X Fechar
foto

X Fechar
foto
Clique e saiba mais
Clique e saiba mais
Clique e saiba mais
Clique e saiba mais
Clique e saiba mais
Clique e saiba mais
Clique e saiba mais


>Competição > Motocross Regional

8ª etapa Copa Neno Racing de Motocross - Águas de Lindóia - SP
Publicado em: 28/08/2009
Clique e saiba mais

Chuva dificulta etapa de Águas de Lindóia
MotoX.com.br - Texto e fotos: Maurício Arruda 


Largada MX1


Márcio Joanita
A Copa Neno Racing de Motocross já passou por diversas cidades paulistas e mineiras nesta temporada. No total, até o momento, foram disputadas 8 provas, a mais recente no último domingo, 23 de agosto, em um local especial para o promotor Neno Souza: a cidade de Águas de Lindóia, SP. Isto porque o município é também onde fica a base da equipe organizadora.

Mas a programação da competição ainda prevê muitas corridas em 2009. Camanducaia (MG), Pedra Bela (SP) e Paraisópolis (MG) são algumas das provas agendadas para as próximas semanas no campeonato, um dos mais extensos e duradouros do país. Nesta oitava rodada a chuva deixou tudo mais difícil para os pilotos e também para a organização. O tempo ruim fez com que o circuito ficasse bastante liso e com barro, desta forma as últimas baterias acabaram canceladas e ao invés das 11 corridas programadas foram disputadas 9 categorias. A pista local tinha novidades para este evento, ela foi ampliada, agora são 1.700 metros, mantendo o estilo de outros anos mesclando subidas e descidas de forma bem natural. Veja nas linhas abaixo como foram as corridas desta 8ª etapa. 


Marcelo Souza


Rodolpho Moraes
Os pilotos da MX3 ainda escaparam dos efeitos do mau tempo e fizeram uma prova sobre pista seca. Márcio Joanita aproveitou para disparar na frente vencendo de ponta a ponta a categoria, atrás dele Marco Mugão também não teve problemas para confirmar a segunda colocação conquistada desde o início.

O terceiro lugar foi mais disputado com Renato Hanser e Ney Marcolin alternando-se na posição. Quando restavam duas voltas para o final Marcolin retomou a posição de forma definitiva. Pelo quinto lugar não foi diferente e Sérgio Barbosa teve trabalho para superar Jean Dickson.

Na classe CRF 230 o começo de prova foi animado com uma boa disputa entre Marcelo Souza e Rinaldo Spagnol. Mas logo após a metade da prova Spagnol abandonou com problemas mecânicos e a partir daí a corrida foi um passeio para Souza, tamanha sua vantagem. 


Wilgner Guigão

Jonathan Alves cruzou a bandeirada em segundo, mas sofreu uma penalização da direção de prova e acabou com a terceira colocação. Quem comemorou a vice-liderança foi Ericsson Gordo enquanto Jorge, de Pinhal, confirmava a quarta colocação em uma corrida de recuperação. Bruno Ribeiro finalizou em quinto lugar.

Rodolpho Moraes começou na frente a prova da 65cc, mas tinha dois adversários bastante próximos, Renato Paz, o Muguinho, e Frederico Spagnol. A sorte estava ao lado do líder e em poucas voltas ele contava com boa vantagem na frente, primeiro Frederico errou uma curva perdendo um tempo considerável e depois foi Muguinho que, quando tentava reduzir a diferença, teve a corrente de sua moto quebrada. 


Nielsen Bueno

Na ponta Rodolpho não foi mais incomodado e confirmou a vitória. Luciano Queiroz aproveitou os problemas dos adversários para pular ao segundo lugar final. Já a disputa pela terceira posição passou por uma curiosa situação. Frederico Spagnol e Matheus Emílio cruzaram juntinhos a linha de chegada! Foi tão lado a lado que a organização optou por considerar um empate com ambos conquistando a terceira colocação. Na sequência completaram Vinícius Marcon e Luis Marini.

A chuva que havia começado na categoria 65cc apertou na hora da 85cc, mas isto não impediu o domínio de Wilgner Guigão nesta bateria. Quem largou na frente foi Roberto Ribeiro que logo na primeira volta foi superado por Guigão, Plínio Martinez e Victor Almeida. Na ponta Guigão abriu vantagem conquistando uma vitória folgada. 


Largada Nacional Estreante


Júlio Queijinho
Pela segunda posição Victor apertou Plínio nas últimas voltas, quando chegou a superá-lo, mas Plínio retomou o posto completando na vice-liderança. Roberto Ribeiro confirmou a quarta posição enquanto Guilherme Ribeiro levou a melhor na disputa com Renan Oliveira pelo quinto lugar.

A chuva apertou pouco antes da MX1, onde a reunião dos principais pilotos animava os espectadores presentes ao evento. E o destaque da prova foi o atual campeão brasileiro de enduro, Nielsen Bueno, que largou na frente e não quis saber da concorrência. Apenas na primeira volta Nielsen teve a posição ameaçada, quando era perseguido e pressionado por Pedro Ramos, mas o piloto de Atibaia errou em seguida perdendo contato e posições.

Com grande vantagem Nielsen pôde administrar a prova para conquistar sua primeira vitória no evento. Márcio Joanita, que escorregou e caiu na primeira volta, recuperou-se e concluiu a bateria em segundo. Já Ney Marcolin chegou isolado no terceiro lugar enquanto Pedro Ramos e Renato Hanser completavam os cinco primeiros entre as motos 450cc.

