X Fechar
foto

X Fechar
foto
Clique e saiba mais
Clique e saiba mais
Clique e saiba mais
Clique e saiba mais
Clique e saiba mais
Clique e saiba mais

Edgers Racing

KTM Sacramento

Toro Sports

SP Race Park

JPS Racing

MotoX Pneus

Arenafama

Clique e saiba mais

> Competição > Brasileiro de Motocross

4ª etapa - Santa Luzia - MG - Mais detalhes do evento
Publicado em: 09/06/2007

Campeonato chega à metade em Minas Gerais
Texto: Lucídio Arruda - fotos: Maurício Arruda 


Gate MX2

A quarta etapa disputada na sinuosa pista do Mega Space em Santa Luzia marcou a metade da temporada 2007, acabou com os invictos e trouxe mudanças na liderança do campeonato em três das seis categorias.

O traçado do Mega Space é um dos mais desafiadores da temporada. A pista é toda construida numa encosta e formada com muitas subidas e descidas com curvas de 180 graus ao final. Talvez seja a pista onde os pilotos passam maior parte da prova freiando. É também a pista onde se pilota com "as pontas dos dedos" em boa parte do traçado, pois um erro nos enormes descidões pode custar caro. 

Veja também: Galeria de Imagens com 553 Fotos da Prova!

Vídeos na MotoX TV com as provas da MX1, MX2, MX3, MXJr, 85 e 65


A pista neste ano teve duas principais modificações. Em sua parte mais alta foi adicionada uma extensão na subida e consequentemente na descida. A outra modificação não foi propriamente na pista, mas em uma área de escape onde as pedras formavam um pequeno "penhasco" que foi coberta com terra proporcionando uma descida mais suave. 


Largada MXJr


Leandro Silva fora da etapa


A pista de Santa Luzia não aceita erros
Uma das primeiras notícias que recebemos ao chegar ao evento no sábado pela manhã foi a ausência de Leandro Silva. O líder da categoria MX2 atropelou uma vaca em sua pista de treinos e fraturou uma mão. O acidente provocado pelo animal intruso foi violentíssimo e assustador, mas já está tudo bem com o paranaense que promete fazer de tudo para voltar já na próxima etapa programada para a pista do SerrAzul em São Paulo.

Antônio Jorge Balbi também era bastante esperado pelos fãs mineiros, mas a possibilidade de seu novo visto não ser emitido em tempo suficiente para voltar aos Estados Unidos na semana seguinte adiou a vinda do piloto.

Outra ausência importante foi do piloto paulista Lucas de Moraes, também se recuperando de contusões.

Marronzinho papai

Foi também no sábado pela manhã que João Paulino Marronzinho ficou sabendo que tornara-se papai. Seu filho Jorge Tadeu Zanini Neto nasceu durante a madrugada e tanto mamãe com criança passam bem. Graças à Internet Marronzinho conheceu o herdeiro atravéz de fotos no próprio sábado. 


Honda de 4 tempos na 85 cilindradas


Mesmo caindo Gustavo Takahashi foi 3º
Foi também em Santa Luzia que a equipe Oficial Honda estreou a nova CRF150R 4 tempos na categoria. Alguns pilotos privados já participavam com o modelo, como Marçal Muller e Everaldo Rodrigues, agora foi a vez da equipe oficial inaugurar o modelo.

As motocicletas chegaram em cima da hora e o primeiro contato de Hector Assunção, Gustavo Takahashi e Rodrigo Santos com suas novas armas foi no próprio sábado em Santa Luzia.

Nos treinos cronometrados Hector levou também sua 85 dois tempos, com a qual marcou a melhor volta. Na corrida foi o único dos três que resolver apostar na velha conhecida 85 e deixar a mudança definitiva para a 150 para quando tiver mais intimidade com a moto.


