fechar
X Fechar
X Fechar

X Fechar
foto
Salvar nos Favoritos

X Fechar
foto
Clique e saiba mais
Clique e saiba mais
Clique e saiba mais
Clique e saiba mais
Clique e saiba mais
Clique e saiba mais
Clique e saiba mais

América Sports

Capacete Companhia

RM - Motocross Racing

Edgers Racing

RX Graphics

JPS Racing

Ohlins

DLua Racing

Toro Sports

> Competição > Rally

Rally dos Sertões 2016 - Goiânia (GO) - Palmas (TO)
Publicado em: 10/09/2016

Gregório Caselani conquista título inédito entre as Motos
Redação MotoX.com.br - Fotos: V. Eleuterio / M. Maragni


Gregório Caselani

Com largada em Goiânia (GO), no dia 3, e chegada em Palmas (TO), neste sábado (10), após 3.212 km chegou ao fim o Rally dos Sertões 2016. A competição contou com 2.357 km de trechos cronometrados, o equivalente a 74% de todo o trajeto. Ao final dos sete dias, um novo campeão foi coroado: o gaúcho Gregório Caselani, que assumiu o comando da prova na terceira etapa, dia de segunda vitória consecutiva, e depois manteve um desempenho irrepreensível. Ao seu lado no pódio, marcaram presença os paulistas Ramon Sacilotti, em segundo, e Eduardo Shiga, em terceiro.

Segundo Marcos Moraes, diretor geral da Dunas Race, empresa organizadora da prova, o roteiro da 24ª edição foi um dos mais exigentes da história da competição. "Um percurso muito interessante, com nível técnico extremamente elevado e com um roteiro muito seletivo", explicou Moraes. Seletiva foi também a etapa maratona, que reduziu para 24 o número de motos na competição aproximadamente.


Jean Azevedo

Mas, até conquistar o topo do pódio no principal rali do Brasil, Gregório Caselani teve que superar grandes adversários. No início da prova, o seis vezes campeão Jean Azevedo era um dos principais candidatos ao título. O paulista começou com vitória no prólogo e dois segundo lugares nos primeiros dias. Mas, na terceira etapa, uma batida danificou a guia da corrente da moto, impedindo-o de completar o trajeto do dia. Com o incidente, Azevedo precisou se recuperar das últimas posições no acumulado. E o cumpriu a missão com êxito nas etapas restantes: venceu todas, encerrando com o 17º lugar no acumulado.

“O Rally dos Sertões é sensacional e leva todos ao seu limite. Larguei este ano com o objetivo do sétimo título, infelizmente tive um problema na terceira etapa e fiquei fora da disputa, mas estou feliz pela equipe Honda, que continua com o título”, afirmou Azevedo.


Ricardo Martins

A terceira etapa também foi cruel com outro piloto que vinha muito bem, o catarinense Ricardo Martins que atropelou um cavalo e teve sua moto queimada. No momento do acidente, Martins era o vice-líder do rali. "Foi um susto muito grande. É difícil descrever o tamanho da pancada. Era uma estrada de três metros de largura com mato dos dois lados. O cavalo saiu correndo do mato, de repente. Eu vinha a 120 km/h. Tentei desviar dele, mas ainda bati na parte da frente dele e saí rolando pra dentro da mata uns 50 metros", explicou.

O acidente antecipou o fim da participação do piloto. "Tentei apagar o fogo jogando areia, mas era impossível apagar, estava muito forte. Estava a três minutos do primeiro. Tinha chances de ganhar. Estava dando tudo certo. Dei meu máximo e o acidente foi uma fatalidade. Não foi um erro de estratégia, não foi erro de pilotagem nem problema mecânico", lamentou.


Gregório Caselani

Azar de uns, sorte de outros. Gregório Caselani aos poucos foi ficando cada vez mais forte na disputa e tendo o caminho livre para a vitória. Com resultados constantes dentro do top 5 todos os dias, o piloto administrou com cautela a liderança conquistada na terceira etapa. “Este rali foi o mais duro da minha vida. O Rally dos Sertões mostrou suas marcas. Mas eu cheguei inteiro, bem como a minha moto. Com certeza a etapa maratona foi a mais dura e difícil, que teve quase 1.000 quilômetros”, afirmou o piloto, que comemorou o título inédito na Geral e na categoria principal, a Production.


Ramon Sacilotti

O vice-campeonato ficou com Ramon Sacilotti, que chegou a liderar o início da competição e brigou pela vitoria até o final. “Foi um rali extremamente duro e muitos ficaram pelo caminho. Estou muito feliz por ter chegado inteiro, mesmo depois de ter ficado tão perto da vitória. Eu não posso ficar triste em ser o vice-campeão do Sertões, sem dúvidas é um ótimo resultado, e o foco em 2017 já começa agora”, comentou o piloto de São José dos Campos (SP).

