X Fechar
foto

X Fechar
foto
Clique e saiba mais
Clique e saiba mais
Clique e saiba mais
Clique e saiba mais
Clique e saiba mais
Clique e saiba mais

Edgers Racing

KTM Sacramento

Toro Sports

SP Race Park

JPS Racing

MotoX Pneus

Clique e saiba mais

> Competição > Brasileiro de Motocross

4ª etapa - Cuiabá - Mais detalhes do evento
Publicado em: 03/06

Cuiabá marca a metade da temporada
Texto e fotos: Maurício Arruda

Largada 85cc

O Campeonato chega a metade e os favoritos aos títulos já despontam nas cinco categorias. O maior deles? Milton Chumbinho Becker, detentor de 10 títulos nacionais e líder da categoria MX3 que domina até o momento de maneira incontestável a temporada sendo o único piloto invicto com quatro vitórias nas quatro provas disputadas. Rogério Nogueira é o segundo na temporada seguido por Ricardo Raspa.


Rogério Nogueira
Na categoria 65cc a disputa até o momento é equilibrada e a liderança tem alternado-se. Após a etapa de Cuiabá Everaldo Lima soma 56 pontos e está na primeira posição, mas ele tem fortes adversários como Douglas Santos (52 pts) e o atual campeão Hector Assunção (50 pts) que com altos e baixos (não pontuou em duas, mas venceu outras duas etapas) voltou a briga pela liderança. Felipe de Simoni vem logo a seguir com 49 pontos.

Na 85cc três pilotos se destacam na briga: Thales Villardi, Anderson Cidade e Lucas Cattoni. Bastante concentrado e determinado, Thales vem em uma temporada quase perfeita com três vitórias e um segundo lugar. Anderson (único a vencer também em 2005) e Lucas correm por fora alguns pontos atrás e tentam manter-se próximo ao piloto paulista para buscar uma reação na segunda metade da temporada.


Alberto Brizola Maschio
A categoria MX2 sempre tem disputa de sobra e dois dos candidatos ao título perderam pontos importantes na etapa que marcou a metade do Campeonato. Rafael Zenni (56 pts) e Leandro Silva (50 pts) estão na terceira e quarta posições após a prova de Cuiabá, onde nenhum dos dois somou pontos. Seus principais adversários no entanto, comandaram o show no Mato Grosso e agora são donos da primeira e segunda posições na classificação geral com boa vantagem. São eles, Marcello ’Ratinho’ Lima, líder com 77 pontos, e Rodrigo Selhorst, vice-líder com 69 pontos.

João Marronzinho Silva chega a metade do Campeonato em uma posição confortável na MX1. O piloto catarinense (após três vitórias e um terceiro lugar) lidera a tabela com 18 pontos de vantagem para Roosevelt Assunção. Douglas Parise é o terceiro com 22 pontos de desvantagem para o líder. Em seguida estão Massoud Nassar e o atual campeão brasileiro da MX2 Kristofer Florenzano (respectivamente com 37 e 47 pontos a menos que o primeiro colocado).


Everaldo Lima
Muita coisa ainda pode acontecer, existem 100 pontos em jogo em cada uma das categorias e daqui pra frente a tendência é que as disputas fiquem ainda mais intensas. Certamente teremos provas imperdíveis... mas antes vamos saber mais detalhes da 4ª etapa disputada na arenosa pista de Cuiabá, sob o intenso e desgastante calor da capital do Mato Grosso. 

Provas

No sábado os treinos tiveram sua programação alternada com a MX1 sendo a primeira categoria a entrar na pista. Já no domingo foi mantida a programação tradicional com a MX3 sendo a primeira a largar. Na frente Milton Becker, o Chumbinho, manteve a escrita das outras etapas e assumiu a liderança já na largada para vencer e manter seus 100% de aproveitamento.

A disputa pela segunda posição no entanto foi bastante intensa. No início a briga envolveu Osmar Ferreira e Ric Raspa. Pouco depois Alberto ’Brizola’ Maschio, de moto nova (mais um que ’desiste’ das 2 tempos aderindo aos ’tratores 4 tempos’) e bastante motivado assumiu o posto. Raspa comete um erro e perde posições enquanto Osmar demonstrar sentir o calor e perde ritmo ao longo da prova.


