X Fechar
foto

X Fechar
foto
Clique e saiba mais
Clique e saiba mais
Clique e saiba mais
Clique e saiba mais
Clique e saiba mais
Clique e saiba mais

Edgers Racing

KTM Sacramento

Toro Sports

SP Race Park

JPS Racing

MotoX Pneus

Arenafama

Clique e saiba mais

> Competição > Brasileiro de Motocross

7ª etapa - Canelinha - SC - Mais detalhes do evento
Publicado em: 25/08/2007

Wellington Garcia e Jean Ramos: Prova definiu os campeões da MX2 e MXJr 
Texto e fotos: Maurício Arruda


Largada MX3

Com um grande público em um dos mais tradicionais motódromos do país, a etapa de Santa Catarina do Campeonato Brasileiro de Motocross definiu mais dois campeões desta temporada: Wellington Garcia e Jean Ramos.

O goiano e o paranaense garantiram os títulos nas categorias MX2 e MXJr na prova válida pela 7ª etapa do campeonato, disputada nos dias 18 e 19 de agosto na cidade de Canelinha. Para a corrida final, que acontece no próximo mês no Estado do Rio de Janeiro, ficaram as definições da 65cc (onde a disputa está mais acirrada), 85cc e MX1. A categoria dos veteranos, MX3, foi a primeira a se definir em 2007 com o título de Milton ’Chumbinho’ Becker, conquistado na etapa anterior. 

Veja também: Galeria de Imagens da Prova com 494 Fotos!

Quando se fala o nome de Canelinha muita gente do motocross pode até sentir calafrios. Sim, porque as competições realizadas no local em muitas oportunidades foram sob muita chuva e difíceis condições meteorológicas - como na prova do ano passado - certamente remetendo muitos a estas recordações. Mas o reflexo também pode ser um largo sorriso, com lembranças de algumas das mais fantásticas disputas do nosso motocross. 


Jean Ramos
O fato é que o Motódromo Arthur Jachovicz já tem mais de 20 anos de belas histórias do motociclismo contadas em suas curvas e saltos, com batalhas heróicas e algumas das mais difíceis provas já realizadas no Brasil. E, com certeza, mais uma vez este templo do motociclismo nacional escreveu linhas importantes do nosso esporte. Não só porque ficamos conhecendo mais dois campeões, mas porque acompanhamos uma daquelas provas pra se guardar na memória.

O que importa é que nesta passagem do Brasileiro por Canelinha o tempo colaborou para uma festa inesquecível. Apesar do céu nublado e em alguns momentos ameaçador, desta vez os pilotos encontraram um circuito em condições perfeitas. Bom para o público e para as estrelas da festa que puderam acelerar tudo e mostrar toda técnica no tradicional circuito catarinense.

O movimento de  sempre do lado de fora - que vale o apelido de ’Woodstock Fora de Estrada’ para o evento catarinense, onde o público acampa, faz festa e também algumas ’maluquices’ ao redor do circuito - e provas da mais alta adrenalina dentro da pista foi o que encontramos nesta sétima rodada do Brasileiro de Motocross. E vamos as provas!

MX3: Chumbo abre a festa em casa! 


Amilton Júnior reaparece das cinzas e abocanha um 3º lugar


Milton Becker
Nada melhor para o público catarinense do que logo de cara assistir um dos ídolos locais comandando o show. Pouca coisa mudou entre uma etapa e outra depois da primeira vitória de Chumbinho nesta temporada da categoria MX3. Correndo em casa o piloto que somou a 13ª conquista nacional nesta temporada chegou a sua sexta vitória em 2007.

Novamente o campeão teve Rogério Nogueira como seu perseguidor mais próximo, como tem ocorrido nas últimas provas. O paulista terminou a prova em segundo, mas Alexandro Martins, segue como vice-líder do campeonato, só que a briga pela posição ficou mais difícil, já que agora apenas dois pontos lhes separam. Rogério Nogueira é um dos pilotos que tem história para contar de Canelinha e lembrou disto no bate-papo com nossa equipe: "Em Canelinha eu sempre tive sorte, conquistei o Latino-Americano de Motocross aqui", relembrou. "Hoje a pista estava perfeita e o tempo ajudou, bom para o público, bom para os pilotos", completou o segundo colocado.


