fechar
X Fechar
X Fechar

X Fechar
foto
Salvar nos Favoritos

X Fechar
foto
Clique e saiba mais
Clique e saiba mais
Clique e saiba mais
Clique e saiba mais
Clique e saiba mais
Clique e saiba mais
Clique e saiba mais

América Sports

Capacete Companhia

RM - Motocross Racing

Edgers Racing

RX Graphics

JPS Racing

Ohlins

DLua Racing

Toro Sports

Clique e saiba mais

> Competição > Mundial de Motocross

6ª etapa - Talavera de la Reina - Espanha
Publicado em: 11/05/2015

Antonio Cairoli vence seu primeiro GP na temporada, Valentin Guillod o primeiro na carreira
Redação MotoX.com.br: Lucídio Arruda – Fotos: Ray Archer / J. P. Acevedo / Divulgação


Max Nagl faz uma largada perfeita para dominar a primeira bateria

E já passamos do sexto GP na temporada, deixando para trás o primeiro terço do campeonato. Talavera de la Reina sediou a etapa com seu belo traçado, cheio de elevações e o tradicional piso duro da região na Espanha.

Veja também: Scrub Festival at Talavera - Especial fotográfico com as melhores entortadas da prova

Antonio Cairoli venceu seu primeiro GP da temporada, mas não diminuiu a distância para o líder na pontuação Max Nagl, que marcou os mesmos 45 pontos, como já ocorreu em outras ocasiões nesse ano. Na classe MX2, mais uma falha de Jeffrey Herlings permitiu a primeira vitória de um novo piloto, o suíço Valentin Guillod. Enretanto o holandês ainda ampliou sua margem no campeonato.


Romain Febvre e Max Nagl


Clement Desalle
O assunto do final de semana não poderia ser outro. Cairoli abandonou sua fiel KTM SX-F350, companheira de nada menos que cinco títulos, em favor da versão mais potente, de 450cc. Segundo o italiano, a mudança é definitiva e ele continuará a temporada com o motor maior. A razão apontada é que as pistas estariam menos técnicas e com mais trechos onde a cilindrada maior leva vantagem. O italiano disse que testou bastante a moto na pré-temporada, mas preferiu começar o campeonato com a 350cc pelo físico ainda não estar 100% e pela intimidade maior com a motocicleta.

Bom, como as pistas não mudaram tanto assim do ano passado para cá, eu acrescentaria ainda mais dois fatores na decisão do atual campeão:
1 - Os tempos de volta entre as duas máquinas devem permanecer similares, mas na hora de negociar uma ultrapassagem os 100cc a mais certamente contribuem.
2 - Esse ano as corridas estão cinco minutos mais curtas. Muitas vezes Cairoli papou os adversários nas voltas finais, momento onde os limites do preparo físico apareciam. Desgastados pela maior exigência da 450, eles pouco podiam reagir ao sprint final de Cairoli, que chegava ao momento decisivo ainda inteiro pela facilidade maior na tocada da 350cc. Essa vantagem da menor cilindrada deixou de existir pela mudança no regulamento de 2015.

Corridas

Em Talavera de la Reina, considerado um circuito de difícil ultrapassagem, uma boa largada é fundamental. Na primeira bateria, Max Nagl fez a largada perfeita, com Clement Desalle em segundo. Cairoli perdeu algum tempo atrás do australiano Dean Ferris antes de assumir a terceira posição.


Largada da segunda bateria. Cairoli assume o comando, mas teria muito trabalho com Romain Febvre


A "máfia" italiana ordena para Cairoli torcer o cabo
Daí em diante nada mudou na frente. Cairoli não se aproximou da dupla na disputa pela liderança, assim com Desalle também não chegou a ameaçar Nagl diretamente, apesar de não dar espaço para o alemão respirar. As brigas mais interessantes aconteceram um pouco mais atrás, mas até a metade da bateria os sete primeiros já estavam definidos. Romain Febvre foi o quarto, seguido de Gautier Paulin, Evgene Bobryshev e Tyla Rattray.

Segunda bateria

Na segunda corrida foi a vez de Cairoli encontrar a largada perfeita. Porém, ele não despachou a concorrência como podia-se prever. Na terceira volta, foi superado pelo novato Febvre e em vez de revidar adotou a estratégia de segui-lo de perto, cerca de dois segundos atrás. A estratégia deu resultado cinco voltas depois, quando Febvre deixou o motor de sua Yamaha apagar. Felizmente a moto de fábrica tem partida elétrica, mas isso não foi o suficiente para impedir a ultrapassagem de Cairoli, quando Febvre ainda estava parado.


