fechar
X Fechar
X Fechar

X Fechar
foto
Salvar nos Favoritos

X Fechar
foto
Clique e saiba mais
Clique e saiba mais
Clique e saiba mais
Clique e saiba mais
Clique e saiba mais
Clique e saiba mais
Clique e saiba mais

América Sports

Capacete Companhia

RM - Motocross Racing

Edgers Racing

RX Graphics

JPS Racing

Ohlins

DLua Racing

Toro Sports

Clique e saiba mais

> Competição > Mundial de Motocross

3ª etapa - Neuquen - Argentina
Publicado em: 29/03/2015

Max Nagl vence pela segunda vez na temporada em um dos melhores GPs dos últimos tempos
Redação MotoX.com.br: Lucídio Arruda - Fotos: Ray Archer / JP Acevedo /Divulgação

Parece que nossos hermanos argentinos descobriram a fórmula para um GP de Motocross de sucesso. A chave principal não é nenhum segredo, indica que o melhor lugar para fazer uma etapa do mundial é, quem diria, uma pista de MOTOCROSS!


Assim foi na cidade de Villa la Angostura, província de Neuquén, localizada na Patagônia. Um circuito belíssimo e muito interessante, que arrancou elogios praticamente de todos os pilotos. Deixem os autódromos e estacionamentos de shoppings para suas atividades primárias. O Mundial de Motocross precisa dar um passo de volta em direção às suas origens onde o palco seja o principal fator do espetáculo, não somente a estrutura ao seu redor.

A pista não era exatamente um traçado natural, longe disso. Muitos obstáculos artificiais, as já tradicionais “ondas” e seções de encaixe, mas aproveitou muito bem o relevo local e o piso de areia preta sobre base dura. Não precisou de nenhum salto gigante de 40 metros para proporcionar um dos melhores espetáculos das temporadas recentes. O público argentino, um apaixonado de carteirinha dos esportes a motor, lotou as encostas da pista mesmo com o frio e chuva intermitente, preenchendo o bucólico cenário local. Melhor que isso só equipando os principais pilotos com motos 2 tempos...


Max Nagl conquistou a segunda vitória na temporada

Classificatórias


Villopoto e Cairoli após a classificatória de sábado
No sábado tivemos o primeiro duelo mano a mano da temporada entre Antonio Cairoli e Ryan Villopoto, para a alegria do público. Território neutro, pista inédita para todos os principais pilotos. Cairoli fez o holeshot enquanto o norte-americano completou a primeira volta na sétima posição. O belga Clement Desalle caiu na segunda volta quando ocupava a quarta posição.

Villopoto veio ultrapassando todos os adversários até encostar em Cairoli a três voltas do fim. Os dois passaram a placa de última volta praticamente juntos, mas Cairoli buscou todas as suas reservas de velocidade e abriu 1,5 segundo na última volta em meio a vibração do público argentino. Desconfio que se fosse outro piloto, Cairoli simplesmente deixaria passar...

Na MX2 Jeffrey Herlings dominou com facilidade colocando 22 segundos de vantagem sobre seu companheiro de equipe Pauls Jonass.

Corridas


Clement Desalle continua com a liderança na pontuação

O domingo amanheceu mais frio e com o tempo chuvoso, embora o Sol desse as caras vez ou outra. Teríamos mais um duelo Cairoli x Villopoto? Quem roubou a cena foi o belga Desalle que tomou a liderança após o holeshot de Shaun Simpson. Ao final da primeira volta a ordem era a seguinte: Desalle, Cairoli, Simpson, Villopoto, Jeremy van Horebeek e Romain Febvre.

Villopoto encontrou no britânico Simpson um osso duro de roer. Foram duas voltas com várias trocas de posição até que Simpson errou e deixou Villopoto escapar. A diferença do norte-americano para os dois ponteiros, entretanto, não diminuiu. Poucas voltas depois ele perdeu a posição para Max Nagl.


Ryan Villopoto

Cairoli teve duas chances para superar Desalle. Na metade da bateria o italiano fez a ultrapassagem por fora para levar o troco logo em seguida. Baixou as armas e recuou para voltar à carga nas voltas finais. Começou a última volta novamente na roda traseira da Suzuki e com a torcida do público. Mas errou na entrada de um salto e foi ao chão com certa violência (confira abaixo nos vídeos). Dessale teve a tranquilidade de volta para percorrer as últimas curvas do circuito enquanto Cairoli levantava e se defendia de Nagl. Villopoto cruzou a 20 segundos do líder. O russo Evgeny Bobryshev foi o quinto colocado.