Largada MX1
Sobre esta nova moto vale um pequeno parênteses. Pelo regulamento FIM, até o ano passado, o deslocamento permitido aos motores 4 tempos na categoria 85 era de no máximo 125 cilindradas. A Honda lançou a motocicleta com 150cc e "forçou" a FIM a mudar as regras da categoria. Essas mudanças foram feitas de última hora em fevereiro deste ano e consequentemente suas afiliadas, entre elas a CBM, adotaram as novas regras.

A única que ainda faz vigorar o regulamento antigo é a AMA, nos Estados Unidos a CRF150R não compete na categoria 85cc. 

Corridas 


Nico Rocha


Bom, vamos às corridas. O circuito do Mega Space com suas terríveis "pirambeiras", o autódromo e a pista de arrancada compondo o ambiente fornece um visual único na etapa mineira do Campeonato Brasileiro.


Chumbinho
No domingo o público começou a chegar pela manhã e ao meio-dia, quando larga a MX3 as arquibancadas e arredores já estavam tomados. Nas arquibancadas centrais os fãs tem uma visibilidade de 98% do traçado. E dentro da pista 175 pilotos lutariam por vitórias e pontos no campeonato.

MX3 - Deu Chumbinho mais uma vez

O traçado exigente do Mega Space ressaltou ainda mais a diferença entre o piloto catarinense e seus adversários.
Nessa etapa Chumbinho assumiu a liderança na largada e em apenas duas voltas já tinha uma vantagem considerável.

Alexandro Martins largou em segundo  e nas voltas iniciais tentou sem sucesso segurar Nico Rocha.

Depois da metade da prova com Chumbinho e Nico isolados na frente, a principal disputa foi pela terceira posição. O piloto mineiro Antônio Miranda superou Martins no finalzinho da prova para conseguir seu melhor resultado na temporada.

Na quinta posição chegou outro mineiro, Mário Lúcio Teixeira, depois de uma má largada seguida de uma prova consistente.


Antônio Miranda
Chumbinho: "Querer ganhar é o que me motiva, espero continuar tendo muitas vitórias, isso que me move. Cada vez que eu venço uma prova é uma vibração e a hora que isso parar é melhor parar de correr de moto. Estou muito contente a equipe Pro Tork está fazendo um belíssimo trabalho, as motocicletas Kawasaki andando muito bem, estou muito contente com elas, superando todas as expectativas. Eu já andei com todas as marcas e realmente a Kawasaki está me surpreendendo, fantástica. Eu só tenho a agradecer aos patrocinadores, a Pro Tork, a American Cross e a JP Racing que estão apoiando nosso trabalho, obrigado".

Nico Rocha: "Não larguei tão bem, mas nas primeiras curvas consegui chegar em uma posição boa e administrar a prova. A pista ficou bem esburacada, eu estou voltando agora (após uma lesão) é minha segunda prova, então foi bem desgastante para mim. A equipe Pro Tork / American Cross, optou pela minha volta de 250, já na próxima estarei de 450 e acredito que vá melhorar. Mas pra mim este segundo lugar é uma vitória porquê estou voltando e a pista ficou com muita dificuldade".


MX2 - Wellington vence e assume a liderança na pontuação 


Ainda no início da prova, uma das muitas trocas de posição na liderança


Wellington Garcia
Com a ausência de Leandro Silva a disputa pela vitória ficou entre o goiano Wellington Garcia e o paulista Marcello Ratinho Lima. E que disputa!

Ratinho começou a prova na frente, mas ainda no início sofreu uma pequena queda e foi ultrapassado por Wellington. O piloto da Yamaha recuperou-se rapidamente e pouco tempo depois já era o líder novamente.
Os dois pilotos imprimem um ritmo impressionante e com poucas volta já emfrentam um batalhão de retardatários.

O publico acompanha de pé a disputa pela liderança enquanto o rondoniense Rodrigo Selhorst garante a terceira posição isolado depois de ultrapassar o piloto da casa Tunico Miranda.