Rogério Nogueira
Martins teve uma prova complicada, largou na frente e liderou as primeiras curvas, mas logo após ser ultrapassado por Chumbinho caiu e perdeu posições. Precisou trabalhar muito e, depois de uma ótima recuperação, quando ocupava a terceira posição e restava pouco para o final da prova, acabou com o pneu da moto furado perdendo várias posições até finalizar no nono lugar.

A grande surpresa da corrida foi o terceiro colocado, Amilton Júnior, piloto que estava afastado do Brasileiro há exatamente uma década. Conhecido como Juca Bala, o mesmo apelido do famoso piloto de Rali, o catarinense firmou-se desde o princípio entre os primeiros. Já tinha garantida a quarta posição quando o problema enfrentado por Martins lhe presenteou com o terceiro posto. "Percebi que larguei bem e tentei administrar da melhor maneira possível. Hoje tenho o motocross como hobby, faz 10 anos que deixei de ser profissional. Voltar ao brasileiro desta forma, para mim foi uma vitória", disse satisfeito.


Ric Raspa
Ric Raspa também reapareceu no campeonato e depois de largar fora dos 10 primeiros recuperou posições para terminar na quarta colocação. "Andei fazendo umas corridas extra-campeonato para ver se eu estava com vontade de andar de moto e senti que o que eu realmente gosto é de estar nos campeonatos oficiais. Nestas provas regionais errei muito, travei o braço... então resolvi me concentrar, treinar alguns dias e voltar ao Brasileiro. Fiquei satisfeito em impor um bom ritmo e atinge meu objetivo de subir ao pódio", comentou.

Um dos favoritos e pole-position da prova, Nico Rocha, enfrentou grande dificuldade, caiu na primeira volta retornando na última posição. Precisando realizar dezenas de ultrapassagens o paranaense ainda conseguiu um lugar no pódio. "Entrei confiante, mas não fiz a escolha certa do pneu, minha moto ’saiu’ de frente e fiquei em último lugar, bem em último mesmo! Mas estou bem preparado físicamente e consegui completar a prova subindo ao pódio", afirmou o quinto colocado, piloto Pro Tork / American Cross. Na intensa briga pela sexta, sétima e oitava posições chegaram respectivamente João Batista, Léo Lopes e Adilson Araújo.

MX2: Wellington Garcia é campeão! 


Wellington Garcia assumiu a ponta ainda na primeira volta e garantiu o título com a vitória


Leandro Silva
A prova da MX2 começou com uma queda coletiva envolvendo seis pilotos. Apenas o paulista Edson Bertos deixa a disputa enquanto os demais retornam a corrida quando Wellington Garcia já dispara na frente. No início da prova ele corre com a escolta do companheiro de equipe e principal adversário na luta pelo título, o número 1 Leandro Silva. Um importante desfalque da prova é Marcello ’Ratinho’ Lima (campeão da categoria em 2005) que está reuperando-se de uma lesão no pulso. 

Voltando a prova Swian Zanoni é o terceiro colocado, mas logo dá para perceber que Rodrigo Selhorst entrará na disputa pela posição. O rondoniense já ganhou três posições e aproxima-se com velocidade. O pelotão seguinte tem Kurtt Rocha, Tuniquinho Miranda, Thales Vilardi e Rafael Zenni batalhando por posições.

Zenni cai e acaba abandonando a corrida. Thales também perde segundos preciosos com sua segunda queda na bateria. Na metade da prova Wellington já tem alguns segundos de vantagem e a cada volta fica mais próximo de se tornar campeão.


Rodrigo Selhorst


Swian Zanoni
Leandro acelera, mas a única coisa que consegue é vantagem sobre o terceiro colocado. Neste momento a posição já havia mudado de mãos com Selhorst superando Swian. Desde o Latino-Americano de motocross o rondoniense vem com um ritmo de prova mais forte e subindo de produção no campeonato, fato também notado por seu principal concorrente na prova: "Os meninos estão com um ritmo muito forte e um equipamento muito bom. Fiz uma boa largada, cheguei a andar em segundo, mas não consegui segurar, achei melhor até abrir e deixar passar para eu aguentar bem até o final da prova. Tenho uma moto só e não dá para treinar muito, acabei sentindo o desgaste, ’travei o braço’ e estou feliz por finalizar na quarta posição", afirmou Swian.

