fechar
X Fechar
X Fechar

X Fechar
foto
Salvar nos Favoritos

X Fechar
foto
Clique e saiba mais
Clique e saiba mais
Clique e saiba mais
Clique e saiba mais
Clique e saiba mais
Clique e saiba mais
Clique e saiba mais

América Sports

Capacete Companhia

RM - Motocross Racing

Edgers Racing

RX Graphics

JPS Racing

Ohlins

DLua Racing

Toro Sports

Clique e saiba mais

> Competição > Mundial de Motocross

14ª etapa - Lommel - Bélgica
Publicado em: 04/08/2015

Shaun Simpson e Max Anstie dominam o exigente circuito de Lommel
Redação MotoX.com.br: Lucídio Arruda - fotos: Ray Archer / Pascal Haudiquert / Divulgação


Pódio MXGP


Shaun Simpson
Longe vai o tempo em que era obrigatório ser nascido e crescido na região dos Países Baixos para se dar bem nas pistas de areia do Mundial de Motocross. Hoje em dia muitas equipes têm suas sedes na região da divisa entre Bélgica e Holanda que compreende, entre outros, os circuitos de Lommel e Valkesnwaard. Quem não é da região passa boa parte das “férias” por ali, desenvolvendo suas habilidades na areia. Muitos outros simplesmente se mudam para a região, como é o caso de Antonio Cairoli, praticamente um vizinho da pista de Lommel, palco da 14ª etapa da temporada 2015.

Assim, a nacionalidade passa a ser um fator menor que a técnica e intimidade desenvolvidas por pilotos de todas as regiões da Europa. O próprio Kevin Strijbos comentou ser uma vergonha para os belgas, ele incluso, não vencerem os GPs na própria casa há tantos anos. Nesta edição, as chances de um bom resultado para o país ficaram ainda menores logo nos treinos quando Clement Desalle, que acabou de voltar à ação na República Checa, sofreu com o ombro escapando e disse definitivamente adeus à temporada. O piloto precisará de uma cirurgia corretiva.


Largada MXGP


Antonio Cairoli
Presenças Ilustres

Além do vizinho Cairoli, a turma dos GPs viu novamente o rosto de Ryan Villopoto. Fora desde a quarta etapa em Trentino, o norte americano voltou à Europa para cumprir obrigações contratuais com patrocinadores e ainda participou como comentarista da transmissão oficial da Youthstream.

O Circuito

Lommel é brutal, não há dúvidas. Ficou ainda mais difícil neste final de semana com a enxurrada de categorias preliminares como a copa Honda Junior e Europeus de 125, 250 e 300. Com seis categorias na pista e o protocolo da organização de alisar apenas a reta de largada durante o final de semana, brutal foi um apelido carinhoso para o que se transformou a pista. Ao terminarem a última bateria de domingo, os pilotos da MXGP pareciam saídos de um extenuante round de 35 minutos ininterruptos de boxe.

Um exemplo claro disso foi o tempo de volta na fase final das corridas. Todos sem exceção rodaram cerca de 10 segundos (isso mesmo, DEZ segundos, alguns 15) mais lentos que suas melhores voltas. Isso porque a briga pela vitória e boas posições ainda rolava solta.


Gautier Paulin

Dos 22 pilotos que largaram na segunda bateria da MXGP, 19 marcaram seu melhor tempo durante as três primeiras voltas. Entre as exceções Febvre marcou na quarta, Christophe Charlier na quinta e Jeffrey Dewulf na sexta. Depois disso o ritmo caiu para todos na pista.

Fim de semana britânico


Max Anstie

Desde sábado ficou claro que dois pilotos seriam os homens a serem batidos em Lommel. Na MX2, Max Anstie, no embalo de sua dupla vitória na Letônia e outra quase, jogada fora nas ondas de Loket, chegou quente na Bélgica e fez o final de semana ferver para o seu simpático chefe de equipe Steve Dixon. Anstie dominou a classificatória do sábado e manteve a superioridade no domingo onde venceu as duas baterias com cerca de 25 segundos de vantagem.

