fechar
X Fechar
X Fechar

X Fechar
foto
Salvar nos Favoritos

X Fechar
foto
Clique e saiba mais
Clique e saiba mais
Clique e saiba mais
Clique e saiba mais
Clique e saiba mais
Clique e saiba mais
Clique e saiba mais

América Sports

Capacete Companhia

RM - Motocross Racing

Edgers Racing

RX Graphics

JPS Racing

Ohlins

DLua Racing

Toro Sports

> Competição > Mundial de Motocross

4ª etapa - Trentino - Itália
Publicado em: 20/04/2015

Max Nagl e Tim Gajser comandam primeira prova europeia da temporada
Redação MotoX.com.br: Lucídio Arruda - Fotos: Ray Archer/ J. P. Acevedo / Divulgação

Campeonato segue ainda mais apertado na classe MXGP


A importantíssima largada do circuito de Arco di Trento. Quem saiu na frente, levou.


Max Nagl, três vitórias em quatro GPs
Nos últimos anos, com o início itinerante do Mundial de Motocross rodando o globo, dizem que o campeonato só começa para valer na Europa. É uma meia-verdade, os pontos conquistados no Catar valem tanto quanto os que vierem na final em Glen Helen, EUA. O fato é que na Europa os times finalmente recompõem suas estruturas completas e voltam a se sentir em casa. Voltam também a encontrar os circuitos mais tradicionais onde já têm um vasto histórico de acerto dos equipamentos. Seria a partir daí que pilotos e máquinas voltam a mostrar todo o seu potencial após a fase de “aquecimento”. Mas o fato é que quem chegou ao quarto GP da temporada atrasado na disputa, terá dificuldade para recuperar terreno em relação ao trio líder na pontuação.

Corridas


Max Nagl

Após o sensacional GP da Patagônia na Argentina, o Mundial passou por mais um belíssimo circuito. A montanhosa região de Trentino, norte da Itália, compõe mais um cenário de fundo exuberante para as disputas. Tivemos embates espetaculares na MXGP e na MX2 o sloveno Tim Gajser mostrou que é possível bater Jeffrey Herlings, mesmo com o holandês na pista.

A primeira bateria da classe principal teve um embate excepcional pela vitória com Antonio Cairoli liderando um pelotão que tornou-se compacto após os dez minutos iniciais. Não é segredo para ninguém que a pista de Arco di Trento não está entre as preferidas do italiano. Ele não faz questão de esconder que que não gosta do circuito e nas últimas temporadas correu apenas burocraticamente para marcar pontos no campeonato. Não dessa vez. Cairoli se esforçou, tanto para (como disse) entregar uma vitória para a torcida em casa, como para dar uma resposta ao bom início de Clement Desalle, Max Nagl e Ryan Villopoto no campeonato.


Antonio Cairoli

Com o holeshot na primeira bateria, o atual campeão conseguiu controlar os adversários. Não foi nada fácil segurar Max Nagl. O alemão pressionou praticamente a corrida inteira e em certos momentos chegou a emparelhar com o italiano. Com sua 350cc, Cairoli optava quase sempre por um traçado defensivo, deixando as linhas mais embaladas para seus perseguidores munidos por 450cc.

Enquanto Nagl atacava Cairoli, Desalle – que salvou uma largada bem razoável apesar da 22ª escolha do gate – surpreendia Villopoto e assumia a terceira posição. Os quatro receberam a placa de última volta bem próximos e Cairoli tomou proveito de uma melhor negociação com os retardatários para ficar fora do alcance de Nagl, que recebeu a bandeirada espremido por Desalle. Villopoto chegou no pelotão, quatro segundos atrás de Cairoli.

Segunda bateria


Clement Desalle


Gautier Paulin
Na segunda bateria não teve para ninguém. Nagl fez o holeshot e em apenas duas voltas abriu cinco segundos em relação a Cairoli. Durante a bateria ele chegou a abrir 17 segundos, numa condição que a turma atrás também acelerava tudo pela segunda posição. Isso diz muito sobre o casamento de Nagl com a Husqvarna. Parece que ambos encontraram suas cara-metades.