Pela quinta posição Thale Vilardi entra na disputa com Kurtt Rocha e acaba conseguindo o posto definitivamente. "Larguei bem, mas tive duas quedas, uma delas quando bati com o Zenni. No final da prova precisei me esforçar muito pra chegar no Kurtt, mas consegui meu primeiro pódio", disse Thales, mesmo assim um pouco decepcionado com o resultado.

A prova chega ao final e Wellington pode enfim comemorar o título com sua quarta vitória nesta fantástica temporada que vem fazendo. Leandro, que tem três vitórias, fica decepcionado com o desfecho do campeonato. "Vice não tem muito valor, o que interessa é ser campeão, mas infelizmente não deu. Se eu não tivesse me machucado as coisas poderiam ter sido diferentes, mas não existe ’se’. Faz parte, o Wellington mereceu, andou muito bem o ano inteiro... ainda tem o Supercross pela frente, o Arena, é isso", disse pouco depois de entregar o number plate número 1 para o goiano.

Wellington, que está na disputa também pelo título da MX1, depois de festejar com a equipe e seus colaboradores mostrou motivação para brigar por mais uma vitória na etapa final da MX2. "Quero participar da última etapa na categoria e brigar pela vitória. Este ano está sendo ótimo pra mim e vou treinar bastante para que ano que vem seja mais um ótimo ano e eu possa me sagrar bi-campeão", declarou.

65cc: Grande disputa entre Kaio Miranda e Eduardo Rudnick! 


Kaio Miranda é o novo líder na 65


Gustavo Roratto
No início do campeonato, quando Gustavo Roratto foi arrasador e Kaio Miranda colheu seus piores resultados poucos apostariam na atual situação do campeonato. Pois bem, hoje os dois são os candidatos a campeão da categoria 65cc. Kaio assumiu a liderança da tabela em Canelinha após uma batalha incrível - que considero a melhor da classe na temporada - pela vitória com Eduardo Rudnick enquanto Roratto subiu ao pódio, mas viu o adversário superá-lo na pontuação.

A disputa entre Kaio e Rudnick foi o foco da atenção na categoria de base. Os dois abriram vantagem de Roratto que precisou brigar para concluír como terceiro colocado, a exatos 45 segundos do vencedor. Na ponta a mudança de líder foi constante até os momentos finais. 



Eduardo Rudnick


Leonardo Lizott
Curiosamente Kaio era mais rápido na metade baixa da pista, mas a situação se invertia na parte alta, quando Rudnick conseguia ser mais eficiente. Isso fez com que as trocas de posição fossem constantes. 

Nos momentos finais Kaio garantiu não só a vitória, mas também a liderança do campeonato. Leonardo Lizzot obteve seu melhor desempenho no ano terminando na quarta posição, logo a frente do vencedor das duas etapas anteriores, Thiago Formhel, que desta vez foi o quinto. 

Marcos Holtman, piloto que é o terceiro na classificação geral e tem uma vitória na categoria justamente em Canelinha (durante o mar de lama da temporada passada), não conseguiu um bom resultado e foi apenas 11º na etapa. 






85cc: Takahashi mantém vivas suas chances! 


Gustavo Takahashi


Hector encostou no final, mas não conseguiu a ultrapassagem
Largando com chances de garantir o título Brasileiro da categoria, Hector Assunção precisava da vitória para a conquista antecipada e partiu em busca do objetivo. Sabendo disto Gustavo Takahashi, seu adversário na disputa, não mediu esforços para impedir o sucesso de seu companheiro de equipe, sua única chance de manter viva a possibilidade de ser campeão.

Quem ganhou foi o público que assistiu mais uma batalha daquelas pela vitória! Tanto que depois de quase 24 minutos de disputa menos de 1 segundo separava os dois primeiros. Takahashi conquista a vitória, mantém viva a esperança de título e de quebra ainda fez história com a primeira conquista de uma moto quatro tempos na categoria no campeonato nacional.

