X Fechar
foto

X Fechar
foto
Clique e saiba mais
Clique e saiba mais
Clique e saiba mais
Clique e saiba mais
Clique e saiba mais
Clique e saiba mais

Edgers Racing

KTM Sacramento

Toro Sports

SP Race Park

JPS Racing

MotoX Pneus

Arenafama

Clique e saiba mais

> Competição > Brasileiro de Motocross

4ª etapa - Detalhes do evento - Canelinha - SC
Publicado em: 30/05/2008

Canelinha comemora 30 anos de motocross
Texto e fotos: Maurício Arruda


Largada MX2


Moronguinho
Três décadas são tempo suficiente para muitas histórias. Pois o palco da 4ª etapa do Campeonato Brasileiro de Motocross, evento realizado nos dias 24 e 25 de maio, completa exatos 30 anos de motocross em 2008. Atualmente a cidade de Canelinha, SC, recebe anualmente uma das etapas mais tradicionais do circuito nacional, essa história teve início em 1978 quando o local sediou sua primeira competição da modalidade, uma prova regional. Ao longo dos anos o Motódromo Arthur Jachovicz construiu uma sólida relação com o motociclismo nacional recebendo diversas vezes o campeonato brasileiro, por isso as principais estrelas do motocross brasileiro de hoje e de ontem tem recordações das passagens pelo circuito. 

Veja também:
- Galeria de Imagens com 677 fotos das corridas 
- Galeria de Imagens com 532 fotos dos treinos
- Videos das corridas na MotoX TV


Dono de um currículo invejável, Pedro Bernardo Raimundo, o Moronguinho, talvez não seja conhecido da nova geração de pilotos, mas com 14 títulos nacionais conquistados nas categorias principais é um eterno ídolo para uma grande legião de fãs. Passados mais de 20 anos, desde que Moronguinho deixou as competições, uma justa homenagem ao lendário piloto gaúcho deu início ao evento no domingo e ele também tem suas lembranças de disputas na pista catarinense. 


Canelinha completa 30 anos de motocross em 2008
Foto: Gerson Coas

Moronguinho deu uma volta de moto pelo circuito, emocionou-se e emocionou quem conhece sua história dentro do esporte. Foi um belo início para mais uma etapa do circuito nacional com ótimas provas. A corrida marcou também a metade da temporada já que são oito provas programadas neste ano. Confira como foram as disputas em Canelinha.

MX1: Leandro retoma a liderança 


Leandro Silva


Wellington Garcia
Quando o gate caiu na MX1 a expectativa de um duelo entre Leandro Silva, Wellington Garcia e João Marronzinho, se confirmou. Estes três pilotos não só detém as primeiras posições do campeonato, mas também comprovam a cada corrida estarem um degrau acima dos demais. Determinados, com preparo físico e técnico em dia, e muita velocidade para mostrar, eles garantiram mais um grande espetáculo nesta etapa.

A prova começou com um forte acidente ainda na reta de largada envolvendo Marcos Cordeiro, Milton Chumbinho Becker e Cristopher Pipo Castro. Um grande susto para quem assistiu a batida que envolveu os três catarinenses. Pior para Pipo que sofreu uma forte pancada no peito, deixou a pista e foi direto para o hospital, onde felizmente não foi constatada nenhuma lesão mais séria. Chumbinho também saiu do incidente com dores e um pulso bastante inchado.


João Marronzinho
Na liderança desde o início Leandro Silva tinha a presença próxima de Wellington Garcia. Jean Ramos não sustentou por muito tempo a terceira posição, pois logo foi superado por João Marronzinho, o líder do campeonato e dono da volta mais rápida nos treinos de sábado. Quando buscava aproximação com os dois primeiros, no entanto, Marronzinho sofreu uma leve queda suficiente para perder contato com os ponteiros.

Assim a disputa pela liderança acabou restrita a Leandro e Wellington. Batalha que permaneceu pelos quase 35 minutos de duração da bateria. Apesar dos esforços e muitas ameaças do goiano o paranaense conseguiu manter-se à frente. Na chegada, meros 0,167 milésimos de segundo separavam os dois pilotos da Honda. Leandro comemorou a volta a liderança do campeonato. "Consegui largar bem, Wellington e o Marronzinho pressionaram bastante, mas mantive a calma para vencer".

