X Fechar
foto

X Fechar
foto
Clique e saiba mais
Clique e saiba mais
Clique e saiba mais
Clique e saiba mais
Clique e saiba mais
Clique e saiba mais

Edgers Racing

KTM Sacramento

Toro Sports

SP Race Park

JPS Racing

MotoX Pneus

Arenafama

Clique e saiba mais

> Competição > Brasileiro de Motocross

1ª etapa - Provas Principais - Indaiatuba - SP
Publicado em: 12/03/2008

Campeonato começa com prova recordista de inscrições. Segundo dia do evento teve disputas da MX2, MXJr e uma eletrizante prova na MX1 
Texto e fotos: Maurício Arruda


Largada MX1


Assista aos melhores momentos das corridas
Com grande público, forte Sol e recorde de inscrições (428) teve início a temporada 2008 do Campeonato Brasileiro de Motocross. Depois das corridas realizadas no sábado (MX3, 85cc, 65cc e CRF 230) o Centro Educacional de Trânsito Honda (CETH) em Indaiatuba, SP, teve no domingo (9 de março) as disputas das categorias principais, MX1 e MX2, mais a classe MXJr. 

Veja também:
-
Vídeos exclusivos de todas as categorias na MotoX TV
-
Resultados do 1º Dia (MX3, 85cc, 65cc e CRF 230)
- Resultados do 2º Dia (MX1, MX2 e MXJr)
- Galeria de Imagens com 486 Fotos do 1º Dia
- Galeria de Imagens com 464 Fotos do 2º Dia
- Galeria de Imagens com 313 fotos dos bastidores e treinos de domingo

O evento foi a primeira competição com a presença de todas as principais equipes e pilotos do motocross nacional em 2008. Neste ponto algo inédito marcou a prova realizada no último final de semana: cada qual com estrutura e objetivos diferentes, mas pelo menos 6 fábricas tiveram representantes na pista através de seus times oficiais ou satélites. Honda, Yamaha, Kawasaki, Suzuki, KTM e Husqvarna colocaram seus pilotos para acelerar no Brasileiro de Motocross. Um bom sinal do crescimento do nosso mercado, com reflexo direto nas competições. 


Marcello Ratinho Lima

Na organização agora o campeonato nacional passa a ter promoção e realização da própria CBM (Confederação Brasileira de Motociclismo) em conjunto com as federações locais (nesta etapa a Paulista), sem a participação de uma empresa promotora. Nesta primeira prova houve dificuldades em alguns aspectos, como a demora exagerada no alinhamento dos pilotos no gate de largada, ou mesmo a premiação aos pilotos que acabou sendo realizada no final do dia e não após cada bateria como tradicionalmente ocorre. O presidente da entidade, Alexandre Caravana Guelman, conversou com nossa equipe reconhecendo a necessidade de ajustes para alcançar um padrão ideal de trabalho. 


João Paulino Marronzinho

O principal aspecto positivo foi o nível de dificuldade da pista, claramente mais elevado do que em edições passadas. Medida corajosa (já que sempre existe a turma do contra, que prefere um circuito sem desafios) e extremamente positiva para o crescimento técnico de nossos pilotos. Além disso o espetáculo também melhorou, ganha com isto o público e o próprio esporte. Confira abaixo como foram as provas de domingo. 


Largada MX2


Categoria MX2 


Jean Ramos


Swian Zanoni
Bandeira verde, quarenta motos no gate e o som que arrepia qualquer aficionado por motocross. A primeira curva é um espetáculo para os fãs e também uma grande batalha para os pilotos e quem vence este primeiro desafio é Marcello Ratinho Lima.

Lucas Moraes leva um toque e sofre uma queda logo na largada. Na segunda curva outra confusão envolve vários pilotos. Na primeira passagem Ratinho tem a companhia de Rafael Zenni, que acaba não sustentando a posição, Jean Ramos e Rodrigo Selhorst. Em seguida Jean assume o segundo lugar e os pilotos da Honda vão ganhando vantagem. Swian Zanoni, piloto que marcou o primeiro tempo dos treinos e garantiu o ponto extra, também chega rápido à terceira posição definindo os primeiros colocados da prova.