As motos nacionais voltaram pra pista na bateria Nacional Estreante. Jonathan Alves liderou a maior parte da prova, mas foi Eliandro Consorti, o Tonelada, vindo da terceira colocação, quem garantiu o primeiro lugar na categoria.

Jonathan completou em segundo e Ericsson Gordo foi o terceiro colocado. A disputa pela quarta posição foi intensa e definiu-se apenas na última volta.
Rafael Jaqueta superou Bruno Ribeiro ficando com o quarto posto. 


Próxima etapa será em Camanducaia, MG

Na 125 Bronze deu pra ver que a pista estava cada vez mais complicada e lisa. Com excessão do líder Júlio Queijinho, que manteve o primeiro lugar desde a largada, os outros pilotos passaram apuros para continuarem em suas respectivas posições. Foram diversas quedas e mudanças. Lucas Garcez e Lucas Fiorini foram dois dos pilotos que passaram pela segunda posição, mas acabaram perdendo terreno.


Veja também: Galeria de Imagens da Prova com 525 Fotos!
Queijinho fechou na ponta e quem terminou em segundo foi Nelson Sifaneli que teve um começo discreto, mas subiu na classificação. Jean Dickson subiu ao pódio na terceira colocação com "os Lucas", Garcez e Fiorini, completando em seguida.

Já com bastante barro na pista a MX2 largou para mais uma bateria. E Nielsen Bueno, agora com uma moto emprestada, voltou a ser destaque dominando completamente a prova. Com o líder muito a frente restou aos demais disputar o segundo lugar.

Quem levou vantagem no início foi Ricardo Osny, que depois acabou cedendo a posição para Daniel Mendes. As mudanças continuaram e Marcelo Souza, vindo de trás do pelotão, garantiu na última volta o segundo lugar. Júlio Queijinho foi no embalo de Marcelinho e também ganhou posições terminando em terceiro. Renan Bortoluai e Ricardo Osny completaram o pódio.

A bateria da Nacional Força Livre deveria ser a antepenúltima do evento, mas as condições da pista, já muito complicadas pela chuva acabaram transformando a corrida na última do dia. Apenas quatro pilotos alinharam para encarar a difícil disputa.

O chão liso transformou a prova em um exercício de equilíbrio para os pilotos e quem se destacou foi Eliandro Consorti, o Tonelada, que conquistou mais uma vitória. Marcelo Souza disputava com ele a primeira colocação, mas caiu e depois cortou um trecho da pista sendo penalizado pela direção de prova. Desta forma Jonathan Alves e Ericsson Gordo ficaram com segunda e terceira colocações. 


Eliandro Tonelada

A Copa Neno Racing de Motocross segue agora para Camanducaia, MG, onde nos dias 05 e 06 de setembro será realizada a 9ª etapa da temporada. O evento contará com premiação em dinheiro, total de R$ 3.000,00 entre os primeiros colocados das principais categorias, e também troféus aos dez primeiros em todas as baterias. A Copa Neno Racing de Motocross tem o patrocínio de MRP, Dablio Performance e NS Grafics.

Resultados

P. MX1
1. 1 Nielsen Bueno
2. 610 Márcio Joanita
3. 14 Ney Marcolin
4. 313 Pedro Ramos
5. 450 Renato Hanser
P. Nacional Força Livre
1. 119 Eliandro Consorti
2. 404 Jonathan Alves
3. 99 Ericsson Gordo
4. 94 Marcelo Souza
P. Nacional Estreante
1. 119 Eliandro Consorti
2. 404 Jonathan Alves
3. 99 Ericsson Gordo
4. 233 Rafael Jaqueta
5. 169 Bruno Ribeiro
6. 44 Thales Borges
P. MX2
1. 375 Nielsen Bueno
2. 94 Marcelo Souza
3. 822 Júlio Queijinho
4. 747 Renan Bortoluai
5. 5 Ricardo Osny
6. 202 Daniel Mendes
7. 105 Mateus Lima
P. CRF 230
1. 94 Marcelo Souza
2. 99 Ericsson Gordo
3. 404 Jonathan Alves
4. 757 Jorge de Pinhal
5. 169 Bruno Ribeiro
6. 233 Rafael Jachetta
7. 22 Wagner Campos
8. 75 Juninho Cruz
9. 5 Carlos
10. x Marcelo
P. MX3
1. 610 Márcio Joanita
2. 160 Marco Mugão
3. 14 Ney Marcolin
4. 450 Renato Hanser
5. 7 Sérgio Barbosa
6. 713 Jean Dickson
7. 777 Paulo Roberto
8. 118 José Marcon
9. 240 Rodolfo Vasconcelos
10. 174 Roberto Araújo
P. Bronze 125
1. 822 Júlio Queijinho
2. 356 Nelson Sifaneli
3. 713 Jean Dickson
4. 211 Lucas Garcez
5. 178 Lucas Fiorini
6. 28 André
7. 268 José Franco
8. 22 Rafael Resende
P. 85cc
1. 72 Wilgner Francisco
2. 74 Plínio Martinez
3. 15 Victor Almeida
4. 397 Roberto Ribeiro
5. 912 Guilherme Ribeiro
6. 919 Renan Oliveira
P. 65cc
1. 97 Rodolpho Moraes
2. 236 Luciano Queiroz
3. 61 e 7 Frederico Spagnol / Matheus Emílio
5. 118 Vinícius Marcon
6. 78 Luis Marini






© 2000 - 2020 MotoX MX1 Internet