Anderson Cidade
Os pilotos que crescem e ganham posições são Rogério Nogueira e o pernambucano Júlio Xavier. Rogério encosta em Brizola e ganha o segundo lugar de presente quando este erra e caí. Já Julio parte na nona posição na primeira volta, mas firmasse no quarto lugar, atrás do rondoniense que retorna a prova para terminar em terceiro.

No final da bateria a principal disputa é pelo quinto lugar, com Jaques Pich empurrado pela torcida chegando logo na frente de Nico Soares. Ric Raspa é sétimo seguido por Osmar Ferreira, Sandro Silveira e Léo Lopes.

Milton Chumbinho Becker, 1º colocado - Categoria MX3: "São 21 anos de trabalho, de motocross, sempre me cuidei muito na alimentação, dai vem o fôlego para as corridas. Sempre falo para os jovens praticarem algum tipo de esporte, estou aí, são 10 títulos, estou tentando o 11º, são quatro vitórias consecutivas no Campeonato Brasileiro e espero somar mais. Foi uma prova difícil, muito calor, a pista dificulta ainda mais por ser de areia, mas graças a Deus consegui fazer tudo direitinho e somei mais 25 pontos que para mim são muito importantes".


Lucas Cattoni
Rogério Nogueira, 2º colocado - Categoria MX3:
"Foi uma prova difícil para todos. 40 graus, com a roupa acho que passa dos cinquenta e o término da prova para cada um foi uma vitória. O segundo lugar para mim foi ótimo, eu que estou aqui como participante, convidado, em algumas eu vou, outras eu falto e graças a Deus consegui o segundo lugar.

Alberto Brizola Maschio, 3º colocado - Categoria MX2: "Acho que foi uma prova muito boa, peguei esta moto (450cc) na segunda-feira, é uma moto muito forte, pesada... o calor atrapalhou um pouco, faltou um pouco de ritmo, talvez por falta de treino. O público de Cuiabá está de parabéns... agora é treinar mais para próxima etapa".

Entre os ’pequeninos’ da 65cc o destaque foi o retorno do atual campeão ao pódio. Hector Assunção, depois de dois péssimos resultados nas etapas anteriores, voltou a sorrir com um final de semana perfeito onde dominou os treinos e venceu a prova com muita tranquilidade. "Foi muito bom, estou muito feliz e agora estou entre os três primeiros do Campeonato", disse o vencedor. Tranquilidade teve também Everaldo Lima segundo colocado na prova e novo líder na classificação.

Cézar Zamboni corria em casa e conseguiu a terceira posição depois de ultrapassar Endrews Armstrong Nhemihes e Gustavo Takahashi, quarto e quinto na etapa. Daniel Guelman aproximou-se dos dois e chegou logo em seguida, na sexta posição. Rodrigo de Andrade foi o sétimo seguido por dois pilotos que já venceram este ano, mas não se deram bem nas areias de Cuiabá: Felipe de Simoni e Douglas Santos. De Simoni largou em primeiro, mas uma queda no primeiro salto obrigou o piloto a uma prova de recuperação. Caio Ferreira foi o décimo colocado. 


Pódio 65cc

Lucas Cattoni pulou na frente na bateria 85cc, liderando as primeiras voltas. Aos 7 minutos de prova um erro fez Cattoni cair para terceira posição. Anderson Cidade passou à frente, mas pouco depois foi superado por Thales Villardi. Daí para frente os três primeiros mantiveram suas posições e Thales venceu com boa vantagem. "O clima não me favoreceu. As vezes chego a treinar de moleton por causa do frio e realmente cansei na parte final da prova", comentou o catarinense Anderson. "Foi uma prova difícil, cansativa e a pista bastante seletiva, mas consegui manter um bom ritmo e
não cometi nenhum erro", disse Thales.