Na classe MXGP, Shaun Simpson dominou também de forma semelhante, embora com adversários mais próximos. Simpson, entretanto, tinha uma carta na manga. Foi o único a consistentemente mandar um enorme quádruplo, entremeado numa longa sequência de ondas.


Simpson (24) recuperou-se dessa largada com uma vitória

Normalmente quem dá o maior salto na corrida ganha o coração do público e foi o que aconteceu. Visto como uma zebra pela maioria da torcida, Simpson logo ganhou o apoio dos fãs ao redor da pista.

Além de Simpson, o único a encarar o quádruplo foi Gautier Paulin, no warm-up de domingo. Com um joelho dolorido adquirido em Locket, arriscou o salto apenas uma vez durante as corridas.

Jogando tudo pro alto


Evgeny Bobryshev passou para terceiro na pontuação


A garotada do europeu descobrindo que vários corpos não podem ocupar o mesmo espaço
Foi quase o que aconteceu com a vitória de Simpson num momento em que já deveria estar administrando a vantagem na segunda bateria. Alertado pela equipe que Paulin tentava um sprint tardio, Simpson não deixou de mandar o quádruplo e já na fase final aterrissou curto e foi ao chão. Felizmente manteve o motor de sua KTM ligado e apesar da vantagem ter caído para apenas 3 segundos, conseguiu novamente abrir terreno na volta seguinte.

Após a corrida afirmou que a queda foi pura estupidez. Para desviar da linha de um retardatário – que já estava longe – mudou o trilho do salto 30 centímetros para a direita, foi o que bastou para não alcançar a distância necessária. Apesar do susto, Simpson voltou a mandar o obstáculo na volta seguinte e foi o que fez Paulin se contentar com a segunda posição.

Ritmo e Estratégia


Gautier Paulin


Kevin Strijbos
A segunda e decisiva bateria da MXGP começou num ritmo alucinante com Paulin, Simpson e Romain Febvre lutando pela liderança. Os caras atacavam as curvas super onduladas e com linhas completamente degradas como se não houvesse amanhã. Pensei comigo: ninguém consegue andar assim a bateria inteira.

Depois da terceira volta Simpson deu uma respirada, deixou o francês da Honda escapar um pouco e voltou a pressionar algumas voltas depois, aproveitando-se de um erro de Paulin. Conseguiu assumir a liderança na oitava volta e comandou o restante da corrida, apesar do susto com a queda no final.

O versátil Febvre


Romain Febvre


Romain Febvre
Tivesse nascido um dia depois, Febvre não disputaria o título da MXGP de maneira alguma esse ano. Ainda estaria habilitado a correr na MX2 face a regra limite dos 23 anos. Mas completou 23 em 31 de dezembro de 2014 e compulsoriamente foi promovido à classe principal do campeonato. Podemos dizer que foi a melhor coisa que poderia ter lhe ocorrido (alô Herlings?). Se adaptou rapidamente à nova cilindrada, à Yamaha e está escrevendo a história.

São nove pódios consecutivos, seis deles com vitórias. Lidera a tabela com 84 pontos de vantagem sobre Gautier Paulin. Febvre está se mostrando bastante versátil, anda bem no chão duro, na lama, na areia (sua antiga equipe Martens Husqvarna, onde passou dois anos, era sediada na Bélgica). Anda bem até com a moto toda torta, como ficou provado em Maggiora, após uma queda.

Mas o jovem Febvre ainda precisa controlar os impulsos e saber a hora de dosar o punho direito. Num momento onde já deveria estar pensando quatro etapas à frente, usou todas as suas energias em busca de vitórias nas baterias belgas. Na primeira sofreu duas quedas. Na segunda tentou a todo custo superar Paulin, um confesso especialista na areia, até que errou e perdeu contato. Tudo bem que cair na areia é mais “gostoso” que no chão duro. Que derrotar Paulin em Lommel daria uma “quebrada” na moral de seu (agora) único adversário ao título, mas o chefe de equipe e antigo campeão Michele Rinaldi deve estar estudando as maneiras de preparar a cabeça de Febvre e segurar o ímpeto do rapaz para as próximas etapas. Cairoli usou muito além do acelerador para conquistar oito títulos consecutivos.