Quem impressiona pelo ritmo e rápida recuperação é Lucas Moraes que chega a disputar posição com Rodrigo Selhorst, nesta altura no sexto lugar. Num toque entre os dois Lucas leva a pior, vai pro chão e perde várias posições de novo. Na ponta Jean ameaça Ratinho, mas as posições não se alteram e a vitória é do paulista. Swian ocupa e confirma a terceira posição enquanto César Popinhak faz boa prova em quarto, posição que ocupa na maior parte da prova, mas faltando poucas voltas não resiste a pressão dos adversários. Primeiro é Davis Guimarães que lhe toma a quarta posição. Logo depois Popinhak perde o quinto lugar para o rondoniense Selhorst que fecha o pódio da abertura do campeonato. 


Davis Guimarães

"A pista foi ficando esburacada e o Jean veio rápido, mas consegui me segurar na primeira posição e dar um tiro no final. Foi perfeito estrear com vitória", afirmou Ratinho. O pódio da MX2 foi composto por duas Honda (1º Ratinho, 2º Jean), duas KTM (3º Swian, 5º Selhorst) e uma Yamaha (Davis 4º). Popinhak e sua Suzuki ficaram com a sexta posição seguidos de Dudu Lima, Edson Bertos, Rafael Zenni e Massoud Nassar. 

Categoria MXJr 


Thales Vilardi


Hector Assunção
Na categoria restrita aos pilotos com até 17 anos e motos da classe MX2 quem brilhou foi Thales Vilardi. Depois da temporada passada competindo na MX2, Thales optou na última hora pela participação na júnior em 2008, além de competir também na MX1.

Nesta bateria Thales e Hector Assunção, atual campeão brasileiro da 85cc, conseguiram vantagem para fechar na primeira e segunda posições com boa vantagem. Aliás todos os destaques da prova conquistaram títulos nacionais na categoria 85cc, pois Thales foi campeão em 2005 e Rodrigo Rodrigues, que fez grande prova de recuperação para terminar em terceiro, foi o campeão de 2006.

Rodrigues, que partiu na oitava posição, está retornando nesta temporada pela equipe Pro Tork, após um ano complicado por causa de lesões, onde quase não competiu. Ele superou Gustavo Amaral, Kaian Teixeira e Anderson Cidade, outros destaques da prova com a quarta, quinta e sexta posições.

Categoria MX1 


Leandro Silva


Wellington Garcia
Se na MX2 e MXJr tivemos vitórias de ponta a ponta, na MX1 a coisa não foi bem assim. Aliás não esteve nem próxima disto e foi uma das provas mais disputadas que vi nos últimos anos. Com gate cheio e a presença de todos os principais nomes do esporte da atualidade, a classe principal teve uma corrida espetacular e cheia de possibilidades, digna da categoria rainha do motocross.

A batalha começou nos treinos quando as equipes, ansiosas em mostrar serviço depois de muito trabalho em uma longa pré-temporada, começaram a medir forças. Divididos em dois grupos os pilotos foram para pista na luta por um lugar no gate de largada, um ponto no campeonato (da pole-position) e vantagem na guerra psicológica dos bastidores, afinal quem mostra velocidade sempre deixa seus adversários um bocado mais preocupados. O mais rápido foi Wellington Garcia (1:48.127), seguido pelo norte-americano Scott Simon (1:48.433) - uma das grandes novidades da temporada, competindo pela equipe Dunas - e João Marronzinho (1:49.066). 