Rodrigo Selhorst
A briga pelo quarto lugar seguiu até a última volta com ligeira vantagem de Gustavo Amaral sobre Raphael de Simoni e Rodrigo Rodrigues. Eduardo Lima e Kaian Teixeira ficaram com sétima e oitava posições. Esta bateria, a exemplo da MX1, reuniu poucos pilotos. Apenas 12 competidores participaram desta etapa.

A primeira surpresa da categoria MX2 ocorreu antes de cair o gate. Rafael Zenni chegou como líder da temporada à Cuiabá, mas o piloto Ituano chegou atrasado ao parque fechado (onde as motocicletas aguardam o momento de ir pra pista) e com isso acabou fora da prova. O fato ocorreu também com Rafael Fonseca, piloto que este ano não faz todo Campeonato, mas destacou-se nos treinos quando fez o quinto melhor tempo.

Dada a largada Wellington Garcia, o atual campeão da 85cc, assume a liderança. Rapidamente ele, Rodrigo Selhorst e Marcello ’Ratinho’ Lima destacam-se dos demais e mostram que estão mais rápidos. Na quarta posição o piloto local Jairo
Bueno faz o que pode para segurar o pelotão.

Logo Selhorst faz a ultrapassagem passando a primeira posição. Já próximo aos dez minutos de bateria uma queda faz o líder perder várias posições e Wellington retoma a ponta. Ratinho passa a segunda posição. Neste mesmo momento Fábio Teixeira assume o quarto lugar enquanto Riderson Rocha e Lucas Moraes ’se esroscam’ em uma curva. 


Wellington Garcia

Selhorst fica fora dos dez primeiros, mas inicia uma recuperação espetacular. Ratinho e Wellington invertem posições e o piloto paulista passa a liderança. Wellington não dá folga e permanece colado ao líder. Nesta briga a situação se complica para Wellington quando este arranca os óculos de proteção... aí fica impossível manter-se próximo ao piloto que segue à frente.


Lucas Moraes
A esta altura Renan Bunij ocupa a terceira posição, mas ele já é ameaçado por Rodrigo Selhorst. Cristopher Castro, Natto Peres e Lucas Moraes que vem logo atrás. Ratinho administra a liderança com uma larga vantagem quando Selhorst passa a terceira posição e segue na perseguição a Wellington. Renan Bunij erra deixando a briga pelas primeiras posições.

Ratinho vence, pulando para primeiro também no Campeonato. Selhorst repete 2004 e consegue uma bela recuperação em Cuiabá para terminar em segundo. O surpreendente Wellington conquista seu melhor resultado na nova categoria assim
como Lucas Moraes que sobe ao pódio que fica completo com Pipo Castro, quinto colocado. Natto Peres, Fábio Teixeira, Daniel Chies, João Toledo e Riderson Rocha completam os dez melhores na prova.

Marcello Ratinho Lima, 1º colocado - Categoria MX2: "Eu larguei mais ou menos em quinto, foi uma prova muito disputada. O Rodrigo (Selhorst) caiu, depois eu estava atrás do Wellington, ele acabou caindo também. Consegui abrir uma certa vantagem e administrei até o final. A prova aqui de Cuiabá foi muito boa para mim... a pista estava muito esburacada, o calor muito forte, mas graças a Deus eu venci. Foi minha primeira vitória na temporada, é muito emocionante e espero que venham muitas outras até o fim do ano".


Roosevelt Assunção
Rodrigo Selhorst, 2º colocado - Categoria MX2:
"Eu fiquei feliz, estava rápido, nos dois treinos consegui fazer o primeiro tempo com uma certa vantagem. Na hora da corrida liderei o começo, mas caí, a moto não ligava... consegui ficar calmo e graças a Deus fiz ela ligar. Sai muito de trás e cheguei em segundo. Todos estão de parabéns.

Wellington Garcia, 3º colocado - Categoria MX2: "Eu fiz uma ótima largada, infelizmente acabei sofrendo um tombo. Não consegui terminar bem a prova, terminei em terceiro, apesar de ser um bom resultado, esperava mais... quero agradecer ao meu pai, ao Toninho, ao Raspa, ao Zebrinha, à todos que me ajudaram nesta prova e em outras, além dos meus patrocinadores".