Romain Febvre

Vitória do piloto privado

Max Nagl, Ryan Villopoto, Antonio Cairoli, Gautier Paulin, Romain Febvre, Glenn Coldenhoff e agora Shaun Simpson. Sete vencedores diferentes em 2015, acho que é um recorde. Se contarmos os vencedores em baterias podemos incluir Clement Desalle. A diferença é que Simpson é o único piloto de equipe privada, sem controle direto (e recursos finaceiros) da fábrica nessa lista.

Claro que tem algum apoio da KTM, mas o time patrocinado majoritariamente pela Hitachi Construction Machinery é inglês e o mecânico de Simpson é o próprio pai. Se não me engano o último vencedor de equipe privada nos GPs na classe principal tinha sido o próprio Simpson na final de 2013, em Lierop, Holanda.

Campeonato embolado na MX2


Largada MX2


Os conselhos de um campeão como Everts podem fazer a diferença para Pauls Jonass na reta final do campeonato
Assim como no início do ano ninguém abriu a boca para apostar em Romain Febvre na MXGP, Pauls Jonass não deve ter sido a escolha de muita gente na MX2. O próprio jovem confessou que em seus planos a ideia de segurar o number plate vermelho viria daqui dois anos. Mas com os dois segundo lugares em Lommel, o segundo piloto da Red Bull KTM MX2 é o novo líder do campeonato. Sem vencer uma única bateria!

Tim Gajser não foi brilhante no GP belga. Quinto e sétimo nas baterias para alcançar a sexta posição na etapa. Valentin Guillod se saiu pior ainda com um abandono na segunda corrida, depois de aterrissar em outra Yamaha caída na pista e furar o radiador. Na primeira bateria havia chegado apenas em 12º. Atual defensor do título, Jordi Tixier não fez muito para seguir na briga para deixar a categoria como campeão (já que em 2016 corre pela Kawasaki MXGP): foi sétimo na Bélgica e com isso ocupa o sexto posto na tabela.


Petar Petrov conseguiu os melhores resultados de sua carreira após ocupar a vaga de Dylan Ferrandis na KRT


Jordi Tixier fazendo de tudo para não conquistar o título desse ano
Jonass tem apenas três pontos de vantagem sobre Tim Gajser, mas na atual situação não podemos descartar da briga nem mesmo o sétimo colocado no campeonato, Max Anstie, a 46 pontos do líder. O britânico venceu nada menos que cinco das últimas seis baterias disputadas – a outra abandonou e jogou fora 25 pontos.

Com 200 pontos ainda em jogo nas quatro etapas restantes, podemos vislumbrar uma batalha campal com seis pilotos (Herlings, o terceiro na tabela, está fora) e cinco marcas na decisão do título desse ano.

O campeonato terá agora um descanso de dois finais de semana antes de voltar à ação na terceira etapa italiana do ano, em Mantova. É, é aquele GP que substitui o do Brasil. Pode chorar...