Com a segunda posição Hector segue em posição confortável para a última etapa, com 17 pontos de vantagem. Marçal Muller desta vez fez uma prova absolutamente isolada na terceira posição. O quarto foi Rodrigo Lama (que venceu a etapa passada) depois de muita disputa, primeiro com Everaldo Lima e depois com Cézar Zamboni. 


Marçal Muller

Zamboni fechou o pódio e Everaldo conquistou a sexta posição. Jessica Gemniczail levou a melhor na disputa com Gabriel Zenni ficando com o sétimo lugar, com João Oliveira e Samuel Pacheco completando os dez primeiros.

MXJr: Anderson Cidade brilha e Jean garante o título! 


Anderson Cidade


Jean Ramos seguido de Rafael Faria
O ritmo das provas permaneceu alucinante, Canelinha não teve corrida ’morna’ só em ritmo frenético e esta bateria não foi diferente. Nesta categoria apenas Jean Ramos e Rafael Faria tinham vitórias, mas correndo em casa o catarinense Anderson Cidade foi absoluto e garantiu uma bela vitória de ponta a ponta.

Cidade conseguiu uma margem na frente que lhe permitiu administrar com tranquilidade a prova, apesar da grande disputa por posições que se via atrás do catarinense. Jean Ramos superou Rafael Faria assumindo a segunda posição, enquanto Dudu Lima vinha mais atrás em quarto. 

Havia um intervalo também entre os pilotos seguintes: Gustavo Amaral, Gabriel Gentil, Mairon Mergener, Daniel Portiolli, todos separados por alguns segundos.

De repente, com a prova aproximando-se do final as diferenças vão diminuindo e o pelotão com Jean, Rafael e Dudu começa a se aproximar do líder. 


Dudu Lima
Entre eles não há mais distância e assistimos uma boa batalha pelas posições. A siuação é a mesma na disputa entre Amaral e Gentil, que vem mais atrás.

Quem rouba a cena então é Dudu Lima que consegue superar Faria e depois Jean. Anderson Cidade confirma a vitória - com quatro segundos de vantagem na bandeirada - enquanto o trio vem disputando o segundo lugar. Na última curva Rafael Faria força tudo que pode em sua última cartada para impedir o título de Jean. Dá errado, o vice-líder da temporada cai e acaba não completando a prova. 

Dudu fica com a segunda posição arrancando lágrimas de seu pai, emocionado com o ótimo desempenho do filho. 

Mais emoção tem Jean Ramos que, com a terceira posição, conquista o título de campeão brasileiro de motocross MXJr (pilotos até 18 anos com motos MX2).

MX1: Uma prova pra guardar na memória! 


Wellington Garcia


João Paulino Marronzinho
Depois de provas tão boas o encerramento do evento guardou novas emoções, especialmente para o público catarinense que viu o ídolo local, o bi-campeão da categoria João Marronzinho, caindo na terceira curva da corrida da MX1. Enquanto isto o rival de Marrom na disputa do título, Wellington Garcia, largava bem e na segunda volta da prova já tinha a liderança.

Na briga pelo campeonato Wellington já havia dado um passo importante no dia anterior, quando conquistou o ponto extra da pole position. Assim o goiano deixou Marrom em situação delicada, já que o catarinense já não dependia mais somente de seus resultados para ser campeão, precisaria vencer as duas provas e torcer para que Wellington não terminasse em segundo nas duas provas.

Bom, mas uma parte desta história já se definiu em Canelinha, quando Marrom parecia viver um pesadelo ao partir na última posição e ver sua prova bastante complicada. Mas ali, naquela queda, teve início também uma espetacular prova de recuperação. 


Leandro Silva


Roosevelt Assunção
Determinado e empurrado pela torcida, Marrom retornou a prova iniciando uma série de ultrapassagens impressionante. A cada uma delas ouvia-se um urro das arquibancadas, o público vibrava e empurrava mais a frente seu piloto.

