X Fechar
foto

X Fechar
foto
Clique e saiba mais
Clique e saiba mais
Clique e saiba mais
Clique e saiba mais
Clique e saiba mais
Clique e saiba mais
Clique e saiba mais


>Competição > Mundial de Motocross

2020 Itália - Mantova - 9ª etapa – GP da Lombardia
Publicado em: 28/09/2020
Clique e saiba mais

Jorge Prado vence etapa, mas não sobe ao topo do pódio. MXGP tem novo líder na briga pelo título.
Redação MotoX.com.br: Carolina Arruda – Fotos: Ray Archer / Bavo Swigjers / J. P. Acevedo / Pascal Haudiquert


Largada MXGP

A sequência de seis GPs seguidos na Itália prossegue no Mundial de Motocross de 2020. A nona etapa da temporada abriu as rodadas sediadas no circuito de Mantova com o GP da Lombardia neste domingo (27).

MXGP

Novamente, sem a presença de Jeffrey Herlings, que provavelmente retorne apenas em 2021, os fãs acompanharam resultados inesperados na MXGP. Na primeira bateria da classe, Jeremy Seewer faturou o holeshot. O piloto da Yamaha liderou o início da prova com Jorge Prado em segundo e Tony Cairoli em terceiro. Quem reapareceu entre os ponteiros, foi Glenn Coldenhoff.

Pilotos como Tim Gajser, Gautier Paulin, Mitch Evans, Arminas Jasikonis e Evgeny Bobryshev ou largaram mal ou se envolveram em quedas ainda no começo, sendo obrigados a fazerem provas de recuperação. Enquanto isso, na liderança a briga ficou cada vez mais apertada: menos de quatro segundos separavam os ponteiros Seewer, Prado e Cairoli a 16 minutos do fim da bateria.


Jorge Prado

Com Prado na cola, Seewer não teve outra alternativa a não ser dar tudo de si, o que rendeu bons resultados para o piloto da Yamaha: cravou os melhores tempos da prova, abriu quase três segundos de vantagem sobre o rival da KTM e manteve o ritmo até o final para faturar sua primeira vitória do dia. Prado finalizou em segundo e Cairoli em terceiro. Coldenhoff e Calvin Vlaanderen completaram os cinco primeiros. Jasikonis conseguiu vir de fora dos top 10 e subir até a sexta posição.

Na segunda bateria, Prado fez o oitavo holeshot da temporada e saiu à frente de Romain Febvre, Gajser, Paulin e Seewer. E Cairoli? Ficou preso em uma má largada, começando a corrida da 19ª posição!

E teve mais drama ainda no início: Seewer caiu ao tentar ultrapassar Paulin e recomeçou entre os dez primeiros. Na frente, Febvre partiu para cima de Prado – que na fuga cravou o melhor tempo da prova – e assim seguiram por algumas voltas. Coldenhoff também não esperou para mostrar que largou para brigar pela ponta e se misturou ao pelotão da ponta.


Glenn Coldenhoff

Na metade da prova, Gajser tirou Febvre da briga pela liderança e foi à caça de Prado, também conseguindo a ultrapassagem e assumindo a ponta. Perto do final da prova, Gajser ganhou terreno e abriu quase seis segundos de vantagem sobre Prado. Gajser recebeu a bandeirada com tranquilidade. Coldenhoff e Seewer receberam de presente as segunda e terceira posições, após Prado, Febvre, e Paulin serem penalizados em duas posições por saltarem durante uma bandeira amarela. 

Cairoli também não conseguiu se recuperar da má largada, o piloto saiu da pista para a Goggle Lane (troca de óculos) enquanto ocupava a 12ª posição e caiu para 14º. Depois disso, o piloto ainda caiu ao tentar recuperar posições e fraturou o nariz, terminando em 15º.

Pela geral, a vitória ficou com Jeremy Seewer – primeiro GP da carreira no topo do pódio para o piloto. Sua última vitória  geral foi em 2017, ainda na MX2, durante o GP em Udevalla, Suécia. A segunda posição ficou com Glenn Coldenhoff e a terceira com Jorge Prado.