Aos 20 minutos de prova a pista já está bastante castigada e poucos são os pilotos além dos dois ponteiros que ainda mantém o mesmo ritmo do início. Com a prova aproximando-se do final o goiano parte para o ataque decisivo e consegue assumir a liderança.


Marcello Ratinho Lima
Ratinho tenta contra-atacar, mas vai aos poucos perdendo contato com o líder. Ambos os pilotos chegam a colocar uma volta de vantagem no 5º colocado Swian Zanoni.

Final: Wellington vence e assume a liderança isolada do campeonato. Ratinho é o segundo e depois de alguns maus resultados sobe novamente na pontuação ocupando agora o terceiro lugar encostado no segundo (Leandro Silva), além de uma certa vantagem para o quarto colocado Selhorst que foi terceiro em Santa Luzia.

A quarta posição de Tunico Miranda acende o público mineiro que comemora muito o pódio que contou com o também mineiro Swian Zanoni na quinta posição.

Tiago Brinate conseguiu seu melhor resultado no Brasileiro de Motocross com a sexta posição. Em sétimo chegou Thales Vilardi que se recupera de uma fratura no ombro sofrida em Carlos Barbosa. 


Rodrigo Selhorst

Leia o comentário dos pilotos:


Swian Zanoni
Ratinho: "Foi emocionante, consegui largar bem e andar forte no começo da bateria liderando grande parte da prova. Do meio para o fim acabei cansando um pouco, perdi um pouco o ritmo e o Wellington (Garcia) acabou me passando. Está todo mundo de parabéns, a pista estava bem difícil e eu achei que preciso treinar um pouquinho mais para acompanhar, mas valeu, o segundo lugar é um bom resultado. Queria agradecer primeiro a Deus, meus patrocinadores e minha família que me apoia bastante, meus amigos e a torcida".

Tunico Miranda: "Tive uma boa largada, consegui manter um bom ritmo e acompanhar os ponteiros no começo abrindo uma distância do quinto colocado. Depois fiz uma prova consciente e estou muito feliz com o resultado".

Wellington Garcia: "Graças a Deus tive uma boa largada e foi uma ótima corrida. O Ratinho imprimiu um ritmo muito forte no começo, me passou e preferi andar acompanhando ele pra no final brigar pela primeira posição. O público gritou do começo ao fim e isso com certeza dá um gás pra gente. No final consegui passar o Ratinho, abri uma boa margem para levar até o final em primeiro". 


Tunico Miranda

Rodrigo Selhorst: "Não consegui uma largada boa, sai no bolo de trás, mas consegui me livrar rápido assumi a terceira posição e consegui abrir do quarto colocado. Dos 10 minutos até o final mantive a terceira colocação mais isolado já que o ritmo dos dois primeiros estava muito forte. Eu gosto desta pista, acho que diferencia os pilotos, não é uma pista fácil, é cheia de buracos e só tem a melhorar a cada ano. Quero agradecer a todos nesta etapa, aos meus patrocinadores, a minha família e a todos que estão do meu lado, obrigado."

Swian Zanoni: "Tive uma péssima largada, larguei muito mal, mas consegui buscar logo no início recuperando posições e andei em quinto a prova inteira. A partir dos 10 minutos já não estava aguentando mais, minha moto estava com a suspensão bem desacertada, não consegui chegar num bom acerto. Mas graças a Deus deu tudo certo, não cai, não machuquei e consegui pegar mais um pódio".

65 - Kaio Miranda vence pela primeira vez 


Kaio Miranda



Rodrigo Riffel
Depois de vencer quatro etapas seguidas do Brasileiro (sua sequência começou em Curitiba, 2006) o gaúcho Gustavo Roratto viu sua sorte mudar nas montanhas mineiras. Entretanto ele ainda mantém uma saudável liderança na pontuação.