Na ponta Wellington jogava com suas possibilidades: sem pressão de nenhum adversário e com seu concorrente direto no final do pelotão, o goiano podia administrar a liderança de forma tranquila. Atrás do líder se formava um pelotão de pilotos da Honda, a mesma equipe de Wellington, o que dava ainda mais segurança ao primeiro colocado. Leandro Silva tinha a segunda posição, seguido por Roosevelt Assunção e Thales Vilardi.

Aos 8 minutos de prova Marronzinho já está na disputa por um lugar no pódio atacando Douglas Parise, neste momento quinto colocado. Não demora para o catarinense ter o quinto posto e começar a disputa com Thales Vilardi pelo quarto lugar. O jovem piloto dá bom combate ao campeão e consegue impedir momentaneamente a continuidade de seu crescimento na prova.


Thales Villardi
Mas Marrom está realmente rápido, passa também por Thales e já tem como alvo Roosevelt e Leandro. Nesta altura nada mais parece imposível e o público já começa a acreditar em uma disputa pela vitória. Ainda mais quando aos 17 minutos ele consegue ultrapassar Roosevelt Assunção. Aos 22 minutos ele supera Leandro Silva e aí apenas alguns metros lhe separam do líder. A torcida vai a loucura e continua empurrando Marrom.

Wellington sabe da aproximação e aumenta o ritmo. Alguns segundos ainda separam os dois principais pilotos da temporada. Quem poderia imaginar tanta emoção na última bateria do evento? Foi realmente de tirar o fôlego... a cada volta a diferença diminui e fica ainda menor quando Wellington enfrenta problemas com o tráfego.

Restando apenas duas voltas a diferença está em 5 segundos! Que prova! Ninguém desgruda o olho da disputa nas voltas finais, quando Wellington confirma a vitória e Marrom a segunda posição. Na bandeirada a diferença está na casa dos dois segundos... fantástico!


Pipo Castro
Agradecendo ao público e a equipe Marronzinho comentou: "Treinei muito no último mês e vim forte para esta etapa, infelizmente cai logo após a largada, não esperava por isto. Mesmo assim acelerei até o final e fiz tudo que pude para tentar ganhar. Cheguei perto... agora é ir para final e tentar fazer minha parte".

Já Wellington comemorou os resultados, em um final de semana em que conquistou todos os pontos possíveis: "Não poderia ser melhor. Conquistei o título na MX2 e agora estou mais próximo na MX1. O Marrom fez uma ótima corrida, senão poderia
ter definido aqui também esta categoria", afirmou o líder da temporada que vai para a última etapa com 17 pontos de vantagem.

A etapa final do campeonato acontece nos dias 15 e 16 de setembro em Casimiro de Abreu, RJ.

O Campeonato Brasileiro de Motocross tem organização da Fatto, supervisão da Confederação Brasileira de Motociclismo (CBM), patrocínio de Honda e Mobil, co-patrocínio de Yamaha e Pro Tork e apoio de Volkswagen Caminhões e Pirelli.