Villopoto pressionou Cairoli por várias voltas até que precisou se preocupar com Desalle. O italiano teve então, finalmente, algum refresco para respirar. Quando Desalle armava o bote em cima do norte-americano, Villopoto sofreu uma das quedas mais inusitadas do campeonato: simplesmente virou para trás em plena reta do pit lane!

A razão da queda, que do lado de fora pode ser classificada como de iniciante, só a turma do lado de dentro é que sabe. Villopoto pode ter sido traído pela eletrônica de sua Kawasaki KRT, como pode simplesmente ter se desesperado pela iminência de sofrer mais uma ultrapassagem, algo que raramente aconteceu durante sua carreira nos EUA.


Ryan Villopoto

Depois da bela “rolada” o piloto terminou o acidente já de pé, mas sentiu a pancada. Nem mesmo esboçou voltar para a prova. Villopoto deixou a pista caminhando, mas demonstrando alguma dor. Apesar dos exames iniciais na pista não indicarem nenhuma fratura, o piloto passaria por mais exames nessa segunda-feira.

A queda deixou claro algo que está visível para o público apaixonado: a falta de intimidade entre Villopoto e sua nova Kawasaki. Apesar de ser a mesma marca que defendeu por toda a sua carreira nos Estados Unidos, as diferenças da KRT (Europa) para as KMC (EUA) não são poucas. No Mundial praticamente não há restrições mecânicas ou eletrônicas, as fábricas podem alinhar com máquinas 100% protótipos, sem um parafuso em comum com as motos de linha, enquanto nos EUA quadro, balança traseira e carcaças e medidas do motor devem ser exatamente as mesmas disponíveis ao público.



Naturalmente o estilo de Villopoto é mais agressivo que o de seus adversários na Europa, mas aparentemente ele está usando muito mais força que de costume na pilotagem. As empinadas em saídas de curva e até mesmo em retas – como a que resultou na queda – são frequentes, enquanto se observa uma maior fluidez e suavidade na tocada do trio Cairoli, Nagl, Desalle.

Bom, mas voltando à corrida, Desalle, na terceira posição, comprou terreno algumas curvas depois e perdeu o posto (e pontos preciosos) para o francês Romain Febvre, até agora o melhor novato na categoria.



Com o resultado a liderança de Desalle na pontuação caiu para apenas um pontinho. Nagl e Cairoli já estão fungando em seu cangote.


Romain Febvre


Nagl pressionando Cairoli na primeira bateria
Com vitórias em três de quatro GPs, Nagl solidifica sua posição de favorito: “A pista é difícil de ultrapassar, na primeira bateria era possível, mas teria de jogar sujo, algo que eu não quis. Na segunda corrida fiz uma boa largada e pude correr no meu ritmo. Foi um trabalho duro da equipe que melhorou muito o acerto de sábado para domingo.”

Cairoli: “Lógico, queria dar essa vitória para os fãs, mas foi um resultado bem melhor que tive aqui em anos anteriores”. Apesar do italiano não ter vencido nenhum GP até agora, em duas das vitórias de Nagl foram pelo critério de desempate (melhor resultado na segunda bateria). Quer dizer, em termos de pontos no campeonato as provas tiveram o mesmo significado para ambos.

Desalle: “Na segunda corrida, por algum motivo, minha bota abriu e uma grande pedra veio parar dentro. Estava em terceiro e cometi um erro sozinho, mas não foi um mau resultado considerando o acidente que tivemos no sábado.”


Essa turma está se acostumando a comemorar

MX2 – Gajser conquista sua primeira vitória


Largada MX2


Largada MX2
E empatada também foi a pontuação entre os primeiros na MX2. Jeffrey Herlings comandou a primeira bateria como de costume. Não perdeu tempo para assumir a liderança já na segunda volta e disparar na frente.

Gajser saiu em sétimo na primeira corrida e alçou o segundo posto na exata metade da bateria após uma árdua batalha com o atual campeão Jordi Tixier, que voltou após uma prova de suspensão pelo incidente na Tailândia.