A prova começou com Anderson Amaral na ponta e uma pequena garoa que não chegou a assustar o público mineiro. Ele segurou a primeira posição até ser ultrapassado por Roratto. O gaúcho liderou algumas voltas até sofrer uma pequena queda. 

Roratto retornou na quarta posição e na vontade para recuperar terreno acabou aterrissando em um retardatário no salto de chegada. O acidente assustador acabou tirando os dois pilotos da prova, mas felizmente ninguém se feriu mais seriamente.

Voltando à disputa pelas primeiras posições encontramos Kaio Miranda pressionando Rodrigo Riffel na briga pela liderança enquanto Anderson Amaral administra a terceira posição.

Pouco após a metade da corrida Kaio consegue ultrapassar Riffel e parte para vencer pela primeira vez no Brasileiro categoria 65. Riffel foi o segundo, Amaral o terceiro. Na quarta posição chegou o paranaense Marcos Holtman. 


Anderson Amaral
A disputa pela quinta posição foi entre companheiros de equipe. Endrews Armstrong superou Eduardo Rudnick no finalzinho da bateria.

Kaio Miranda: "Não Larguei muito bem, mas fui me recuperando e quando eu estava em terceiro o (Gustavo) Roratto caiu. Fiquei atrás do (Rodrigo) Riffel, depois consegui ultrapassar ele, então administrei e ganhei".

Rodrigo Riffel: "Foi uma prova bem difícil. Eu nunca tinha andado nesta pista, é o primeiro ano que eu estou fazendo o Brasileiro, e ela é difícil tem bastante areia. Depois que o Roratto caiu o Kaio me passou, minha moto estava falhando muito, embaralhando nas subidas".

Anderson Amaral: "Larguei bem em primeiro e o Roratto veio pressionando, segurei a primeira posição o máximo que pude. Terminei em terceiro, meu melhor resultado". 


85 - Hector vence e assume liderança do campeonato 


Rodrigo Lama Santos


Hector Assunção
A potência dos motores 150F fizeram a diferença na subida de largada e os três primeiros no começo da bateria são Marçal Muller, Gustavo Takahashi e Rodrigo Santos Lama.

Hector Assunção começou a prova em quarto. Nitidamente mais rápido que os demais demorou apenas até a segunda volta para assumir a liderança.

Na briga pela segunda posição Takahashi faz uma ultrapassagem agressiva sobre Muller e poucas curvas depois cai após o salto da chegada. Muller não consegue desviar e também cai.

Mesmo com queimaduras no braço o paulista consegue retornar à prova. Já o gaúcho abandonou a corrida.

Algumas voltas mais tarde os buracos após a chegada fazem mais uma vítima. E é ninguém menos que o líder da prova. Apesar da verdadeira "capotada" tanto piloto como motocicleta permanecem ilesos e Hector continua na prova sem perder a liderança para Rodrigo Lama que momentaneamente se aproxima.

Douglas Santos vinha bem na terceira posição até uma queda o retirar da prova. Takakashi herdou o terceiro lugar e as primeiras posições estavam definidas até a bandeirada. 


Essa foi a curva da chegada na disputa entre Gabriel Zenni (19) e Everaldo Rodrigues (121)

As últimas voltas viram uma batalha intensa pela quarta posição entre Gabriel "Picanha" Zenni e Everaldo Rodrigues. Ambos os pilotos dão o sangue na disputa e recebem a bandeirada, com centésimos de diferença, no limite da exaustão.


Gustavo Takahashi
Zenni segurou o posto e estréia no pódio do brasileiro com a quarta posição.

Hector Assunção: "Não consegui largar bem, mas passei todo mundo. Quando estava em primeiro cai, fiquei meio perdido e não consegui voltar com o mesmo ritmo, mas consegui ganhar".