Segunda bateria


Antonio Cairoli


Jeremy van Horebeek
Com 38 participantes, um dos gates mais cheios da categoria principal nos últimos anos, tivemos mais uma bela largada com muita gente emparelhada na longa curva à esquerda. A sequência na primeira passagem era quase uma continuação da primeira bateria: Desalle, Cairoli, Nagl, Horebeek e Villopoto.

Horebeek lutou para segurar o norte-americano, mas Villopoto completou a ultrapassagem na segunda volta. Com os quatro principais pilotos na frente e bem próximos, o ritmo foi acelerado nessa fase inicial. O destaque foi Max Nagl que passou Cairoli na segunda volta sem muita dificuldade e se aproximou rapidamente de Desalle.

O alemão marcou a volta mais rápida da bateria com 1:49,159 e, embora os cinco primeiros tenham rodado em tempos próximos, destacou-se por errar menos no terreno já deteriorado. Depois de algumas tentativas já tinha tomado a ponta das mãos de Desalle na sétima volta.

Após a metade da bateria Cairoli apertou o passo para também superar Desalle enquanto Nagl se destacava na frente com cerca de oito segundos de folga.


Pódio MXGP


Romain Febvre
A corrida voltou a esquentar na fase final, quando pressionado pelos pilotos Yamaha Horebeek e Febvre, Villopoto forçou o ritmo e por consequência encostou em Desalle. O belga por sua vez fez o mesmo e se aproximou de Cairoli. Entre os seis primeiros ninguém pôde relaxar nas voltas finais, foi realmente uma escola de pilotagem no limite, apesar das posições não se alterarem mais até a bandeirada.

Nagl comemorou a vitória na segunda bateria com sua equipe nos pits, mas só descobriu ser o vencedor do GP na entrevista oficial com Lisa Leyland.

Max Nagl: “Na primeira corrida fui empurrado para fora na primeira curva e cai para aproximadamente 11º, então foi satisfatório recuperar-me até o terceiro lugar. Na segunda corrida, apesar de meu motor apagar na placa de 5 segundos, eu ainda consegui o holeshot (ndr: viva a partida elétrica). Na sétima volta tomei a liderança e me senti num ritmo confortável para vencer. Com duas vitórias em três etapas distantes, estou muito animado para retornar à Europa para o próximo GP na Itália.”

Clement Desalle: “Fico feliz por mais um bom resultado, um pouco desapontado porque, óbvio, queria vencer o GP. Fiz boas largadas hoje e liderei toda a primeira bateria. Max foi rápido na segunda e eu cometi alguns erros. Me concentrei no final e pude encostar no Antonio nas voltas finais. Villopoto também não estava longe.”


Coletiva de Imprensa


Max Nagl
Cairoli, que reclamou um pouco da altitude e da asma no sábado, comentou suas corridas de domingo: “Me senti bem, minha condição estava melhor. Passei Clement mas ele me passou de volta na primeira bateria. Na queda na última volta bati minha cabeça com força. Na segunda corrida larguei entre os cinco, mas Max estava muito bem e mereceu a vitória nesse GP. Nós precisamos trabalhar melhor. Não estou completamente na minha melhor forma, mas tudo está saindo dentro do esperado.

Nota: Presença ilustre no paddock com o campeão mundial de MotoGP Casey Stoner. O australiano tornou-se muito amigo de Ryan Villopoto e desde 2014 tem o acompanhado em algumas provas. Aproveitou a etapa argentina para torcer pelo amigo e pescar pela Patagônia.

Nota 2: Por onde anda Gautier Paulin? O francês da Honda fez provas apagadas até agora com o melhor resultado sendo a terceira posição na segunda bateria no Catar. Ocupa a quinta colocação na classificação geral, o que não é de todo mal, mas ainda não participou das disputas por vitória, onde sua presença é aguardada.


Gautier Paulin

Desalle mantém o number plate vermelho após a terceira etapa. Nagl e Cairoli estão empatados pela segunda posição, dez pontos atrás. Villopoto é  quarto colocado. Interessante notar as seis marcas diferentes nas seis primeiras posições do campeonato.