Na segunda bateria a situação se inverteu, Gajser começou na frente e Herlings no bolo, mas não muito atrás, cruzou a primeira volta na sexta posição. Herlings avançou como esperado. Perdeu algum tempo com o francês Benoit Pasturel e depois com Tixier. Quando assumiu a segunda posição na nona de 19 voltas a vantagem de Gajser era de 8 segundos.


Jeffrey Herlings


Tim Gajser
Em algumas voltas a diferença caia ao redor de meio segundo, em outras não caia... Gajser colocou um ritmo que poucos fariam no exigente e liso circuito de Trentino e dificultou as coisas para o favorito. Na última volta a diferença era de cerca de um segundo, Herlings ligou o “modo turbo” e partiu para cima, mas em umas das saídas de curva o controle de tração não foi suficiente para segurar a moto e Herlings foi ao chão. Manteve o segundo posto, enquanto o piloto da Honda correu para a galera. Uma torcida uniformizada aguardava o piloto da Honda após a bandeirada.

Gajser é o primeiro esloveno a vencer uma etapa do Campeonato Mundial. No próximo final de semana teremos o GP da Europa, no arenoso circuito de Valkenswaard, Holanda.


Vídeo Highlights



Resultados

P Nr MXGP Nat. Bike Race 1 Race 2 Total
1 12 Nagl, Maximilian GER HUS 22 25 47
2 222 Cairoli, Antonio ITA KTM 25 22 47
3 25 Desalle, Clement BEL SUZ 20 18 38
4 461 Febvre, Romain FRA YAM 14 20 34
5 21 Paulin, Gautier FRA HON 16 16 32
6 777 Bobryshev, Evgeny RUS HON 13 15 28
7 9 de Dycker, Ken BEL KTM 12 14 26
8 39 Guarneri, Davide ITA TM 10 12 22
9 19 Philippaerts, David ITA YAM 8 13 21
10 24 Simpson, Shaun GBR KTM 9 11 20
11 2 Villopoto, Ryan USA KAW 18 0 18
12 47 Waters, Todd AUS HUS 6 10 16
13 100 Searle, Tommy GBR KTM 7 8 15
14 89 Van Horebeek, Jeremy BEL YAM 15 0 15
15 259 Coldenhoff, Glenn NED SUZ 11 3 14
16 999 Goncalves, Rui POR HUS 1 9 10
17 11 Bengtsson, Filip SWE HON 4 6 10
18 77 Lupino, Alessandro ITA HON 0 7 7
19 111 Ferris, Dean AUS HUS 3 4 7
20 20 Aranda, Gregory FRA KAW 0 5 5
21 23 Charlier, Christophe FRA HON 5 0 5
22 120 Soubeyras, Cedric FRA YAM 2 2 4
23 40 Leok, Tanel EST KAW 0 1 1

P Nr MX2 Nat. Bike Race 1 Race 2 Total
1 243 Gajser, Tim SLO HON 22 25 47
2 84 Herlings, Jeffrey NED KTM 25 22 47
3 1 Tixier, Jordi FRA KAW 20 20 40
4 4 Ferrandis, Dylan FRA KAW 16 18 34
5 99 Anstie, Max GBR KAW 18 14 32
6 91 Seewer, Jeremy SUI SUZ 14 15 29
7 92 Guillod, Valentin SUI YAM 15 13 28
8 6 Paturel, Benoit FRA YAM 9 16 25
9 172 Van doninck, Brent BEL YAM 10 11 21
10 33 Lieber, Julien BEL YAM 11 10 21
11 41 Jonass, Pauls LAT KTM 12 9 21
12 189 Bogers, Brian NED KTM 3 12 15
13 128 Monticelli, Ivo ITA KTM 5 8 13
14 152 Petrov, Petar BUL KTM 7 6 13
15 59 Tonkov, Aleksandr RUS HUS 13 0 13
16 95 Justs, Roberts LAT KTM 6 4 10
17 29 Jacobi, Henry GER KTM 2 7 9
18 18 Brylyakov, Vsevolod RUS HON 8 0 8
19 64 Covington, Thomas USA KAW 0 5 5
20 919 Watson, Ben GBR KTM 4 0 4
21 274 Lundgren, Anton SWE HUS 0 3 3
22 211 Jaulin, Sullivan FRA HON 1 2 3
23 556 Mallet, Simon FRA HON 0 1 1

