X Fechar
foto

X Fechar
foto
Clique e saiba mais
Clique e saiba mais
Clique e saiba mais
Clique e saiba mais
Clique e saiba mais
Clique e saiba mais
Clique e saiba mais


>Competição > Mundial de Motocross

2020 Itália - Faenza - 8ª etapa – GP de Emilia Romagna
Publicado em: 14/09/2020
Clique e saiba mais

Novo velho líder: ausência de Jeffrey Herlings aperta disputa pelo título e Cairoli retorna para o topo do pódio
Redação MotoX.com.br: Carolina Arruda – Fotos: Juan Pablo Acevedo / Bavo Swijgers/ Ray Archer


Largada MXGP

Neste domingo (13), a caravana do Mundial de Motocross completou a tríade de GPs no circuito de Faenza. A oitava etapa da temporada também marcou o calendário porque finalmente um número limitado de fãs puderam acompanhar o evento de perto e torcer pelos pilotos.

MXGP

Sem a presença de Jeffrey Herlings, afastado após uma lesão na última etapa, a categoria conheceu um novo líder....mas, nem tão novo assim, Antônio Cairoli lucrou em cima da ausência do companheiro de equipe e levou a etapa para casa.
Na primeira bateria, quem saiu na frente foi Jorge Prado, seguido de Jeremy Seewer e Cairoli. Na quarta posição, Tim Gajser foi com tudo para cima do italiano e a manobra não deu certo: os pilotos se tocaram, Cairoli seguiu e Gajser foi ao chão, restando para ele uma prova de recuperação de fora do top 10 até o quinto lugar.


Jeremy Seewer

Prado e Seewer eram os maiores candidatos à vitória da bateria, com menos de um segundo de diferença entre os ponteiros. Até que a dez minutos do final, Seewer partiu para o tudo ou nada em busca da vitória e caiu enquanto tentava ultrapassar Prado. Apesar de retornar rapidamente à prova, o piloto da Yamaha entregou a vice-liderança para Cairoli. Então Prado cruzou a bandeira quadriculada em primeiro – faturando sua primeira vitória na categoria, seguido de Cairoli, Seewer e Mitch Evans respectivamente.

Na corrida seguinte, Prado novamente fez questão de fazer o holeshot, seguido por Gajser, Cairoli, Evans e Seewer. A briga pela ponta ficou entre Prado e Gajser, que forçou uma ultrapassagem perigosa sobre o rival e assumiu a ponta. Prado ainda cedeu à pressão de Cairoli, que passou o companheiro de equipe no mesmo ponto que ele havia perdido a liderança a uma volta atrás. No mesmo local, Prado ainda perderia posições para Romain Febvre e Glenn Coldenhoff, terminando em sexto.


Tim Gajser

Na frente, a distância entre Gajser e Cairoli era cada vez menor e o italiano parecia decidido a brigar pela vitória, mas há três voltas do fim Febvre partiu para cima do italiano, que foi obrigado a defender a vice-liderança até o final da prova. Gajser venceu a bteria, com Cairoli e Febvre completando o top 3. Seewer foi o quarto colocado, com Coldenhoff em quinto.

Com os resultados consistentes, Cairoli venceu a etapa e assumiu a liderança do campeonato, enquanto Tim Gajser encerrou em segundo e Jorge Prado em terceiro. Pela disputa do título, Cairoli tem sete pontos de vantagem sobre Gajser. Mesmo ausente, Jeffrey Herlings agora ocupa a terceira posição.


Público limitado pode acompanhar o evento e rever os atletas
Antônio Cairoli:
“Com certeza, hoje estou muito feliz. A cada corrida me sinto melhor dentro das condições dadas. Nesta manhã, durante os treinos, sofri bastante. Estava a três segundos e meio do restante do pelotão, então com certeza isso não ajudou na minha confiança para a prova. No começo da prova, eu ainda cometi um erro e torci meu joelho, foi difícil mas com a experiência que tenho consegui lidar com a situação. Espero que Jeffrey (Herlings) se recupere rápido, é uma pena que ele não esteja competindo. Não comecei tão bem esta temporada, mas agora eu quero brigar pelo título, que é meu objetivo”.