Na prova da MX1 o mais rápido na largada foi Douglas Parise, seguido por Roosevelt Assunção, Massoud Nassar e João ’Marronzinho’ Silva. A alegria do gaúcho dura pouco, já que um espetacular tombo ainda no comecinho da prova o faz ver o mundo de cabeça para baixo, literalmente. "Peguei uma ondulação no final da rampa e a moto virou", explicou o vencedor da etapa passada. Douglas conseguiu retornar a pista na sexta posição, mas perdeu o freio dianteiro no acidente com a quebra do manete.


Massoud Nassar
Roosevelt assume a liderança perseguido por Massoud e Marrom. Rodrigo Siqueira segue em quarto e Florenzano na quinta posição. Quando Massoud parecia partir para o ataque sobre Roosevelt, a situação começa a mudar já que Marrom também vem para o ataque. O piloto catarinense supera Massoud e fica mais próximo do líder. Na metade da prova ocorre o ataque definitivo, algum tempo depois Marronzinho consegue a liderança e Roosevelt vai para segunda posição. A posição se define entre os três primeiros e Marrom conquista mais uma viotória. Roosevelt completa em segundo seguido por Massoud.

Atrás parecia que pouca coisa iria mudar, mas um assustador salto de Siqueira (ultrapassando a recepção e atingindo a rampa de lançamento de uma sequência de 3 obstáculos) quase provoca seu abandono. O piloto segue lento pela pista e Douglas Parise aproveita para ganhar uma posição, terminando em quarto. Siqueira ainda é o quinto seguido por um descontente Florenzano na sexta posição. Luiz Zimmermann chega em sétimo e Claudner Rocha o oitavo.

João Marronzinho Silva, 1º colocado - Categoria MX1: "Foi ótimo. Eu treinei bastante para essa etapa, treinei na areia, enfim, treinei tudo quanto é tipo de dificuldade que eu poderia enfrentar, e eu enfrentei para poder ganhar. Isso me deu um resultado positivo, não cansei em momento algum, andei do início ao fim sem cansar. Poderia ter forçado mais ainda, andei um pouco ’redondo’ até, para não cair, para não acontecer nada errado. Deu certo, mais uma vitória, 18 pontos na frente e espero cada vez aumentar a diferença. Só tenho a agradecer aos meus patrocinadores, que estão sempre comigo, sempre me apoiando, muito obrigado a todos vocês".


Douglas Parise
Roosevelt Assunção, 2º colocado - Categoria MX1:
"Na medida do possível foi uma prova muito boa, fiz uma boa largada, em segundo. O Douglas (Parise) caiu assumi a primeira colocação, mas com 15, 17 minutos de prova eu cansei por causa do calor. Estou treinando demais, o preparador físico disse que eu iria sofrer um pouco com isso, treinando muito. Mas ele falou que com dois meses e meio, três meses, eu ficarei 100%. Faz um mês e até a próxima etapa já vai dar dois meses e eu espero aguentar bem a corrida e conseguir a vitória".

Massoud Nassar, 3º colocado - Categoria MX1: "Foi muito difícil. Comecei, eu e o Roosevelt num bom ritmo, o Marronzinho só ’cozinhando o galo’, depois ele acabou me passando em um erro. Felizmente fiquei com a terceira posição, melhorando no Campeonato... tenho que trabalhar muito, estou sentindo o preparo físico, mas estou satisfeito com essa posição. Quero agradecer o pessoal aqui do Mato Grosso, de Cuiabá, essa receptividade imensa que eu tive e tambám aos meus patrocinadores, enfim, todos que contribuiram para este terceiro lugar".

Confira também: galeria de imagens da prova com 305 fotos!

O Campeonato Brasileiro de Motocross é organizado e promovido pela CBM (Confederação Brasileira de Motociclismo) com patrocínio Honda, Mobil e Dunas Race, co-patrocínio Expresso Joaçaba e Yamaha.







© 2000 - 2018 MotoX MX1 Internet