Classificação Geral
P Nr MXGP Nat. Bike Total
1 25 Desalle, C. BEL SUZ 171
2 12 Nagl, M. GER HUS 170
3 222 Cairoli, A. ITA KTM 170
4 461 Febvre, Romain FRA YAM 129
5 21 Paulin, G. FRA HON 128
6 2 Villopoto, R. USA KAW 124
7 777 Bobryshev, E. RUS HON 100
8 47 Waters, Todd AUS HUS 78
9 89 Van Horebeek, J. BEL YAM 75
10 39 Guarneri, D. ITA TM 70
11 24 Simpson, Shaun GBR KTM 67
12 259 Coldenhoff, G. NED SUZ 61
13 19 Philippaerts, D. ITA YAM 59
14 22 Strijbos, K. BEL SUZ 55
15 9 de Dycker, Ken BEL KTM 53
16 28 Rattray, Tyla RSA KAW 40
17 183 Frossard, S. FRA KTM 32
18 17 Butron, Jose ESP KTM 29
19 111 Ferris, Dean AUS HUS 28
20 23 Charlier, C. FRA HON 27
21 999 Goncalves, Rui POR HUS 24
22 100 Searle, Tommy GBR KTM 20
23 11 Bengtsson, F. SWE HON 15
24 991 Watson, Nathan GBR HUS 12
25 77 Lupino, A. ITA HON 7
26 177 Coates, Paul GBR YAM 7
27 20 Aranda, G. FRA KAW 5
28 400 Yamamoto, Kei JPN HON 5
29 120 Soubeyras, C. FRA YAM 4
30 123 Hoshino, Y. JPN KTM 2
31 40 Leok, Tanel EST KAW 1
P Nr MX2 Nat. Bike Total
1 84 Herlings, J. NED KTM 172
2 4 Ferrandis, D. FRA KAW 159
3 41 Jonass, Pauls LAT KTM 133
4 243 Gajser, Tim SLO HON 126
5 33 Lieber, Julien BEL YAM 101
6 92 Guillod, V. SUI YAM 101
7 91 Seewer, Jeremy SUI SUZ 99
8 59 Tonkov, A. RUS HUS 95
9 64 Covington, T. USA KAW 86
10 1 Tixier, Jordi FRA KAW 75
11 152 Petrov, Petar BUL KTM 70
12 99 Anstie, Max GBR KAW 67
13 6 Paturel, B. FRA YAM 60
14 189 Bogers, Brian NED KTM 57
15 128 Monticelli, I. ITA KTM 45
16 95 Justs, Roberts LAT KTM 44
17 18 Brylyakov, V. RUS HON 42
18 119 Pocock, Mel GBR KAW 36
19 51 Getteman, Jens BEL HON 36
20 172 Van doninck, B. BEL YAM 33
21 274 Lundgren, A. SWE HUS 26
22 811 Sterry, Adam GBR KTM 20
23 919 Watson, Ben GBR KTM 19
24 300 Golovkin, V. RUS KTM 17
25 155 Otsuka, Gota JPN HON 10
26 29 Jacobi, Henry GER KTM 9
27 555 Guryev, Artem RUS KTM 7
28 338 Herbreteau, D. FRA KAW 6
29 93 Featherstone, G. GBR SUZ 5
30 71 Valente, C. SUI HUS 4
31 211 Jaulin, S. FRA HON 3
32 7 Graulus, Damon BEL YAM 2
33 171 Penjan, T. THA HON 1
34 556 Mallet, Simon FRA HON 1
35 117 Luzzardi, J. ARG HON 1










Vídeos MotoX Connect



Acompanhe o MotoX no Facebook

Curso MotoX
Brasil Racing
JPS Racing

© 2000 - 2017 MotoX MX1 Internet