Max Anstie, 5 vitórias e um abandono nas 6 últimas baterias

Vídeo



Resultados

P. Nr MXGP Nat. Bike Race 1 Race 2 Total
1 24 Simpson, Shaun GBR KTM 25 25 50
2 21 Paulin, Gautier FRA HON 22 22 44
3 461 Febvre, Romain FRA YAM 20 20 40
4 777 Bobryshev, Evgeny RUS HON 16 18 34
5 22 Strijbos, Kevin BEL SUZ 14 16 30
6 89 Van Horebeek, Jeremy BEL YAM 18 12 30
7 47 Waters, Todd AUS HUS 13 15 28
8 259 Coldenhoff, Glenn NED SUZ 15 9 24
9 28 Rattray, Tyla RSA KAW 9 14 23
10 337 Krestinov, Gert EST HON 12 11 23
11 111 Ferris, Dean AUS HUS 6 13 19
12 23 Charlier, Christophe FRA HON 7 10 17
13 221 Ratsep, Priit EST HON 8 8 16
14 11 Bengtsson, Filip SWE HON 11 5 16
15 156 Heidecke, Angus GER KTM 4 7 11
16 17 Butron, Jose ESP KTM 5 6 11
17 991 Watson, Nathan GBR HUS 10 0 10
18 62 Gercar, Klemen SLO HUS 3 3 6
19 39 Guarneri, Davide ITA TM 0 4 4
20 8 Vanderstraeten, Mike BEL YAM 2 2 4
21 212 Dewulf, Jeffrey BEL YAM 0 1 1
22 149 Ullrich, Dennis GER SUZ 1 0 1

P. Nr MX2 Nat. Bike Race 1 Race 2 Total
1 99 Anstie, Max GBR KAW 25 25 50
2 41 Jonass, Pauls LAT KTM 22 22 44
3 152 Petrov, Petar BUL KAW 20 18 38
4 33 Lieber, Julien BEL YAM 15 20 35
5 151 Kullas, Harri FIN HUS 18 16 34
6 243 Gajser, Tim SLO HON 16 14 30
7 91 Seewer, Jeremy SUI SUZ 13 13 26
8 6 Paturel, Benoit FRA YAM 11 12 23
9 1 Tixier, Jordi FRA KAW 14 9 23
10 189 Bogers, Brian NED KTM 10 8 18
11 85 Pootjes, Davy NED KTM 1 15 16
12 64 Covington, Thomas USA KAW 2 11 13
13 128 Monticelli, Ivo ITA KTM 6 7 13
14 172 Van doninck, Brent BEL YAM 12 0 12
15 51 Getteman, Jens BEL HON 8 3 11
16 29 Jacobi, Henry GER KTM 0 10 10
17 132 Kutsar, Karel EST KTM 5 5 10
18 919 Watson, Ben GBR KTM 7 2 9
19 92 Guillod, Valentin SUI YAM 9 0 9
20 18 Brylyakov, Vsevolod RUS HON 4 4 8
21 321 Bernardini, Samuele ITA TM 0 6 6
22 274 Lundgren, Anton SWE HUS 3 1 4