“Com certeza estou feliz pelo campeonato, oito anos é bastante tempo e com certeza eu fico feliz de ainda estar brigando com os outros pilotos pelo título. Agora estou com 35 anos e nunca esperei estar onde estou com essa idade. De qualquer forma, toda vez que eu corro, estou me divertindo e curtindo muito a pista. Com certeza, gosto de correr com pilotos mais novos. Todos os dias eu tento melhorar e é cada vez mais difícil, mas estou feliz e satisfeito”.


Tim Gajser: “Na verdade, não larguei bem em nenhuma das provas. No começo, tentei fazer ultrapassagens muito rápidas. Na primeira volta da primeira bateria, bati com o Tony (Cairoli). Fiquei desapontado, mas foi como foi...Na segunda prova, larguei um pouco melhor e consegui assumir a liderança e me distanciar cerca de três segundos, então consegui controlar a prova.”

“Como o Tony disse, Jeffrey estava muito rápido esse ano e espero que ele melhore rápido. Mas agora estamos todos muito próximos no ranking, com Tony e até mesmo Seewer e outros pilotos, então será uma temporada interessante.”


Jorge Prado

Jorge Prado: “Agora estou me sentindo bem com a moto. Acho que em termos de velocidade, os primeiros vinte e cinco minutos são decisivos na prova. Mas estou feliz por ter conseguido minha primeira vitória, mesmo sendo um dia difícil.”

“Gastei muita energia na primeira corrida, mas queria muito essa vitória. Doi o máximo em todas as corridas e na segunda prova já larguei sem energia. Ontem foi complicado para mim. Eu estava me sentindo mal, fiquei na cama o dia todo, então estou feliz por estar no pódio agora. Dentro das circunstâncias, tive um resultado muito bom.”

MX2


Tom Vialle

Tom Vialle fez o holeshot da primeira bateria, seguido de Jago Geerts. Thomas Kjer Olsen também alcançou o pelotão. Ainda no início, Geerts assumiu a ponta, mas o piloto da KTM respondeu rapidamente. Na metade da prova, Geerts novamente conseguiu a ultrapassagem pela liderança. Maxime Renaux entrou na briga pela terceira posição, empurrando Olsen para a mira de Jed Beaton. Algumas voltas depois, Renaux caiu e perdeu o posto de volta para Olsen.

Perto do final, a corrida ficou mais interessante: Vialle estava fazendo de tudo para diminuir a vantagem de Geerts e recuperar a vitória, foi quando os retardatários tiveram papel decisivo. Não só atrapalharam Vialle na briga pela ponta, como o atrasaram a ponto de Olsen caçar o piloto até a linha de chega pela segunda posição.


Jago Geerts

Jago Geerts levou a vitória, com Vialle conseguindo defender a vice-liderança à frente de Olsen, Beaton e Conrad Mewse, que entrou no top 5 após uma prova de recuperação.

Vialle novamente saiu na frente na segunda bateria, desta vez seguido por Watson, Geerts e Beaton. Na terceira volta, Watson saiu da briga pela ponta por conta de um ponto e retornou à prova na quinta posição.

Na liderança, Vialle conseguiu abrir margem de mais de três segundos, com Beaton e Geerts atrás. Ao final da prova, o piloto da KTM conseguiu ganhar ainda mais terreno, enquanto Geerts partiu para cima de Beaton e assumiu o segundo posto, definindo o pódio. Vialle levou mais uma vitória, à frente de Geerts e Beaton. Roan Van de Moosdijk e Bem Watson completaram o top 5.


