X Fechar
foto
Salvar nos Favoritos

X Fechar
foto
Clique e saiba mais
Clique e saiba mais
Clique e saiba mais
Clique e saiba mais
Clique e saiba mais
Clique e saiba mais
Clique e saiba mais
Clique e saiba mais

América Sports

Edgers Racing

KTM Sacramento

Toro Sports

JPS Racing

MotoX Pneus

Arenafama

Clique e saiba mais

> Competição > Mundial de Motocross

2019 Argentina - Néuquen - 1ª etapa
Publicado em: 04/03/2019

Campeonato começa com domínio de Antonio Cairoli e Jorge Prado
Redação MotoX.com.br:  Lucidio Arruda - Fotos: Ray Archer / Bavo Swijgers / Pascal Haudiquert


Largada da segunda bateria MXGP. Reparem Clement Desalle (25) passando por dificuldades

Finalmente ele está de volta! O Mundial de Motocross 2019 deu a largada no mais belo circuito do campeonato e as disputas na pista não deixaram nada a desejar em termos de emoção. Porém ficou claro que o favoritismo da KTM será difícil de ser quebrado, apesar dos esforços dos demais pilotos e equipes, os "garotos" comandados por Claudio De Carli venceram todas as baterias que contavam pelo campeonato. O domingo foi todo de Jorge Prado e Antonio Cairoli.

Balanço geral do MXGP da Argentina


Antonio Cairoli começa a temporada com dupla vitória

É marcante a longevidade da carreira de Antonio Cairoli. Não apenas a questão de quanto tempo ele corre nos GPs, mas principalmente o tempo que ele vence nos GPs. Neste final de semana o italiano conquistou seu primeiro GP na Argentina - já havia vencido baterias lá, mas nunca uma etapa geral - e estendeu um recorde muito particular. São 16 anos seguidos com pelo menos uma vitória por temporada. Será um recorde que deve perdurar por muito tempo, já que o segundo colocado ficou na marca dos 11 anos.

Em 2018 Cairoli encarou o mais difícil adversário de toda a sua carreira e alterou pontos em sua preparação para enfrentar Jeffrey Herlings, que venceu quase tudo no ano passado. Em termos de velocidade Cairoli já tinha alguma margem sobre os demais competidores e isso, por enquanto, se mantém. Ficou evidente quando ultrapassou tanto Tim Gajser como Romain Febvre em questão de duas ou três curvas. Confira no vídeo abaixo.



Jeffrey Herlings

O grande ponto de interrogação na temporada é sobre o prazo de retorno do holandês, atual campeão, ao campeonato. Já se sabe que a fratura no pé não foi das mais simples - comentários dizem que foi similar a  que tirou Brian Bogers de ação por mais de um ano - e não há previsão concreta sobre seu retorno à motocicleta.


Antonio Cairoli ultrapassa Febvre pela liderança

Herlings passará por exames nesta semana para uma avaliação da recuperação, mas parece pouco provável que esteja de volta no MXGP da Grã Bretanha, que acontece no dia 24 de março. Nas semanas seguintes teremos Holanda (Valkenswaard) e Itália (Trentino) antes de uma pausa de três semanas e meia para o MXGP da China, que acontece numa quarta-feira, 1º de maio.

Ficar fora de quatro GPs praticamente anula as chances de título de Herlings. Mesmo ele sendo um sobre-humano, ainda levaria algum tempo para recuperar a plena forma. Por isso crescem os rumores de que ele poderia trocar o Mundial de Motocross pelo AMA Motocross neste ano, caso esteja pronto para a abertura da temporada norte-americana, dia 18 de maio em Hangtown. 

Tim Gajser


Tim Gajser

Pelas amostras da Argentina, o piloto mais próximo a incomodar Cairoli será Tim Gajser. O esloveno campeão Mundial de 2016 está rápido e muito bem preparado. Falta um pouquinho para enfrentar Cairoli no mano a mano, mas num campeonato longo de 20 etapas todos passam por dias de dificuldades. Cabe ao esloveno ter consistência para aproveitar-se dos dias ruins dos adversários. Se ele continuar com a mania de comprar terreno forte, como em sua segunda queda no sábado, a vida nas tendas da KTM será muito tranquila durante a temporada.

Romain Febvre


Romain Febvre

O francês campeão da MXGP em 2015 chegou com força na Argentina, marcando a volta mais rápida dos treinos e vencendo a classificatória de sábado. No domingo fez duas boas largadas, liderou parte da primeira bateria que completou em terceiro após ser ultrapassado por Gajser nos estágios finais.

