X Fechar
foto

X Fechar
foto
Clique e saiba mais
Clique e saiba mais
Clique e saiba mais
Clique e saiba mais
Clique e saiba mais
Clique e saiba mais

Edgers Racing

KTM Sacramento

Toro Sports

SP Race Park

JPS Racing

MotoX Pneus

Arenafama

Clique e saiba mais

> Competição > Brasileiro de Motocross

2ª etapa - Detalhes do Evento - Siqueira Campos - PR
Publicado em: 06/04/2008

Motociclismo nacional ganha mais um grande palco para eventos
Texto e fotos: Maurício Arruda


Largada CRF 230


Torre de cronometragem e locução
Quando partimos na viagem rumo a cidade de Siqueira Campos, no interior paranaense, tínhamos grandes expectativas. Além das disputas que esperávamos dentro da pista iríamos acompanhar a inauguração de mais um grande palco para o motocross brasileiro.

Veja também:
- Vídeos das corridas na MotoX TV
- Resultados das provas 
- Galeria de imagens com 579 fotos das corridas!
- Galeria de imagens com 417 fotos dos treinos livres! 
- Galeria de Imagens com 501 fotos dos treinos cronometrados!

Chegando ao Centro de Treinamento Pro Tork, sede da 2ª etapa do Campeonato Brasileiro de Motocross nos dias 29 e 30 de março, confirmamos tudo aquilo que havia sido divulgado antes da competição. A infra-estrutura grandiosa, sem dúvida um grande estímulo para as competições, é motivo para o motociclismo nacional comemorar.

O local possui um circuito de motocross com cerca de 1.600 metros de extensão e, além disso, tudo que é necessário para sediar um grande evento como o Campeonato Brasileiro de Motocross. Destaque da estrutura, a torre de cronometragem e locução possui quatro andares conjugados com a sala de imprensa e secretaria de prova. Para conforto dos pilotos e equipes foram construídos banheiros exclusivos para os boxes (10 masculinos e 10 femininos), e o fornecimento de energia (de 510 KVA) supera de longe o número exigido para atender as necessidades do evento.


Assista aos Vídeos com os melhores momentos das corridas
A Pro Tork, maior fabricante de peças e acessórios para moto da América Latina, já há alguns anos investe forte no motociclismo nacional. Após patrocinar diversos pilotos individualmente, a empresa formou seu próprio time fundando a Pro Tork Racing Team. Em 2008 mostrando compromisso e profunda ligação com o motocross, a família Bonilha - que administra esta empresa 100% nacional - deu mais um grande passo com a inauguração do seu CT sediando uma prova do campeonato nacional de motocross.

Com a realização da segunda de oito etapas programadas para esta temporada, começam a despontar os atletas que podem brigar pelos títulos. Ainda é cedo para apontar os favoritos e muita coisa pode acontecer, mas quem deixou escapar pontos nas duas primeiras rodadas pode não estar na briga na reta final. Acompanhe abaixo mais sobre a corrida paranaense e a classificação geral do Brasileiro de Motocross 2008.


Pista de Siqueira Campos

MX1: Leandro Silva passa à liderança


Leandro Silva


Wellington Garcia
A categoria principal começou o domingo com a confirmação do abandono de um dos protagonistas da prova de abertura, o norte-americano Scott Simon. O piloto da equipe Dunas caiu durante os treinos de sábado e deixou a pista com uma fratura no pé e suspeita de rompimento dos ligamentos do tornozelo, lesões que lhe deixarão fora também da próxima etapa.

No gate 26 motos disputaram a primeira curva com Leandro Silva e Wellington Garcia assumindo as duas primeiras posições. Líder do campeonato João Marronzinho chegou para a etapa também com a responsabilidade de ser piloto da casa e favorito do enorme público que compareceu ao evento, estimado em mais de 25 mil pessoas.

Marrom partiu na quarta posição, logo superou César Popinhak passando ao terceiro posto entrando então na briga com a dupla da Honda. Quem enfrenta problemas é justamente o campanheiro de equipe do catarinense, Roosevelt Assunção que após completar a primeira volta em posições intermediárias cai para as últimas posições iniciando uma prova de recuperação.


João Marronzinho


Pipo Castro
A esta altura está claro que a briga pela vitória será entre Leandro, Wellington e Marrom, piltos que determinam o ritmo da corrida. Marronzinho ultrapassa Wellington e logo está colocando pressão em Leandro. Na terceira volta ele passa à liderança.