Veja Também as Imagens da Prova

CLassificação Geral

Rk MX3 Marca Total
1 1 Milton Chumbinho Kaw 175
2 21 Alexandro Valerim Hon 98
3 912 Rogerio Nogueira Hon 96
4 14 Nico Rocha Kaw 77
5 28 Leo Lopes Kaw 57
6 57 Tunico Miranda Hon 56
7 211 Adilson Araujo Hon 48
8 85 Marco Muller Hon 47
9 64 Alessandri Dias Hon 31
10 44 Mariana Balbi Honda 30
11 48 Ricardo Sebbe Kaw 29
12 29 Mario Lucio Teixeira Dias Honda 29
13 909 Jorge Negreti 26
14 59 Ricardo Raspa Hon 24
15 101 Joao Batista Hon 21
16 158 Nasri Sarkis 19
17 58 Fabio Aleixo Hon 19
18 929 Amilton Junior 16
19 80 Sandro Silveira 15
20 147 Evaristo Lemos Hon 13
21 34 Carlos Kettermann Hon 9
22 610 Marcio Joanita Hon 7
23 116 Wellington Valadares Hon 6
24 84 Wilson Sato Hon 6
25 106 Asaji Janagihara Hon 5
26 270 Edson Da Silva 4
27 233 Ricardo Sato Hon 4
28 56 Dario Junior Yam 4
29 132 Andre Barbosa Yam 4
30 119 Anisio Clasen Yam 3
31 63 Alencar Krefta Yam 3
32 89 Eliseu Glanert 2
33 88 Ciro Schossler Hon 2
34 410 Claudiney Guasti 1
35 118 Sergio Fernandes Yamaha 1
Rk MX2 Marca Total
1 5 Wellington Garcia Hon 157
2 1 Leandro Silva Hon 130
3 4 Marcello Ratinho Yam 103
4 16 Rodrigo Selhorst Hon 92
5 69 Tuniquinho Miranda Hon 62
6 23 Swian Zanoni Ktm 59
7 19 Thales Villardi Hon 54
8 25 Kurt Airton Kaw 43
9 11 Lucas Moraes Yamaha 42
10 36 Edson Bertos Hon 31
11 969 Raul Goncalves Yam 29
12 35 Rafael Zenni Kaw 24
13 31 Leonardo Sebben Prt 23
14 78 Richard Bermudez Hon 14
15 744 Filipe Godoi Hon 12
16 118 Kurt Feichtenberger Kaw 11
17 522 Tiago Brinate De Souza Honda 10
18 46 Luiz Zimmermann Kawasaki 10
19 181 Rogger Tiradentes Hon 9
20 941 Roger Hoffmann Hon 9
21 280 Cesar Popinhak 8
22 47 Elievan Junior Hon 8
23 74 Marcos Machado Kaw 7
24 411 Joao Lopes Hon 7
25 788 Paulo Cesar Stedile Kawasaki 6
26 83 Germano Vandresen 5
27 77 Uyran Faria Suz 5
28 43 Rodrigo Zen 5
29 135 Jonathan Menegasso Hon 3
30 330 Carlo Monaco Hon 3
31 128 Marco Baptista 2
32 567 Tiago Hort 1
33 152 Rodrigo Peguinelli Yam 1
34 125 Andre Almeida Honda 1
35 27 Daniel Chies 1
Rk 65 Marca Total
1 11 Kaio Miranda Ktm 115
2 10 Gustavo Roratto Kaw 113
3 4 Marcos Holtman Ktm 79
4 9 Thiago Formehl Ktm 77
5 34 Rodrigo Riffel Ktm 74
6 222 Joao Ribeiro Ktm 70
7 7 Endrews Armstrong Ktm 68
8 6 Eduardo Rudnick Ktm 66
9 18 Pablo Reginatto Lem 50
10 15 Manoel Kuhn Ktm 49
11 16 Leonardo Lizott Ktm 38
12 19 Anderson Amaral Pol 34
13 23 Hallex Dalfovo Ktm 31
14 26 Tauan Brenner Ktm 26
15 99 Ricardo Jurca Ktm 18
16 536 Gustavo Pessoa Ktm 17
17 22 Filipe Ribeiro Ktm 14
18 17 Matheus Corguinha 12
19 96 Gustavo Borges Ktm 8
20 68 Jairo Schneider Kaw 6
21 80 Northon Carvalho Ktm 5
22 61 Ricardo Filho Ktm 4
23 37 Guilherme Guarnieri 3
24 65 Venicio Voigt Ktm 2
25 138 William Ferreira 2
26 45 Lucas Frazao Kaw 2
27 197 Vinicius Rosa 1
28 56 Joao Alves Ktm 1
29 94 Wilgner Francisco Ktm 1
30 46 Francisco Urrutia Ktm 1
Rk 85 Marca Total