Wellington lamentou ter chegado tão próximo do companheiro de equipe, mas não ter conseguido vencer: "Acompanhei o Leandro o tempo todo e tentei dar um bote no final. Cheguei a estar na frente na seqüência de costelas, mas Leandro levou vantagem na curva. De qualquer forma, estou cada vez melhor nas baterias", afirmou.


Roosevelt Assunção
Para Marronzinho a queda que sofreu antes da metade da prova foi determinante. "Eu estava a apenas 5 segundos do Leandro e do Wellington, mas sofri uma queda e aí foi difícil recuperar. Nós três estamos andando muito parecido", disse ressaltando o equilíbrio que tem marcado esta temporada.

Thales Vilardi segue como a surpresa da categoria nesta temporada e conquistou mais um pódio, levando vantagem sobre Roosevelt Assunção na disputa pelo quarto lugar. O sexto lugar foi do gaúcho Douglas Parise seguido por César Popinhak e Dudu Lima. Rafael Faria venceu a disputa com Rodrigo Rodrigues pela 10ª posição.

Pos Classificação Geral MX1 Pontos
1 4 Leandro Nunes Da Silva 90
2 3 Joao Paulino Da Silva Junior 85
3 1 Welington Garcia Matos 67
4 5 Roosevelt De Freitas Assuncao Junior 46
5 14 Thales Vilardi Felix Da Silva 32
6 6 Cristopher Castro 31
7 10 Jean Carlo Ramos 30
8 18 Douglas Scartazzini Parise 29
9 12 Kurtt Airton Rocha 23
10 42 Marcos Campos Cordeiro 21
11 11 Milton Becker 14
12 24 Cesar Augusto Popinhak 14
13 181 Scott Bradley Simon 13
14 19 Rafael Da Silva Faria 12
15 49 Cesar Adrian Cantero Antes 7

MX2: Selhorst esquenta a disputa na categoria 


Rodrigo Selhorst


Swian Zanoni
Uma queda e a fratura de um dos dedos da mão esquerda durante os treinos de sábado não impediram, mas complicaram a participação de Marcello Ratinho Lima, até então líder invicto no campeonato da MX2. Para esquentar ainda mais a disputa, seu principal adversário na briga pela vitória nas provas anteriores, Rodrigo Selhorst, entrou no gate de largada com o melhor tempo e a condição de favorito da etapa.

Largando na ponta Selhorst confirmou a expectativa e garantiu pela primeira vez no ano o lugar mais alto do pódio. O piloto de Rondônia escapou da confusão na largada da categoria e fez uma prova perfeita vencendo de ponta a ponta. Swian Zanoni começou a corrida na quarta posição, mas fez uma prova consistente e logo se consolidou no segundo lugar superando Jean Ramos e Lucas Moraes. Estes dois acabaram encerrando prematuramente a participação na etapa. Jean deixou a prova ainda na terceira volta quando caiu e acabou atolado em uma valeta ao lado da pista. Já Lucas sofreu uma queda espetacular no salto triplo de descida abandonando a corrida na sétima volta. Confira os dois incidentes no vídeo de Canelinha da MX2 na MotoX TV


Davis Guimarães


Douglas Parise
Quem passou boa parte da prova no terceiro lugar foi Davis Guimarães. Atrás do veterano piloto parananaense a disputa era intensa e a todo momento tinha alterações. César Popinhak, Rafael Zenni, Dudu Lima, César Cantero foram alguns dos nomes na disputa por um lugar no pódio. Mas quem surpreendeu mesmo foi Douglas Parise. Lembra da confusão da largada, pois bem Parise acabou envovido na queda coletiva e partiu entre os últimos, fora dos trinta primeiros colocados. Em uma espetacular recuperação o gáucho conquistou o terceiro lugar final da bateria, superando Davis Guimarães quando restavam apenas três voltas.