Na segunda bateria, Febvre sofreu uma queda preocupante, pois claramente há a possibilidade de uma lesão séria na perna direita. Ainda não houve um diagnóstico da equipe, mas o release distribuído pela Yamaha não conta nem com suas declarações sobre as corridas. "Febre foi levado ao hospital para exames médicos e uma atualização sobre sua condição e retorno às competições será publicado quando disponível", diz o comunicado. Certamente não é um prognóstico muito otimista.

Jeremy van Horebeek


Jeremy van Horebeek

Ás vezes uma chacoalhada na carreira faz bem para alguns pilotos. Após vários anos como piloto de fábrica e  dois vice-campeonatos o belga Jeremy van Horebeek se viu sem moto e sem equipe. Acertou com um time privado francês Honda para correr o enduro de praia de Le Touquet, onde andou de forma impressionante e, depois de liderar, abandonou após duas das três horas de prova com problemas mecânicos. Sua participação no Mundial só foi acertada há poucas semanas com o mesmo tíme, o Team Honda SR Motoblouz.

O pódio na Argentina via 6-3 nas baterias, com certeza teve gostinho de vitória para o piloto.

Demais destaques


Clement Desalle

O sempre consistente Clement Desalle ficou com a quarta posição geral. Andou próximo da dupla Gajser e Febvre na primeira bateria, quando chegou em quarto. Suas chances de pódio caíram bastante quando foi ao chão na largada da segunda bateria. Mesmo assim completou a corrida em sexto.


Gautier Paulin

Gautier Paulin, estreando pela Yamaha, teve um domingo similar ao de Desalle, também caindo em uma das largadas. O francês ficou com o quinto posto geral.


Arminas Jasikonis

Arminas Jasikonis fez boa estreia na Husqvarna com o sexto lugar geral. O lituano ainda é um dos pilotos mais jovens da categoria e tem muita possibilidade de crescer no campeonato.

Max Anstie é aquele tipo de piloto 8 ou 80. Muitas vezes mostra sinais de brilhantismo e alcança grandes resultados. Muitas vezes joga boas oportunidades fora. Correndo pela equipe satélite Standing Construct KTM abandonou a primeira bateria e foi quarto na segunda.


Pauls Jonass

Pauls Jonass estreou pela Husqvarna na categoria principal com a 10ª posição geral, após algumas lesões que prejudicaram sua pré-temporada.

Evgeny Bobryshev chegou na Argentina com o pulso lesionado, esperando suportar as dores para conseguir correr. Não deu para o russo, que desistiu já no primeiro treino livre.

Glenn Coldenhoff correu ainda fora de ritmo, também vítima de lesões na pré-temporada. Ficou com a 19ª posição geral.

Max Nagl viajou à argentina graças a uma vaquinha dos seu fãs, já que seu contrato prevê apenas as etapas europeias. Porém o alemão teve problemas com o joelho que "saiu" nas duas baterias e não completou nenhuma das corridas.

 

KTM De Carli comemora um domingo perfeito

MX2 - Jorge Prado começa a temporada no topo


Largada MX2

O domínio de Jorge Prado, que dispensa apresentações, nos faz pensar em quem será capaz de fazer frente ao espanhol ao longo da temporada. Treinando com Cairoli e sob supervisão da vencedora equipe De Carli, Prado já enfrenta o dilema de continuar, ou não, no Mundial de Motocross. Caso conquiste o título este ano será obrigado a subir para a MXGP, algo que ainda não quer. Lembremos que esta regra já foi alterada no passado a favor de Jeffrey Herlings, portanto a pressão da KTM sobre a direção do campeonato já começou. Giuseppe Luongo comentou em recente entrevista que não há porque mudar as regras por causa de um piloto, esquecendo-se que já fez isso num passado não muito distante. Caso nada mude no regulamento é grande a possibilidade de Prado entrar para a lista de campeões que mudaram para os Estados Unidos.


Jorge Prado

Mas voltando à primeira questão: quem será capaz de enfrentar Prado? Thomas Kjer Olsen, segundo colocado em ambas as baterias na Argentina seria a principal aposta. Pilotando pela Husqvarna, tem à disposição um motor tão forte ou pelo menos bem próximo da KTM de Prado, porém a diferença de tamanho entre os dois conta a favor do espanhol.


Thomas Kjer Olsen

Com o terceiro degrau do pódio logo em sua estreia, o australiano Mitchell Evans foi a grata surpresa da etapa. Competindo pelo time satélite 114 Motorsports Honda foi o quarto e terceiro nas duas baterias. Vamos acompanhá-lo nas próximas etapas, porque demonstrou muito potencial.