Tim Gajser

Com um quarto lugar geral, Tim Gajser (8 - 1) agora é o novo líder na briga pelo título com uma margem de cinco pontos sobre Cairoli e 16 pontos sobre Seewer.

Acidentes


Antônio Cairoli

A nona etapa foi marcada por acidentes e desfechos infelizes para pilotos da MXGP. Durante a segunda bateria, Arminas Jasikonis, da Husqvarna, defendia a sexta posição quando caiu e precisou ser removido de helicóptero. Nesta segunda-feira (28), a equipe divulgou o estado de saúde do piloto em uma nota oficial, informando que se encontra em coma induzido devido ao trauma craniano. O piloto ainda se encontra na Itália (Cremona), sob cuidados médicos, e a equipe avalia transferência para a Áustria (Innsbruck).

A bruxa também atingiu Cairoli, que caiu duas vezes durante a segunda bateria. Sendo que no último tombo foi de cara ao chão, quebrando o nariz. Mesmo ensanguentado, o italiano completou a prova para marcar seis pontos na classificação geral. Vale lembrar que Cairoli está em busca do décimo título mundial e para ele cada ponto importa, mesmo que isso custe terminar a prova com o nariz quebrado.

Impressionante também foi a queda do russo Evgeny Bobryshev, que varou uma das grandes mesas por vários metros aterrissando num banco de areia. Apesar do susto, após exames detalhados Bobryshev postou fotos coma família nas redes sociais informando que estava bem e que as lesões não passaram de alguns hematomas no peito.

Penalizações


Romain Febvre

Não fosse a penalização de duas colocações e quatro pontos por conta da bandeira amarela, Prado teria faturado sua segunda vitória geral na MXGP em sua temporada de estreia na classe. Inclusive, talvez pela primeira vez na competição os pilotos precisaram refazer o pódio, após informadas as colocações reajustadas.

Em suas redes sociais, os pilotos prejudicados se pronunciaram sobre o acontecido, já que declararam não ter visto a bandeira amarela e questionaram a legitimidade da postura da FIM.

Jorge Prado: “Depois de anunciar a vitória, no final da conferência de imprensa, um membro da FIM me informa que sofri uma sanção por pular durante a bandeira amarela. Eu entendo que do ponto de vista da televisão a bandeira amarela é bem vista, mas da minha posição a bandeira estava no meu ponto cego. Tem apenas uma à direita, ao invés de ter em ambos os lados. Eu falo isso porque temos ainda mais duas corridas pela frente e o que pretendo que se tenha mais visibilidade para podermos reagir a tempo.

Minha surpresa foi maior, uma hora e meia depois, quando um membro da minha equipe me avisou que outro piloto foi penalizado também e os resultados mudaram novamente, me deixando na terceira posição. Sem que tudo isso tenha sido suficiente, fomos convidados a repetir o pódio. Imagino que seja a primeira vez que isso acontece e espero que seja a última.

Quero deixar claro que o realmente importante não é estar em primeiro ou terceiro, mas proteger nossas vidas. A segurança é o principal e se todos os pilotos penalizados não viram a bandeira, a FIM deve agir. A noite quando cheguei no hotel, vi que o Gautier Paulin tinha publicado um vídeo explicando o pulo, durante a bandeira amarela que ele não viu, e sem algum piloto no chão. Além disso, como o Romain Febvre disse, nós somos professionais, não vamos fazer isso por nada. Espero que sejamos ouvidos.”

Vídeo de Gautier Paulin, em que é possível ver momento em que a bandeira amarela é sinalizada, mas não há piloto no chão:


Romain Febvre:
Fiz um 10 – 5. Tive uma largada ruim na primeira bateria, uma primeira volta ruim e terminei em décimo. Na segunda bateria, comecei em segundo e cometi alguns erros na briga pelo primeiro lugar, terminei em terceiro. Mas eu e mais pilotos fomos penalizados por conta de uma bandeira amarela que não pudemos ver, já que já estávamos no ar... Injusto, já que somos profissionais e se tivéssemos visto a bandeira amarela não pularíamos, pois conhecemos as regras e os riscos! Mas não podemos protestar.”


