X Fechar
foto

X Fechar
foto
Clique e saiba mais
Clique e saiba mais
Clique e saiba mais
Clique e saiba mais
Clique e saiba mais
Clique e saiba mais
Clique e saiba mais


>Competição > Motocross Internacional

2ª etapa - Latino Americano MX2 - Detalhes do evento
Publicado em: 14/08/2011
Clique e saiba mais

Competição desembarcou no Brasil onde definirá seu campeão
Redação MotoX.com.br - Texto e fotos: Maurício Arruda

Jorge Balbi conquistou dupla vitória em Rondônia. Jetro Salazar, representante do Peru, vai para a última prova na liderança do campeonato
 

Largada da segunda bateria em Rondônia


Veja também: Galeria de Imagens da Prova com 495 Fotos!
Após duas rodadas os brasileiros não lideram o Campeonato Latino-Americano de Motocross MX2 2011, mas o saldo na segunda etapa da temporada foi positivo para os nossos representantes. A competição desembarcou em solo nacional no primeiro final de semana de agosto, quando foi realizado o tradicional evento de Rondônia, neste ano na cidade de Pimenta Bueno. A prova que definirá o campeão também deverá ser no Brasil, durante o mês de outubro, em Brasília, DF.

A primeira etapa da temporada foi realizada no Equador e contou com a participação de apenas dois brasileiros, o paulista Thales Vilardi e o sergipano Rodrigo 'Lama' Santos. Destes dois, apenas Thales competiu novamente na prova rondoniense, onde ele esteve ao lado de outros 18 brasileiros, além de pilotos de Peru, Venezuela, Argentina, Equador, Guatemala e México. Quem segue na ponta do campeonato é Jetro Salazar, representante do Peru que há pelo menos três temporadas persegue o título continental.


Jorge Balbi venceu as duas baterias da segunda etapa


Thales Vilardi, segundo colocado na etapa, é o brasileiro melhor classificado no campeonato com a terceira posição
Quem se destacou em Rondônia foi Jorge Balbi, que garantiu dupla vitória nas baterias. Apesar do desempenho animador, que lhe rendeu também o quinto lugar na classificação do campeonato, o mineiro ainda não confirmou presença na etapa final. Assim a maior esperança de título para o Brasil segue com Thales Vilardi, que garantiu o segundo lugar na etapa, mesmo sem reduzir a distância na tabela para Salazar, que somou tantos pontos quanto o brasileiro, mas fechou a rodada em terceiro devido ao maior peso da segunda bateria. Thales pulou do quinto para o terceiro lugar do Latino, e agora precisa descontar 13 pontos de Salazar e 4 do equatoriano Andres Benenaula, seus principais adversários na disputa pra ser campeão. Cinquenta pontos ainda estão em jogo.

Pouco antes da primeira largada, a chuva chegou em Pimenta Bueno mudando completamente a condição do circuito. Após a largada da bateria inicial em Rondônia, o público assistiu o local Rodrigo Selhorst em grande performance. O piloto, dono de um título nacional, mas que já não participa do circuito brasileiro há praticamente três anos, foi a grande atração do início de prova, puxando o pelotão.


Jetro Salazar irá para a etapa decisiva na liderança do Latino


Andres Benenaula é o vice-líder da temporada
Atrás de Selhorst, Jetro Salazar, Jorge Balbi, Thales Vilardi e Raimundo Trasolini ocupavam os primeiros lugares. O primeiro a deixar o grupo foi Thales, que caiu e teve de iniciar novo trabalho para recuperar posições. Apesar do terreno arenoso, o circuito ainda estava pesado nas primeiras voltas, exigindo muito cuidado.

Após algumas voltas na frente, Selhorst foi superado. Balbi pulou do terceiro ao primeiro lugar em um único giro e deste momento em diante teve o comando da corrida. "Não tivemos tempo para muitas mudanças no ajuste da moto", explicou o piloto da Pro Tork, surpreendido pela chuva como todos os demais. A àgua foi um tempero extra à corrida, deixou o ótimo circuito preparado por Tião Hot ainda mais exigente. As quedas aumentaram e consequentemente as mudanças na classificação.



Cézar Zamboni foi o quarto colocado na soma das baterias
O segundo lugar definiu-se apenas na última volta, quando Rodrigo Selhorst retomou a posição. Raimundo Trasolini deu adeus as suas chances de defesa de título com uma queda que lhe derrubou da briga pelo segundo posto ao 11º lugar. Salazar manteve o controle sobre o campeonato com a terceira colocação. O quarto lugar também teve mudança na volta final, quando Thales Vilardi garantiu a posição superando Carlos Eduardo Franco. O sexto colocado foi Hugo Amaral em uma apresentação consistente. O equatoriano Andres Benenaula, vice-líder do campeonato, não conseguiu mais do que a oitava colocação, completando atrás de seu conterrâneo Felipe Espinosa.