Scott Simon


Roosevelt Assunção
A corrida começou quente com Wellington, Leandro Silva, Scott Simon e Roosevelt Assunção partindo na frente. A disputa anima o público que assiste o "gringo" partir para cima dos brasileiros. Na quarta volta Simon ultrapassa Leandro, na seguinte é a vez do americano superar Wellington. O atual campeão brasileiro reage recupera a posição, mas leva o "x" em seguida. A disputa continua e na outra volta, Wellington repete a manobra, desta vez com sucesso.

O ritmo é alucinante e na metade da prova, na freada da curva do pit stop, Simon acaba com sua moto enroscada na de Wellington e cai. O brasileiro perde alguns segundos (com a moto de Simon presa na roda traseira), mas sem cair consegue retornar na liderança. Já Simon perde posições para Leandro e Marronzinho. O catarinense, que começou a prova de forma discreta na nona posição, agora já tem o terceiro posto e mostra disposição para ir além.

Wellington, com os dois bastante próximos, consegue manter a frente por mais algumas voltas, mas acaba cedendo posições tanto para Leandro quanto para Marronzinho. Restando ainda 6 minutos mais duas voltas de prova, a disputa pela vitória está aberta entre os dois.


A equipe Pro Tork era só sorrisos ao final da prova
Marronzinho pressiona e consegue a liderança, Leandro tenta a reação, mas nas voltas finais o piloto da Pro Tork abre uma vantagem segura confirmando a vitória. Emocionado com a conquista Marronzinho agradeceu os patrocinadores e seu pai, que sempre lhe acompanha nas competições: "Trabalhei demais para chegar a esta vitória e, com certeza, vou continuar trabalhando para ser campeão este ano", afirmou.

Leandro comentou a segunda posição: "O segundo lugar não era exatamente o que eu queria, mas diante de uma prova tão disputada está de bom tamanho", disse o paranaense.

Já Wellington disse ter sentido o desgaste, pela disputa nas primeiras voltas. "Fiz uma ótima largada e, nos primeiros 15 minutos, a briga com o norte-americano me deixou muito fadigado. No final os adversários vieram rápido e eu não consegui reagir na disputa pelas primeiras colocações".

Scott Simon gostou do que encontrou no Brasil. "Fiquei satisfeito com o nível dos pilotos brasileiros. A prova foi muito boa, muito bem disputada e estou empolgado para as demais etapas do Campeonato Brasileiro", comentou o quarto colocado. Roosevelt Assunção fechou o pódio com a quinta posição. Pipo Castro foi o sexto, Jean Ramos o sétimo e Thales Vilardi o oitavo. Chumbino Becker e Douglas Parise completaram os dez mais rápidos da prova.



Pódio MX1

Destaques do evento - Fatos de dentro e fora das pistas


Negretti e Saçaki
Eduardo Saçaki -
O Japonês Voador esteve presente em Indaiatuba revendo os antigos amigos. Como sempre surpreendeu: vai voltar a competir na Motovelocidade, categoria Hornet. Mas em breve Saçaki estará de volta à terra. Nos disse que a partir da quarta etapa do Brasileiro deve voltar a competir no Motocross.

Elton Becker - O irmão do Chumbinho voltou em grande forma ao Motocross depois de alguns anos dedicando-se exclusivamente ao Freestyle. Fez bonito na MX3 depois de pressionar Chumbinho no início e de uma grande batalha com Alexandro Anão.

Jorge Negretti de 2 tempos - O Loirinho Maravilha trouxe de volta o ronco dos motores dois tempos na MX3 e provou que elas ainda podem ser competitivas quando marcou a volta mais rápida nos treinos cronometrados. Na corrida não foi muito bem e perdeu a quarta posição para Nico Rocha a duas curvas da chegada.


Nico Rocha (22) e Mariana Balbi (56)


Elton e Chumbo Becker
Mariana Balbi -
Competiu em três categorias na abertura do campeonato. Na MX3 mostrou vontade e não aliviou nem para seu companheiro na Pro Tork Nico Rocha. Mariana foi 7ª na MX3, 18ª na MX2 e caiu a poucas voltas do final na MX1.

