X Fechar
foto
Salvar nos Favoritos

X Fechar
foto
Clique e saiba mais
Clique e saiba mais
Clique e saiba mais
Clique e saiba mais
Clique e saiba mais
Clique e saiba mais
Clique e saiba mais
Clique e saiba mais

América Sports

Edgers Racing

KTM Sacramento

Toro Sports

SP Race Park

JPS Racing

MotoX Pneus

Arenafama

Clique e saiba mais

> Competição > Brasileiro de Motocross

4ª etapa - Detalhes do evento - Foz do Iguaçu - PR
Publicado em: 23/07/2010

Gringos vencem prova no barro que marcou metade da temporada
Redação MotoX.com.br - Texto e fotos: Maurício Arruda e Renato Fernandes 


Largada MX1


Veja os vídeos da etapa na MotoX TV
Pela segunda vez na temporada, os pilotos do Pro Tork Brasileiro de Motocross precisaram encarar uma pista pesada. Com barro de sobra, Foz do Iguaçu (PR) sediou a quarta etapa da temporada, exata metade do campeonato que tem oito rodadas programadas. A intensidade das chuvas nos dias anteriores a competição, provocou o cancelamento dos treinos de sábado e toda a programação do evento ficou restrita ao domingo. 

Veja os vídeos da etapa na MotoX TV

O circuito deste ano manteve praticamente o traçado da temporada passada, formado predominantemente por longas retas. A diferença ficou por conta da quantidade de obstáculos, em número maior, e muitas das curvas que ganharam alguns caminhões de areia. 


Scott Simon


Dudu Lima
No campeonato, o momento já permite apontar favoritos aos títulos 2010 e, entre eles, o destaque é o norte-americano Scott Simon, líder das duas principais categorias - MX1 e MX2 - e que tem ampliado sua vantagem nas últimas provas. Esta foi a segunda passagem da competição pelo Paraná, Estado que também sediou a abertura do campeonato. Desta vez um outro estrangeiro dividiu os flashs com o piloto da Pro Tork, foi o inglês Adan Chatfield, que conquistou sua primeira vitória em terras brasileiras. E não foram apenas estes os "gringos" presentes no evento. A proximidade da divisa com Paraguai e Argentina também atraiu representantes destes países e, junto com participantes regulares como Humberto Martin (Venezuela) e Roberto Castro (Costa Rica), o evento reuniu um total recorde de 10 atletas de outros países.

Na corrida da MX1, a pista castigada pelas provas anteriores parece que não foi problema para Scott Simon. Ele partiu no meio do pelotão, mas ganhou posições rapidamente ultrapassando, entre outros, o holeshot Dudu Lima e também Adan Chatfield. Quando Scott chegou na disputa pelo primeiro lugar Thales Vilardi ocupava a dianteira. Roberto Castro, outro gringo na briga por um lugar no pódio, abandonou com problemas mecânicos ainda no início de prova. 


Veja também: Galeria de Imagens da Prova com 787 Fotos!


Douglas Parise
Thales acelerou forte mantendo a primeira posição por mais de um terço da prova, mas a sorte não esteve ao seu lado. Problemas na suspensão traseira forçaram o abandono do paulista e o norteamericano, já com boa distância dos demais, não encontrou mais nenhum obstáculo até a bandeirada.

Após a corrida Scott destacou que tem trabalhado para se tornar um piloto mais completo, treinando em situações adversas como a desta etapa. Na prova gaúcha, também disputada no barro, ele obteve seu pior resultado no campeonato, a quarta posição. Desta vez venceu com 14 segundos de vantagem sobre Adan Chatfield, um sinal de que o trabalho está surtindo efeito. 

Na briga pelo segundo lugar, Chatfield foi perseguido por Dudu Lima até o final da prova. Os dois alternaram posições no começo da corrida, depois o inglês assumiu o posto e a distância entre eles ficou oscilando em alguns segundos. Já com grande desvantagem, Douglas Parise completou na quarta posição, posto ganho de Marcello Ratinho Lima na última volta. Pipo Castro completou em sexto, resultado suficiente para seguir na vice-liderança do campeonato. 


Adan Chatfield


Gustavo Amaral
Vinte e nove pilotos largaram na MX2 e novamente os protagonistas foram Adan Chatfield e Scott Simon. Thales Vilardi começou a bateria na frente e mais uma vez lutou com os gringos pela liderança. Chatfield também partiu bem e na segunda volta tinha a liderança, já Scott não largou bem e encontrou vários pilotos no caminho até o primeiro pelotão.

O destaque na pilotagem do inglês foi sua forma de encarar a seção de costelas do miolo do circuito, bem eficiente e que sem dúvida lhe rendia vantagem a cada volta. Thales sofreu uma queda despencando da segunda para a sétima posição deixando a vice-liderança com Humberto Martin. Pouco depois Martin cedeu à pressão de Scott, que ficou definitivamente com o segundo lugar. 


Thales Vilardi

Chatfield venceu com cerca de 6 segundos de vantagem sobre o norte-americano. Thales recuperou-se terminando na terceira posição. Quando ainda ocupava o posto, Martin caiu abandonando a corrida, já nas últimas voltas. 

A quarta posição foi de Gustavo Amaral, que parece estar gostando das condições adversas, seu outro pódio na temporada também foi no barro, em Carlos Barbosa. O gaúcho Marçal Muller fechou o time dos cinco mais rápidos na etapa. 