MX2 – Ferrandis conquista seu primeiro GP


Largada MX2


Pauls Jonass
Na classe MX2 temos Jeffrey Herlings e os outros. Basicamente, para alguém do grupo dos outros vencer, é preciso acontecer alguma coisa com o holandês. E na Argentina aconteceu. Herlings decolou errado num salto logo após a largada e abandonou a primeira bateria com a motocicleta danificada. Teve sorte de não ser atropelado e depois de algum gelo no tornozelo durante o intervalo, pôde retornar na segunda bateria.

Com a porta aberta na primeira corrida, o francês Dylan Ferrandis foi o destaque. Perdeu a liderança para um encardido Pauls Jonass por três voltas, mas depois a recuperou e administrou a liderança até a bandeirada. Temporariamente o francês assumiu também a liderança na pontuação


Dylan Ferrandis

Na fase final da bateria tivemos uma boa disputa pelo terceiro lugar entre Max Anstie e Julien Lieber, terceiro e quarto colocados. Jeremy Seewer foi o quinto colocado.

Na segunda bateria, com Herlings de volta, o resultado foi o esperado para o bicampeão da KTM que tomou a ponta no início e não olhou mais para trás.


Jeremy Seewer


Primeira vitória de Dylan Ferrandis
Ferrandis foi novamente o showman e foco das atenções. Caiu na segunda quando era terceiro e foi parar na sexta posição. Fez uma recuperação interessante cujo destaque foi a batalha contra Aleksandr Tonkov. O russo deu todo o seu sangue na defesa da posição e acabou caindo bem em frente a Ferrandis, que conseguiu escapar de outra queda graças aos reflexos em dia e alguma sorte.

A batalha com o jovem Jonass não se repetiu. Ferrandis o alcançou na parte final da corrida, onde pareceu que o piloto da Letônia já não tinha muito gás para brigar. Com o segundo lugar, o francês comemorou sua primeira vitória nos GPs. Seewe foi novamente o quarto colocado e subiu ao pódio na terceira posição. O único participante brasileiro na etapa foi Kioman Muñoz, 29º e 27º nas baterias da categoria.


Pódio MX2

Na classificação do campeonato Herlings e Ferrandis estão empatados com 125 pontos.

Vídeos









Resultados

P. Nr MXGP Nat. Bike Race 1 Race 2 Total
1 12 Nagl, Maximilian GER HUS 20 25 45
2 25 Desalle, Clement BEL SUZ 25 20 45
3 222 Cairoli, Antonio ITA KTM 22 22 44
4 2 Villopoto, Ryan USA KAW 18 18 36
5 21 Paulin, Gautier FRA HON 15 14 29
6 89 Van Horebeek, Jeremy BEL YAM 12 16 28
7 461 Febvre, Romain FRA YAM 13 15 28
8 777 Bobryshev, Evgeny RUS HON 16 11 27
9 47 Waters, Todd AUS HUS 10 12 22
10 259 Coldenhoff, Glenn NED SUZ 7 13 20
11 39 Guarneri, Davide ITA TM 11 9 20
12 9 de Dycker, Ken BEL KTM 9 10 19
13 23 Charlier, Christophe FRA HON 14 5 19
14 183 Frossard, Steven FRA KTM 8 8 16
15 991 Watson, Nathan GBR HUS 5 7 12
16 24 Simpson, Shaun GBR KTM 6 3 9
17 19 Philippaerts, David ITA YAM 1 6 7
18 28 Rattray, Tyla RSA KAW 4 1 5
19 111 Ferris, Dean AUS HUS 0 4 4
20 17 Butron, Jose ESP KTM 2 2 4
21 11 Bengtsson, Filip SWE HON 3 0 3