Pódio MX3 - Reuniu boa parte da história de nosso motocross. Eduardo Saçaki, Rogério Nogueira e Nuno Narezzi entregaram os troféus a seus antigos adversários.

Rodrigo Rodrigues - Depois de conquistar o título na 85cc em 2006 e ficar uma ano afastado do campeonato Rodrigues voltou em boa forma e conquistou o terceiro posto na categoria MXJr.

Novo traçado - O traçado na verdade não mudou muito. Foi invertido novamente como já aconteceu várias vezes. A diferença é que agora a pista tem muito mais obstáculos. Tornou-se muito mais interessante para pilotos e principalmente para o público que lotou as dependências do circuito no domingo.


A 2ª etapa acontece em Siqueira Campos - PR ao final de março.
Não esqueça sua máquina fotográfica.

Categoria Honda CRF230 -
A categoria monomarca é um incentivo para novos pilotos participarem do campeonato. Pode se dizer que sua estréia foi um sucesso. A previsão e desejo é que torne-se uma categoria aberta no ano que vem abrigando as também nacionais Yamaha TT-R 230 e demais modelos similares que sejam lançados.

Novo cronograma - Apesar do campeonato ter adicionado mais uma categoria suas provas foram divididas entre os dois dias do evento. Para os pilotos é fundamental entrar nos treinos com a moto já acertada, pois não há muito tempo para modificações
entre uma bateria ou outra. Para o público a programação também melhorou já que apenas os fanáticos conseguiam ficar o dia inteiro debaixo do Sol para assistir seis baterias em sequência. E para os membros da imprensa que fotografam ou filmam as corridas o novo programa foi um alívio. Antes entrávamos as 11:00hrs na pista e só saimos ao final da tarde depois de enfrentar sol, poeira, chuva, barro, fome, sede... Este ano a programação ficou mais humana com provas entre 14 e 16 horas no domingo.

Gate cheio na MX1 - Agora os veteranos da MX3 podem também alinhar na MX1. A corrida ficou muito mais bonita e interessante. O número de retardatários aumentou bastante deixando as disputas ainda mais interessantes.


Veja Também: 
- Galeria de Imagens com 486 Fotos do 1º Dia
- Galeria de Imagens com 464 Fotos do 2º Dia
Corrida da MX1 -
 Foi uma das melhores corridas que já assistimos na história recente do Brasileiro de Motocross. A presença do norte-americano Scott Simon apimentou a disputa e após várias trocas de posição na liderança quem faturou a vitória foi Marronzinho que se poupou no início para atacar no final. Scott Simon é muito rápido e tem um estilo arrojado - vide a atravessada que deu em plena reta de largada. Com certeza é um candidato à vitórias, mas é apenas mais um candidato entre os pilotos de ponta brasileiros, não o favorito. Isso mostra a evolução do nível técnico do campeonato. Há poucos anos qualquer "gringo" que chegasse aqui ganhava corridas com uma mão nas costas. Hoje em dia a coisa mudou de figura.

Balbi em Daytona - Tá certo que foi a milhares de quilômetros e em outro hemisfério, mas os resultados do mineiro na sexta-feira à noite contagiaram os boxes em Indaiatuba. Foi o assunto do final de semana. 

MotoX TV - Os melhores momentos das corridas já estão no ar! Na verdade não no ar, mas em nosso servidor e para assistí-los através dos "tubos" da internet clique aqui.

A segunda etapa do Campeonato Brasileiro de Motocross acontece nos dias 29 e 30 de março, em Siqueira Campos, Paraná. O evento tem o patrocínio de Honda e Móbil. Co-patrocínio Pro Tork. Apoio Pirelli e Prolink. A Organização é da Federação Paulista de Motociclismo e Supervisão da Confederação Brasileira de Motociclismo.    



Curso MotoX
JPS Racing

© 2000 - 2018 MotoX MX1 Internet