Jeremy Seewer

Jeremy Seewer: “Venci meu primeiro MXGP. É incrível. Vai entrar para os registros e será um marco na minha carreira. Todo mundo sonha em vencer um GP do Mundial, especialmente agora no nível em que estamos correndo, então é incrível. Especialmente a primeira corria, sai na frente e liderei cada volta até o final. Na segunda prova, não tive o desempenho que esperava, mas fui sortudo hoje, estava na hora certa, no lugar certo.”

Antônio Cairoli: “Hoje começamos bem e estava feliz com o terceiro lugar porque a pista estava muito traiçoeira. Foi positivo fazer esses pontos. Minha largada não foi tão ruim na segunda bateria, mas quando estava puxando para ultrapassar outros pilotos e subir posições, bati na roda de outro piloto e cai. Tive que sair da última colocação e usar a goggle lane porque meu roll-off acabou. Estava me sentindo bem e continuei puxando. Então tive outra queda, quando sai de lado na subida e bati meu rosto com força. Eu queria continuar na briga por alguns pontos. Então não é o resultado que desejamos e sempre devemos evitar erros. Quebrei meu nariz, mas poderia ter sido pior. Não mantivemos o red plate da liderança, mas estaremos prontos para brigar pelo pódio novamente na quarta-feira”.

MX2


Mathys Boisrame

Na primeira bateria, Mathys Boisrame, da Kawasaki, conquistou seu primeiro holeshot da temporada, mas a alegria durou pouco: ainda na primeira volta Tom Vialle assumiu a ponta, com Ben Watson em terceiro. O pelotão da liderança logo recebeu Maxime Renaux e Roan Van de Moosdijk.

Vialle abriu terreno e praticamente correu sozinho. Na metade da prova, o piloto da KTM chegou a ter margem de dez segundos sobre Renaux – que fugia de Van de Moosdijk e Thomas Kjer Olsen. Mais atrás, Boisrame, Watson, Jago Geerts (vindo de uma prova de recuperação) e Jed Beaton estavam corpo a corpo na briga pelo quinto lugar.


Tom Vialle

Beaton então cometeu um pequeno erro ao se perder em uma curva e sair para o pitlane, terminando em sétimo. Geerts também errou e acabou cruzando a linha de chegada fora dos dez primeiros.

Vialle faturou a vitória com seis segundos de vantagem e a segunda posição foi definida somente a duas voltas do fim: Olsen conseguiu ultrapassar Van de Moosdijk, quarto, e ainda empurrou Renaux para a terceira posição. Mathys Boisrame completou o top 5, à frente de Watson.


Ben Watson

Na segunda bateria, foi Watson quem saiu na frente, seguido por Conrad Mewse, Beaton, Geerts e Alvin Ostlund. Impaciente, Beaton não esperou para ultrapassar Mewse pela segunda posição. E Vialle, vencedor da primeira bateria, teve uma má largada e saiu na sétima posição, acompanhado de Renaux e Olsen.

Beaton já conseguiu assumir a liderança e Geerts ultrapassou Mewse pela terceira posição. Watson não desistiu de ficar com a vitória e puxou o cabo, encostando em Beaton – apenas um segundo separava os pilotos. Geerts não encontrou o mesmo ritmo, caiu e foi para a nona posição e ultrapassagem a ultrapassagem foi à caça de Vialle – até o fim da prova o piloto chegou a subir para quinta posição, mas caiu novamente e encerrou a prova na oitava posição.


Jago Geerts

No final, Beaton foi capaz de defender a liderança e faturou sua primeira vitória na categoria. Watson encerrou em segundo com Conrad Mewse em terceiro. Olsen cruzou em quarto lugar à frente de Maxime Renaux.

No resultado da etapa, Thomas Kjer Olsen retornou ao topo do pódio, com Jed Beaton ao lado. Ben Watson completou ostrês primeiros. Vialle ficou em sexto nesta etapa, mas ainda segura a liderança na briga pelo título com 386 pontos, 30 à frente de Jago Geerts.