Mitchell Evans estreia no Mundial com pódio

O alemão Henry Jacobi veio com muita vontade para a temporada 2019, correndo com uma Kawasaki oficial. Com seu estilo ultra-agressivo "atormentou" Prado durante boa parte da classificatória de sábado, até ser empurrado para fora da pista. No domingo andou boa parte da primeira bateria em segundo até ser ultrapassado por Olsen ao redor dos 15 minutos. Uma largada na 16ª posição complicou sua vida na segunda bateria, quando completou em quinto.


Henry Jacobi

Calvin VLaaanderen foi o terceiro piloto a marcar os mesmos 36 pontos que deram o pódio a Mitchell Evens. O piloto da Honda HRC largou entre os dez e completou em quarto as duas baterias.

Vale mencionar também a estreia do francês Tom Vialle na categoria MX2. Filho de Frédéric Vialle, o jovem piloto integra a equipe oficial KTM na ala holandesa comandada por Dirk Grueber. Tom foi sétmo geral via 7-8 nas corridas. 


O brasileiro Gustavo Pessoa foi 16º colocado na etapa

Uma nota triste do GP é a total ausência da Suzuki na etapa. A equipe oficial japonesa deixou o campeonato ao fim de 2017, mas continuou viva no campeonato através do time independente BOS GP. Com o apoio da Kawasaki ao time de Evgeny Bobryshev e Tommy Searle, a Suzuki ficou sem presença no campeonato.


Pódio MX2 com Thomas Kjer Olsen, Jorge Prado e Mitchell Evans

Vídeos











Resultados

P. # MXGP P. Moto Bat 1 Bat 2 Pts
1 222 Cairoli, Antonio ITA KTM 25 25 50
2 243 Gajser, Tim SLO HON 22 22 44
3 89 Van Horebeek, Jeremy BEL HON 15 20 35
4 25 Desalle, Clement BEL KAW 18 15 33
5 21 Paulin, Gautier FRA YAM 16 16 32
6 27 Jasikonis, Arminas LTU HUS 13 13 26
7 100 Searle, Tommy GBR KAW 8 14 22
8 24 Simpson, Shaun GBR KTM 10 12 22
9 91 Seewer, Jeremy SUI YAM 11 10 21
10 41 Jonass, Pauls LAT HUS 12 9 21
11 33 Lieber, Julien BEL KAW 14 7 21
12 461 Febvre, Romain FRA YAM 20 0 20
13 99 Anstie, Max GBR KTM 0 18 18
14 77 Lupino, Alessandro ITA KAW 9 8 17
15 911 Tixier, Jordi FRA KTM 7 6 13
16 4 Tonus, Arnaud SUI YAM 0 11 11
17 128 Monticelli, Ivo ITA KTM 6 5 11
18 189 Bogers, Brian NED HON 5 4 9
19 259 Coldenhoff, Glenn NED KTM 4 3 7
20 17 Butron, Jose ESP KTM 2 2 4
21 179 Poli, Joaquin ARG HON 3 0 3
22 171 Luzzardi, Juan Pablo ARG KTM 0 1 1
23 220 Salazar, Jetro PER HON 1 0 1

P. # MX2 P. Moto Bat 1 Bat 2 Pts
1 61 Prado, Jorge ESP KTM 25 25 50
2 19 Olsen, Thomas Kjer DEN HUS 22 22 44
3 43 Evans, Mitchell AUS HON 16 20 36
4 10 Vlaanderen, Calvin NED HON 18 18 36
5 29 Jacobi, Henry GER KAW 20 16 36
6 919 Watson, Ben GBR YAM 15 14 29
7 28 Vialle, Tom FRA KTM 14 13 27
8 193 Geerts, Jago BEL YAM 10 15 25
9 811 Sterry, Adam GBR KAW 13 12 25
10 46 Pootjes, Davy NED HUS 11 11 22
11 426 Mewse, Conrad GBR KTM 12 9 21
12 98 Vaessen, Bas NED KTM 7 8 15
13 747 Cervellin, Michele ITA YAM 3 10 13
14 161 Östlund, Alvin SWE HUS 6 7 13
15 53 Walsh, Dylan NZL HUS 8 3 11
16 56 Pessoa, Gustavo BRA KAW 5 5 10
17 57 Sanayei, Darian USA KAW 9 0 9
18 32 Van doninck, Brent BEL HON 4 4 8
19 172 Boisrame, Mathys FRA HON 0 6 6
20 101 Pichon, Zachary FRA HON 0 2 2
21 102 Sikyna, Richard SVK KTM 2 0 2
22 959 Renaux, Maxime FRA YAM 0 1 1
23 11 Haarup, Mikkel DEN HUS 1 0 1






Curso MotoX
JPS Racing

© 2000 - 2018 MotoX MX1 Internet