Rodrigo Lama: "Venho treinando muito, inclusive venho treinando com o Thales Vilardi lá em São Paulo, ele me disse muita coisa e eu vim para esta prova consciente que eu conseguiria uma boa colocação. Larguei bem e graças a Deus consegui o segundo lugar". Sobre a quatro tempos: "Treinei com as duas, também vim forte com a 85, mas nos colocaram para testar a 150, eu me adaptei muito bem e com ela eu faço bem mais curva".

Gustavo Takahashi: "A pista aqui é muito boa, fiz uma boa largada em segundo, mas o Hector (Assunção) conseguiu me passar. Depois consegui passar o (Marçal) Muller, só que acabei pegando um buraco após a mesa de chegada e caí, ele não conseguiu desviar e foi junto pro chão. Acabei queimando o braço na moto dele, mas consegui voltar para prova e terminar".

Gabriel Zenni: "Larguei mal, consegui me recuperar e o Everaldo (Rodrigues) chegou muito perto de mim no final, mas consegui segurar a posição". 

MXJr - Pega paranaense do início ao fim 


A chegada da MXJr


Rafael Faria persegue Jean Ramos
A prova da MXJr. apresentou uma disputa emocionante da largada à bandeirada. Os fãs acompanharam tudo de pé durante os 20 minutos mais duas voltas da bateria. Felizmente estamos na era do transponder (sensor de cronometragem), pois a olho nú seria impossível definir o vencedor.

O mais rápido na largada foi Gustavo Amaral seguido de Dudu Lima. Não demorou muito para Jean Ramos e Rafael Faria assumirem as duas primeiras posições e abrirem distância dos demais.

Amaral continuou a prova em terceiro se defendendo de Dudu até cair na curva da largada. Depois de tentar sem sucesso religar sua moto, foi a empurrando até os pits e perdeu cerca de duas voltas até sua equipe fazer o motor roncar novamente. Gustavo recuperou-se até a 14ª posição.

Dudu passou a administrar o terceiro posto enquanto Kaian Teixeira assumia a quarta posição.

Na frente Rafael Faria perseguia de perto Jean Ramos deixando para fazer o ataque final quando subiu a placa de duas voltas.


Dudu Lima
A chegada foi uma coisa de cinema! Rafael consegue a liderança numa manobra agressiva na curva da largada. Duas curvas depois Ramos dá o troco e parte para a curva final com a liderança. No subidão tudo parecia decidido a favor do piloto da Equipe Oasis, mas Faria, da Pro Tork, conseguiu o impossível e colocou sua moto lado a lado com a de Jean na reta de chegada!

Após alguns momentos de suspense foi anunciado o resultado oficial de acordo com os transponders: vantagem para Rafael Faria por 0,042 segundo.

Na quinta posição chegou Gabriel Gentil, em seu primeiro pódio na categoria, a frente de Deni Marques, o Tuka.

No campeonato Jean, que venceu as três primeiras etapas, possui ainda uma vantagem confortável no campeonato, 31 pontos a frente de Faria.

Jean Ramos: "No final, nas últimas curvas nos chocamos, ele (Rafael Faria) bateu primeiro eu dei o troco na penúltima curva, mas na última curva eu embalei muito, sai do traçado ele fez melhor e ganhou. 


Kaian Teixeira
Parabéns pra ele, estou aqui para somar pontos no campeonato. Passei ele, diminuí o ritmo, fui mais tranquilo, na última volta eu forcei, ele forçou também, mas está de bom tamanho, vamos pra próxima etapa somar mais pontos".

Rafael Faria: "Foi uma prova muito disputada entre eu e o Jean (Ramos), viemos juntos desde o começo e felizmente consegui passá-lo na última volta. Foi uma briga limpa, eu dei um toque nele, depois ele me deu um toque e no final eu passei ele limpo. Com certeza foi uma das melhores provas do ano".

Dudu Lima: "Larguei muito bem, consegui pular bem no gate, infelizmente o Jean (Ramos) e o Rafael (Faria) estavam mais rápidos e conseguiram me passar. Fiquei ali em terceiro brigando com outros pilotos. No final não tinha mais o que fazer, pois acabei me isolando na posição".