Quem fechou o pódio foi Marcello Ratinho Lima. O sacrifício do líder do campeonato foi recompensado com a quinta posição e a manutenção da ponta na tabela. Na etapa Selhorst foi absoluto e garantiu a vitória com uma vantagem de 20 segundos sobre Swian. "Minha equipe está fazendo um trabalho muito bom e hoje eu cheguei à primeira vitória na temporada. Vamos para as próximas etapas com a mesma fé, lutando para conquistar o título", afirmou o vencedor. Rafael Zenni ficou com a sexta posição, cometeu erros no terço final da bateria que lhe tiraram a condição de uma posição mais a frente, mas mostrou que está ganhando ritmo e pode surpreender até o final da temporada. Dudu Lima fechou na sétima posição seguido de Massoud Nassar, César Popinhak e Marcos Cordeiro.
 
Pos Classificação Geral MX2 Pontos
1 7 Marcello Ferreira De Lima 87
2 8 Rodrigo Clemente Selhorst 78
3 9 Swian Zanoni Coelho Gomes 61
4 18 Douglas Scartazzini Parise 50
5 17 Davis Guimarães 42
6 10 Jean Carlo Ramos 39
7 24 Cesar Augusto Popinhak 35
8 13 Eduardo Ferreira Lima 31
9 26 Massoud Nassar Neto 30
10 31 Rafael Zenni 29
11 23 Lucas De Moraes 25
12 30 Edson Luiz Bertos 11
13 317 Carlos Eduardo Mendes Franco 11
14 52 Kristofer Name Florenzano 6
15 42 Marcos Campos Cordeiro 6

MX3: Chumbinho faz a festa em casa 


Milton Chumbinho Becker


Nico Rocha
Milton Chumbinho Becker teve um final de sábado um tanto tenso depois da conquista do melhor tempo nos treinos da MX3. Tudo por causa da ameaça de punição após um incidente durante uma bandeira amarela. A direção de prova cogitou caçar o ponto extra (conquistado pela pole) e colocar Chumbinho, e outros dois pilotos, entre os últimos no alinhamento de largada no domingo. Após análise do júri o piloto, que é conhecido pela extrema competitividade e mostrou-se oborrecido com a situação, acabou absolvido e voltou a sorrir antes da corrida da categoria.

Quem pulou na frente na largada foi Nico Rocha, mas ainda na volta inicial Chumbinho assumiu a liderança. Mesmo com o esforço de Nico para recuperar a posição a situação permaneceu a mesma até o final da bateria: Chumbinho com alguns segundos de vantagem em primeiro, com o paranaense atrás, tendo que se contentar com a segunda posição pela terceira vez consecutiva. Os dois conquistaram uma vantagem confortável sobre os demais ao longo da bateria.

A terceira posição ficou com Jorge Negretti que ultrapassou Elton Becker ainda no início da bateria e isolou-se no terceiro lugar. Elton ainda sofreu com a pressão de Alexandro Martins e Willian Guimarães. Martins fez ótima prova de recuperação e depois de largar em nono terminou no quarto lugar. Quando restavam pouco mais de duas voltas Guimarães também superou Elton ganhando a quinta posição. Léo Lopes, Marcelo Agostini, Júlio Xavier e Israel Feitosa completaram os dez primeiros na prova. 


Jorge Negretti

Pos Classificação Geral MX3 Pontos
1 1 Milton Becker 93
2 22 Nicomedes Soares Da Rocha Filho 74
3 909 Jorge Negretti 66
4 215 Elton Becker 59
5 60 Willian Aparecido Alves Guimaraes 43
6 15 Alexandro Valerim Martins 39
7 116 Erivelto Donizete Rossi Nicoladelli 21
8 202 Julio Cezar Bonifacio Xavier 20
9 40 Adilson Luiz De Araujo 19
10 56 Mariana Balbi 18
11 54 Ricardo Raspa 17
12 127 Marcelo Alan Agostini 17
13 39 Leo Lopes 14
14 96 Carlos Gustavo Kettermann 10
15 66 Jose Israel Batista Feitosa 10

MXJr: Show de Anderson Cidade 


Anderson Cidade


Hector Assunção
A prova dos garotos de até 18 anos com motos da classe MX2 teve início com uma grande confusão na primeira curva. Vários dos favoritos acabaram caindo entre eles os dois únicos vencedores até esta quarta etapa, Anderson Cidade e Thales Vilardi. Ficaram também Gustavo Amaral, Gabriel Gentil e Gustavo Takahashi, entre outros. Quem escapou da confusão foi Hector Assunção que disparou na frente seguido por Marçal Muller e Kaian Teixeira.