Apostando em uma estratégia cuidadosa para minimizar erros e preservar a moto, Eduardo Shiga conquistou a terceira colocação geral no acumulado. Com o resultado, Shiga também foi coroado campeão da categoria Marathon. Também na geral, Guilherme Cascaes e Ezair Rodrigo Bossa foram quarto e quinto colocados respectivamente. Com uma ótima sexta posição entre todos os competidores, Júlio César Zavatti, o Bissinho, faturou o título da categoria CRF 230. 

Nas demais modalidades os vencedores foram Cristian Baumgart e Beco Andreotti (Carros), Edgley Sobrinho (Quadriciclos) e Bruno Sperancini e Breno Rezende (UTVs).

Vídeos















Roteiro e resultados dia a dia

Prólogo (03/09)

1. Jean Azevedo - 2min01
2. Ramon Ssacilotti - 2min02
3. Ricardo Martins - 2min03

Etapa 1 (04/09)
Goiânia (GO) – Padre Bernardo (GO)
Deslocamento inicial: 248,43 km
Trecho especial: 111,79 km
Deslocamento final: 4,32 km
Total do dia: 364,54 quilômetros

1. Ramon Sacilotti - 1h38min24
2. Jean Azevedo - 1h39min13
3. Tunico Maciel - 1h39min17
4. Ricardo Martins - 1h40min34
5. Gregorio Caselani - 1h41min42

Etapa 2 (05/09)
Padre Bernardo (GO) – Cavalcante (GO)
Deslocamento inicial: 34,27 km
Trecho especial: 374,84 km
Deslocamento final: 9,19 km
Total do dia: 418,3 quilômetros

1. Gregorio Caselani - 5h06min34
2. Jean Azevedo - 5h09min19
3. Ricardo Martins - 5h10min59
4. Ramon Sacilotti – 05h18min28
5. Eduardo Shiga – 5h21min49

Etapa 3 (06/09)

Cavalcante (GO) – Posse (GO)
Deslocamento inicial: 22,95 km
Trecho especial: 376,41 km
Deslocamento final: 244,12 km
Total do dia: 643,48 km

1. Gregorio Caselani - 4h44min26
2. Ramon Sacilotti - 4h47min07
3. José Hélio - 4h56min20
4. Eduardo Shiga - 4h58min03
5. Rami Sfredo - 5h05min51

Etapa 4 (07/09)
Posse (GO) – Luís Eduardo Magalhães (BA)
Deslocamento inicial: 14,62 km
Trecho especial: 361,94 km
Deslocamento final: 183,59 km
Total do dia: 560,15 km

1. Jean Azevedo - 3h22min49
2. Tunico Maciel - 3h34min23
3. Gregorio Caselani - 3h36min52
4. Guilherme Cascaes - 3h33min57
5. Zé Hélio - 3h39min06

Etapa 5 (08/09)
Luís Eduardo Magalhães (BA) – Mateiros (TO)
Deslocamento inicial: 35,47 km
Trecho especial: 425,67 km
Deslocamento final: 00 km
Total do dia: 461,14 km

1. Jean Azevedo - 5h21min02
2. Ramon Sacilotti - 5h24min24
3. Gregorio Caselani - 5h24min27
4. Tunico Maciel - 5h25min57
5. Rami Sfredo - 5h26min37

Etapa 6 (09/09)
Mateiros (TO) – Ponte Alta (TO)
Deslocamento inicial: 00 km
Trecho especial: 514,98 km
Deslocamento final: 5,97 km
Total do dia: 520,95 km

1. Jean Azevedo - 6h43min38
2. Tunico Maciel - 6h47min29
3. Gregorio Caselani - 6h48min28
4. Ramon Sacilotti - 7h01min08
5. Guilherme Cascaes - 7h44min44

Etapa 7 (10/09)
Ponte Alta (TO) – Palmas (TO)
Deslocamento inicial: 4,61 km
Trecho especial: 191,54 km
Deslocamento final: 47,46 km
Total do dia: 243,61 km

1. Jean Azevedo - 1h58min28
2. Ramon Sacilottti - 2h03min33
3. Gregorio Caselani - 2h05min15
4. Tunico Maciel - 2h07min19
5. Ezair Rodrigo Bossa - 2h07min19

Classificação final após 7 etapas:
1. Gregorio Caselani - 29h27min47
2. Ramon Sacilotti - 29h58min34
3. Eduardo Shiga - 31h44min25
4. Guilherme Cascaes - 33h31min43
5. Ezair Rodrigo Bossa - 33h44min45








Vídeos MotoX Connect



Acompanhe o MotoX no Facebook

Curso MotoX Ric Raspa
Brasil Racing
JPS Racing

© 2000 - 2017 MotoX MX1 Internet