MX1 - Marronzinho retoma a liderança do campeonato 


João Paulino Marronzinho


Roosevelt Assunção
A última prova do dia também reservou fortes emoções. E quando o gate caiu foi o mineiro Tunico Miranda o mais rápido. A festa da torcida durou pouco. Na segunda volta Roosevelt Assunção já era o primeiro seguido de Marcello Ratinho e João Paulino Marronzinho.

Quem ficou na segunda curva foi Wellington Garcia, um dos fortes candidatos à vitória. Wellington retorna à prova e em cerca de três voltas já é o sexto colocado, mas a essa altura os lideres já abriram quase meia pista.

Durante os quinze minutos iniciais os três primeiros colocados mantêm, com uma certa distância entre um e outro, o ritmo forte na já castigada pista. Rodrigo Selhorst é o quarto colocado e Wellington a esta altura em quinto passa a se aproximar.

Passado metade do tempo de prova Marronzinho entra em seu "modo de ataque" e parte para cima de Ratinho conseguindo a ultrapassagem logo em seguida. Seu próximo alvo passa a ser Roosevelt Assunção enquanto Wellington ganha a quarta posição de Selhorst.


Marcello Ratinho Lima
Na subida mais "encardida" da pista Marronzinho tem um melhor traçado e ganha a liderança de Roosevelt. Na fase final da prova o terreno já parece um queijo suíço de tanto buraco e a maioria dos pilotos apenas guarda forças para cruzar a bandeirada.

Final: Marronzinho, Roosevelt, Ratinho, Wellington, Selhorst, Pipo Castro, Tunico Miranda, Douglas Parise, Fábio Andolhe e Edson Bertos fecham os dez primeiros.

No campeonato Marronzinho retomou a liderança, mas sua distância para Wellington é de apenas 3 pontos.

Marronzinho: "Foi uma corrida ótima, muito boa. Ontem de manhã (nos treinos de sábado, dia em que nasceu o primeiro filho de Marronzinho) eu falei que ia vencer para dedicar esta vitória ao meu filho, deu tudo certo, ele nasceu as seis horas da manhã de sábado. Então está aí, está vitória é pra ele e pra toda minha equipe Pro Tork. Obrigado a todos que torceram por mim e eu vou continuar treinando mais forte do que eu já venho pra tentar ser campeão. Na corrida eu larguei mal, as primeiras voltas não foram muito boas. No pelotão que eu estava o pessoal não estava tão rápido e isso fez com que o Roosevelt escapasse. Depois da terceira volta botei a cabeça no lugar, fui forçando cada vez mais, aos 25 minutos passei o Roosevelt e abri chegando na vitória. Tenho muito que agradecer minha equipe que deu todo apoio necessário para que eu vencesse a prova e para que eu seja campeão. Quero agradecer também ao Chumbinho que me ajudou bastante com o acerto da moto no sábado durante os treinos".


Wellington Garcia
Roosevelt Assunção: "Ainda sinto falta de preparo, mas agora bem menos. Só pude começar a treinar depois de Carlos Barbosa (a etapa anterior), o médico não me liberou para treinos enquanto não completasse 4 meses após a cirurgia (no joelho). Quem é piloto sabe que é muito difícil ficar sem treinar e voltar no ritmo, ainda mais agora que estão todos muito fortes. Estou muito contente com o meu resultado, treinei todos os dias sem excessão, treinei, treinei, treinei. Estava bem, mas chega na hora da corrida é totalmente diferente. Eu faço durante os treinos baterias de 40 minutos no mesmo tempo, baixando tempo, mas chega na corrida é adrenalina, o ritmo é mais forte, você fica mais tenso... mas aguentei 25 minutos, agora vou treinar todos os dias também para a próxima etapa, espero aguentar até o final das baterias e conseguir uma vitória até o final do ano".