O público acompanhava a disputa na ponta também com um olho nos líderes do campeonato que recuperam posições a cada volta. Anderson Cidade especialmente, levantava o público, ele conseguiu voltar rapidamente à prova e em apenas 3 voltas já tinha a terceira posição! Foi questão de tempo o catarinense ultrapassar também Marçal Muller e depois pensar em buscar a posição de Hector.


Thales Vilardi
Quando restavam 3 voltas Cidade conseguiu a ultrapassagem sobre Hector recebendo a bandeirada pouco depois, sem saber que vencia a prova. "O tempo todo pensei em dar o melhor de mim, e na hora em que cruzei a linha de chegada não sabia em que lugar tinha ficado. Quando me contaram que venci quase não acreditei", disse satisfeito com sua segunda vitória no campeonato. Hector cruzou em segundo e Thales foi terceiro em uma recuperação tão espetacular quanto a de Cidade. "Foi uma corrida muito boa para mim, pois mostrou que não posso desistir em momento algum. Espero ter esse ritmo durante todo o campeonato", afirmou o piloto que segue líder do campeonato, 8 pontos de vantagem a frente de Anderson Cidade.

Marçal subiu pela primeira vez ao pódio da categoria com a quarta posição. Kaian Teixeira fechou a prova na quinta posição. Outros pilotos em prova de recuperação, Gabriel Gentil e Gustavo Amaral chegaram na sexta e sétima posições. Gustavo Focchesato, Gabriel Montenegro e Kaique Polimeno ficaram com oitava, nona e décima posições. 

Pos Classificação Geral MXJr Pontos
1 14 Thales Vilardi Felix Da Silva 85
2 20 Anderson Hauptli Cidade 77
3 700 Hector Freitas Assunçao 64
4 21 Gustavo Pereira Do Amaral 62
5 34 Gabriel Bitencourt Gentil 38
6 126 Rodrigo De Castro Rodrigues 35
7 32 Kaian Teixeira Evangelista 35
8 544 Marçal Muller 28
9 43 Mairon Mergener 27
10 501 Gustavo Vieira Bonaventura Takahashi 24
11 67 Gabriel Ferreira Montenegro 19
12 79 Higor Passos 17
13 102 Kaique Arranz Polimeno 17
14 503 Gustavo Focchesato 13
15 41 Deni Marques De Abreu Filho 7

CRF 230: Carlos Eduardo Franco domina novamente 


Carlos Eduardo Franco


Paulo Henrique Krutzsh Jr
O piloto do Mato Grosso do Sul, Carlos Eduardo Franco, voltou a dominar a categoria CRF 230, repetindo o desempenho da etapa passada ele passa a ser o único com duas vitórias na categoria. Apesar disto quem permanece na liderança do campeonato é Marcos de Moraes, que chegou na terceira posição. Como sempre muito regular o paulista ainda não venceu, mas soma três terceiros lugares e uma segunda posição.

Nesta etapa Marquinhos teve trabalho após largar mal, na 12ª posição e depois de boa disputa com Person Pauletto, conquistou o terceiro posto. Paulo Krutzsch foi quem saiu na ponta, mas logo no início foi ultrapassado por Franco. Os dois imprimiram um ritmo mais forte que os demais escapando do pelotão. Com a nova vitória Carlos Franco pulou para o terceiro lugar no campeonato. Krutzch fez sua primeira participação somando os primeiros 20 pontos e é o nono na tabela.

O pódio de Canelinha teve também as presenças de Person Pauletto e Darlam Cunha, na quarta e quinta posições. No total foram 32 motos no gate da categoria nesta quarta etapa do campeonato.
 