1 4 Hector Assuncao Hon 146
2 6 Gustavo Takahashi Hon 129
3 10 Marcal Muller Hon 112
4 11 Rodrigo Lama Hon 103
5 121 Everaldo Filho Hon 76
6 19 Gabriel Zenni 73
7 51 Cezar Zamboni Hon 57
8 16 Felipe Simoes Yam 45
9 13 Joao De Oliveira Hon 43
10 916 Eder De Lima Hon 30
11 39 Gabriel Francisco 20
12 97 Stefany Serrao Yam 19
13 7 Douglas Santos Honda 17
14 135 Jean Reis Hon 13
15 107 Francisco Mota Honda 9
16 55 Daniel Guelman Honda 9
17 137 Mateus Basso 9
18 170 Francisco Martins Hon 8
19 788 Samuel Pacheco 7
20 92 Henrique Winkler Hon 7
21 32 Luiz Ganassoli Honda 7
22 333 Hugo Marchi Honda 7
23 273 Erick Bretz Honda 6
24 112 Bianca Souza Hon 5
25 20 Pablo Seben Honda 5
26 33 Willian Aurafi 5
27 49 Leonan Tavares Ktm 4
28 151 Bruno Santos 3
29 38 Vilson Junior 2
30 994 Paulo Henrique Hon 2
31 173 Camilo De Vargas Honda 2
32 40 Caio Celino Yamaha 2
33 199 Gabriel Souza Hon 1
34 932 Felipe Defilippo Suzuki 1
35 77 Richard Rodrigues Honda 1
Rk MXJr Marca Total
1 18 Jean Ramos Kaw 159
2 338 Dudu Lima Yam 109
3 24 Rafael Faria Kaw 109
4 73 Gustavo Amaral Suz 80
5 65 Anderson Cidade Kaw 68
6 32 Kaian Teixeira Kaw 57
7 40 Deni Marques Hon 51
8 99 Mairon Mergener Hon 50
9 931 Gabriel Gentil Hon 42
10 224 Joao Feltz Hon 35
11 711 Ariel Muller Hon 33
12 82 Daniel Portiolli Kaw 25
13 713 Gabriel Montenegro Hon 25
14 150 Heinz Chrispim Hon 25
15 103 Andre Veiga Hon 23
16 808 Renan Baier Hon 12
17 313 Pedro Ramos Hon 10
18 131 Richard Nunes Kawasaki 9
19 157 Paulo Krutzsch Hon 8
20 386 Higor Passos Hon 8
21 551 Kaique Polimeno Hon 8
22 826 Marcos Roberto Hon 6
23 300 Leonardo Barros Hon 6
24 90 Marco Tulio Yam 6
25 823 Rodrigo Ranieri Kaw 5
26 220 Romulo Bottrel Husqvarna 5
27 312 Rodrigo Rodrigues Hon 4
28 686 Eduardo Kunz Hon 3
29 612 Alan Grosch Yam 2
30 889 Rodrigo Dias Hon 2
31 148 Jose Friedrich 1
32 189 Bruno Leles Yam 1
Rk MX1 Marca Total
1 5 Wellington Garcia Hon 161
2 1 Joao Marronzinho Kaw 144
3 6 Roosevelt Assuncao Hon 98
4 3 Leandro Silva Hon 83
5 7 Pipo Castro Yam 66
6 16 Rodrigo Selhorst Hon 61
7 4 Marcello Ratinho Yam 39
8 26 Davis Guimaraes Yam 32
9 11 Lucas Moraes Yamaha 32
10 10 Duda Parise Suz 30
11 69 Tuniquinho Miranda Hon 29
12 49 Fabio Andolhe Hon 27
13 19 Thales Villardi Hon 19
14 37 William Garcia Hon 19
15 25 Kurt Airton Kaw 16
16 36 Edson Bertos Hon 16
17 15 Adrian Cantero Kawasaki 14
18 22 Djohny Aquino Hon 12
19 17 Marcos Cordeiro 12
20 77 Uyran Faria Kaw 11
21 35 Rafael Zenni Kaw 11
22 38 Willian Guimaraes Suz 7
23 9 Massoud Nassar 7
24 61 Anderson Chupel Yam 6
25 334 Jose Feitosa Honda 5
26 359 Felipe Grimberg Honda 5
27 68 Luciano Lopes Hon 5
28 12 Kristopfer Florenzano Suzuki 5
29 521 Vagner De Oliveira Honda 3
30 581 Jonatas Migliorini Ktm 3
31 42 Rodrigo Siqueira 3
32 242 Erivelto Nicoladelli 2
33 945 Carlos Anuncio 2
34 428 Tarcisio Oliveira Yamaha 1
 



Curso MotoX
JPS Racing

© 2000 - 2018 MotoX MX1 Internet