Jed Beaton

A vitória do GP ficou com VIalle e Geerts, em segundo. Beaton fez o seu primeiro pódio da temporada. Pelo campeonato, Vialle abriu 21 pontos de vantagem sobre o piloto da Yamaha.

A próxima parada do Mundial de Motocross será no circuito de Mantova, para mais uma sequência de três etapas em solo italiano: GP da Lombardia, GP de Città di Mantova e GP da Europa, de 27 de setembro a 04 de outubro.

Tom Vialle:
“Na segunda corrida, eu estava me sentindo muito bem depois de algumas voltas. Tive uma boa largada e depois fiquei mais rápido na seção de ondas, que na primeira bateria não fui muito bem. Apenas mantive o foco quando o Ben Watson caiu e daí eu tive uma vantagem de sete segundos, então apenas manter o ritmo era o importante para o final.

“Na primeira bateria me senti bem nas primeiras voltas, mas depois não mais. Então conseguiram me passar, tentei acompanhar o Geerts até o final e não foi de todo mal a primeira prova. Mas fiquei muito feliz de vencer a segunda bateria!”


Jago Geerts:
“Hoje foi um bom dia para mim. Tive uma boa largada e venci a primeira corrida, estava pilotando bem, então foi legal. Na segunda bateria, estava muito atrapalhado. Depois de 15 minutos entrei no ritmo e alcancei o segundo lugar, fiquei bem satisfeito com isso. Não perdi, nem ganhei muitos pontos, mas ainda temos muitas corridas pela frente.”

Jed Beaton:
“Obviamente é ótimo estar de volta ao pódio. Desde Portugal tem sido tempos e etapas difíceis, por isso é bom estar de volta. Para ser honesto, isso estava me incomodando há bastante tempo. Eu sentia que estava correndo bem, mas não estava acontecendo bons resultados, então hoje foi bom por isso.”

Resultados

MXGP - 1ª bateria – Top 10 Ranking:

1. Jorge Prado (ESP, KTM), 35:06.974;
2. Antonio Cairoli (ITA, KTM), +0:01.756;
3. Jeremy Seewer (SUI, Yamaha), +0:12.467;
4. Mitchell Evans (AUS, Honda), +0:15.553;
5. Tim Gajser (SLO, Honda), +0:19.255;
6. Arminas Jasikonis (LTU, Husqvarna), +0:19.504;
7. Alessandro Lupino (ITA, Yamaha), +0:22.152;
8. Glenn Coldenhoff (NED, GASGAS), +0:25.201;
9. Clement Desalle (BEL, Kawasaki), +0:40.468;
10. Romain Febvre (FRA, Kawasaki), +0:49.618.

MXGP - 2ª bateria – Top 10 Ranking:
1. Tim Gajser (SLO, Honda), 35:15.947;
2. Antonio Cairoli (ITA, KTM), +0:04.959;
3. Romain Febvre (FRA, Kawasaki), +0:10.499;
4. Jeremy Seewer (SUI, Yamaha), +0:25.451;
5. Glenn Coldenhoff (NED, GASGAS), +0:34.581;
6. Jorge Prado (ESP, KTM), +0:47.762;
7. Clement Desalle (BEL, Kawasaki), +0:49.311;
8. Mitchell Evans (AUS, Honda), +0:49.897;
9. Gautier Paulin (FRA, Yamaha), +1:04.063;
10. Alessandro Lupino (ITA, Yamaha), +1:07.203.

MXGP - GP Top 10 Ranking:
1. Antonio Cairoli (ITA, KTM), 44 pontos;
2. Tim Gajser (SLO, HON), 41 p.;
3. Jorge Prado (ESP, KTM), 40 p.;
4. Jeremy Seewer (SUI, YAM), 38 p.;
5. Romain Febvre (FRA, KAW), 31 p.;
6. Mitchell Evans (AUS, HON), 31 p.;
7. Glenn Coldenhoff (NED, GAS), 29 p.;
8. Clement Desalle (BEL, KAW), 26 p.;
9. Alessandro Lupino (ITA, YAM), 25 p.;
10. Arminas Jasikonis (LTU, HUS), 23 p.