Pos Classificação Geral CRF 230 Pontos
1 113 Marcos Roberto Roza De Moraes 68
2 5 Lucas Pagnoncelli De Araujo 53
3 317 Carlos Eduardo Mendes 50
4 360 Person Pauletto 47
5 53 Nivaldo Jose Viana 44
6 404 Jose Macio Barbosa Junior 37
7 88 Carlos Pereira Maia Filho 28
8 422 Thiago Quintela Melo 23
9 101 Paulo Henrique Krutzsh Junior 20
10 901 Leandro Lima 17
11 17 Danilo Milton Fumes 16
12 139 Bruno Silva Da Luz 14
13 36 Maciel Andre Da Cruz 14
14 313 Darlam Marcondes Da Silva 13
15 920 Thiago Augusto De Oliveira Piolli 12

85cc: Campeonato aberto 


Everaldo Lima


Rodrigo Lama
A categoria teve a ausência de Cézar Zamboni, então líder do campeonato que recupera-se de uma lesão e não participou desta etapa. Com o primeiro colocado fora da briga surgiram como favoritos para prova os companheiros de equipe de Zamboni: Rodrigo Lama e Everaldo Lima. Eles confirmaram a condição logo que caiu o gate e foi dada a largada da corrida.

Everaldo saiu na frente, mas foi ultrapassado por Lama em seguida. Depois de três voltas na liderança o sergipano sofreu a primeira das três quedas que levaria na bateria. Everaldo não perdeu a oportunidade de recuperar a liderança e, com seu principal adversário em um dia cheio de erros, tratou de abrir vantagem. No final da bateria tinha muita tranquilidade e pode administrar a primeira posição vencendo pela primeira vez este ano. Mesmo com os tombos Lama não teve o segundo lugar ameaçado e com o resultado conquistou a liderança do campeonato.

O terceiro lugar foi de Leonardo Lizott que fez uma prova consistente e sem erros. Gabriel Zenni veio de décimo para fechar a bateria na quarta posição. A recuperação de Endrews Armstrong foi ainda mais trabalhosa já que o paranaense caiu na largada e precisou de muitas ultrapassagens para completar a corrida no quinto lugar. O resultado da etapa embolou bastante a classificação e a disputa pelo título segue totalmente aberta para a segunda metade do campeonato. 

Pos Classificação Geral 85cc Pontos
1 3 Rodrigo De Andrade Santos 79
2 5 Everaldo Rodrigues Lima Filho 73
3 7 Cezar Augusto Zamboni 67
4 112 Endrews Armstrong Nhemihes 53
5 94 Eduardo Leopoldo Rudnick 42
6 6 Gabriel Zenni 39
7 53 Leonardo Lizott 32
8 811 Gustavo Roratto 27
9 95 Anderson Pereira Do Amaral 19
10 40 Caio Cardoso Ferreira Celino 18
11 67 Raul Faustino 17
12 43 Marcos Paulo Holtman 15
13 12 Gabriel Francisco Pereira Marques 13
14 48 Tauan Henrique Brenner 13
15 715 Matheus Luis Prado 12

65cc: Kaio Miranda recupera o primeiro lugar 


Kaio Miranda


Thiago Formehl
Thiago Formehl chegou nesta etapa embalado pela vitória na prova anterior e largou na frente seguido por João Ribeiro e Kaio Miranda. Ainda no início Kaio ganhou as duas posições assumindo a liderança da prova. Ribeiro também ultrapassou Formehl permanecendo na segunda posição pela metade da bateria. Neste momento Formehl reagiu e retomou o posto de forma definitiva.

Hallex Dalfovo foi de ponta a ponta na quarta posição. Já o quinto lugar foi definido apenas na última volta quando Rodrigo Riffel conseguiu a posição, ocupada praticamente toda bateria por Francisco Bratschi. O catarinense veio lá de trás finalizando a prova no pódio. Kaio Miranda com o resultado voltou a liderança do campeonato com 10 pontos de vantagem sobre Formehl. O vice-líder tem na sua cola Riffel e Dalfovo, ambos apenas um ponto atrás. 

Pos Classificação Geral 65cc Pontos
1 2 Kaio Cesar De Miranda 76
2 7 Thiago Bortoloti Formehl 66
3 3 Rodrigo Jose Riffel 65
4 11 Hallex Dalfovo 65
5 8 Joao Pedro Pinho Ribeiro 57
6 46 Francisco Urrutia Bratschi 41
7 55 Mauricio Treichel 28
8 536 Gustavo Pessoa De Souza 23
9 81 Kioman De Jesus Navarro 21
10 45 Lucas Fernando Bottcher Frazão 21
11 122 Filipe Sorrentino Ribeiro 13
12 19 Gustavo Alves Santos Borges 13
13 101 Joao Vinicius Rodrigues Hedler 12
14 737 Matheus Alexandre De Oliveira 11
15 51 Enzo Lazaro Pedo Lopes 9

