X Fechar
foto

X Fechar
foto
Clique e saiba mais
Clique e saiba mais
Clique e saiba mais
Clique e saiba mais
Clique e saiba mais
Clique e saiba mais
Clique e saiba mais

Edgers Racing

KTM Sacramento

Toro Sports

SP Race Park

JPS Racing

MotoX Pneus

Clique e saiba mais

> Competição > Enduro

Brasileiro de Enduro 2017 Farroupilha - RS - 7ª etapa
Publicado em: 18/10/2017

Chuva marca decisão da temporada no Rio Grande do Sul
Redação MotoX.com.br - *Atualizada às 18h14 - Fotos: Idário Café e Janjão Santiago


Parque fechado da etapa final do Brasileiro de Enduro

Com chuva, lama e trilhas escorregadias, Farroupilha (RS) recebeu nos dias 14 e 15, a sétima e última etapa do Brasileiro de Enduro. Bastante elogiada pelos pilotos, a prova foi realizada em conjunto com o campeonato estadual e definiu os títulos nacionais na temporada 2017. No primeiro dia o clima permaneceu fechado, mas no segundo o Sol apareceu contribuindo para a melhora das condições do percurso.


Luís Oliveira

Pela categoria EnduroGP, que leva em conta a classificação geral de todas as classes e é a principal da competição, a vitória na rodada foi do capixaba Bruno Crivilin, mas o português Luís Oliveira aparece como virtual campeão. O título não foi confirmado oficialmente, pois uma equipe concorrente questionou se o visto do atleta no país atende os parâmetros exigidos e o fato está sob análise da CBM (Confederação Brasileira de Motociclismo).


Bruno Crivilin

Além de vencer a rodada na geral, Crivilin faturou o troféu na E2, batendo o rival Júlio Ferreira na disputa pelo título. "Foi um ano muito bom e encerro da melhor forma possível, com o título de campeão brasileiro e com mais duas vitórias no final de semana, tanto na categoria quanto na EnduroGP. Alcancei objetivos tanto nas provas nacionais quanto internacionais. Sinto que evoluí bastante", destacou o piloto da equipe Orange BH KTM Racing.

Ferreira lamentou não ter conseguido superar o rival na prova decisiva tendo que se contantar com o vice-campeonato. "Evoluímos bastante durante a temporada. Obtivemos bons resultados, tanto individuais quanto para a equipe Honda. Foi por pouco que não conquistei o título da categoria", concluiu o mineiro.


Júlio Ferreira

Pela E1, Oliveira conquistou o topo do pódio com amplo domínio. "O nosso objetivo, tanto meu como da equipe Honda, foi cumprido com esse importante título. Fiz de tudo para ganhar o máximo de corridas possíveis durante o ano e estou bastante feliz com o resultado. Foi um campeonato longo e difícil, mas tenho uma moto boa e uma boa estrutura de equipe", afirmou.


Rômulo Bottrel

Rômulo Bottrel ampliou a vantagem sobre Gustavo Pellin e faturou o título na E3. "Foi a primeira vez que corri com uma moto dois tempos e me diverti bastante na temporada. Foram brigas duras, difíceis, mas nada melhor do que coroar com mais um título nacional. O ano foi fantástico e quero muito agradecer a minha equipe (Orange BH) e todos que me ajudaram em mais essa conquista".    


Vinícius Calafati e Vinícius Lopes Musa

Na sempre equilibrada EJúnior, Vinícius Musa foi o mais rápido da rodada final seguido por Gabriel Tomate e Vinícius Calafati. Ainda assim, o resultado foi suficiente para Calafati garantir o troféu de bicampeão com apenas um ponto de vantagem sobre Musa. "O campeonato teve disputas equilibradas em todas as etapas. Eu consegui bons resultados durante o ano, principalmente nas corridas iniciais, o que definiu o título. Eu estreei no Brasileiro junto com a EJúnior, há três anos, e esta foi a melhor forma de me despedir da categoria", disse o piloto da Sacramento Racing.  


Nielsen Bueno

Michel Cechet ganhou a prova na E35, mas o título ficou com o experiente Nielsen Bueno. "Estou no Enduro FIM há mais de 25 anos. Sou privilegiado por continuar competindo e poder presenciar este momento de crescimento do esporte, ainda mais com o bicampeonato da E35, que representa o meu quarto título nacional. Estou muito contente com o desempenho e com o clima da nossa equipe, que é formada por amigos. É um orgulho representar a Sacramento Racing", garantiu Nielsen.