Por oito voltas Marronzinho tem a ponta da corrida, ameaça escapar dos adversários, mas acaba permitindo a reação de Leandro que pouco depois da metade da bateria retoma o primeiro lugar. A disputa segue aberta com Wellington pouco atrás ainda na briga.

Ninguém desgruda os olhos da disputa quando os pilotos partem para as duas voltas finais. Logo após a sessão de costelas porém, Marronzinho deixa o motor de sua moto apagar e a briga pela vitória fica então apenas entre Leandro e Wellington. O grande público, apesar da liderança de um piloto paranaense, assiste frustrado Marronzinho tentando religar a motocicleta. Já com Douglas Parise próximo, ele consegue retornar a corrida ainda no terceiro lugar.


Gate de Largada MX1

A rápida pista de Siqueira Campos tem trechos onde a alta velocidade das 450cc impressionam. Certamente a reta - em descida - que antecede a curva e o salto de chegada, é o principal destes pontos e Leandro desce o trecho na última volta acelerando com vontade, defendendo-se da última cartada de Wellington Garcia.

Quando cruzam a bandeirada há pouco mais de meio segundo de diferença entre os dois. Leandro Silva comemora a vitória e também a liderança do campeonato. "Estou muito feliz com esta vitória. Fiz uma prova muito boa e o preparo físico foi fundamental", destacou.


Pódio MX1
Papa-tudo de 2007 Wellington Garcia marcou a mehor volta da prova, mas ainda não encontrou a vitória no campeonato desta temporada. Com o segundo lugar da corrida ocupa a terceira posição na tabela. "O campeonato está embolado. Espero vencer a partir da terceira etapa", comentou o atual campeão.

Marronzinho confirmou o terceiro lugar e a vice-liderança na classificação geral. Douglas Parise, que antes já havia subido no pódio da MX2 (abaixo estão os detalhes desta corrida), ficou com o quarto lugar da bateria. Já Thales Vilardi mais uma vez teve boa apresentação na categoria principal e venceu a disputa com Pipo Castro pelo quinto posto. 

Pos Classificação Geral MX1 Pontos
1 4 Leandro Nunes Da Silva 45
2 3 Joao Paulino Da Silva Junior 42
3 1 Welington Garcia Matos 37
4 6 Cristopher Castro 20
5 5 Roosevelt De Freitas Assuncao Junior 19
6 14 Thales Vilardi Felix Da Silva 19
7 18 Douglas Scartazzini Parise 19
8 12 Kurtt Airton Rocha 14
9 181 Scott Bradley Simon 13
10 42 Marcos Campos Cordeiro 10
11 10 Jean Carlo Ramos 9
12 11 Milton Becker 7
13 49 Cesar Adrian Cantero Antes 7
14 29 Djohny Luiz De Aquino 6
15 444 Jethro Feula 5

MX2: Ratinho vence mais uma


Marcello Ratinho


Rodrigo Selhorst
Na categoria MX2 novamente houve mais de 40 inscritros e foi preciso garantir vaga entre os classificados durante os treinos cronometrados. A prova final começou com a liderança do Rondoniense Rodrigo Selhorst, este ano piloto da equipe KTM Oásis. Douglas Parise, César Popinhak, Marcello Ratinho Lima e Rafael Zenni ocupavam as posições seguintes, enquanto um dos favoritos, Jean Ramos cai retornando para a corrida no final do pelotão.

Selhorst liderou o início da prova com Ratinho, determinado, ultrapassando Popinhak e Parise para entrar na briga pelo primeiro lugar. Na volta seguinte Ratinho consegue
ultrapassar Selhorst também, assumindo a primeira posição.

Lucas Moraes neste momento tem a quarta posição e começa a pressionar Douglas Parise. Em seguida é a vez de Swian Zanoni, que largou no 14º lugar e faz uma prova de recuperação, ganhar a quinta posição de Rafael Zenni, quando a prova completa um terço do total.


Swian Zanoni


Douglas Parise
Na ponta Ratinho ameaça ganhar vantagem, mas Selhorst mantém um forte ritmo e a distância entre os dois permanece em poucos segundos. Parise segue firme em terceiro, após suportar a pressão de Lucas por várias voltas ele ganha terreno sobre o adversário. 

Quando a prova segue para as últimas voltas Swian conquista o quarto lugar de Lucas, que se isola na quinta posição. Os três primeiros estão distantes dos demais pilotos, mas a diferença entre eles fica cada vez menor. Quando Parise aumenta o ritmo Selhorst faz o mesmo e ambos aproximam-se do líder.