Destaques do evento - Fatos de dentro e fora das pistas 

Woodstock Off-Road - A prova de Canelinha é também bastante conhecida pelo público peculiar. Um grande acampamento montado ao lado do circuito reúne milhares de pessoas nos dias do evento. Já assisti verdadeiras loucuras motorizadas ao redor do motódromo, como por exemplo motos street sendo utilizadas nos barrancos do local como se fossem legítimas fora de estrada. Este ano o acampamento estava lá, mas a maior presença da polícia reduziu a tradicional bagunça motorizada madrugada adentro.  


A equipe KTM Oásis comemorou a primeira vitória, na categoria MX2

Equipe KTM Oásis - A equipe paranaense comemorou a primeira vitória na temporada, com Rodrigo Selhorst. Além do rondoniense o time conta também com o paulista Rafael Zenni, sexto colocado da etapa na categoria MX2. Paulinho Stédile, outro piloto do time, ainda não entrou em ação na pista nesta temporada, mas acompanha as provas no pit stop e colabora passando informações os companheiro da equipe comandada por Marcelo Silvério. 

Bruxa solta
- Esta etapa foi sem dúvida a mais acidentada do ano até o momento. A bruxa esteve solta desde o sábado, quando Ric Raspa, piloto da MX3 sofreu uma queda fraturando a perna. No domingo a equipe Astra Médica continuou tendo trabalho. Entre os vários acidentes chamaram atenção a espetacular queda de Lucas Moraes na MX2 (veja o vídeo na MotoX TV), a pancada entre Tiago Silva que ultrapassou uma parede (de curva) e atingiu de surpresa José Barbosa - que vinha em uma reta do outro lado - na categoria CRF 230, e o acidente com poucos metros de corrida na MX1 que deixou Pipo Castro no chão ainda na reta de largada, entre outros. Vale lembrar quem pilota: ande sempre com os equipamentos de segurança em dia. Valorize seu capacete, colete e tudo mais que lhe traga proteção, na hora de uma queda eles fazem a diferença!

Metade do campeonato - A corrida marcou também a metade da temporada 2008 de motocross. Depois de São Paulo, Paraná, Rio Grande do Sul e Santa Catarina o circo do motocross passará ainda por Mato Grosso, Mato Grosso do Sul, Espírito Santo e Rio de Janeiro.


Chumbinho é o maior pontuador do campeonato. O catarinense lidera a MX3 com 93 pontos até o momento
Autódromo
- As obras do autódromo de Canelinha já tiveram início. O projeto deve levar 3 anos para ser concluído. O motocross segue nos planos dos administradores do local, portanto os fãs e pilotos podem continuar sossegados que o templo do motocross catarinense ainda terá muita história para contar. 

Mundial em Canelinha? - Os rumores continuam fortes. Durante o evento as autoridades presentes fizeram questão de reafirmar o compromisso do governo local em apoiar o esporte e também a vinda do Mundial de Motocross para Santa Catarina. Independente do local, cada vez mais podemos acreditar que é muito grande a chance de assistirmos novamente, já em 2009, os melhores pilotos da modalidade no mundo acelerando em terras  brasileiras.

Pontos em jogo - 104 este é o número. Já estiveram em jogo 104 pontos até o momento e restam mais 104 até o final da temporada. São 26 em cada etapa, 25 da vitória na prova e 1 do melhor tempo nos treinos cronometrados. Na temporada quem mais acumulou pontos até a quarta etapa foi Milton Chumbinho Becker. O catarinense está com 93 pontos na liderança da categoria MX3, portanto não conquistou apenas 11 de todos os possíveis.


A 5ª etapa da competição ocorre nos dias 14 e 15 de junho, na cidade de Sorriso, MT.

O Campeonato Brasileiro de Motocross tem patrocínio de Honda e Mobil. Co-patrocínio Pro Tork. Apoio Pirelli. A organização desta etapa foi da Federação Catarinense de Motociclismo - FCM. Supervisão da Confederação Brasileira de Motociclismo.



Curso MotoX
JPS Racing

© 2000 - 2018 MotoX MX1 Internet