Tiago Wernersbach


Cassiano Tebaldi
Tiago Wernersbach venceu em Farroupilha e foi campeão da E4. "O sonho de qualquer piloto de enduro é ser campeão brasileiro, estou muito feliz por ter realizado esta conquista. O apoio da equipe Moto Litoral foi fundamental, sem eles não haveria condições. Quero ter a chance de ser campeão novamente no ano que vem".

Cassiano Tebaldi manteve a hegemonia na E40. "Procurei manter o bom desempenho durante o ano e não me machucar, já que cada prova foi valiosa para a pontuação. Deu tudo certo no final e agora é só festa pelo meu terceiro título brasileiro", explicou o veterano.

Na E45, Laurindo Zatorski venceu a rodada, mas Pélmio Simões foi bicampeão da classe. "No ano passado, foi uma grande honra receber o convite da equipe Orange BH para competir no Brasileiro e uma alegria ainda maior conquistar a classe E45. Consegui defender bem o título e garantir a taça de forma antecipada. Estou muito feliz e motivado para o ano que vem", avaliou Pélmio.

A situação foi similar na E50, onde a primeira posição na final foi de Sérgio Colett, mas o título de Roberto Theodoro. "Depois de 25 anos sem andar de moto, este foi o meu primeiro título brasileiro. Eu também ganhei muitas amizades, sem dúvidas o Enduro FIM é uma grande família. Quero participar novamente no ano que vem", afirmou o campeão.


Pélmio Simões

Entre os novatos da EAmador, Willian Palandi se destacou. "Foi uma grande surpresa estrear no Brasileiro com o título da EAmador. A criação da categoria foi a minha porta de entrada no campeonato e venci todas as provas que participei. O objetivo é focar ainda mais e continuar no esporte".


Roberto Theodoro

A EFeminina não disputou essa etapa, pois já havia definido a temporada na rodada anterior, em Araxá (MG) consagrando Bárbara Neves campeã pela primeira vez.


Willian Palandi

Resultados da etapa (soma dos dois dias de prova):

Enduro GP

1 - Bruno Crivilin
2 - Vinícius Luis da Silva "Musa"
3 - Júlio César Ferreira

E1
1 - Luis Oliveira
2 - Patrik Capila

E2
1 - Bruno Crivilin
2 - Júlio Ferreira
3 - Diego Colett

E3
1 - Rômulo Bottrel
2 - Gustavo Pellin
3 - Rigor Rico

EJúnior
1 - Vinícius Luis da Silva "Musa"
2 - Gabriel Lucas Soares "Tomate"
3 - Vinícius Calafati

E4 Light
1 - Tiago Wernersbach
2 - Matheus Varaschini
3 - Pedro Toazza

E35
1 - Michel Cechet
2 - Pablo Zanchet
3 - Anderson Vieira

E40
1 - Cassiano Tebaldi
2 - Fernando Spindler
3 - Juliano Castoldi

E45
1 - Laurindo Zatorski Filho
2 - Alexandre Cunha
3 - Elso Cirino

E50
1 - Sérgio Colett

EAmador
1 - Willian Palandi
2 - Gabriel Bellaver
3 - Roberto Theodoro

Classificação final do campeonato após sete etapas:

E1

1 - Luis Oliveira - 300
2 - Patrik Capila - 221
3 - Loandro Anton - 200

E2
1 - Bruno Crivilin - 288
2 - Júlio Ferreira - 273
3 - Diego Colett - 246

E3
1 - Rômulo Bottrel - 294
2 - Gustavo Pellin - 270
3 - Rigor Rico - 246

EJúnior
1 - Vinícius Calafati - 275
2 - Vinícius Luis da Silva "Musa" - 274
3 - Gabriel Lucas Soares "Tomate" - 259

E4 Light
1 - Tiago Wernersbach - 288
2 - Jaime Zorzal - 229
3 - Bruno Martins - 100

E35
1 - Nielsen Bueno - 297
2 - Diogo de Andrade - 235
3 - Anderson Vieira - 149

E40
1 - Cassiano Tebaldi - 272
2 - Luciano de Lima - 229
3 - Beto Lamego - 140

E45
1 - Pélmio Simões - 280
2 - Laurindo Zatorski Filho - 267
3 - Marcos Benvenutti - 234

E50
1 - Roberto Theodoro - 216
2 - Gustavo Jacob - 108
3 - Cleber Sacramento - 100

EAmador
1 - Willian Palandi - 250
2 - Augusto Benvenutti - 230
3 - Uliam Bunetta - 99

EFeminina (título definido em três rodadas duplas)
1 - Bárbara Neves - 144
2 - Janaína Souza - 116
3 - Tainá Aguiar - 40








© 2000 - 2018 MotoX MX1 Internet