A prova ganha emoção, mas Ratinho não permite um ataque dos adversários, mantém uma leve vantagem e cruza na primeira posição. "Durante a prova torci o pé e senti muita dor. Precisei segurar o ritmo para suportar chegar até o final da corrida", disse o primeiro colocado e líder do campeonato.  

Selhorst chegou logo atrás e com o segundo lugar é também o segundo no campeonato. "Eu e a equipe estamos trabalhando forte para manter essa performance dentro da competição e temos certeza que a vitória está muito próxima para coroar o nosso trabalho", declarou confiante para a próxima etapa.


Lucas Moraes

Com a conquista da terceira posição Parise era só sorrisos. "Estou muito contente com este resultado. Tenho que agradecer muito a Pro Tork por ter me apoiado mesmo após uma grave lesão". Swian Zanoni, na quarta posição, e  Lucas Moraes, em quinto, completaram o pódio.

Pos Classificação Geral MX2 Pontos
1 7 Marcello Ferreira De Lima 51
2 8 Rodrigo Clemente Selhorst 31
3 9 Swian Zanoni Coelho Gomes 30
4 10 Jean Carlo Ramos 23
5 18 Douglas Scartazzini Parise 21
6 24 Cesar Augusto Popinhak 20
7 17 Davis Guimarães 20
8 13 Eduardo Ferreira Lima 17
9 23 Lucas De Moraes 15
10 26 Massoud Nassar Neto 15
11 31 Rafael Zenni 13
12 30 Edson Luiz Bertos 8
13 51 Joao Paulo Feltz 5
14 317 Carlos Eduardo Mendes Franco 4
15 990 Marco Tulio Couto Sousa 3

MX3: Time da casa domina a categoria


Negretti (4º), Nico (2º), Chumbo (1º), Elton (3º) e Guimarães (5º) subiram ao pódio da MX3


Nico Rocha
A prova dos Seniores foi marcada pela disputa interna entre os pilotos da Pro Tork Racing Team ou apoiados pela empresa. Milton Chumbinho Becker, Nico Rocha e Elton Becker tiveram domínio absoluto da categoria que sem dúvida foi a que mais elevou seu nível técnico nesta temporada. 

Além de sempre contar com gate cheio, a classe MX3 está recheada de grandes pilotos com muita história dentro da modalidade e cheios de vontade de acelerar. O resultado são ótimas disputas como a da etapa paranaense onde Nico Rocha largou na frente seguido por Jorge Negretti, desta vez montado em uma 450cc, e Elton Becker.

Chumbinho teve uma largada média, mas logo ocupava o quarto lugar. No início da bateria Alexandro Martins, terceiro colocado do campeonato, caiu perdendo várias posições. Posteriormente ele acabou abandonando a corrida.


Elton Becker
Apesar do bom ritmo imposto por Nico Rocha, Chumbinho foi superando os adversários e na quinta volta assumiu a liderança. Negretti, que já havia sido ultrapassado por Elton, caiu para a quarta posição. O trio Chumbinho, Nico e Elton a partir daí não tem adversários e começa a ampliar a distância para os demais.

Nico é mais combativo e dá trabalho para Chumbinho que só nos últimos minutos da bateria consegue respirar conquistando mais uma vitória. Elton chega tranquilo na terceira posição, já Negretti passa um tremendo sufoco com Willian Guimarães na volta final. Willian saltou na bandeirada lado a lado com o paulista, que garantiu o quarto lugar por uma fração de segundo.

Pos Classificação Geral MX3 Pontos
1 1 Milton Becker 50
2 215 Elton Becker 36
3 22 Nicomedes Soares Da Rocha Filho 34
4 909 Jorge Negretti 25
5 60 Willian Aparecido Alves Guimaraes 21
6 15 Alexandro Valerim Martins 16
7 56 Mariana Balbi 15
8 202 Julio Cezar Bonifacio Xavier 13
9 54 Ricardo Raspa 11
10 40 Adilson Luiz De Araujo 10
11 127 Marcelo Alan Agostini 9
12 116 Erivelto Donizete Rossi Nicoladelli 8
13 45 Marco Muller 7
14 53 Joao Batista Barbosa Filho 7
15 610 Marcio Rogerio Do Nascimento 5

MXJr: Cidade entra na briga


Anderson Cidade


Gustavo Amaral
Após uma etapa discreta na abertura do campeonato, o catarinense Anderson Cidade foi o destaque da categoria nesta segunda etapa. A prova começou com Rodrigo Rodrigues na ponta, mas uma queda fez com que ele fosse para a última colocação.

