X Fechar
foto

X Fechar
foto
Clique e saiba mais
Clique e saiba mais
Clique e saiba mais
Clique e saiba mais
Clique e saiba mais
Clique e saiba mais

Edgers Racing

KTM Sacramento

Toro Sports

SP Race Park

JPS Racing

MotoX Pneus

Clique e saiba mais

> Notícias > Últimas Notícias

Paulo Gonçalves 1979 - 2020
Publicado em: 13/01/2020

Piloto português faleceu durante a 7ª etapa do Dakar 2020
Redação MotoX.com.br: Lucidio Arruda - Fotos: Hero Motorsports / Honda Racing


Paulo Gonçalves 1979 - 2020

Comecei a acompanhar a carreira de Paulo Gonçalves lá pelos idos de 2000. Logo no início do MotoX passamos a receber notícias do site português Fozmotor e da equipe oficial Honda de Motocross à época, a Motogomes.

Paulo começou no Motocross em 1991, na categoria 80cc. Como piloto oficial Motogomes conquistou diversos títulos nacionais no Motocross e Supercross. Após seu ciclo no cross, passou a acelerar nos Ralis com a equipe Speedbrain, que competia com motocicletas BMW/Husqvarna.


Com seus companheiros na Equipe Hero, em 2020

De 2013 a 2019 integrou a equipe oficial HRC Honda, e neste período foi campeão do Rally dos Sertões, Campeão Mundial de Rally Cross Country e, em 2015, vice-campeão do Dakar, atrás do espanhol Marc Coma.

Conhecido por seu espírito batalhador e por nunca desistir, algumas de suas imagens ficaram marcadas nas memórias da competição, como sua batalha contra o fogo em sua Honda, em 2014. Em 2016 outra imagem que viralizou foi o flagra de sua fortíssima queda na oitava etapa entre Salta e Belen. Como se nada tivesse acontecido, o português levanta, sacode a poeira e volta imediatamente à prova. Outro episódio que marcou suas passagens pelo Dakar aconteceu em 2012, quando ajudou Cyril Després a desatolar sua moto e em seguida foi abandonado, sem ajuda por parte do francês, num dos episódios mais antidesportivos na história da competição.


Paulo Gonçalves

Na edição 2020, Gonçalves voltou a competir pela antiga Speedbrain, agora denominada Hero, patrocinada pela fabricante de motocicletas indiana. Na terceira etapa enfrentou problemas mecânicos e, após receber um novo motor do caminhão de apoio, o trocou na motocicleta, sozinho, no deserto. O episódio o fez despencar na classificação, mas Gonçalves continuou acelerando firme e finalizou os três estágios seguintes entre os dez primeiros, incluindo uma quarta posição na quarta etapa.

Não era apenas um gigante nas pistas, mas também um dos pilotos mais queridos no mundo do rali e não é difícil saber por quê. Sempre simpático e acessível a jornalistas e fãs, sempre disposto a colaborar com os companheiros de equipe ou mesmo adversários. Em 2014, quando obrigado a abandonar a competição, continuou com a caravana, prestando apoio aos demais pilotos até a chegada.


Celebrando a segunda posição no Dakar 2015

Após o trágico acidente de ontem, a organização decidiu cancelar o oitavo estágio para as motos nesta segunda-feira. A Equipe Hero, cujo seu cunhado Joaquim Rodrigues também faz parte como piloto, abandonou a competição. Não há informações detalhadas sobre a causa da morte. A informação da organização é que a equipe médica chegou de helicóptero ao local do acidente oito minutos após o alerta e já encontrou o piloto em situação de parada cardíaca.

Paulo Gonçalves deixa esposa e dois filhos.

Vídeos























© 2000 - 2018 MotoX MX1 Internet