Pos Nr MX2 Nat. Bike Race 1 Race 2 Total
1 4 Ferrandis, Dylan FRA KAW 25 22 47
2 41 Jonass, Pauls LAT KTM 22 20 42
3 91 Seewer, Jeremy SUI SUZ 16 16 32
4 64 Covington, Thomas USA KAW 14 14 28
5 243 Gajser, Tim SLO HON 9 18 27
6 59 Tonkov, Aleksandr RUS HUS 11 15 26
7 84 Herlings, Jeffrey NED KTM 0 25 25
8 811 Sterry, Adam GBR KTM 10 10 20
9 99 Anstie, Max GBR KAW 20 0 20
10 189 Bogers, Brian NED KTM 6 13 19
11 33 Lieber, Julien BEL YAM 18 0 18
12 152 Petrov, Petar BUL KTM 7 9 16
13 6 Paturel, Benoit FRA YAM 13 3 16
14 18 Brylyakov, Vsevolod RUS HON 8 7 15
15 92 Guillod, Valentin SUI YAM 15 0 15
16 919 Watson, Ben GBR KTM 5 8 13
17 128 Monticelli, Ivo ITA KTM 0 12 12
18 172 Van doninck, Brent BEL YAM 12 0 12
19 51 Getteman, Jens BEL HON 0 11 11
20 95 Justs, Roberts LAT KTM 3 6 9
21 274 Lundgren, Anton SWE HUS 4 5 9
22 338 Herbreteau, David FRA KAW 2 4 6
23 300 Golovkin, Viacheslav RUS KTM 1 2 3
24 117 Luzzardi, Juan Pablo ARG HON 0 1 1

Classificação Geral

P Nr MXGP Nat. Bike Pts
1 25 Desalle, C. BEL SUZ 133
2 12 Nagl, M. GER HUS 123
3 222 Cairoli, A. ITA KTM 123
4 2 Villopoto, R. USA KAW 106
5 21 Paulin, G. FRA HON 96
6 461 Febvre, Romain FRA YAM 95
7 777 Bobryshev, E. RUS HON 72
8 47 Waters, Todd AUS HUS 62
9 89 Van Horebeek, J. BEL YAM 60
10 22 Strijbos, K. BEL SUZ 55
11 39 Guarneri, D. ITA TM 48
12 24 Simpson, Shaun GBR KTM 47
13 259 Coldenhoff, G. NED SUZ 47
14 28 Rattray, Tyla RSA KAW 40
15 19 Philippaerts, D. ITA YAM 38
16 183 Frossard, S. FRA KTM 32
17 17 Butron, Jose ESP KTM 29
18 9 de Dycker, Ken BEL KTM 27
19 23 Charlier, C. FRA HON 22
20 111 Ferris, Dean AUS HUS 21
21 999 Goncalves, Rui POR HUS 14
22 991 Watson, Nathan GBR HUS 12
23 177 Coates, Paul GBR YAM 7
24 100 Searle, Tommy GBR KTM 5
25 400 Yamamoto, Kei JPN HON 5
26 11 Bengtsson, F. SWE HON 5
27 123 Hoshino, Y. JPN KTM 2
P Nr MX2 Nat. Bike Pts
1 84 Herlings, J. NED KTM 125
2 4 Ferrandis, D. FRA KAW 125
3 41 Jonass, Pauls LAT KTM 112
4 59 Tonkov, A. RUS HUS 82
5 64 Covington, T. USA KAW 81
6 33 Lieber, Julien BEL YAM 80
7 243 Gajser, Tim SLO HON 79
8 92 Guillod, V. SUI YAM 73
9 91 Seewer, Jeremy SUI SUZ 70
10 152 Petrov, Petar BUL KTM 57
11 189 Bogers, Brian NED KTM 42
12 119 Pocock, Mel GBR KAW 36
13 51 Getteman, Jens BEL HON 36
14 99 Anstie, Max GBR KAW 35
15 1 Tixier, Jordi FRA KAW 35
16 6 Paturel, B. FRA YAM 35
17 95 Justs, Roberts LAT KTM 34
18 18 Brylyakov, V. RUS HON 34
19 128 Monticelli, I. ITA KTM 32
20 274 Lundgren, A. SWE HUS 23
21 811 Sterry, Adam GBR KTM 20
22 300 Golovkin, V. RUS KTM 17
23 919 Watson, Ben GBR KTM 15
24 172 Van doninck, B. BEL YAM 12
25 155 Otsuka, Gota JPN HON 10
26 555 Guryev, Artem RUS KTM 7
27 338 Herbreteau, D. FRA KAW 6
28 93 Featherstone, G. GBR SUZ 5
29 71 Valente, C. SUI HUS 4
30 7 Graulus, Damon BEL YAM 2
31 171 Penjan, T. THA HON 1
32 117 Luzzardi, J. ARG HON 1








Vídeos MotoX Connect



Acompanhe o MotoX no Facebook

Curso MotoX Ric Raspa
Brasil Racing
JPS Racing

© 2000 - 2017 MotoX MX1 Internet