Anderson Cidade passou ao primeiro lugar, mas se engana quem pensou que ele teve uma prova fácil. Qualquer erro seria suficiente para uma reação dos adversários, já que Thales Vilardi e Gustavo Amaral vinham logo atrás.

Thales inclusive superou Cidade liderando a prova por duas voltas. No entanto o catarinense voltou ao primeiro lugar e conquistou a vitória. 


Thales Vilardi
O resultado deixou a classificação do campeonato embolada. "Foi uma corrida muito dura, onde disputei muito a primeira posição. Estou feliz em ganhar aqui em Siqueira com o apoio de milhares de pessoas", disse Cidade.

Quem acelerou o ritmo no final da prova foi Gustavo Amaral, que assim garantiu o segundo lugar. Thales terminou em terceiro seguido por Kaian Teixeira e Hector Assunção. No campeonato Thales segue líder, mas a disputa pelo título, pelo que esta etapa mostrou, será acirrada.

Pos Classificação Geral MXJr Pontos
1 14 Thales Vilardi Felix Da Silva 42
2 20 Anderson Hauptli Cidade 36
3 21 Gustavo Pereira Do Amaral 33
4 700 Hector Freitas Assunçao 31
5 32 Kaian Teixeira Evangelista 24
6 126 Rodrigo De Castro Rodrigues 21
7 34 Gabriel Bitencourt Gentil 18
8 501 Gustavo Vieira Bonaventura Takahashi 15
9 43 Mairon Mergener 15
10 544 Marçal Muller 9
11 79 Higor Passos 9
12 102 Kaique Arranz Polimeno 9
13 67 Gabriel Ferreira Montenegro 8
14 220 Romulo Bottrel Alvarenga Neto 4
15 254 Gabriel Zenni 3

CRF 230: Carlim Maia retorna ao pódio do brasileiro


Nivaldo Viana


Pódio CRF 230
Carlim Maia, piloto que há quatro anos atrás subia ao pódio na antiga categoria 125cc, foi o vencedor desta etapa na categoria CRF230. E o goiano precisou utilizar toda sua experiência para conquistar o primeiro lugar da prova, já que simplesmente finalizou a bateria absolutamente sem freio dianteiro, pois a pinça caiu. 

Nivaldo Viana chegou perto, mas não conseguiu se aproveitar do imprevisto enfrentado pelo adversário, mesmo assim com o segundo lugar assumiu a liderança na classificação geral do campeonato. 

Outro destaque da prova foi o piloto da equipe Novamoto, Marquinhos Moraes, que superou Danilo Fumes na disputa pelo terceiro lugar e chegou bastante próximo dos dois primeiros colocados. O vencedor da etapa de abertura do campeonato, Lucas Araújo teve um mal início de prova, mas recuperou-se da 16ª até a quinta posição.

Pos Classificação Geral CRF 230 Pontos
1 53 Nivaldo Jose Viana 40
2 5 Lucas Pagnoncelli De Araujo 38
3 113 Marcos Roberto Roza De Moraes 32
4 88 Carlos Pereira Maia Filho 27
5 404 Jose Macio Barbosa Junior 21
6 360 Person Pauletto 21
7 920 Thiago Augusto De Oliveira Piolli 11
8 17 Danilo Milton Fumes 10
9 422 Thiago Quintela Melo 9
10 901 Leandro Lima 9
11 15 Charles Baron 9
12 19 Rafael Silva Xavier 8
13 93 Marcelo Pires 7
14 115 Rony Peterson Gouveia 7
15 02 Wolney Ferreira De Lima 6

85cc: Lama de ponta a ponta


Rodrigo Lama


Endrews Armstrong
Não se engane com o sub-título, esta bateria não foi disputada sob chuva. Na realidade assistimos nesta corrida a vitória do "Lama", o piloto Rodrigo Andrade Santos, mais conhecido como Rodrigo Lama.

Depois de uma etapa complicada em Indaiatuba, onde inclusive sofreu uma queda, o piloto de Sergipe teve uma prova perfeita nesta segunda corrida do campeonato garantindo a primeira posição de forma tranquila. Após metade da bateria na segunda posição, Everaldo Filho perdeu ritmo no final da prova e despencou na classificação.