Romain Febvre

Curiosamente, Cairoli cometeu o mesmo erro exatamente no mesmo ponto, mas o francês já havia perdido contato e não conseguiu se aproveitar da falha.

Não foi surpresa a tocada mais moderada de Nagl na segunda bateria. Ele perdeu algumas posições na largada e brigou com Bobryshev na primeira volta para assumir o quarto lugar. Em seguida passou ao terceiro lugar, quando Desalle caiu no salto de chegada. Daí para frente não forçou o ritmo para alcançar os ponteiros e preferiu cuidar de manter a posição e evitar riscos.


Evgeny Bobryshev


Concorrida sessão de autógrafos no centro da cidade
Nagl tem uma certa dificuldade com altas temperaturas. Em 2010, em Campo Grande (MS), desabou no chão após a chegada e só recuperou a compostura depois de muita água e um bom tempo sentado na terra vermelha. Ano passado, em Goiás, – onde venceu de maneira brilhante, diga-se de passagem – também deu sinais de exaustão antes da coletiva de imprensa, onde só faltou entrar dentro da geladeira. Não por acaso, seu pior desempenho esse ano foi justamente na Tailândia onde os GPs foram os mais quentes dos últimos anos, fato que fez a direção de prova encurtar o já reduzido tempo na segunda bateria em cinco minutos.

De qualquer forma o GP espanhol foi mais que positivo para Nagl que manteve os trinta pontos de vantagem sobre Cairoli e abriu mais sete em relação a Desalle, que de tombinho em tombinho assiste ao distanciamento do alemão.


Antonio Cairoli


Notas: interessante notar que a disputa entre as fábricas está bastante equilibrada esse ano, com os cinco ou seis primeiros em marcas diferentes nas baterias, fato que já ocorreu diversas vezes esse ano. Nesta etapa KTM, Husqvarna, Yamaha, Suzuki e Honda se alternaram nas primeiras posições antes da repetição de uma moto de mesma marca. Faltou a Kawasaki, que certamente estaria ali no pelotão da frente se Villopoto estivesse em condições de competir.

Tommy Searle sofreu uma queda semelhante no mesmo local onde caiu Desalle, mas o saldo para o britânico, que passou por cima do guidão, resultou em abandono da corrida.


Pódio MXGP


MX2 – Acelerem, Herlings errou!


Valentin Guillod tomou pedrada a bateria inteira de Dylan Ferrandis, mas prevaleceu nas voltas finais para conquistar seu primeiro GP


Compartilhando espaço: Herlings e Tonkov
Não há dúvidas que Jeffrey Herlings “sobra” na categoria MX2. Muita gente acha, inclusive, e podem me incluir aí, que ele está perdendo tempo na 250cc. Seu lugar seria batendo guidão com Cairoli e cia. Mas Herlings na MX2 se encaixa perfeitamente no plano de domínio global da KTM e o holandês pretende acumular títulos para, quem sabe um dia, igualar ou bater o recorde de seu chefe Stefan Everts, campeão mundial por 10 vezes.

Mas, apesar da superioridade, Herlings venceu “apenas” três dos seis GPs dessa temporada. Seus créditos com o anjo da guarda já baixaram bem em duas ocasiões esse ano. A primeira na Argentina, ao chocar-se no ar com o companheiro de equipe Pauls Jonass. A segunda agora, na Espanha, com uma escorregada espetacular logo antes de uma rampa de lançamento. Nas duas vezes Herlings saiu ileso, mas entregou a vitória a um adversário. Seu outro GP perdido foi em Trentino, por uma má largada e um desempenho fenomenal de Tim Gajser na segunda bateria.


Jeffrey Herlings

Com exceção da reta de largada, pouco há de manutenção na pista durante um GP. Mas o calor e a poeira obrigaram a organização a molhar a pista entre as baterias do evento que recebeu também três categorias do Campeonato Europeu. Água mole em pista dura forma aquela película espelhada em muitos pontos, um verdadeiro terror para os pilotos nas primeiras voltas de corrida.

E essa irrigação fez vítimas nas duas corridas da MX2. Notadamente, Herlings na segunda bateria. Apesar da queda espetacular, o holandês recuperou-se fora dos 20 primeiros para a sétima posição.