Thomas Kjer Olsen

Thomas Kjer Olsen: “Estou surpreso. Fui para a segunda prova sem saber que estaria no pódio, e foi uma loucura. Mas no fim estou feliz com o meu desempenho. Eu gostaria de estar mais à frente no pelotão e é algo que vou trabalhar para as próximas etapas. Passei por algumas provas difíceis, então não estava muito confiante, mas essa semana foi melhor. Estou confiante de novo em cima da moto, é a confiança que eu devia ter desde o início. Estou muito feliz por essa vitória geral, faz bastante tempo desde a última vez e a sensação é incrível.”

Vídeos











Resultados

P. # MXGP País M Bat1 Bat2 Pts
1 91 Seewer, Jeremy SUI YAM 25 20 45
2 259 Coldenhoff, Glenn NED GAS 18 22 40
3 61 Prado, Jorge ESP KTM 22 18 40
4 243 Gajser, Tim SLO HON 13 25 38
5 25 Desalle, Clement BEL KAW 14 14 28
6 3 Febvre, Romain FRA KAW 11 16 27
7 10 Vlaanderen, Calvin NED YAM 16 10 26
8 222 Cairoli, Antonio ITA KTM 20 6 26
9 21 Paulin, Gautier FRA YAM 8 15 23
10 89 Van Horebeek, Jeremy BEL HON 12 11 23
11 29 Jacobi, Henry GER YAM 7 13 20
12 189 Bogers, Brian NED KTM 9 8 17
13 43 Evans, Mitchell AUS HON 3 12 15
14 911 Tixier, Jordi FRA KTM 6 9 15
15 27 Jasikonis, Arminas LTU HUS 15 0 15
16 77 Lupino, Alessandro ITA YAM 10 0 10
17 811 Sterry, Adam GBR KTM 5 4 9
18 53 Walsh, Dylan GBR HON 0 7 7
19 7 Leok, Tanel EST HUS 4 3 7
20 128 Monticelli, Ivo ITA GAS 0 5 5
21 116 Sabulis, Karlis LAT KTM 0 2 2
22 321 Bernardini, Samuele ITA YAM 2 0 2
23 152 Petrov, Petar BUL KTM 0 1 1
24 211 Lapucci, Nicholas ITA KTM 1 0 1

P. # MX2 País M Bat1 Bat2 Pts
1 19 Olsen, Thomas Kjer DEN HUS 22 18 40
2 14 Beaton, Jed AUS HUS 14 25 39
3 919 Watson, Ben GBR YAM 15 22 37
4 959 Renaux, Maxime FRA YAM 20 16 36
5 39 Van De Moosdijk, Roan NED KAW 18 15 33
6 28 Vialle, Tom FRA KTM 25 7 32
7 118 Rubini, Stephen FRA HON 13 12 25
8 426 Mewse, Conrad GBR KTM 3 20 23
9 193 Geerts, Jago BEL YAM 10 13 23
10 517 Gifting, Isak SWE GAS 12 11 23
11 303 Forato, Alberto ITA HUS 9 10 19
12 172 Boisrame, Mathys FRA KAW 16 0 16
13 161 Östlund, Alvin SWE HON 1 14 15
14 11 Haarup, Mikkel DEN KAW 4 9 13
15 47 Malkiewicz, Bailey AUS HON 11 0 11
16 83 Renkens, Nathan BEL KTM 7 2 9
17 240 Horgmo, Kevin NOR KTM 0 8 8
18 70 Fernandez, Ruben ESP YAM 8 0 8
19 98 Vaessen, Bas NED KTM 0 6 6
20 766 Sandner, Michael AUT GAS 6 0 6
21 199 Crawford, Nathan AUS HON 0 5 5
22 44 Lesiardo, Morgan ITA KTM 5 0 5
23 326 Gilbert, Josh GBR HUS 0 4 4
24 105 Genot, Cyril BEL YAM 0 3 3
25 200 Zonta, Filippo ITA KTM 2 1 3

