fechar
X Fechar
X Fechar

X Fechar
foto
Salvar nos Favoritos

X Fechar
foto
Clique e saiba mais
Clique e saiba mais
Clique e saiba mais
Clique e saiba mais
Clique e saiba mais
Clique e saiba mais
Clique e saiba mais

América Sports

Capacete Companhia

RM - Motocross Racing

Edgers Racing

RX Graphics

JPS Racing

Ohlins

DLua Racing

Toro Sports

Clique e saiba mais

> Notícias > Últimas Notícias

AMA Supercross: noite do tudo ou nada em Las Vegas
Publicado em: 06/05/2017

Final decide títulos na 450 e 250 Leste numa das decisões mais apertadas deste século
Redação MotoX.com.br - Fotos: Feld Entertainment / Garth Milan

Fazia tempo que o AMA Supercross não tinha uma final tão apertada como a desta noite em Las Vegas. Nos últimos anos o campeonato já chegou à ultima prova com campeão definido, ou quase. Embora os prognósticos na classe 450 estejam todos a favor de Ryan Dungey, tudo pode acontecer durante as corridas, nada está decidido. Já na 250 Leste todas as opções estão abertas com três pilotos num intervalo de apenas um ponto.


Ryan Dungey e Marvin Musquin

Condições para decisão do título

Depois de uma recuperação espetacular durante o campeonato, Eli Tomac, aparentemente, sucumbiu sob a pressão de defender a liderança. Não apenas pela queda em East Rutherford, mas por não conseguir recompor a pilotagem quando voltou à prova. Tomac vai para a final sem nada a perder, tem que lutar pela vitória e, caso vença, torcer para Ryan Dungey chegar fora dos quatro primeiros colocados. Com Dungey em quinto, os dois empatam em pontos e Tomac fatura o título pelo maior número de vitórias.

+ Resultados, fotos e vídeos da 16ª etapa e classificação geral do AMA Supercross 2017

Com a quarta posição Ryan Dungey conquista o título com apenas três vitórias no ano. A última vez que isso aconteceu foi em 1992 quando Jeff Stanton (Honda) conquistou o campeonato sobre Damon Bradshaw (Yamaha) que, coincidentemente, havia vencido nove vezes no ano. Detalhe, naquela época a temporada tinha 15 etapas.


Eli Tomac

A seu favor Dungey apresenta um histórico de enorme consistência. Sabe quando foi a última vez que ele chegou fora dos quatro primeiros? Há exatamente 51 etapas! Uau, deve ser um recorde! Outro fato a seu favor é que a KTM tem a equipe mais forte, Marvin Musquin ter lhe cedido a primeira posição em East Rutherford não deveria ter sido surpresa para ninguém. Pelo contrário, a surpresa foi o francês ter lhe ultrapassado na metade da corrida.

Além da equipe oficial, a KTM tem também uma dupla forte no time satélite Rocky Moutain, com David Millsaps e Blake Baggett que, respectivamente, conquistaram quarta e quinta posições em New Jersey. Embora o time, obviamente, não tenha ordem explicitas para ajudar Dungey, o bom senso fará com que os dois pilotos pelo menos "não se esforcem" para atrapalhar a corrida do líder do campeonato. Também não podemos nos esquecer de Jason Anderson, correndo pela marca irmã Husqvarna e parceiro de treinos de Ryan Dungey e Marvin Musquin na (Aldon) Backer Factory não fará nada para se indispor com o amigo e em último caso, com seus patrões. Dungey vai para a final com uma forte retaguarda.

Craig sobe novamente para a Honda HRC

Com Cole Seely ainda se recuperando de uma lesão num músculo da coxa, a Honda recrutou novamente Christian Craig para representar a marca na classe principal. No Lucas Oil AMA Motocross o piloto assume definitivamente a motocicleta de Ken Roczen  até o final do ano.

250 - Final promete ser dramática


Zach Osborne e Joey Savatgy

Na classe 250 Leste a situação é a seguinte: Jordon Smith (TLD KTM) é o líder com apenas um ponto de vantagem sobre Zach Osborne (Husqvarna) e Joey Savatgy (Pro Circuit Kawasaki). Osborne tem quatro vitórias contra duas de Savatgy e uma de Smith. Quem vencer ou chegar em segundo, terceiro ou quarto (deixando os outros dois para trás, obviamente) será o campeão. De quinto para trás a diferença entre as posições passa a ser de apenas um ponto e aí várias equações entrariam em jogo.

A disputa entre os três já teria ingredientes suficientes para garantir enorme dose de drama na final, mas temos ainda mais um fator em jogo. A final da 250 em Las Vegas é o famoso desafio Leste x Oeste, ou seja, corre todo mundo junto e misturado com os 20 melhores de cada região. A pontuação da final será única e não separada por região. Pilotos do Oeste podem interferir na decisão do título Leste. E botem pressão nessa final!


Jordon Smith

Os resultados das corridas e treinos podem ser acompanhados em tempo real pela página de Cronometragem e Resultados ao Vivo do MotoX no link: AMA Supercross Live Timing.

As baterias classificatórias largam a partir das 23 horas (horário de Brasília) e as finais a partir da 1h (250) e 1h30m (450).
.
Transmissão dos treinos ao vivo (conteúdo gratuito) a partir das 17h (horário de Brasília):



Transmissão ao vivo das provas (conteúdo pago):

Nesta temporada os promotores do AMA Supercross liberaram a transmissão via internet das provas ao vivo para todo o mundo. O pacote custa U$ 99,99 para toda a temporada ou U$ 19,90 por etapa individual. Os eventos podem ser assistidos ao vivo ou durante os sete dias seguintes.

Mais informações em: http://supercrosslive.com/en-US/news/international-stream-available-fans-outside-us-canada.
 
Volta virtual pela pista da 17ª etapa:



Quer ver mais vídeos? Acesse https://www.motox.com.br/videosdodia/








Vídeos MotoX Connect



Acompanhe o MotoX no Facebook

Curso MotoX Ric Raspa
Brasil Racing
JPS Racing

© 2000 - 2017 MotoX MX1 Internet