Dylan Ferrandis é o segundo no campeonato


Jordi Tixier
Um ponto a favor do terceiro título de Herlings, são as trapalhadas dos adversários que poderiam lhe roubar a taça. Dylan Ferrandis é o segundo na classificação, mas não consegue se aproveitar das falhas do líder. Na Holanda, uma “pezada” em Jonass lhe custou uma penalização de dez posições e um pódio certo. Na Espanha, abandonou a primeira bateria com um disco de freio quebrado. O francês liderou toda a segunda bateria até perder a ponta a duas voltas do fim, para a empolgação do suíço Valentin Guillod. Não bastasse isso, perdeu também o segundo posto na última volta para Tim Gajser. Assim Herlings ampliou ainda mais a vantagem na liderança que agora chega a 56 pontos. O terceiro na pontuação é Jonass a nada menos que 84 pontos, mais de três baterias.

Valentin Guillod

Depois de um sexto lugar na primeira bateria, é difícil largar na segunda corrida ainda pensando em vencer o GP, mas a classe MX2 continua bastante imprevisível e, com o equilíbrio e variabilidade dos resultados, tudo pode acontecer.


Valentin Guillod comemora a primeira vitória com o treinador Ives Demaria (esq.), antigo campeão mundial da MX3

“Trabalhamos duro nesses últimos dias porque as coisas não saiam como esperávamos e finalmente encontramos o acerto ideal aqui. Quando cruzei a chegada não sabia que tinha vencido o GP. Andei próximo do Dylan a prova toda e não conseguia a ultrapassagem. Procurei alternativas e finalmente consegui. Cheguei aqui esperando ficar entre os cinco primeiros, vencer foi fabuloso”, comentou Guillod, vencedor do GP com um sexto e um primeiro nas baterias.

O campeonato prossegue com o GP da Grã-Bretanha, dia 24 de Maio no circuito de Matterley Basin.

Vídeo Highlights



Resultados

P. Nr MXGP Nat. Bike Race 1 Race 2 Total
1 222 Cairoli, Antonio ITA KTM 20 25 45
2 12 Nagl, Maximilian GER HUS 25 20 45
3 461 Febvre, Romain FRA YAM 18 22 40
4 25 Desalle, Clement BEL SUZ 22 16 38
5 777 Bobryshev, Evgeny RUS HON 15 18 33
6 21 Paulin, Gautier FRA HON 16 14 30
7 28 Rattray, Tyla RSA KAW 14 13 27
8 22 Strijbos, Kevin BEL SUZ 13 10 23
9 121 Boog, Xavier FRA KAW 9 11 20
10 77 Lupino, Alessandro ITA HON 5 12 17
11 24 Simpson, Shaun GBR KTM 1 15 16
12 183 Frossard, Steven FRA KTM 11 4 15
13 23 Charlier, Christophe FRA HON 6 7 13
14 17 Butron, Jose ESP KTM 4 8 12
15 111 Ferris, Dean AUS HUS 7 5 12
16 47 Waters, Todd AUS HUS 12 0 12
17 100 Searle, Tommy GBR KTM 10 0 10
18 999 Goncalves, Rui POR HUS 0 9 9
19 259 Coldenhoff, Glenn NED SUZ 2 6 8
20 19 Philippaerts, David ITA YAM 8 0 8
21 9 de Dycker, Ken BEL KTM 3 3 6
22 149 Ullrich, Dennis GER SUZ 0 2 2
23 400 Yamamoto, Kei JPN HON 0 1 1

P. Nr MX2 Nat. Bike Race 1 Race 2 Total
1 92 Guillod, Valentin SUI YAM 15 25 40
2 84 Herlings, Jeffrey NED KTM 25 14 39
3 1 Tixier, Jordi FRA KAW 20 18 38
4 99 Anstie, Max GBR KAW 22 12 34
5 243 Gajser, Tim SLO HON 10 22 32
6 59 Tonkov, Aleksandr RUS HUS 16 13 29
7 41 Jonass, Pauls LAT KTM 18 11 29
8 33 Lieber, Julien BEL YAM 12 16 28
9 91 Seewer, Jeremy SUI SUZ 11 15 26
10 189 Bogers, Brian NED KTM 13 8 21
11 4 Ferrandis, Dylan FRA KAW 0 20 20
12 152 Petrov, Petar BUL KTM 8 10 18
13 172 Van doninck, Brent BEL YAM 14 2 16
14 18 Brylyakov, Vsevolod RUS HON 9 6 15
15 64 Covington, Thomas USA KAW 7 7 14
16 128 Monticelli, Ivo ITA KTM 5 5 10
17 51 Getteman, Jens BEL HON 0 9 9
18 6 Paturel, Benoit FRA YAM 6 3 9
19 95 Justs, Roberts LAT KTM 4 1 5
20 101 Zaragoza, Jorge ESP HON 0 4 4
21 922 Fors, Kevin BEL YAM 3 0 3
22 919 Watson, Ben GBR KTM 2 0 2
23 97 Ivanov, Maykal Grisha BUL HUS 1 0 1