Quem passou por situação inversa foi Endrews Armstrong, que começou no sétimo posto e encerrou a bateria no segundo lugar. Cézar Zamboni foi outro em prova de recuperação, errou no início caindo para o 11º lugar, depois conseguiu bom ritmo fechando a prova em terceiro. Graças a isto segue na liderança da tabela. Completaram o pódio Eduardo Rudnick e Gabriel Zenni.

Pos Classificação Geral 85cc Pontos
1 7 Cezar Augusto Zamboni 41
2 3 Rodrigo De Andrade Santos 39
3 5 Everaldo Rodrigues Lima Filho 31
4 112 Endrews Armstrong Nhemihes 29
5 94 Eduardo Leopoldo Rudnick 23
6 6 Gabriel Zenni 22
7 811 Gustavo Roratto 16
8 67 Raul Faustino 14
9 40 Caio Cardoso Ferreira Celino 12
10 95 Anderson Pereira Do Amaral 10
11 53 Leonardo Lizott 8
12 12 Gabriel Francisco Pereira Marques 7
13 62 Manoel Humberto De Oliveira Kuhn 6
14 43 Marcos Paulo Holtman 6
15 25 Hugo Firmino Carlos Marchi 5

65cc: Kaio Miranda segue invicto


Kaio Miranda


Rodrigo Riffel
A prova paranaense desta categoria teve lances semelhantes aos da corrida de abertura do campeonato. Kaio Miranda passou ao primeiro lugar ainda no início da bateria e não deixou mais a liderança.

Único a incomodar o ponteiro Rodrigo Riffel acompanhou Kaio por várias voltas, mas errou, perdeu contato e, fora da disputa pela vitória, defendeu o segundo lugar. Hallex Dalfovo chegou logo atrás repetindo os três primeiros do pódio de Indaiatuba. João Ribeiro ganhou uma posição em relação a prova anterior, ficando desta vez com o quarto lugar. Gustavo Borges fez uma prova consistente, partiu na nona posição, mas com boa recuperação fechou a bateria no quinto lugar do pódio.

Pos Classificação Geral 65cc Pontos
1 2 Kaio Cesar De Miranda 51
2 3 Rodrigo Jose Riffel 40
3 11 Hallex Dalfovo 32
4 8 Joao Pedro Pinho Ribeiro 25
5 7 Thiago Bortoloti Formehl 21
6 46 Francisco Urrutia Bratschi 20
7 55 Mauricio Treichel 18
8 122 Filipe Sorrentino Ribeiro 13
9 19 Gustavo Alves Santos Borges 12
10 81 Kioman De Jesus Navarro 11
11 146 Fellipe Souza Gonçalves 7
12 536 Gustavo Pessoa De Souza 7
13 101 Joao Vinicius Rodrigues Hedler 6
14 45 Lucas Fernando Bottcher Frazão 4
15 38 Northon Carlos Carvalho 4


Marlon Bonilha
Encerradas as corridas Marlon Bonilha, diretor de marketing da Pro Tork, mostrou-se satisfeito com o evento. "Estamos muito felizes com os resultados e, principalmente, por termos conseguido proporcionar a todos uma excelente prova com esta estrutura que fizemos em Siqueira Campos. Estamos trabalhando para que nosso centro de treinamento se torne uma referência para o motocross brasileiro", afirmou. 

Destaques do evento - Fatos de dentro e fora das pistas

Helicópteros - Os vôos de helicóptero foram constantes em Siqueira Campos. A organização disponibilizou para imprensa algumas saídas para que fossem realizadas imagens aéreas do novo centro de treinamento. 

Os Maias - Não, não estamos relembrando aquela antiga minissérie nacional, transmitida há alguns anos na televisão. A família Maia, de Goiás, com grande tradição e história dentro do motocross nacional voltou a ser destaque no Campeonato
Brasileiro. Carlim Maia, primo de Vatutim e Ismael Maia, todos pilotos de expressão no cenário nacional, voltou ao pódio do campeonato brasileiro com a vitória na categoria CRF 230. Talvez esteja pintando mais um título nacional para a família, Ismael por exemplo foi campeão nacional em 2001 na categoria 125cc. 


Túnel da pista

Projeto da pista
- O circuito paranaense possui cerca de 1.600 metros e novidades como um grande túnel onde os pilotos cruzam a pista enfrentando na saída uma seção de costelas. Logo em seguida o traçado retorna ao ponto, desta vez passando por cima do túnel em uma grande mesa, maior salto local. Outro destaque é uma passarela que dá ao público a possibilidade de acesso ao miolo do circuito. A construção dos obstáculos e do traçado ficou aos cuidados do construtor Tião Hot Gouvêa, o Tiãozinho.