Davis Guimarães


Nico Rocha
Os pilotos "da casa" dominaram a categoria MX3. Só deu paranaense na disputa pela vitória entre os veteranos e um deles tem motivos de sobra pra comemorar: Davis Guimarães, que saiu de Foz do Iguaçu com a primeira vitória e a liderança isolada do campeonato.

Nico Rocha e Willian Guimarães andaram no mesmo ritmo do líder, alguns segundos atrás e fizeram a melhor disputa da bateria. Nico assumiu a segunda posição logo no início e, apesar de várias investidas de Willian manteve o posto até o final. Nielsen Bueno não conseguiu repetir o desempenho da etapa passada e se isolou na quarta posição. Erivelto Nicoladelli completou o pódio da categoria. 


Ismael Rojas


Carlos Eduardo Franco
Na 230cc, Ismael Rojas quebrou a sequência de vitórias de Carlos Eduardo Franco. Logo na segunda volta, ele ultrapassou Nivaldo Viana e começou a abrir distância. Sem cometer erros na pista pesada, Ismael garantiu com total domínio sua primeira vitória na temporada da competição. O resultado pode ser o início da recuperação do piloto no campeonato, após um começo com altos e baixos, como na etapa de abertura, onde ele não pontuou.

Carlos Eduardo demorou para "se encontrar" na pista. O líder do campeonato levou algumas voltas para superar Eduardo Rosing. Com o circuito pior a cada giro, Carlos Eduardo tinha problemas com o rendimento de sua moto e tentava sem sucesso diminuir a diferença para Nivaldo. No final, a sorte esteve ao lado do piloto da Pro Tork, Nivaldo errou e as posições se inverteram quando restavam apenas duas voltas para o final.

Na classificação geral, Rojas encostou em Nivaldo e agora o piloto santista tem apenas três pontos de vantagem sobre o vencedor da etapa. Carlos Eduardo segue na liderança da tabela. Na etapa, Rafael Silva completou o pódio, após se alternar na quinta posição com Rony Peterson. 


Anderson Amaral


Rodrigo Riffel
Anderson Amaral fez excelente prova na 85cc e segue com 100% de aproveitamento na categoria, vencendo as quatro etapas já realizadas. Mas, para alcançar o resultado, o paulista teve de suar muito, já que, depois de largar entre os primeiros, sofreu uma queda completando a primeira volta apenas na nona colocação.

Nas voltas seguintes Anderson foi devastador, conquistou três posições a cada passagem entrando na briga com Rodrigo Riffel pela vice-liderança. Pouco antes da metade da prova, os dois superaram Gustavo Roratto, que até então liderava a prova. Enquanto Roratto abandonava a corrida, Anderson assumia a ponta. A partir daí, o líder abriu distância para receber a bandeirada com quase 30 segundos de vantagem sobre Riffel.

Após a saída de Roratto, Pedro Bueno assumiu a terceira posição definitivamente. Norton Carvalho foi o quarto completando boa recuperação após largar em oitavo. Hallex Dalfovo mais uma vez esteve entre os mais rápidos com a quinta posição. 


Enzo Lopes


Kioman Munoz
Com a pista bem complicada para as pequenas 65cc, as quedas e trocas de posições foram constantes. Únicos a vencer nesta temporada, Kioman Munoz e Enzo Lopes mais uma vez se revezaram na liderança. Kioman largou na frente, mas duas voltas depois foi ao chão, cedendo a ponta para Enzo, mas o gaúcho também caiu pouco depois.

A alegria de Kioman pouco durou, pois logo que reassumiu a ponta ele caiu novamente e a demora no retorno acabou com suas chances de vitória. Enzo mostrou que já está recuperado da lesão que lhe atrapalhou na última etapa e partiu para sua segunda vitória. Kioman terminou em segundo e o resultado é que a classificação segue equilibradíssima, já que os dois estão empatados com 96 pontos.

Na corrida, Matheus de Souza consolidou-se em terceiro desde o início. Já José Brayan, que terminou em quarto, teve uma prova agitada e só definiu seu posto nos momentos finais, quando superou Daniel Reichhardt.

Uma boa notícia chegou ao final das provas: A próxima etapa do Pro Tork Brasileiro de Motocross foi confirmada para os dias 14 e 15 de agosto em Canelinha, SC. Será a 5ª rodada da competição evento que promete ser uma das melhores provas da temporada. A grande expectativa é justificada pelo local, que conta com um dos circuitos dos mais tradicionais do país e que recentemente sediou uma etapa do Mundial de Motocross tendo seu traçado todo remodelado para a competição internacional. 


Campeonato retorna nos dias 14 e 15 de agosto em Canelinha, SC 

A 4ª etapa do Pro Tork Brasileiro de Motocross foi uma promoção da MZ Sports Competições & Eventos, com apoio da Prefeitura de Foz do Iguaçu através da secretaria de Esportes e Lazer. A organização foi da Federação Paranaense de Motociclismo, com realização e supervisão da Confederação Brasileira de Motociclismo. O campeonato tem patrocínio Pro Tork e Rinaldi.

Clique e veja os resultados completos



Curso MotoX
JPS Racing

© 2000 - 2018 MotoX MX1 Internet