Veja também: Galeria de Imagens com 553 Fotos da Prova!

Vídeos na MotoX TV com as provas da MX1, MX2, MX3, MXJr, 85 e 65
Ratinho: "No começo eu estava bem acompanhando o Roosevelt, comecei a cansar no meio da prova, resolvi tirar a mão e completar a prova. Com certeza deu certo, foi um bom resultado pra mim na MX1, estou voltando a andar bem".

Wellington Garcia: "Estou feliz, diante do que aconteceu, estou a apenas 3 pontos do Marron, estou na disputa do campeonato e vamos pra próxima tentar recuperar". 

A 5ª etapa do Brasileiro de Motocross está programada para os dias 23 e 24 de Junho no Shopping SerrAzul, Itupeva, SP.

O Campeonato Brasileiro de Motocross tem organização da Fatto, supervisão da Confederação Brasileira de Motociclismo (CBM), patrocínio de Honda e Mobil, co-patrocínio de Yamaha e Pro Tork e apoio de Volkswagen Caminhões, Pirelli. 

Classificação Geral

MX3
1 1 Milton Becker 97
2 21 Alexandro Martins 62
3 28 Leo Lopes 40
4 57 Tunico Miranda 37
5 14 Nicomedes Roc 36
6 912 Rogerio Noguei 36
7 44 Mariana Balbi 30
8 29 Mario Lucio Teix 29
9 909 Jorge Negreti 25
10 85 Marco Miller 23
11 211 Adilson Araujo 22
12 58 Fabio Aleixo 19
13 48 Ricardo Sebbe 19
14 158 Nasri Sarkis 14
15 147 Evaristo Filho 11
16 59 Ricardo Raspa 11
17 64 Alessandri Per 9
18 101 Joao Batista Oliveira 7
19 84 Wilson Sato 6
20 106 Asaji Janagihar 5
21 34 Carlos Ketterm 5
22 80 Sandro Silveira 4
23 132 Andre Tavares 3
24 63 Alencar Krefta 3
25 233 Ricardo Sato 3
26 89 Eliseu Glanert 2
27 88 Ciro Schossler 2
28 56 Dario De Oliveir 1
29 118 Sergio Fernand 1
MX2
1 5 Wellington Garcia Matos 87
2 1 Leandro Nunes Da Silva 70
3 4 Marcelo Ferreira De Lima 63
4 16 Rodrigo Selhorst 49
5 23 Swian Zanoni Coelho Gome 46
6 11 Lucas Lemgruber De Mora 42
7 69 Antonio Eustaquio De Mira 36
8 25 Kurtt Airton Rocha 25
9 19 Thales Villardi Felix Da Sil 23
10 969 Raul Guilherme Goncalve 15
11 36 Edson Luiz Bertos 15
12 744 Filipe Dos Santos Godoi 12
13 31 Leonardo Sebben Sebben Spo 11
14 522 Tiago Brinate De Souza 10
15 46 Luiz Henrique Zimmermann 10
16 118 Kurt Rudolf Alves Geyer F 9
17 47 Elievan Junior Karekas Mo 8
18 788 Paulo Cesar Stedile 6
19 941 Roger Hoffmann 5
20 43 Rodrigo Zen 5
21 181 Rogger Torres Tiradente 4
22 411 Joao Baptista Lopes Junio 3
23 78 Richard Gabriel Berois Be 3
24 128 Marco Baptista 2
25 125 Andre Almeida Vitalab/Mor 1
26 27 Daniel Chies 1
65
1 10 Gustavo Roratto 76
2 34 Rodrigo Riffel 55
3 11 Kaio Cesar De M 52
4 4 Marcos Paulo H 43
5 222 Joao Pedro Pin 43