MXGP - World Championship Top 10 Ranking:
1. Antonio Cairoli (ITA, KTM), 285 pontos;
2. Tim Gajser (SLO, HON), 278 p.;
3. Jeffrey Herlings (NED, KTM), 263 p.;
4. Jeremy Seewer (SUI, YAM), 255 p.;
5. Jorge Prado (ESP, KTM), 237 p.;
6. Arminas Jasikonis (LTU, HUS), 233 p.;
7. Glenn Coldenhoff (NED, GAS), 233 p.;
8. Romain Febvre (FRA, KAW), 203 p.;
9. Gautier Paulin (FRA, YAM), 201 p.;
10. Clement Desalle (BEL, KAW), 194 p.

MX2 - 1ª bateria – Top 10 Ranking:
1. Jago Geerts (BEL, Yamaha), 35:27.462;
2. Tom Vialle (FRA, KTM), +0:02.931;
3. Thomas Kjer Olsen (DEN, Husqvarna), +0:03.502;
4. Jed Beaton (AUS, Husqvarna), +0:04.197;
5. Conrad Mewse (GBR, KTM), +0:18.609;
6. Roan Van De Moosdijk (NED, Kawasaki), +0:24.212;
7. Ben Watson (GBR, Yamaha), +0:25.370;
8. Stephen Rubini (FRA, Honda), +0:25.968;
9. Ruben Fernandez (ESP, Yamaha), +0:43.405;
10. Maxime Renaux (FRA, Yamaha), +0:49.825.

MX2 - 2ª bateria – Top 10 Ranking:
1. Tom Vialle (FRA, KTM), 34:15.955;
2. Jago Geerts (BEL, Yamaha), +0:07.101;
3. Jed Beaton (AUS, Husqvarna), +0:11.101;
4. Roan Van De Moosdijk (NED, Kawasaki), +0:14.561;
5. Ben Watson (GBR, Yamaha), +0:16.380;
6. Thomas Kjer Olsen (DEN, Husqvarna), +0:17.711;
7. Ruben Fernandez (ESP, Yamaha), +0:40.395;
8. Stephen Rubini (FRA, Honda), +0:49.522;
9. Maxime Renaux (FRA, Yamaha), +0:54.656;
10. Kevin Horgmo (NOR, KTM), +0:55.671.

MX2 - GP Top 10 Ranking:
1. Tom Vialle (FRA, KTM), 47 pontos;
2. Jago Geerts (BEL, YAM), 47 p.;
3. Jed Beaton (AUS, HUS), 38 p.;
4. Thomas Kjer Olsen (DEN, HUS), 35 p.;
5. Roan Van De Moosdijk (NED, KAW), 33 p.;
6. Ben Watson (GBR, YAM), 30 p.;
7. Ruben Fernandez (ESP, YAM), 26 p.;
8. Stephen Rubini (FRA, HON), 26 p.;
9. Maxime Renaux (FRA, YAM), 23 p.;
10. Conrad Mewse (GBR, KTM), 21 p.

MX2 - World Championship Top 10 Ranking:
1. Tom Vialle (FRA, KTM), 354 pontos;
2. Jago Geerts (BEL, YAM), 333 p.;
3. Maxime Renaux (FRA, YAM), 259 p.;
4. Jed Beaton (AUS, HUS), 247 p.;
5. Roan Van De Moosdijk (NED, KAW), 210 p.;
6. Ben Watson (GBR, YAM), 191 p.;
7. Thomas Kjer Olsen (DEN, HUS), 188 p.;
8. Mathys Boisrame (FRA, KAW), 182 p.;
9. Conrad Mewse (GBR, KTM), 162 p.;
10. Ruben Fernandez (ESP, YAM), 156 p.









© 2000 - 2020 MotoX MX1 Internet