Classificação Geral
P. # MXGP País Moto Pts
1 243 Gajser, Tim SLO HON 316
2 222 Cairoli, A. ITA KTM 311
3 91 Seewer, Jeremy SUI YAM 300
4 61 Prado, Jorge ESP KTM 277
5 259 Coldenhoff, G. NED GAS 273
6 84 Herlings, J. NED KTM 263
7 27 Jasikonis, A. LTU HUS 248
8 3 Febvre, Romain FRA KAW 230
9 21 Paulin, G. FRA YAM 224
10 25 Desalle, C. BEL KAW 222
11 43 Evans, M. AUS HON 168
12 89 Van Horebeek, J. BEL HON 164
13 10 Vlaanderen, C. NED YAM 106
14 911 Tixier, Jordi FRA KTM 106
15 29 Jacobi, Henry GER YAM 84
16 77 Lupino, A. ITA YAM 82
17 189 Bogers, Brian NED KTM 82
18 747 Cervellin, M. ITA YAM 73
19 4 Tonus, Arnaud SUI YAM 71
20 128 Monticelli, I. ITA GAS 67
21 6 Paturel, B. FRA HON 45
22 24 Simpson, Shaun GBR KTM 31
23 777 Bobryshev, E. RUS HUS 26
24 41 Jonass, Pauls LAT HUS 26
25 53 Walsh, Dylan GBR HON 24
26 760 Rauchenecker, P. AUT KTM 19
27 7 Leok, Tanel EST HUS 19
28 811 Sterry, Adam GBR KTM 19
29 116 Sabulis, K. LAT KTM 18
30 152 Petrov, Petar BUL KTM 18
31 64 Covington, T. USA YAM 15
32 151 Kullas, Harri EST HON 11
33 107 van Berkel, L. NED HUS 9
34 92 Guillod, V. SUI HON 9
35 211 Lapucci, N. ITA KTM 6
36 32 Van doninck, B. BEL HUS 5
37 321 Bernardini, S. ITA YAM 4
38 201 Pichon, Z. FRA HON 2
39 226 Koch, Tom GER KTM 2
40 297 Gole, Anton SWE HON 2
41 17 Butron, Jose ESP KTM 1
P. # MX2 País Moto Pts
1 28 Vialle, Tom FRA KTM 386
2 193 Geerts, Jago BEL YAM 356
3 959 Renaux, Maxime FRA YAM 295
4 14 Beaton, Jed AUS HUS 286
5 39 Van De Moosdijk, R. NED KAW 243
6 19 Olsen, T. DEN HUS 228
7 919 Watson, Ben GBR YAM 228
8 172 Boisrame, M. FRA KAW 198
9 426 Mewse, Conrad GBR KTM 185
10 70 Fernandez, R. ESP YAM 164
11 118 Rubini, S. FRA HON 143
12 161 Östlund, Alvin SWE HON 127
13 11 Haarup, Mikkel DEN KAW 118
14 199 Crawford, N. AUS HON 91
15 303 Forato, A. ITA HUS 85
16 711 Hofer, Rene AUT KTM 73
17 326 Gilbert, Josh GBR HUS 72
18 101 Guadagnini, M. ITA HUS 62
19 253 Pancar, Jan SLO KTM 62
20 516 Laengenfelder, S. GER GAS 59
21 47 Malkiewicz, B. AUS HON 54
22 102 Sikyna, R. SVK KTM 52
23 44 Lesiardo, M. ITA KTM 51
24 105 Genot, Cyril BEL YAM 46
25 98 Vaessen, Bas NED KTM 41
26 240 Horgmo, Kevin NOR KTM 40
27 104 Sydow, Jeremy GER GAS 35
28 75 Roosiorg, H. EST KTM 33
29 83 Renkens, N. BEL KTM 32
30 517 Gifting, Isak SWE GAS 23
31 12 Harrison, M. USA KAW 22
32 209 Cenerelli, G. ITA HUS 21
33 313 Polak, Petr CZE YAM 15
34 783 Toriani, Enzo FRA HUS 11
35 20 Todd, Wilson AUS KAW 8
36 224 Teresak, Jakub CZE KTM 8
37 766 Sandner, M. AUT GAS 6
38 109 Edelbacher, R. AUT HUS 5
39 258 Nermann, J. EST HUS 3
40 275 Furbetta, J. ITA KTM 3
41 200 Zonta, Filippo ITA KTM 3
42 707 Spies, M. GER HUS 2
43 142 Haavisto, Jere FIN YAM 2
44 115 Dickinson, A. GBR KTM 1






© 2000 - 2020 MotoX MX1 Internet