Deixando a 2 Tempos - Jorge Negretti deixou de lado a 2 Tempos com a qual competiu na abertura do campeonato e surgiu nesta etapa com uma 450cc. O piloto paulista terminou a prova da MX3 no quarto posto, melhorando uma posição em relação a prova anterior. Apesar disto ficou longe da disputa pela vitória, com os pilotos da casa dominando a corrida.


Público encheu o Motódromo

Motocross das massas - Não é a primeira vez que assistimos isto, mas vale destacar que o público estimado desta etapa superou a população do município local, que conta com aproximadamente 20 mil pessoas. Assim como ocorre em Canelinha (SC) e Carlos Barbosa (RS) o público foi um show à parte em Siqueira Campos.


Selhorst, Dudu e Parise
Clone
- Dudu Lima, irmão do vencedor da MX2 Marcello Ratinho, precisou substitui-lo na hora da premiação. O líder da categoria foi ao posto médico no momento do pódio para cuidar da torção no tornozelo, já que voltaria a pista depois na prova da MX1. Como os dois são irmãos, possuem traços semelhantes e pertencem a mesma equipe, Dudu funcionou como um perfeito clone do vencedor da etapa.  

O cronograma e a imprensa - O cronograma do evento voltou a ser modificado e volta a ser assunto de discussão. As sete categorias tiveram suas corridas realizadas no domingo em uma maratona desgastante para todos os envolvidos. Na minha opinião o formato anterior (com as corridas divididas entre sábado e domingo) precisa apenas de pequenos ajustes, como por exemplo encaixar um treino livre das categorias profissionais MX1 e MX2 ainda no sábado. Mas não resta dúvida, ao menos para cobertura da imprensa o formato da da primeira prova era muito superior ao utilizado nesta etapa.

Para um repórter (cinegrafista ou fotógrafo) que está sozinho ficou praticamente impossível conseguir uma entrevista após o pódio. Não há tempo, pois a bateria seguinte a esta altura já está largando, então é preciso optar por um ou outro. 


Lucas Moraes
Os pilotos que acreditam perder prestígio por competir no sábado, acredito que na verdade perdem cobertura da mídia especializada que passa a destacar apenas as categorias principais. É muito complicado para os veículos de imprensa destacar 7 categorias de um evento disputado em um único dia. A prova de Indaiatuba provou ser possível promover etapas com provas nos dois dias, com ambos sendo prestigiados pelo público e pela mídia.  

Dor no pódio - Não foi só Marcello Ratinho que sofreu para finalizar a corrida da MX2. A expressão de dor de Lucas Moraes, quinto colocado, chamou atenção no pódio da categoria. O jovem piloto da equipe Dunas sentiu o braço e sofreu para levantar o troféu conquistado em uma prova bastante desgastante.

Manobras aéreas - Além dos helicópteros e das motos voando, um pequeno avião também deu show em Siqueira Campos. Durante a manhã de domingo foi possível apreciar além das manobras na pista, um show aéreo proporcionado por um pequeno aeroplano. 

Tour pelo Centro de Treinamento Pro Tork - Clique aqui e assista na MotoX TV tudo sobre a nova estrutura da equipe paranaense, palco desta 2ª etapa do Brasileiro de Motocross.

A queda do gringo - Scott Simon mostrou velocidade em suas duas participações no Campeonato Brasileiro até o momento, mas foi vítima de seu estilo extremamente agressivo. A queda que sofreu ainda durante os treinos desta 2ª etapa foi tão violenta que partiu em dois o guidão da motocicleta.


Moto de Scott Simon após a queda: guidão partiu em dois


Clique e faça um tour pelo Centro de Treinamento Pro Tork
Ano que vem tem mais
- Durante a cerimônia de abertura do evento os principais patrocinadores do campeonato confirmaram a intenção da inclusão da etapa de Siqueira Campos no calendário nacional da próxima temporada.

A 3ª etapa da competição ocorre nos dias 26 e 27 de abril, na cidade de Carlos Barbosa, RS.

O Campeonato Brasileiro de Motocross tem o patrocínio de Honda e Mobil. Co-patrocínio Pro Tork. Apoio Pirelli, Prolink e Prefeitura Municipal de Siqueira Campos. A Organização é da Federação Paranaense de Motociclismo. Supervisão da Confederação Brasileira de Motociclismo.




Curso MotoX
JPS Racing

© 2000 - 2018 MotoX MX1 Internet