6 7 Endrews Armst 40
7 6 Eduardo Leopo 36
8 19 Anderson Perei 34
9 18 Ruan Pablo Reg 34
10 15 Manoel Humber 25
11 26 Tauan Henrique 23
12 16 Leonardo Lizot 18
13 9 Thiago Bortolo 16
14 536 Gustavo Pesso 15
15 22 Filipe Sorrenti 14
16 17 Matheus Corgui 9
17 99 Ricardo Tadeu 8
18 23 Hallex Dalfovo 7
19 96 Gustavo Borge 3
20 37 Guilherme Guar 3
21 65 Venicio Voigt 2
22 138 William Ferreir 2
23 45 Lucas Frazao 2
24 46 Francisco Urru 1
85
1 4 Hector De Freita A 79
2 6 Gustavo Takahashi 77
3 11 Rodrigo De Andrad 60
4 10 Marcal Muller 56
5 121 Everaldo Rodrigue 43
6 19 Gabriel Zenni 41
7 16 Felipe Augusto Fav 34
8 51 Cezar Augusto Zam 26
9 916 Eder De Lima 20
10 13 Joao Vinicius Gabri 18
11 7 Douglas Fermiano 17
12 39 Gabriel Francisco 15
13 107 Francisco Mota 9
14 55 Daniel Guelman 9
15 137 Mateus Basso 9
16 32 Luiz Ganassoli 7
17 333 Hugo Marchi 7
18 273 Erick Bretz 6
19 97 Stefany Goncalves 6
20 33 Willian Aurafi 5
21 49 Leonan Tavares 4
22 20 Pablo Seben 4
23 170 Francisco Martins 2
24 173 Camilo De Vargas 2
25 40 Caio Celino 2
26 932 Felipe Defilippo 1
27 77 Richard Rodrigues 1
28 949 Barbara Fernandes 1
MXJr
1 18 Jean Ramos 97
2 24 Rafael Da Silva 66
3 338 Eduardo Lima 56
4 73 Gustavo Amara 44
5 40 Deni Marques 40
6 32 Kaian Teixeira 39
7 99 Mairon Mergen 32
8 65 Anderson Cidad 29
9 224 Joao Feltz 24
10 150 Heinz Chrispim 22
11 931 Gabriel Gentil 20
12 103 Andre Veiga 14
13 713 Gabriel Monten 12
14 711 Ariel Miller 12
15 313 Pedro Ramos 10
16 131 Richard Nunes 9
17 808 Renan Baier 8
18 300 Leonardo Perei 6
19 90 Marco Tulio 6
20 220 Romulo Bottre 5
21 386 Higor Merizo 3
22 551 Kaique Polimen 3
23 823 Rodrigo Ranieri 2
24 826 Marcos Roza 2
25 189 Bruno Ayrton 1
26 157 Paulo Krutzsch 1
Mx1
1 1 Joao Paulino 87
2 5 Wellington Garcia 84
3 3 Leandro Silva 54
4 6 Roosevelt Assuncao 49
5 7 Cristopher Castro 35
6 11 Lucas Moraes 32
7 16 Rodrigo Selhorst 30
8 4 Marcelo Lima 26
9 49 Fabio Andolhe 21
10 37 William Garcia 19
11 26 Davis Guimaraes 18
12 10 Douglas Parise 15
13 15 Adrian Cantero 14
14 35 Rafael Zeni 11
15 69 Tuniquinho Miranda 9
16 9 Massoud Nassar 7
17 36 Edson Bertos 6
18 334 Jose Feitosa 5
19 359 Felipe Grimberg 5
20 68 Luciano Lopes 5
21 12 Kristopfer Florenza 5
22 17 Marcos Cordeiro 5
23 77 Uiran Silva 4
24 22 Djohny Aquino 4
25 521 Vagner De Oliveira 3
26 581 Jonatas Migliorini 3
27 42 Rodrigo Siqueira 3
28 61 Anderson Chupel 2
29 945 Carlos Anuncio 2
30 428 Tarcisio Oliveira 1
    



Curso MotoX
JPS Racing

© 2000 - 2018 MotoX MX1 Internet