Classificação Geral
P. Nr MXGP Nat. Bike Pts
1 12 Nagl, M. GER HUS 259
2 25 Desalle, C. BEL SUZ 247
3 222 Cairoli, A. ITA KTM 229
4 21 Paulin, G. FRA HON 208
5 461 Febvre, Romain FRA YAM 196
6 777 Bobryshev, E. RUS HON 171
7 2 Villopoto, R. USA KAW 124
8 24 Simpson, Shaun GBR KTM 114
9 47 Waters, Todd AUS HUS 104
10 28 Rattray, Tyla RSA KAW 95
11 259 Coldenhoff, G. NED SUZ 94
12 9 de Dycker, Ken BEL KTM 84
13 22 Strijbos, K. BEL SUZ 78
14 19 Philippaerts, D. ITA YAM 76
15 89 Van Horebeek, J. BEL YAM 75
16 39 Guarneri, D. ITA TM 70
17 183 Frossard, S. FRA KTM 57
18 111 Ferris, Dean AUS HUS 54
19 17 Butron, Jose ESP KTM 50
20 100 Searle, Tommy GBR KTM 49
21 23 Charlier, C. FRA HON 43
22 121 Boog, Xavier FRA KAW 34
23 999 Goncalves, Rui POR HUS 33
24 77 Lupino, A. ITA HON 30
25 11 Bengtsson, F. SWE HON 27
26 991 Watson, Nathan GBR HUS 12
27 40 Leok, Tanel EST KAW 9
28 177 Coates, Paul GBR YAM 7
29 400 Yamamoto, Kei JPN HON 6
30 20 Aranda, G. FRA KAW 5
31 120 Soubeyras, C. FRA YAM 4
32 149 Ullrich, D. GER SUZ 4
33 156 Heidecke, A. GER KTM 2
34 123 Hoshino, Y. JPN KTM 2
P. Nr MX2 Nat. Bike Pts
1 84 Herlings, J. NED KTM 261
2 4 Ferrandis, D. FRA KAW 205
3 41 Jonass, Pauls LAT KTM 177
4 243 Gajser, Tim SLO HON 169
5 92 Guillod, V. SUI YAM 169
6 59 Tonkov, A. RUS HUS 162
7 1 Tixier, Jordi FRA KAW 153
8 91 Seewer, Jeremy SUI SUZ 151
9 33 Lieber, Julien BEL YAM 149
10 99 Anstie, Max GBR KAW 123
11 64 Covington, T. USA KAW 116
12 189 Bogers, Brian NED KTM 109
13 152 Petrov, Petar BUL KTM 101
14 6 Paturel, B. FRA YAM 85
15 172 Van doninck, B. BEL YAM 72
16 18 Brylyakov, V. RUS HON 68
17 51 Getteman, Jens BEL HON 67
18 95 Justs, Roberts LAT KTM 62
19 128 Monticelli, I. ITA KTM 60
20 119 Pocock, Mel GBR KAW 36
21 274 Lundgren, A. SWE HUS 26
22 919 Watson, Ben GBR KTM 23
23 811 Sterry, Adam GBR KTM 20
24 300 Golovkin, V. RUS KTM 17
25 151 Kullas, Harri FIN SUZ 11
26 155 Otsuka, Gota JPN HON 10
27 29 Jacobi, Henry GER KTM 9
28 555 Guryev, Artem RUS KTM 7
29 338 Herbreteau, D. FRA KAW 6
30 93 Featherstone, G. GBR HON 5
31 922 Fors, Kevin BEL YAM 5
32 101 Zaragoza, J. ESP HON 4
33 71 Valente, C. SUI KTM 4
34 211 Jaulin, S. FRA HON 3
35 7 Graulus, Damon BEL YAM 2
36 97 Ivanov, M. BUL HUS 1
37 140 Booker, Jordan GBR KTM 1
38 171 Penjan, T. THA HON 1
39 556 Mallet, Simon FRA HON 1
40 117 Luzzardi, J. ARG HON 1









Vídeos MotoX Connect



Acompanhe o MotoX no Facebook

Curso MotoX Ric Raspa
Brasil Racing
JPS Racing

© 2000 - 2017 MotoX MX1 Internet