Classificação Geral
P. Nr MXGP Nat. Bike Pts
1 461 Febvre, Romain FRA YAM 547
2 21 Paulin, G. FRA HON 463
3 777 Bobryshev, E. RUS HON 423
4 222 Cairoli, A. ITA KTM 416
5 12 Nagl, M. GER HUS 360
6 24 Simpson, Shaun GBR KTM 356
7 25 Desalle, C. BEL SUZ 331
8 89 Van Horebeek, J. BEL YAM 324
9 259 Coldenhoff, G. NED SUZ 290
10 22 Strijbos, K. BEL SUZ 287
11 47 Waters, Todd AUS HUS 278
12 111 Ferris, Dean AUS HUS 208
13 28 Rattray, Tyla RSA KAW 204
14 19 Philippaerts, D. ITA YAM 185
15 23 Charlier, C. FRA HON 164
16 9 de Dycker, Ken BEL KTM 155
17 17 Butron, Jose ESP KTM 155
18 183 Frossard, S. FRA KAW 128
19 2 Villopoto, R. USA KAW 124
20 77 Lupino, A. ITA HON 97
21 39 Guarneri, D. ITA TM 93
22 11 Bengtsson, F. SWE HON 78
23 100 Searle, Tommy GBR KTM 74
24 991 Watson, Nathan GBR HUS 70
25 121 Boog, Xavier FRA KAW 40
26 156 Heidecke, A. GER KTM 36
27 999 Goncalves, Rui POR HUS 33
28 20 Aranda, G. FRA KAW 32
29 400 Yamamoto, Kei JPN HON 24
30 337 Krestinov, G. EST HON 23
31 149 Ullrich, D. GER SUZ 23
32 62 Gercar, Klemen SLO HUS 17
33 221 Ratsep, Priit EST HON 16
34 40 Leok, Tanel EST KAW 15
35 120 Soubeyras, C. FRA YAM 15
36 800 Alessi, Mike USA SUZ 12
37 909 Neurauter, L. AUT KTM 12
38 903 Aubin, Nicolas FRA SUZ 11
39 45 Nicholls, Jake GBR KTM 11
40 600 Ivanovs, Davis LAT KAW 11
41 289 Irt, Matevz SLO YAM 9
42 177 Coates, Paul GBR YAM 7
43 173 Bertuzzo, P. ITA YAM 6
44 147 Jönsson, J. SWE HUS 4
45 212 Dewulf, J. BEL YAM 4
46 742 Nazarov, Maxim RUS KTM 4
47 8 Vanderstraeten, M. BEL YAM 4
48 871 Izoird, Fabien FRA HON 3
49 123 Hoshino, Y. JPN KTM 2
50 55 Irwin, Graeme GBR SUZ 2
51 926 Delince, J. BEL HON 2
P. Nr MX2 Nat. Bike Pts
1 41 Jonass, Pauls LAT KTM 433
2 243 Gajser, Tim SLO HON 429
3 84 Herlings, J. NED KTM 423
4 92 Guillod, V. SUI YAM 408
5 91 Seewer, Jeremy SUI SUZ 395
6 1 Tixier, Jordi FRA KAW 393
7 99 Anstie, Max GBR KAW 387
8 33 Lieber, Julien BEL YAM 340
9 152 Petrov, Petar BUL KAW 262
10 6 Paturel, B. FRA YAM 259
11 59 Tonkov, A. RUS HUS 256
12 189 Bogers, Brian NED KTM 243
13 4 Ferrandis, D. FRA KAW 205
14 64 Covington, T. USA KAW 189
15 172 Van doninck, B. BEL YAM 189
16 95 Justs, Roberts LAT KTM 181
17 18 Brylyakov, V. RUS HON 170
18 128 Monticelli, I. ITA KTM 143
19 51 Getteman, Jens BEL HON 113
20 919 Watson, Ben GBR KTM 99
21 151 Kullas, Harri FIN HUS 92
22 85 Pootjes, Davy NED KTM 84
23 29 Jacobi, Henry GER KTM 69
24 101 Zaragoza, J. ESP HON 68
25 321 Bernardini, S. ITA TM 67
26 274 Lundgren, A. SWE HUS 37
27 119 Pocock, Mel GBR KAW 36
28 811 Sterry, Adam GBR KTM 32
29 766 Rauchenecker, P. AUT KTM 29
30 922 Fors, Kevin BEL YAM 28
31 300 Golovkin, V. RUS KTM 20
32 132 Kutsar, Karel EST KTM 15
33 7 Graulus, Damon BEL YAM 13
34 97 Ivanov, M. BUL HUS 13
35 338 Herbreteau, D. FRA KAW 11
36 5 Recchia, N. ITA YAM 10
37 155 Otsuka, Gota JPN HON 10
38 555 Guryev, Artem RUS KTM 7
39 141 Desprey, M. FRA KAW 7
40 93 Featherstone, G. GBR HON 5
41 71 Valente, C. SUI KTM 5
42 377 Lacan, Jordan FRA HON 3
43 211 Jaulin, S. FRA HON 3
44 556 Mallet, Simon FRA HON 2
45 15 Bonini, Davide ITA HUS 1
46 140 Booker, Jordan GBR KTM 1
47 171 Penjan, T. THA HON 1
48 117 Luzzardi, J. ARG HON 1
49 30 Hjortmarker, E. SWE KTM 1










Vídeos MotoX Connect



Acompanhe o MotoX no Facebook

Curso MotoX Ric Raspa
Brasil Racing
JPS Racing

© 2000 - 2017 MotoX MX1 Internet