Na segunda bateria a pista estava mais seca e veloz. Os pilotos não sofreram com a lama como na primeira corrida, a visibilidade melhorou e os tempos baixaram de volta baixaram em quase . Desta vez Jorge Balbi assumiu a frente desde o começo, com Trasolini em segundo, Salazar em terceiro e Selhorst em quarto. O piloto de Rondônia sentiu o desgaste e acabou abandonando a bateria pouco depois da metade.

Balbi não teve dificuldades, novamente dominou, abrindo ainda mais vantagem nesta corrida. Feliz com a conquista, o mineiro não poupou elogios ao circuito. "Adoro areia. A pista estava excelente, foi a melhor que andei nesta temporada", afirmou.


Carlos Franco completou o pódio, em quinto

A grande surpresa foi o desempenho de Cézar Zamboni. O jovem matogrossense ganhou posições durante a prova e finalizou a bateria em segundo. "Minha pista lembra muito essa, é de areia e cheia de saltos duplos, triplos. Acho que isso ajudou o meu desempenho", contou.

O terceiro lugar teve disputa até os momentos finais. Thales Vilardi, fazendo ótima prova de recuperação, descontou a diferença para Trasolini e a briga dos dois ficou aberta na última volta. A vantagem acabou sendo do venezuelano já que Thales sofreu uma queda durante a disputa. "Contornamos a curva antes da seção de costelas lado a lado, acabei tendo de mudar a minha linha para não batermos e acertei uma pedra. Foi um tombo forte, mas voltei e consegui manter a quarta posição", disse o paulista.

Jetro Salazar foi outro piloto que caiu nesta bateria e ainda se enroscou em uma fita que demarcava o traçado, que acabou enrolando na roda traseira de sua moto. Mesmo com o guidão todo torto completou a prova em quinto e protegeu sua vantagem na pontuação. Carlos Franco e Andres Benenaula confirmaram as posições seguintes.

Na soma das baterias a classificação foi a seguinte: 1º Jorge Balbi (Brasil), 2º Thales Vilardi (Brasil), 3º Jetro Salazar (Peru), 4º Cézar Zamboni (Brasil), 5º Carlos Franco (Brasil), 6º Raimundo Trasolini (Venezuela), 7º Andres Benenaula (Equador), 8º Felipe Espinosa (Equador), 9º Rodrigo Selhorst (Brasil) e 10º Luiz Correa (Argentina).

 

Entre as baterias foi realizada uma prova infantil da categoria CRF50F

Além das provas do Latino o público de Pimenta Bueno conferiu outras atrações durante o final de semana. Na pista, uma corrida demonstrativa com crianças, da categoria CRF50F, divertiu os espectadores entre as duas principais baterias. No ar o show ficou por conta da Esquadrilha da Fumaça, que fez uma bela apresentação, recheada de manobras espetaculares com os aviões da Força Aérea Brasileira. Outro atrativo foi o show com a banda NX Zero na noite de sábado, dia em que foram realizados os treinos livres do motocross.

Federação de Rondônia amplia programa ecológico


 Sistema de filtragem para reutilização da água usada durante a lavagem das motos


Federação promoveu o plantio de mudas de variadas espécies da região
A relação do Latino-Americano de Motocross com o meio ambiente ganhou novo contorno em 2009, quando teve início o projeto de crédito de carbono realizado pela FMR (Federação de Motociclismo de Rondônia). A iniciativa visa minimizar os efeitos do evento sobre o meio ambiente e tem alcançado grande êxito desde então. Funciona assim, a organização da prova faz um levantamento das emissões de gases que ocorrem durante a competição e promove o plantio de árvores para neutralizar os efeitos. Durante a prova deste ano teve início o plantio, que vai atingir o total de 500 mudas de variadas espécies da região.

A preocupação da FMR em promover um motociclismo sustentável, uma atitude pioneira e essencial para o futuro do esporte, rendeu uma condecoração da Federação Internacional de Motociclismo no final do ano passado. A premiação foi um estímulo ao trabalho desenvolvido no Estado. A menção ao meio ambiente estava presente em vários pontos da Pista Ecológica dos Buritis. Até mesmo a ligação do circuito até a Rodovia mais próxima ganhou uma decoração diferenciada, com a instalação de dezenas de postes utilizando lâmpadas verdes.

Neste ano o trabalho foi expandido e foram realizadas novas ações. Um sistema de filtragem para reutilização da água usada da lavagem das motos, foi instalado no local. Os resíduos químicos são separados durante o processo, para serem descartados depois, sem prejuízo ao meio ambiente. Com a implantação do sistema também foram economizados centenas de litros de água.

A ampliação do projeto de preservação do meio ambiente foi elogiado pelos integrantes da União Latino Americana de Motociclismo que acompanharam as ações. Já é certo que o projeto brasileiro irá concorrer à novas premiações internacionais. Ponto para o meio ambiente e para o motociclismo nacional.

Classificação geral do Latino-Americano de Motocross após duas etapas








© 2000 - 2020 MotoX MX1 Internet