53:42:03 10:17:41 -
53 146 Martens (nld) Ktm 53:46:11 10:21:49 -
54 86 Gadioux (fra) Honda 53:47:11 10:22:49 00:15:00
55 72 Pascual (arg) Jincheng 53:47:32 10:23:10 -
56 137 Busquets (esp) Husqvarna 53:51:46 10:27:24 00:05:00
57 92 Israel Esquerre (chl) Honda 53:52:21 10:27:59 06:27:00
58 44 Bianchi Prata (prt) Husqvarna 54:17:44 10:53:22 01:30:00
59 51 Pavey (aus) Husqvarna 54:21:51 10:57:29 00:15:00
60 59 Carillon (fra) Ktm 54:32:07 11:07:45 02:00:00
61 109 Saghmeister (srb) Ktm 54:54:44 11:30:22 00:05:00
62 154 Beaulé (can) Ktm 55:05:03 11:40:41 00:35:00
63 108 Gabari (mar) Yamaha 55:09:12 11:44:50 00:15:00
64 115 Bollero (arg) Ktm 55:10:09 11:45:47 -
65 196 Villarrubia (esp) Yamaha 55:18:50 11:54:28 00:15:00
66 159 Aguilar (slv) Ktm 55:23:16 11:58:54 00:20:00
67 116 Borrell Gonzalez (esp) Ktm 55:27:55 12:03:33 00:15:00
68 56 Menard (fra) Yamaha 55:50:20 12:25:58 00:15:00
69 13 Farres Guell (esp) Honda 55:55:59 12:31:37 01:15:00
70 192 Van Geel (nld) Ktm 55:56:47 12:32:25 00:02:00
71 54 Cavelius (fra) Yam 56:18:25 12:54:03 -
72 38 Zanotti (ita) Tm 56:25:42 13:01:20 00:15:00
73 164 Hirigoyen (fra) Ktm 56:32:59 13:08:37 -
74 96 Cottet (che) Ktm 56:48:47 13:24:25 -
75 67 Snijders (nld) Honda 56:57:17 13:32:55 -
76 84 Illanes (chl) Yamaha 57:00:45 13:36:23 00:02:00
77 78 Eraso Anglade (ven) Yamaha 57:05:57 13:41:35 -
78 143 Smith (chl) Ktm 57:07:03 13:42:41 00:15:00
79 88 Reinike (chl) Ktm 57:14:04 13:49:42 -
80 47 Dabrowski (pol) Ktm 57:15:26 13:51:04 01:00:00
81 121 Serra Ripoll (esp) Yamaha 57:34:32 14:10:10 00:20:00
82 167 Ortiz (arg) Yamaha 58:10:45 14:46:23 00:15:00
83 107 Bounds (gbr) Ktm 59:12:39 15:48:17 00:20:00
84 160 Cabrera (chl) Kawasaki 59:18:04 15:53:42 00:25:00
85 149 Zahn (deu) Ktm 59:20:29 15:56:07 -
86 98 Lucchese (ita) Tm 59:33:31 16:09:09 -
87 127 Boyer (fra) Honda 59:54:03 16:29:41 -
88 125 Kreidl (aut) Ktm 60:01:48 16:37:26 -
89 195 Zumaran (chl) Yamaha 60:08:10 16:43:48 00:31:00
90 184 Moreno Kristiansen (col) Ktm 60:25:42 17:01:20 00:30:00
91 158 Vellutino (per) Ktm 60:30:03 17:05:41 00:15:00
92 99 Mutelet (fra) Yamaha 60:42:25 17:18:03 00:20:00
93 36 Sanz (esp) Gas - Gas 61:48:59 18:24:37 03:15:00
94 120 Bassi (arg) Yamaha 61:49:54 18:25:32 00:20:00
95 151 Beláustegui (arg) Yamaha 61:58:03 18:33:41 00:15:00
96 97 Pythoud (che) Ktm 62:01:57 18:37:35 -
97 153 Mauri (ita) Yamaha 62:12:29 18:48:07 00:07:00
98 132 De Groot (nld) Yamaha 62:14:04 18:49:42 -
99 63 Lazard (ury) Yamaha 63:00:43 19:36:21 01:15:00
100 114 Amengual (arg) Yamaha 63:03:50 19:39:28 -
101 190 Sarmiento (col) Honda 64:41:52 21:17:30 00:15:00
102 53 Verhoestraete (bel) Sherco 65:26:08 22:01:46 04:15:00
103 141 Massador (fra) Honda 65:46:35 22:22:13 01:35:00
104 189 Saldarriaga (col) Ktm 65:58:54 22:34:32 00:31:00
105 155 Echeverri Mejia (col) Yamaha 67:38:57 24:14:35 01:45:00
106 193 Van Heertum (nld) Ktm 67:59:29 24:35:07 -
107 171 Napodano (ita) Honda 68:00:24 24:36:02 00:02:00
108 170 Rampolla (ita) Honda 68:03:44 24:39:22 -
109 163 Huigevoort (nld) Ktm 68:08:11 24:43:49 -
110 179 Nijen Twilhaar (nld) Ktm 68:32:41 25:08:19 00:20:00
111 39 Fish (aus) Huqsvarna 68:49:42 25:25:20 09:15:00
112 81 Alan (arg) Yamaha 70:07:30 26:43:08 -
113 74 Martínez (esp) Kawasaki 70:14:14 26:49:52 -
114 191 Schellekens (nld) Ktm 70:58:50 27:34:28 -
115 136 Santos (arg) Honda 71:16:14 27:51:52 -
116 79 Querales Malave (ven) Yamaha 71:35:45 28:11:23 00:05:00
117 58 Puertas Herrera (esp) Gas Gas 71:38:53 28:14:31 03:00:00
118 94 Wei (chn) Jincheng 74:01:06 30:36:44 -
119 113 Barron (per) Ktm 76:48:10 33:23:48 -
120 129 Carevic (chl) Ktm 78:27:23 35:03:01 00:22:00
121 126 Barbery (arg) Yamaha 79:46:08 36:21:46 01:00:00
122 185 Thierry (fra) Yamaha 82:51:40 39:27:18 00:25:00
123 118 Mckendrick (chl) Yamaha 83:21:36 39:57:14 00:35:00
124 161 Chichizola (per) Ktm 85:40:14 42:15:52 01:50:00






© 2000 - 2018 MotoX MX1 Internet